O crescimento da interiorização de franquias

0
430
Imagem gerada com assistência de AI (DALL-E)

Flexibilidade por conta do home office, capitais infladas e especulação imobiliária, esses são alguns dos principais motivos para o fato de que muitos brasileiros encontraram no trabalho remoto a oportunidade de viver em pequenos municípios, já que eles oferecem uma qualidade de vida maior por um custo de vida reduzido.

De olho nesse êxito urbano, o investimento em modelos de franquias mais enxutos e acessíveis está em crescimento contínuo, visto que essas regiões agora contam com um púbico mais exigente e com um poder aquisitivo maior. Em consequência desse processo de interiorização do setor de franchising, cerca de 50% das cidades que mais cresceram percentualmente por operação de franquias no Brasil não estão nas capitais.

Diferente do que muitos pensam, entrar no franchising fora das capitais oferece diversos benefícios para o investidor. Há uma concorrência menor, principalmente por conta de uma demanda de clientes que são pouco abastecidos naquela região.

Para os empreendedores que enxergam a interiorização de franquias como um investimento sem retornos positivos, a realidade não poderia ser mais diferente. Nas cidades menores, o preço dos aluguéis pode custar até metade do valor, quando comparado com as capitais, por exemplo. Além disso, caso a marca faça o dever de casa de construir uma relação afetiva com a comunidade, ou seja, entendendo questões culturais e regionais, haverá também maior aceitação e potencial de crescimento.

Apesar do cenário que aos olhos de muitos empresários pode parecer um oceano azul, ainda é necessário ter uma atenção e dedicação maior em alguns pontos cruciais na hora de investir em cidade menores. É necessário avaliar e estudar o segmento que busca começar o investimento, abrir uma franquia requer planejamento, recursos adequados, estudo de campo na área, e principalmente, requer tempo. Estruturar um modelo de negócios, definir os custos necessários, iniciar o processo operacional e jurídico são alguns dos passos primordiais para ter um case de sucesso.

Um outro passo indispensável, por exemplo, é a pesquisa sobre o mercado local, que ajudará a entender as necessidades e o perfil dos consumidores desta cidade. Se for necessário, adapte o modelo de negócios para aquela realidade, mas sem perder a identidade da franquia. Estabeleça conexão com a comunidade local para construir uma relação sólida e promover a marca. Em cidades maiores, criar uma conexão próxima com a clientela pode ser algo desafiador devido ao grande volume de consumidores diários, algo que muitos investidores desejariam alcançar para conseguir oferecer produtos ou serviços ainda melhores ao seu público.

Para os empreendedores interessados em investir no interior, contar com o know-how de uma franqueadora experiente no assunto aumenta as chances de conduzir um negócio bem-sucedido. Outro estudo indicado, é a análise do suporte fornecido pelas redes de franquias. O Serviço de Atendimento ao Cliente (SAC) das franqueadoras disponibiliza informações que podem auxiliar o investidor a compreender mais profundamente a proposta do negócio. Isso inclui oferecer consultorias, estimar o valor necessário para o investimento e até mesmo apresentar estratégias vantajosas para a franquia, como identificar os locais mais estratégicos para a abertura e definir o público-alvo.

Ainda que o cenário para a interiorização de franquias seja positivo, é interessante ressaltar que nem sempre os lucros e o retorno do investimento, serão imediatos. Na verdade, durante o processo de formatação de franquias e de sua abertura, há duas etapas em relação aos gastos, temos primeiramente o investimento inicial, que consiste no gasto com pontos essenciais para a inauguração, como o pagamento da taxa de franquia, o aluguel ou a compra do espaço onde ela será estabelecida, os equipamentos necessários, contratação de funcionários, entre outros pontos.

Após concluir a fase inicial, ao abrir a franquia, avançamos para a segunda etapa. Neste ponto, o investidor deve focar em sustentar o negócio até que os ganhos financeiros comecem a compensar os gastos iniciais. Assim, um planejamento financeiro adequado se torna essencial para manter o capital de giro, que engloba o pagamento das despesas cotidianas, dos salários dos colaboradores e a manutenção do local até que a receita cubra os gastos feitos.

Este artigo foi enviado por Umberto Papera Filho, fundador da Wings Company e diretor de relacionamento e novos negócios da Associação Brasileira de Franchising (ABF-RJ)para uso do Guia Franquias de Sucesso.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui