Quer se tornar um franqueado em 2024? Aqui estão algumas dicas que podem ajudar

0
392

Mais um ano começou e muitas pessoas colocaram em sua listinha de desejos para 2024 investir num negócio próprio. E, claro, escolher uma franquia é um caminho sempre interessante.

O motivo é claro: quando você opta por se tornar franqueado de uma rede que já está em operação, trabalhará com uma marca quase sempre reconhecida, receberá treinamento e o apoio necessário para escolher o ponto, montar a unidade e gerenciá-la. Vai aprender e caminhar com quem conhece a fundo o negócio e se comprometeu a compartilhar tudo o que sabe para que você tenha êxito.

No entanto, investir numa franquia não é um negócio sem riscos. Há muitos fatores envolvidos e que influenciam diretamente no sucesso ou não da empreitada. Por isso, desde o início, todo cuidado é pouco. Antes de assinar qualquer documento ou pagar qualquer valor, é preciso avaliar a fundo a franquia e estar seguro de que esta é a melhor opção para si.

O objetivo deste artigo é justamente orientar você, investidor, nesta análise. Vamos começar?

– O primeiro passo é uma autoanálise: você sabe o que faz um franqueado? Sabe quais são as obrigações? É uma atividade que tem a ver com o seu perfil? Os franqueados precisam seguir padrões e regras determinadas pelas franqueadora. Se você é uma pessoa que gosta de criar suas próprias soluções, será que se adaptará a esta necessidade?

– É importante, ainda, entender o que é de fato uma franquia e como funciona o sistema. Uma sugestão é o curso “Entendendo o Franchising” que é ministrado pela ABF – Associação Brasileira de Franchising.

– Antes de escolher uma marca e segmento de atuação, dedique um bom tempo a pesquisar o que o mercado oferece. Verifique com que tipo de negócio você tem mais afinidade. O dia a dia será desafiador, mas será menos penoso se você gostar do que estiver fazendo.

– Quando chegar às marcas de seu interesse, busque informações sobre as respectivas franqueadoras. É importante conversar com alguns franqueados e ex-franqueados destas redes para entender se a franqueadora atua da forma pretendida. E mais: verifique a situação da marca no Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI).

– A afiliação à Associação Brasileira do Franchising não é um requisito obrigatório, mas pode ser importante. Para que possam se associar, as marcas precisam cumprir alguns requisitos que, de alguma forma, as qualificam.

– Franqueadora e potencial franqueado não podem ter pressa. Todo o processo precisa ser feito com cautela e com a devida análise de todas as partes. Vai ser importante para ambos, pode acreditar. É como um casamento: se a união de fato acontecer, pretende-se que ela seja duradoura, correto?

– Antes de assinar o contrato, a franqueadora precisa apresentar ao candidato a Circular de Oferta de Franquia. Este documento é muito importante porque nele devem constar todas as informações exigidas pela Lei de Franquia (artigo 2º da Lei de Franquia): dados comerciais, jurídicos e financeiros do negócio. Tem, ainda, a relação dos franqueados da rede e dos que saíram nos últimos 24 meses. Tudo o que é necessário para que a tomada de decisão aconteça de forma bem transparente.

– É importante o candidato avaliar os investimentos e, ainda, o capital de giro que será necessário no negócio, avaliando se terá condições de suportar tais despesas.

– Feita a escolha, é hora de assinar o contrato de franquia e pagar a taxa inicial. Daí em diante, é hora de buscar o ponto comercial, montar a unidade e preparar-se para o trabalho! Iniciada a relação de franquia, é importante não só participar de tudo o que a franqueadora propõe, mas também manter uma comunicação aberta e saudável a fim de evitar conflitos e desgastes desnecessários.

Espero ter ajudado! Boa sorte em seu processo!

Este artigo foi enviado por Marina Nascimbem Bechtejew Richter, advogada e sócia fundadora do escritório NB Advogadospara uso do Guia Franquias de Sucesso.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui