Empreendedores interessados em ter um negócio no ramo da alimentação e que querem fugir da culinária oriental, brasileira ou italiana, uma boa opção é investir em franquias de comida mexicana.

Além de estar inserida em um dos segmentos mais fortes do franchising, o de alimentação, uma franquia de comida mexicana pode chamar a atenção dos clientes mais curiosos e que procuram por experiências diferentes.

“Para o público final, uma franquia de comidas mexicanas é ainda uma opção de lazer, já que pratos exóticos e culinária diferenciada não são tão presentes no cotidiano”, explica Milena Lidor, diretora da Franquear Consultoria.

Lembrando que, em 2016, segundo a Associação Brasileira de Franchising (ABF), o número de unidades de franquias do setor cresceu 10%. Além disso, dados do IBGE apontam que 40% dos brasileiros comem fora de casa pelo menos uma vez ao dia.

E não é só isso. O fato de trabalhar em um mercado de nicho também traz vantagens para o empreendimento, como esclarece Milena. “O nicho permite que haja uma diferenciação de tipos de comida, atraindo pela novidade, já que não está sempre no cardápio do cliente. Isso gera curiosidade que pode fazer com que o consumidor leve outras pessoas para comer também.”

Além disso, o que também ganha destaque é a caracterização no ponto de venda e dos colaboradores, algo comum nesse tipo de restaurante. “A ambientação que traz as comidas e a cultura mexicana fazem com que o consumidor tenha uma experiência diferente, fazendo com que ele se divirta e visite o estabelecimento com um grupo de pessoas, gerando oportunidade de vender mais”, avalia a especialista.

Mas é preciso estar atento a alguns pontos importantes nesse segmento. O operacional é um desafio e você precisa de uma mão de obra qualificada. “A comida mexicana precisa de algumas modificações para se tornar atrativa aos brasileiros e é necessário entregar isso com qualidade e originalidade”, pontua a especialista.

Neste segmento existem, em sua maioria, três modelos de franquias: lojas de shoppings, lojas de rua e food trucks. Com isso tudo em mente, confira, a seguir, algumas opções de franquias de comida mexicana. Os dados de investimento são da ABF ou da própria franqueadora.

1BurBurrito

Para virar franquia, a rede fez um reposicionamento de marca, ampliando o seu cardápio para que se transformasse em um modelo a ser seguido. Com essência fast-food, hoje, além dos sazonais, o cardápio do BurBurrito envolve burritos, hambúrgueres, porções, chopp, sobremesas, entre outras opções.

Investimento total: a partir de R$ 107 mil
Taxa de franquia: não informado
Royalties: não informado
Faturamento médio mensal: R$ 35 mil
Prazo de retorno: a partir de 12 meses

2La Calaca

Nasceu como um restaurante de comida mexicana para os cariocas, já que sua primeira unidade fica no Leblon. Em 2015, iniciou o processo de expansão da marca e, tempos depois, adquiriu e começou a operar dois food trucks, que estão presentes nos principais eventos do Rio de Janeiro e nos food parks. Atualmente, a expansão é feita não só pelos trucks, mas também com lojas express, de praças de alimentação, lojas quiosque e lojas container.

Investimento total: R$ 130 mil
Taxa de franquia: não informado
Royalties: não cobra
Faturamento médio mensal: não informado
Prazo de retorno: de 12 e 18 meses

3Let’s Eat

É uma rede de culinária mexicana e uma hamburgueria. O cardápio oferece várias opções de comidas típicas mexicanas, como tacos, burritos, chilli e quesadilla, assim como hambúrgueres, saladas, carnes, sobremesas, bebidas.

Investimento total: R$ 500 mil
Taxa de franquia: R$ 60 mil
Royalties: 5%
Faturamento médio mensal: não informado
Prazo de retorno: a partir de 18 meses

4Los Cabrones

A rede tem três modelos de negócio: food truck, loja de shopping e loja de rua. Na primeira, o cliente come os pratos de forma mais casual, pois prioriza o atendimento rápido, fazendo os pratos na hora e entregando ao cliente para ser consumido ali mesmo no local. Já os dois outros formatos têm como conceito atender o cliente num ambiente típico, prezando pela experiência do consumidor.

Food truck
Investimento total: R$ 75 mil
Taxa de franquia: não informado
Royalties: não informado
Faturamento médio mensal: R$ 35 mil
Prazo de retorno: 12 meses

Loja de shopping
Investimento total: R$ 160 mil
Taxa de franquia: não informado
Royalties: não informado
Faturamento médio mensal: R$ 100 mil
Prazo de retorno: a partir de 18 meses

Loja de rua
Investimento total: R$ 160 mil
Taxa de franquia: não informado
Royalties: não informado
Faturamento médio mensal: R$ 80 mil
Prazo de retorno: a partir de 18 meses

5Soft Tacos

A rede tem a proposta de servir os principais pratos da cozinha típica mexicana e conta com 14 unidades em operação nos estados do Paraná, Santa Catarina, São Paulo, Brasília, Goiás, Mato Grosso, Bahia, Rondônia, Ceará e Amazonas.

Investimento total: R$ 215 mil
Taxa de franquia: R$ 50 mil
Royalties: 6% sobre o faturamento bruto
Faturamento médio mensal: não informado
Prazo de retorno: não informado

6Taco Loco

Tendo como base o milho, o trigo e o feijão, temperados com chilli e jalapeño, a rede desenvolveu por meio de receitas de família o seu tempero para uma comida tex-mex adaptada ao paladar brasileiro. Está há 18 anos no mercado e oferece, entre outros pontos, treinamento operacional para toda equipe na matriz, apoio na inauguração da loja e manuais operacionais.

Investimento total: R$ 125 mil
Taxa de franquia: R$ 35 mil
Royalties: R$ 1 mil por mês
Faturamento médio mensal: R$ 65 mil
Prazo de retorno: de 18 a 24 meses

7Zapata

A marca Zapata nasceu em Curitiba no ano de 2007, mas foi em 2012 que se tornou uma rede de franquias. Tem dois modelos de negócios, a La Taqueria, que é uma loja menor, estilo fast food, e a Mexican Bar, que é bar e restaurante.

La Taqueria
Investimento total: R$ 300 mil
Taxa de franquia: não informado
Royalties: não informado
Faturamento médio mensal: R$ 120 mil
Prazo de retorno: em até 36 meses

Mexican Bar
Investimento total: R$ 500 mil
Taxa de franquia: não informado
Royalties: não informado
Faturamento médio mensal: R$ 350 mil
Prazo de retorno: em até 36 meses

COMPARTILHE
Artigo anteriorWalking Party fecha 2016 com faturamento de R$ 5 milhões
Próximo artigoBig X Picanha quer inaugurar 7 novas unidades em 2017
Graduada em jornalismo pela Faculdade Cásper Líbero e pós-graduanda em Gestão de Marketing pela Escola Superior de Propaganda e Marketing, sua paixão é escrever e tem curiosidade sobre os mais diversos temas. Já trabalhou em editorias de entretenimento, esportes, saúde, bem-estar, PME e gestão de carreiras.

DEIXE UMA RESPOSTA