O início das aulas em um curso de inglês foi a porta de entrada de João Marinho no universo dos idiomas estrangeiros e, ao mesmo tempo, no mundo dos negócios. Depois de abrir uma microfranquia de idiomas, João registrou faturamento anual de 360 mil reais em 2018.

Assim, João passou de aluno a franqueado da Top English, rede de franquias de idiomas com a qual atua desde 2014. A decisão que proporcionou mudança na vida profissional e pessoal do jovem empreendedor.

➥ Busca franquias de idiomas? Confira nosso guia de franquias de educação (com valores de investimento)

Com formação profissional em administração de empresas, João Marinho, de 28 anos, trabalhava em uma multinacional, com atuação no mercado de suprimentos. João ocupava o cargo de analista e, em 2014, decidiu dar um up na carreira apostando no aprendizado do inglês. Morador de São Luís, no Maranhão, João se matriculou no curso de idiomas da Top English, rede de franquias de educação que investe no ensino de inglês a partir de métodos de conversação.

Com pouco tempo de curso, o empreendedor percebeu a eficácia da metodologia de ensino da rede. Além de adquirir conhecimentos no idioma, percebeu, dentro da sala de aula, que o investimento em um modelo de franquia da escola de idiomas tinha potencial para garantir destaque no segmento educacional.

“Um dos grandes diferenciais da marca, é o seu método de ensino. Na Top English a conversação é desde o primeiro dia de aula. Além disso, praticamos o ‘inglês delivery’, isso é, o professor que vai até o aluno e não o contrário. Isso possibilita que os alunos tenham uma maior versatilidade de tempo para as aulas”, destaca João.

O grande potencial do mercado de ensino de idiomas posiciona franquias como a Top English em um cenário de grande expectativa para expansão. De acordo com um levantamento realizado pela British Council, somente 5% dos brasileiros teve acesso ao ensino da língua inglesa. Desta amostra, somente 1% sabe falar fluentemente o idioma.

Ao mesmo tempo que o domínio do idioma é extremamente baixo entre os brasileiros, as demandas do mercado de trabalho estão cada vez mais exigindo dos trabalhadores o conhecimento em uma segunda língua. Em estudo realizado pela Catho, profissionais que sabem uma segunda ou terceira língua, por exemplo, recebem um salário 30% a 50% maior, além de desfrutarem de mais flexibilidade nas carreiras.

O mercado de ensino de idiomas, portanto, tem uma grande missão pela frente. As redes de franquias que se dedicam ao ensino de línguas estão inseridas em um segmento que faturou mais de 11 bilhões de reais em 2018. Os dados são da Associação Brasileira de Franchising (ABF), que também informa que o setor registrou crescimento de 5,2% no faturamento, em comparação com os resultados de 2017.

Mudança de vida

João explica que a mudança na vida profissional necessitou coragem, uma vez que desafios são comuns no início da carreira de qualquer profissional.

“O primeiro desafio em ser dono do próprio negócio é o de ‘fazer acontecer’. Como funcionário de uma multinacional, eu estava acostumado a receber a demanda e cumprir os deveres de trabalho. Agora, como empreendedor, temos que ir atrás dos clientes, criar demandas e não ficar preso a cargas horárias de trabalho.”

Para João, a principal mudança, além de atuar em uma área diferente de sua formação profissional, era a de entender a necessidade de reformular a carga horária de trabalho, principalmente no início das operações.

“Posso tanto trabalhar menos de oito horas por dia, como tem dias que trabalho mais de dez horas”, conta o franqueado. As variações na agenda acontecem de acordo com as necessidades de mercado e de reformulações da franquia, inserida em uma área de concorrência, de exigência de atualizações e de conquista de novos alunos.

Há dois anos à frente de uma microfranquia Top English, João celebra bons resultados. A unidade, instalada em São Luís, conta com mais de 200 alunos que já aprenderam inglês a partir da metodologia da rede de ensino. No último ano, a unidade faturou mais de 350 mil reais.

“Entre 2018 e 2019, houve um aumento de mais de 100% na procura pela franquia. A busca por novos idiomas tem uma procura enorme, principalmente porque a Top English aposta em um serviço diferenciado, com metodologia que funciona”, afirma João.

Para 2020, a meta de João é dobrar os números do faturamento anual da sua franquia. O investimento na qualidade do ensino também está nos planos do empreendedor, que pretende contratar novos professores, focando no treinamento e na constante qualificação dos profissionais.

Franquia Top English

Fundada em 1996, a Top English aposta em expansão por franchising desde 2011. Atualmente, a rede conta com franquias em diferentes estados brasileiros, além de duas unidades no exterior, em Boston e Atlanta, ambas nos Estados Unidos.

O modelo de negócio da marca aposta no potencial dos futuros empreendedores de se juntarem a uma rede de fácil operação e gerenciamento. Com baixo valor de investimento, se comparado às demais redes de franquias de ensino de idiomas do mercado, a Top English aposta em metodologia própria de ensino, voltada para alunos a partir dos três anos de idade.

A metodologia tem foco na prática da conversação desde o primeiro dia de aula. Os alunos encontram um material didático completo, com livros em formato digital para tablet. Os professores da rede ministram as aulas com o auxílio da tecnologia e os alunos conseguem fazer o download de materiais digitais, ampliando o suporte didático.

“Toda a estrutura dinâmica das aulas, com foco total nos resultados me fez ter a vontade de investir em uma franquia. O objetivo é levar todo esse método de ensino para outras pessoas. A ideia deu certo e aquilo que começou com um professor hoje virou uma equipe composta por dez profissionais”, comenta João.

Para se tornar franqueado Top English, não é necessário saber falar inglês. Para a franqueadora, o essencial é ter perfil empreendedor e saber atuar na liderança de equipes de professores. Os franqueados também precisam atuar com foco na prospecção de clientes.

João aconselha quem sonha em estar à frente de um negócio a entender os dados de mercado e estudar o segmento em que se pretende atuar, desde a pré inauguração da unidade e, principalmente, com o negócio já em operação.

“É entender como funciona o mercado e os seus valores. Após o entendimento, investir tendo consciência que não é uma aposta somente financeira. É importante investir tempo e dedicação em todos os setores da franquia. Mas, com certeza, a maior dica é ter garra e força de vontade para atuação”, finaliza o franqueado.

O investimento em uma microfranquia Top English fica em 35 mil reais.

Investimento inicial: R$ 35 mil
Taxa de franquia: R$ 25 mil
Royalties: não cobra
Faturamento médio: R$ 20 mil
Prazo de retorno: 18 meses

DEIXE UMA RESPOSTA