Apesar do mercado de franchising viver um bom momento, apresentando um crescimento de 7,6% no primeiro trimestre de 2016, a crise econômica – que fechou 1,8 milhão de empresas em todo o país no ano passado – ainda preocupa, e muito, quem tem interesse em empreender.

Pensando nisso, muitas franqueadoras têm mudado suas estratégias e formatos de negócio para facilitar a entrada de novos franqueados e acelerar ainda mais o crescimento do setor. As novidades a seguir foram apresentadas durante a 25ª edição da ABF Franchising.

O Giraffas reduziu o investimento da sua franquia em 100 mil reais. “Precisamos nos adequar diante do cenário econômico a fim de atender da melhor forma os interessados em abrir uma franquia da marca. Fizemos uma revisão de nossos processos de implantação e operações, que permitiu que reduzíssemos os custos na abertura de restaurantes”, explica Eduardo Guerra, diretor de expansão do Giraffas. A partir de agora, abrir uma franquia da rede custa cerca de 650 mil reais.

A marca de restaurantes também está se dedicando a procurar franqueados que tenham interesse em abrir uma franquia em aeroportos e rodoviárias, onde, além da grande circulação de pessoas, o tíquete médio costuma ser até 40% maior do que em lojas de shopping.

A Mundo Verde foi outra empresa que reduziu o custo da franquia apostando em um modelo de loja compacta, com 40 m², e que demanda um investimento de 245 mil reais, o mais econômico da marca.

Assim também fez a Chiquinho Sorvetes, que lançou um modelo de quiosque, com dimensões entre 9 m² e 12 m², e que pode ser instalado em supermercados, aeroportos, shoppings e galerias. O valor do quiosque é atrativo: são 210 mil reais frente aos 350 mil necessários para investir em outros modelos da sorveteria.

No mesmo barco estão a Seguralta, que lançou seu modelo mais barato, e que custa 30 mil; a 10 Pastéis, que desenvolveu uma franquia em formato de quiosque que precisa de apenas 6 m² para operar; a Evolute, que criou um modelo 45% mais barato do que os outros e a NYS Collection, que estreou como microfranquia.

A taxa de franquia, que tira o sono de muitos franqueados, também sofreu alterações em algumas marcas: a Hot ‘n Tender, marca de aperitivos, tem 20% de desconto na taxa de franquia, por tempo limitado; a Puket está oferecendo 30% off; a BagNews reduziu em até 36% a taxa; a Dr. Shape parcela a taxa e a Risotto Mix isenta o franqueado da mesma se fechar negócio ainda no mês de junho.

Mas, muitas vezes, só reduzir o investimento não basta. Em um momento delicado como esse, o franqueado precisa de muito mais suporte. A Sorrisus, franquia de clínicas odontológicas, por exemplo, está parcelando em até 60 vezes o valor do investimento e, ainda, escolhe o ponto comercial, faz a reforma e compra os equipamentos para o franqueado. Tudo para tornar o negócio mais atrativo.

Realmente opções não faltam, basta que o franqueado calcule bem quanto e como pode investir e consiga aproveitar as oportunidade que surgem durante a crise para fazer bons negócios.

DEIXE UMA RESPOSTA