Experiência é algo valioso no mundo do empreendedorismo. Mas, grandes insights de mercado podem chegar antes mesmo do diploma. Foi o que aconteceu com Izabelly Miranda: aos 24 anos, a então estudante de enfermagem enxergou uma demanda no mercado e apostou na criação de seu próprio negócio. Hoje, a empreendedora comanda uma rede de franquias que fatura mais de 1 milhão de reais por mês.

Izabelly é a fundadora da Cuidare, rede especializada em serviços de cuidadores de pessoas. Fundada em 2013, a marca deslanchou em um nicho que ainda era pouco explorado.

➥ Busca franquias de cuidadores de pessoas? Confira nosso guia de franquias de cuidadores de idosos (com valores de investimento)

“A escolha em trabalhar no ramo de cuidadores de pessoas foi devido à percepção, quando cursava enfermagem, da carência de um serviço profissional, humanizado e de qualidade na área de assistência ao idoso. Éramos conscientes da alta demanda da sociedade pelo serviço”, conta Izabelly.

De acordo com a empresária, o aumento da população idosa no Brasil foi um dos grandes motivadores para a criação da Cuidare.

Dados da pesquisa Características Gerais dos Domicílios e dos Moradores 2018, realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), apontam que a população brasileira com 65 anos ou mais cresceu 26% em um período de seis anos, de 2012 a 2018. São mais de 21,8 milhões de pessoas idosas no país, número que representa 10,5% da população total. Até 2060, a projeção do IBGE é de que a população idosa chegue a representar 25,5% de toda a população brasileira.

De olho neste público, Izabelly investiu na construção de um negócio que disponibiliza profissionais qualificados para prestar cuidados especiais a pessoas idosas, com atendimento a domicílio. Os serviços da empresa garantem cuidados diários e auxílio na recuperação de quadros de saúde sem a necessidade de afastar o idoso de sua casa, mantendo o conforto do lar e a rotina diária.

Além do atendimento a idosos, a Cuidare também presta serviços de cuidadores a crianças, adultos que possuam limitações físicas ou mentais, gestantes, mães de múltiplos e pessoas em período pós-operatório.

Em pouco tempo, o insight de Izabelly se provou certeiro. “A empresa cresceu rapidamente e em apenas dois anos já éramos líder de mercado em nossa capital [Natal, no Rio Grande do Norte]. Após três anos de experiência e com o know-how adquirido, decidimos ingressar no franchising: o meu marido passou a atuar na formatação da franquia Cuidare e iniciamos, em seguida, a expansão por todo o país”, relata a empresária.

Hoje, a rede conta com 60 unidades e está presente em 20 estados brasileiros, além do Distrito Federal. No total, são mais de 1 mil cuidadores trabalhando com a Cuidare em todo o país.

“Chegamos à conclusão que a franquia seria o modelo ideal para levarmos a marca para todo país. Esse sonho hoje é uma realidade que está nos possibilitando ir além das fronteiras nacionais. A nossa meta é abrir 35 unidades em 2019, já foram 21 inaugurações de janeiro a agosto”, conta Izabelly Miranda, fundadora da Cuidare.

Até o final de 2020, a Cuidare espera inaugurar 50 novas unidades. Além de seguir com a expansão em todo o território nacional, a franqueadora também está focada na internacionalização da marca. Segundo Izabelly, a rede projeta a abertura de unidades primeiramente em Portugal e, já em 2020, deve chegar também na Argentina e no Canadá.

A expectativa é de que a Cuidare alcance um faturamento de 14,2 milhões de reais em 2019.

Força do empreendedorismo feminino

Ao lado de Izabelly Miranda, outras mulheres também ajudam a construir o sucesso da Cuidare. De acordo com informações da rede, 45 das 60 unidades franqueadas em operação são administradas por mulheres. E entre os cuidadores, a maioria também é feminina.

“De uns anos para cá, estamos conquistando espaço e respeito nesse mercado, e tenho visto vários cases de sucesso de mulheres empreendedoras“, conta Isis Cabral Fortunato, franqueada da Cuidare em Santos, São Paulo.

Dados divulgados pelo Sebrae confirmam essa percepção. Em 2018, o Brasil contava com 24 milhões de mulheres empreendedoras (com um negócio próprio formal ou informal ou que realizaram alguma ação visando ter seu próprio negócio recentemente). Já o número de mulheres que se encaixam como “donas de negócio” é de 9,3 milhões.

Na média nacional, 34% dos donos de negócios são mulheres. A Cuidare inverte a maioria masculina do empreendedorismo brasileiro. Na franquia de cuidadores, 75% das unidades estão sob comando feminino.

Franquia Cuidare

Interessados em abrir uma unidade da Cuidare encontram um modelo de franquia barata. O investimento na franquia parte de 21 mil reais, valor que varia de acordo com a região em que a unidade será instalada.

A rede se posiciona como uma boa alternativa para profissionais da área de saúde, como a fundadora Izabelly Miranda – enfermeiros, fisioterapeutas, educadores físicos, nutricionistas, farmacêuticos, entre outros. Entretanto, não há exigência de formação na área nem experiência prévia no setor. A franqueadora tem oportunidades para empreendedores que desejam investir no ramo de cuidadores, fornecendo treinamento completo e transmissão de know how para a gestão e operação da franquia.

O time de cuidadores que atua nas franquias é formado com o suporte da franqueadora. Izabelly ressalta que os cuidadores são “escolhidos a partir de uma seleção bem criteriosa e passam por treinamentos rigorosos para levar um serviço de excelência”.

Com plano de expansão para todo o Brasil, a franquia Cuidare pode ser instalada inclusive em cidades pequenas: o modelo de negócio pode ser adaptado em cidades com menos de 100 mil habitantes.

Investimento inicial: a partir de R$ 21 mil
Taxa de franquia: R$ 30 mil a R$ 30 mil
Royalties: 1 salário mínimo
Faturamento médio: R$ 54 mil
Prazo de retorno: 6 a 12 meses

DEIXE UMA RESPOSTA