Quem pensa em montar seu próprio negócio pode encontrar no setor de casa e construção uma excelente alternativa. Dentro desse ramo, abrir uma imobiliária surge como uma opção bastante atrativa.

As imobiliárias atuam em um cenário que passa por novo aquecimento. Compra, venda e locação de imóveis se torna uma boa alternativa para quem se identifica com o ramo e busca por uma oportunidade de começar um negócio com valores de investimento mais baixos.

➥ Quer abrir uma imobiliária? Confira nosso guia de franquias de imobiliárias (com valores de investimento)

Com o trabalho de aproximação entre o interesse dos proprietários de imóveis em vender ou alugar, e o desejo dos brasileiros na venda ou aluguel, as imobiliárias atuam no mercado como um elo entre as duas partes interessadas, o que transforma o processo de venda e locação muito mais seguro.

O Sebrae informa que o mercado imobiliário, assim como outros setores econômicos, começa timidamente a retomar os passos de crescimento, ao se remodelar diante de um novo perfil de consumo. Para a instituição, alguns indicadores do comportamento dos brasileiros em 2017 indicam uma nova realidade para o desenvolvimento do setor. A população do país continua a crescer, bem como o aumento do número de jovens na faixa economicamente ativa. O desejo da população por imóveis mais compactos impacta diretamente na redução dos custos com construção civil, além do retorno do crescimento da renda média do trabalhador.

A redução na taxa de juros por meio do anúncio do pacote de medidas econômicas, anunciado pelo governo federal, e a implementação de políticas públicas na área habitacional, como o Programa Minha Casa, Minha Vida, tem proporcionado reaquecimento do mercado imobiliário.

Em pesquisas divulgadas pela Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc), nos primeiros três trimestres de 2017, os associados da Instituição registraram crescimento de 46,1% nos lançamentos de imóveis e 8,2% em vendas, comparando com o mesmo período de 2016.

Mesmo com os bons indicativos econômicos para o setor, alguns pontos de planejamento devem ser estudados com atenção antes de decidir abrir uma imobiliária.

Onde abrir uma imobiliária

Pensar na localização da imobiliária é um dos pontos essenciais para a saúde financeira deste modelo de negócio, que depende de visitas de clientes, além de estar alinhada com a estratégia geral do empreendimento e atuação no mercado: se a imobiliária será física, com sede e visita de clientes e candidatos, ou virtual.

O empreendedor deve ficar atento a aspectos importantes para a escolha do ponto em que a imobiliária será instalada: densidade populacional, perfil dos consumidores, concorrência, fatores de acesso e locomoção, visibilidade, segurança e limpeza do local.

O Sebrae aconselha que os empreendedores que desejam abrir uma imobiliária devem estar atentos às necessidade operacionais relacionadas à localização, como a capacidade de instalação do negócio, possibilidade de expansão, características da vizinhança – comércios e moradores -, disponibilidade de serviços de água, luz, esgoto, telefone e internet.

Para a Associação Brasileira de Franchising (ABF), a escolha do ponto comercial inclui a análise de características mais complexas, envolvendo variáveis antagônicas, como alto fluxo de pessoas e custo acessível.

Entretanto, o melhor ponto não é necessariamente aquele que garantirá maior faturamento da imobiliária e, sim, aquele que trará melhor resultado e, para isso, é importante que o empreendedor conheça a fundo as particularidades do negócio.

Burocracias e regulamentação para abrir uma imobiliária

O consultor de negócios e diretor-executivo da Solace Institute, Fabio Stumpf, informa que para abrir uma imobiliária, o empreendedor precisa contabilmente decidir o objeto social como, por exemplo, se será de compra e venda, ou somente locação de imóveis.

“Ou ainda se os imóveis são próprios ou de terceiros. Ter um responsável técnico credenciado, junto ao conselho, é essencial para a rotina administrativa da imobiliária, além de prestar atenção aos demais detalhes comuns a maioria das empresas”, completa Stumpf.

O especialista pontua que se a imobiliária se especializar em compra e venda de imóveis, o ticket médio é alto, porém, incerto. Neste sentido, algumas características são requisitos básicos para o negócio dar certo. “O empreendedor precisa ser organizado, estar atualizado, e ter muita persistência. Sugere-se trabalhar com metas e números além das características inerentes a um bom vendedor. Já para as administradoras, a renda é relativamente fixa e as habilidades concentram-se na simpatia, pontualidade e comprometimento”, explica Stumpf.

Antes de abrir uma imobiliária, o empreendedor deve cumprir algumas exigências inicias. O registro é a principal delas, que deve ser feita na Junta Comercial, Secretaria da Receita Federal (CNPJ), Secretaria Estadual de Fazenda e na prefeitura do município de atuação para obter o alvará de funcionamento.

Além disso, o empreendedor deve buscar enquadramento na Entidade Sindical Patronal, empresa que fica encarregada de recolher por ocasião da constituição, até o dia 31 de janeiro de cada ano, a Contribuição Sindical Patronal. A imobiliária também deve ter cadastro junto à Caixa Econômica Federal, no sistema Conectividade Social – INSS/FGTS, e no corpo de bombeiros militar.

Estrutura para abrir uma imobiliária

Falando de ponto comercial e espaço físico, as dimensões estruturais das imobiliárias variam de acordo com o porte da empresa, objetivos e modos de atuação no mercado imobiliário. Para o Sebrae, um escritório de aproximadamente 60 metros quadrados já pode iniciar as atividades.

Entretanto, é preciso estar atento a alguns pontos estruturais: o local precisa ter área destinada à recepção dos clientes, e espaços para atendimento individual dos clientes pelos corretores. A imobiliária também deve comportar espaço para instalação de área administrativa.

Todos os espaços devem ser bem estruturados, com layout definido, buscando respeitar a facilidade de movimentação de clientes e funcionários. O empreendedor deve avaliar a necessidade de instalação de sistema de alarmes e câmeras, além da contratação de seguro para os equipamentos.

O número de funcionários para compor a equipe da imobiliária varia de acordo com o número de clientes atendidos e modo de atuação no mercado. Para o Sebrae, é indicado um quadro mínimo de cinco funcionários para o início das atividades.

É aconselhado que o gerente da unidade seja o próprio empreendedor à frente do negócio. O gerente fica responsável por estabelecer políticas e diretrizes de funcionamento do negócio, liderar a equipe de funcionários, firmar contratos, realizar pagamentos, e representar a empresa em diferentes situações típicas do cargo.

A imobiliária também deve contar com um recepcionista; um auxiliar administrativo, que atua no apoio ao gerente na gestão de pessoas, compras, contratações, contas a pagar e receber, entre outros; dois corretores, que devem ter formação na área imobiliária e registro junto ao Creci; e um captador, que atua na seleção de imóveis para serem intermediados pela imobiliária.

Como abrir uma imobiliária investindo em franquia

Uma alternativa interessante para quem deseja abrir uma imobiliária é fazer isso por meio de franchising. Hoje, o mercado brasileiro conta com um bom leque de opções de franquias de imobiliárias, com diferentes faixas de investimento e modelos de negócios.

A vantagem, nesse caso, é poder contar com toda a estrutura de uma rede que já atua nesse setor. As franquias de imobiliárias conseguem oferecer aos franqueados acesso a um banco de imóveis cadastrados que já permite que a operação não comece “do zero”.

Além disso, é possível contar com o suporte e o conhecimento de uma empresa que já vivenciou diferentes momentos do mercado imobiliário, adotando as melhores estratégias para ter sucesso no negócio.

Outro ponto positivo é que o segmento de imóveis conta com boas opções de franquias baratas, por conta da estrutura enxuta dos pontos comerciais ou mesmo com possibilidade de atuar em home office.

Por dentro dos passos para abrir uma imobiliária, selecionamos algumas opções de franquias especializadas neste segmento. As informações sobre as redes e valores de investimento são divulgadas pela ABF ou pelas próprias marcas.

1Nova Capital

Fundada em 2014, a Nova Capital estreou no franchising em 2018. Somente neste ano, a marca inaugurou sete unidades franqueadas e outras duas que devem ser instaladas em 2019. A Nova Capital oferece aos empreendedores três modelos de franquia: home office, franquia express e de imobiliária.

Investimento: R$ 17 mil a R$ 50 mil
Taxa de franquia: R$ 16 mil a R$ 40 mil
Royalties: 8%
Faturamento médio: R$ 150 mil
Prazo de retorno: 18 meses

2Leardi

Fundada em 1918, a Leardi atua na intermediação de compra, venda e locação de imóveis. Com expansão por franchising em 2012, a rede conta atualmente com 36 unidades franqueadas em diferentes regiões do país. Com baixo valor de investimento, o empreendedor deve contar com uma equipe de até seis funcionários na rotina administrativa.

Investimento: a partir de R$ 35 mil
Taxa de franquia: R$ 15 mil a R$ 40 mil
Royalties: 10% (mínimo de R$ 2 mil)
Faturamento médio: R$ 60 mil a R$ 100 mil
Prazo de retorno: 15 meses

3Manager

A Manager é uma rede que atua na administração de condomínios, intermediação imobiliária, locação e prestação de serviços. A empresa tem preferência por franqueados que já possuam alguma experiência com administração de condomínios.

Investimento total: R$ 53,5 mil
Taxa de franquia: R$ 40 mil
Royalties: 55% do faturamento total
Faturamento médio mensal: R$ 120 mil
Prazo de retorno: 12 a 24 meses

4Une Imóveis

A UNE é uma rede de franquias de imobiliárias que atua com metodologia própria de trabalho. Fundada em 2013, a marca destaca como ponto forte o suporte constante ao franqueado, que o garante resultados satisfatórios e rápido retorno de investimento.

Investimento: a partir de R$ 60 mil
Taxa de franquia: não informado
Royalties: 8% do faturamento bruto
Faturamento médio: não informado
Prazo de retorno: de 6 a 18 meses

5Apolar Imóveis

No mercado imobiliário desde 1969, a Apolar Imóveis expandiu por franquias em 1996. Com mais de 90 unidades franqueadas no Brasil e no exterior, a rede é especializada em ofertas de imóveis e em facilitar o processo de aluguel e compra dos clientes.

Investimento: a partir de R$ 60 mil
Taxa de franquia: não informado
Royalties: não informado
Faturamento médio: R$ 85 mil
Prazo de retorno: de 20 a 30 meses

6Grupo Light

O Grupo Light se estruturou como especialista em administração de condomínios, atendendo os clientes por meio de uma rede nacional de unidades franqueadas. O foco da Grupo é proporcionar redução de custos nos condomínios, garantindo a transparência na administração para síndicos e moradores dos prédios.

Investimento: R$ 70 mil
Taxa de franquia: não informado
Royalties: 5% do faturamento bruto
Faturamento médio: não informado
Prazo de retorno: de 24 a 48 meses

7Light Serviços Especiais

Com atuação no mercado imobiliário desde 2011, a Light Serviços Especiais faz parte do Grupo Light. O Grupo é especializado em manutenção, prestação de contas, assistência geral a síndicos, assistências às assembleias gerais, administração contábil, entre outros atendimentos.

Investimento total: R$ 70 mil a R$ 140 mil
Taxa de franquia: não informado
Royalties: 5% do faturamento bruto
Faturamento médio mensal: não informado
Prazo de retorno: 24 a 48 meses

8Remax

Com 172 unidades franqueadas espalhadas por todo território nacional, a Remax foi fundada em 1973. A expansão por franquias aconteceu em 2010 e a marca oferece aos empreendedores modelo de franquia em modelo loja, com investimento a partir de 80 mil reais.

Investimento: R$ 80 mil a R$ 500 mil
Taxa de franquia: R$ 40 mil
Royalties: 7% do faturamento bruto
Faturamento médio: R$ 120 mil
Prazo de retorno: de 18 a 24 meses

9Century 21

Fundada em 1971, a Century 21 é uma rede de imobiliárias com unidades em todo o mundo. Atualmente, são mais de 8 mil unidades espalhadas pelo mundo. O empreendedor pode optar pelo modelo de franquia individual, que varia conforme o tamanho da loja, ou de franquia máster exclusiva.

Investimento total: R$ 129 mil
Taxa de franquia: R$ 45 mil
Royalties: 5%
Faturamento médio: não informado
Prazo de retorno: 24 a 36 meses

10Guarida Imóveis

A rede faz parte do Grupo Guarida, projeto que consolidou um programa de governança colaborativa em que a rede de imobiliárias faz parte. O Grupo presta serviços nas áreas de administração de alugueis, condomínios, venda de imóveis, franquias imobiliárias e corretora de seguros. Com expansão por franquias em 2011, a Guarida conta com 16 unidades franqueadas, que podem ser instaladas em modelo loja ou home based.

Investimento total: R$ 150 mil
Taxa de franquia: R$ 60 mil
Royalties: 12% do faturamento bruto (modelo loja); R$ 850 (home based)
Faturamento médio: não informado
Prazo de retorno: 4 a 24 meses

11Auxiliadora Predial

A Auxiliadora Predial atua em condomínios, aluguéis e vendas. A rede trabalha com um sistema de software integrado, site de vendas e banco de dados interligados. A marca está no mercado desde 1931 e iniciou a expansão por franquias em 2007. Hoje, já são mais de 48 unidades espalhadas pelo país.

Investimento total: R$ 150 mil a R$ 200 mil
Taxa de franquia: R$ 60 mil
Royalties: 11%
Faturamento médio: não informado
Prazo de retorno: 12 a 48 meses

COMPARTILHE
Artigo anterior23 franquias de fast food baratas
Próximo artigo5 razões para sua rede investir em tecnologia já
Luísa Campos
Graduada em Jornalismo pela Universidade Federal de Ouro Preto. Escolheu essa profissão pela paixão por escrever. Descobriu que pode se reinventar e continuar contando histórias de sucesso em negócios, tecnologia e inovação.

DEIXE UMA RESPOSTA