O passo a passo de abertura de uma franquia envolve diversos fatores: estudo de perfil do candidato, estudo do local em que a unidade será instalada, entendimento da Circular de Oferta de Franquia (COF) por parte do futuro franqueado, conversas com franqueados da rede, preenchimento do contrato, locação do ponto comercial, treinamento e consultorias.

Enfim, os quesitos a serem cumpridos são vastos, mas o primeiro passo é demonstrar interesse por uma marca. E tudo começa a partir do preenchimento da Ficha de Pré Qualificação (FPQ).

Nesta matéria, você entende melhor o que é a FPQ e qual é sua importância no processo de seleção e compra de uma franquia. Boa leitura!

O que é a FPQ?

As redes franqueadas costumam disponibilizar nos sites das franquias a Ficha de Pré Qualificação (FPQ), que deve ser preenchida pelo empreendedor interessado em investir em um modelo de negócio da rede.

A FPQ é o ponta pé inicial que deve ser dado pelo empreendedor que se interessa por alguma rede franqueada. O intuito, com seu preenchimento, é que a marca conheça o perfil do candidato e dê andamento no processo seletivo dos franqueados.

Para Mércia Vergili, especialista em franchising e consultora da GSPP, a FPQ é uma ferramenta essencial no planejamento de expansão por franchising, ao permitir que ambas as partes se conheçam mais a fundo: futuro franqueado e franqueadora.

Não há uma regra sobre como a FPQ deve ser disponibilizada pelas franqueadoras, podendo ser o único passo para contato com a rede ou, em outros casos, ser preenchida quando a rede já conhece minimamente o empreendedor. “Pode-se usar uma única ficha cadastral e pré qualificação juntas, ou ser a segunda ficha a ser preenchida pelo franqueado, no qual apresenta mais detalhes sobre quem é, e seus interesses com a franquia”, explica Mércia.

O economista e consultor de empresas Sergio Dias, complementa que uma boa FPQ se estrutura como um questionário fornecido pela rede franqueadora, em papel ou eletrônico, em que são informados dados valiosos para se conhecer mais à fundo o perfil pessoal, profissional e objetivos como futuro empreendedor como, por exemplo, “informações do mercado local onde pretende atuar, além de informações gerais sobre os motivos que o levaram a escolher a franquia, qual o seu conhecimento do sistema de franquias, seu conhecimento do mercado onde a franquia se insere, como pretende atuar e estimativa de faturamento”, explica.

Por parte do futuro franqueado, os dados solicitados pela FPQ e a forma que a marca estabelece e conduz o contato com o empreendedor interessado, devem ser pontos a serem observados. A Associação Brasileira de Franchising (ABF) informa que o contato entre investidor e rede franqueadora, na maioria dos casos, é feita através de um site, e-mail, telefone e pela FPQ.

Assim, os empreendedores devem avaliar a agilidade e profissionalismo no retorno à demonstração de interesse do empreendedor. Informações condizentes com o mercado de atuação cedidas pela franqueadora também devem ser analisados, bem como se os valores de investimento estão coerentes com dados divulgados em diferentes veículos.

Para que serve a FPQ?

Mércia Vergili esclarece que o preenchimento da FPQ serve para entender se o franqueado possui algumas das condições que o franqueador definiu como perfil ideal de franqueado.

“Por exemplo, se ele tem capacidade financeira para administrar certo negócio, se a marca onde ele pretende abrir a unidade está dentro do plano de expansão da franquia, se ele tem tempo para se dedicar à operação e se há afinidade da marca com o perfil do candidato”, informa a especialista.

A Ficha de Pré Qualificação também é um instrumento para impulsionamento de produtividade e controle das regiões em que a marca pretende expandir.

Mércia aconselha que a FPQ deve ser solicitada antes da primeira reunião entre empreendedor e representantes da franquia, ou logo após a primeira reunião. É importante que os dados da ficha sejam preenchidos antes que a marca apresente informações mais detalhadas do negócio.

Para Sergio Dias, a FPQ deve ser preenchida tão logo o candidato se decida a obter uma franquia “para que o franqueador analise a viabilidade do negócio, antes do envio da COF ( Circular de Oferta de Franquia) que é o documento que detalha as condições do franqueamento”, aconselha.

Que informações estão na FPQ?

Vergili informa que, comumente, há uma constante nas informações solicitadas pela franqueadora. O empreendedor interessado em investir em uma unidade de franquia deve apresentar:

  • nome completo;
  • endereço residencial;
  • número de alguns documentos pessoais (como RG e CPF);
  • experiência profissional;
  • formação escolar.

Estas são algumas das informações pessoais básicas importantes para entendimento do perfil do candidato e avaliação da consonância entre perfil da marca e do investidor.

As FPQs também costumam solicitar informações mais práticas, para entender em quais locais o candidato deseja atuar, as possibilidades de investimento e se há um olhar empreendedor no futuro franqueado. As franquias também costumam solicitar, de acordo com Mércia:

  • região de interesse;
  • valor disponível para investimento;
  • quais são as informações ou conhecimentos acerca da franquia em que se pretende investir;
  • quem vai trabalhar na operação da unidade.

A especialista ainda explica que, dependendo do valor de investimento, modos de atuação da franquia no mercado e porte da marca, as informações contidas na FPQ podem ser mais ou menos extensas, variando de rede para rede.

Aos franqueadores, Vergili aconselha que as informações solicitadas na FPQ devem ser úteis para análise do perfil dos franqueados. “Não precisa ter excesso de informação que não será utilizada, mas o necessário para conhecer a experiência do franqueado e seus objetivos como empreendedor”, finaliza.

Dias complementa que a FPQ deve ser elaborada pelo franqueador de forma a obter informações relevantes para análise da pré-qualificação do candidato “o ideal é conhecer alguns modelos já existentes e adaptá-los à realidade da franquia. Informações sobre o conhecimento prévio do candidato sobre o sistema de franquias e sobre o tipo de negócio a ser franqueado são importantes para facilitar a análise”, comenta.

DEIXE UMA RESPOSTA