A pergunta que defini como título deste artigo é algo que escuto com muita frequência quando converso com profissionais que desejam iniciar sua vida como empreendedores através da franquia: e se a franquia não der certo? E ela vem carregada de muitos medos, e também de uma expectativa gerada porque em algum momento, ele ouviu alguém dizer que é mais seguro abrir uma franquia.

Essa pergunta é MUITO interessante porque mostra como uma interpretação errada pode levar a decisões catastróficas, trazendo uma percepção errada do que é a franquia. A franquia é um negócio, como qualquer outro. Seu sucesso (ou fracasso) depende de inúmeros fatores incontroláveis: a operação, o mercado, o momento financeiro do país. Sendo um negócio como qualquer outro, tem riscos como qualquer outro. Ninguém pode garantir que dará certo.

O que acontece na franquia é que você, primeiramente, encurta caminhos.

Você começa já com uma grande bagagem pronta: marca, produtos testados, fornecedores desenvolvidos, processos de operação criados e testados, e um grande histórico de erros e acertos para se inspirar – coisas que o franqueador levou anos aprendendo, errando e acertando, e desenvolvendo a “receita” que te entrega pronta quando você se torna um “franqueado”. Mas veja, é a “receita”. Você vai ter que fazer o bolo. A responsabilidade de misturar os ingredientes certos, colocar o forno na temperatura certa, é sua. E é por isso que uma mesma receita chega a resultados diferentes nas mãos de pessoas diferentes.

Depois, na franquia, você não está sozinho. Tem uma comunidade toda pronta pra te auxiliar nas dificuldades. Mas isso é bem diferente do que garantir que vai dar certo, porque o operador é você, a praça é diferente das outras, e os clientes também.

O que você está comprando na franquia é esse pacote de coisas adiantadas que expliquei lá no começo, e um modelo de negócio que já deu certo em muitas outras praças. Então, a tendência é que o risco de dar errado seja menor, porque já deu certo em várias outras operações e existe todo um know how já desenvolvido, além de suporte durante a caminhada. Mas risco menor não significa, de forma alguma, inexistência de risco.

Se a operação não der certo, provavelmente você terá ao seu lado pessoas que farão de tudo para com você tentar reverter o cenário. Mas no fim, se não deu certo, infelizmente não deu, não há o que fazer. Não há garantia de devolução, entende? E desde o início, você terá sido informado através da COF (Circular de Oferta da Franquia) sobre os riscos.

Por isso, é muito importante pesquisar muito – sobre a franqueadora, mas também sobre o mercado, sobre a região, sobre a operação, sobre a concorrência – antes de definir em qual franquia irá investir, e mais do que isso: planejar e estudar com muito cuidado sobre a sua real disponibilidade de investimento.

COMPARTILHE
Artigo anterior9 executivos influentes das franquias de beleza e estética
Próximo artigoSemana no franchising: os destaques de 31 de agosto a 06 de setembro
Consultora Empresarial e sócia da Blue Numbers Consultoria. Pós graduada com MBA em Gestão de Negócios pela ESPM Business School SP, Formada em Comunicação Social e Design Gráfico, dirige e desenvolve projetos de marketing, varejo e franquias da Blue Numbers, ao lado do sócio Márcio Iavelberg. Professora em cursos da ABF, escreve sobre os temas do mundo corporativo que acompanha em seus projetos, treinamentos e palestras.

DEIXE UMA RESPOSTA