Nascida de um projeto social, a Escola do Mecânico tem planos para se multiplicar por meio do franchising. Até 2025, a rede de escolas profissionalizantes na área de mecânica projeta chegar a 2019 escolas, instaladas em 158 municípios brasileiros.

Atualmente, são 30 escolas em operação, sendo a maioria delas em cidades do estado de São Paulo. Bahia, Paraná, Pernambuco, Minas Gerais, Santa Catarina e Rio Grande do Sul também contam com unidades da marca.

“A meta pode não se concretizar até 2025, mas desejamos estar bem perto dela, lá. Trabalhamos duro para isso e sabemos que há chance de conseguirmos impactar a vida de muitas pessoas com nosso trabalho”, comenta Sandra Nalli, fundadora da Escola do Mecânico, em nota divulgada à imprensa.

A Escola do Mecânico surgiu do desejo de Sandra Nalli de ajudar meninos da Fundação Casa, de Campinas, a aprenderem uma profissão e encontrarem um emprego. Assim, Sandra começou fazendo trabalho voluntário com uma estrutura simples, em uma sala alugada na qual oferecia capacitação teórica aos alunos.

“Eu sempre soube que havia uma grande carência mercadológica, de profissionais técnicos, bem capacitados, porque eu mesma tinha dificuldade em encontrá-los. Assim, sonhava em oferecer conhecimento e oportunidade a esses meninos, porque uma profissão pode mudar a realidade de suas vidas. Eu os queria empregar”, relata Sandra que, na época, trabalhava como gerente em uma grande oficina da cidade.

Em pouco tempo, o espaço em que a empreendedora atendia os alunos começou a chamar a atenção do público e levantar a procura de outras pessoas por cursos profissionalizantes de mecânica.

A partir disso, Sandra buscou auxílio do Sebrae e capital para investir no negócio, que rendeu bons resultados: em pouco tempo, foram abertas duas outras unidades próprias da Escola do Mecânico e outras pessoas começaram a se interessar em abrir uma escola da marca, o que levou ao projeto de franquias.

“Investir numa Escola do Mecânico não é barato, são 300 mil reais. Temos ferramentas e equipamentos, além da necessidade de estrutura física, que necessitam deste valor. Porém, mais do que isso, eu desejava ter, na rede, pessoas que tivessem a mesma filosofia que eu, a de mudar vidas. E isso não é uma tarefa das mais fáceis”, comenta Sandra.

Além de buscar um modelo de negócio lucrativo, a Escola do Mecânico também se compromete com o desenvolvimento de campanhas de cunho social e projetos como o Adote um Mecânico, que promove o patrocínio do acesso de estudantes carentes aos cursos, e o Emprega Mecânico, que liga o aluno a vagas de emprego nas cidades com escolas da marca.

Hoje, a rede conta com 30 escolas, parcerias com marcas especializadas no setor automotivo, um amplo portfólio de cursos e um Centro de Capacitação Profissional com capacidade para atender 900 alunos.

Investimento inicial: R$ 299 mil
Taxa de franquia: R$ 69,9 mil
Royalties: 7% do faturamento bruto
Faturamento médio: R$ 150 mil
Prazo de retorno: 18 meses

DEIXE UMA RESPOSTA