O que a advocacia e o setor alimentício têm em comum? Pensando isoladamente, nada. Mas, para Edilaine Nardi a resposta é o oposto. Formada em direito, Edilaine abriu a primeira unidade da marca Nutty Bavarian em 2016.

Hoje, a franqueada conta com quatro unidades da marca em São Paulo, marcando presença no Shopping Plaza Sul, no Shopping Jardim Sul e no Shopping SP Marketing.

Por ser advogada antes de se tornar uma franqueada, Edilaine trabalhava em uma ONG cuidando tanto da parte jurídica, como da gestão da empresa. Mas, o desejo de ser dona do seu tempo e o fato de estar planejando ter um filho fizeram com que ela decidisse empreender.

“Ser uma franqueada é uma boa maneira de mitigar risco com um primeiro negócio, ter retorno e aprender boas práticas de gestão”, avalia a empresária ao relembrar a sua trajetória dentro do mundo do franchising.

Para escolher a Nutty Bavarian Edilaine recorreu a muita busca por informações. “Foi através de pesquisa de mercado que eu escolhi a marca, quando pude comprovar o retorno e a satisfação do cliente com a Nutty Bavarian”, comenta a franqueada.

Sucesso como franqueada

A assessoria econômica da FecomercioSP observa que o setor de franquias pode ser uma oportunidade para quem quer montar seu negócio sem precisar sair do zero, mas é importante estar atento às regras que a franquia deve seguir e, principalmente, aos valores das taxas cobradas pelo franqueador.

“É preciso disciplina nas atividades diárias de gestão e é necessário repensar processos para garantir que o tempo e a energia sejam alocados da melhor forma possível”, comenta a franqueada Edilaine.

Entre as principais vantagens de investir em uma franquia, aliás, está o reconhecimento da marca, uma vez que franquias, em geral, já são bastante conhecidas pelo consumidor ou têm mais chances de se tornar conhecidas que uma marca nova. Além disso, as franquias incluem estruturação e suporte à gestão, para que o empreendedor escolha o melhor ponto de instalação, tenha lista de fornecedores já pronta e troque experiências com outros franqueados.

“Eu não tinha experiência no setor de alimentos, por isso não me sentia segura em iniciar um negócio sem o suporte de uma franquia formatada”, afirma Edilaine.

Por meio de pesquisas e levando em consideração fatores como baixo investimento e retorno rápido, operação enxuta, tradição da empresa e suporte aos franqueados, Edilaine escolheu a marca com a qual queria trabalhar.

“Fui a campo falar com os funcionários e franqueados dos quiosques Nutty Bavarian. Essa sondagem foi essencial, pois foi aí que identifiquei a fundo os principais pontos positivos e negativos da operação”, relata a franqueada.

Para ela, o principal desafio de trabalhar com franquias é o risco de insucesso. Afinal, nesse segmento há casos nos quais as expectativas são tamanhas que o empreendedor pode se sentir frustrado, mesmo que o negócio obtenha êxito.

Muito mais feliz hoje do que era quando trabalhava na advocacia, seus objetivos dentro do mundo do franchising continuam impressionando. “Quero ser capaz de estruturar operações eficientes e eficazes para maximizar o retorno no investimento”, conta Edilaine.

Mas, a empreendedora sabe muito bem quais são os pontos contra e a favor que precisa ter sempre no radar, isso quando se fala sobre o mercado alimentício, um dos maiores dentro do mundo das franquias. “O setor de alimentos é um dos que menos sente a crise, é um ramo que está sempre em expansão. Mas o consumidor não quer apenas mais uma refeição fora de casa, ele quer novas experiências. Por isso é preciso sempre inovar”, pondera.

A dica de Edilaine para quem está pensando em empreender como ela? Simples, para a franqueada basta estudar muito.

Expansão e mercado

A Nutty Bavarian é pioneira no mercado e especializada em amendoins, castanhas, nozes, amêndoas, macadâmias e outros grãos glaceados, sem fritura. No Brasil desde 1996, a marca atua com franquias de quiosques de baixo investimento.

Atualmente, a rede conta com mais de 130 quiosques e ainda expandiu recentemente para os Estados Unidos, com seis unidades no país norte-americano. De acordo com a diretora da Nutty Bavarian, Adriana Auriemo, aliás, a empresa busca expandir em locais diferenciados.

“Procuramos sempre sair da zona de conforto e estar presentes onde nossos clientes estão, por isso, apostamos também nas estações de metrô, pois há um grande fluxo de pessoas que passam por lá diariamente”, explica a diretora.

Mesmo com a crise econômica, a empresa manteve o crescimento. Segundo dados fornecidos pela marca, a Nutty Bavarian alcançou o faturamento de 52 milhões de reais em 2016, um crescimento de 12% em relação ao ano anterior.

Uma das estratégias adotadas pela marca para ter crescimento em momentos de recessão foi de suma importância. “Em momentos economicamente delicados, não há espaço para desperdício, então, trabalhamos bastante na capacitação da nossa equipe, tanto nos pontos de venda quanto no escritório, além de investirmos em campanhas promocionais, novos produtos e formatos inovadores”, afirma Adriana.

Para abrir um quiosque da Nutty Bavarian, o investimento parte de 98 mil reais, conforme dados divulgados pela ABF.

Investimento total: R$ 98 mil a R$ 109 mil
Taxa de franquia: R$ 80 mil a R$ 85 mil
Royalties: 8% do faturamento bruto
Faturamento médio: R$ 32 mil
Prazo de retorno: 6 a 18 meses

DEIXE UMA RESPOSTA