Desde o boom da internet, não tem como se esquecer de sua existência e impacto em todas as nossas atividades. A web não facilita apenas o dia a dia e a comunicação – ela surge também uma ótima opção para investir e ganhar dinheiro na internet.

Por isso, aliás, dentre as empresas de serviços que estão se destacando no mercado, encontram-se aquelas focadas especificamente no mundo digital, o qual ganha cada vez mais visibilidade e adeptos.

Se você reparar, hoje, no Brasil, o celular é um aparelho bastante popular. Segundo o IBGE, o número de pessoas a partir de dez anos de idade que têm um telefone celular para uso pessoal cresceu 147,2% entre os anos de 2005 e 2015. Com isso, mais de 139 milhões de brasileiros tinham seu próprio celular em 2015.

Grande parte desses aparelhos são smartphones: de acordo com dados da Google, 62% dos brasileiros tinham smartphone em 2016. Esses aparelhos já se consolidaram como o principal meio de acesso à internet no país – mais de 90% dos municípios brasileiros acessam a internet por meio de um smartphone, conforme dados do IBGE.

Portanto, existe muito espaço para os negócios digitais, o que mostra que este mercado é extremamente promissor.

A prestação de serviços na forma digital engloba, entre outros pontos, a criação de sites personalizados, desenvolvimento de lojas virtuais para resultados, campanhas de otimização de sites, links patrocinados e remarketing, mídias sociais, hospedagens de sites entre outros serviços de consultoria.

“É importante destacar que qualquer que seja o modelo de negócio, sempre existirá um risco, sendo importante a avaliação do mercado, da empresa, além de uma autoavaliação do empreendedor. Para investir em uma marca virtual o candidato deve ter afinidade com o universo digital ou pelo menos ter disponibilidade para aprender”, pondera Marina Richter, membro da Ordem dos Advogados do Brasil e de São Paulo e da Associação Brasileira de Franchising (ABF).

Mais do que isso, esse tipo de negócio também vem ganhando mercado e se tornando interessante para pessoas que desejam investir, mas que não têm um grande capital, já que geralmente se trata de empresas em modelo home office, o que diminui os custos.

Em contrapartida, é preciso ficar atento a alguns detalhes para se ter sucesso, já que esse ainda é um mercado muito volátil, que requer agilidade. “Ao mesmo tempo em que cada vez as pessoas usam a internet para buscar produtos, serviços e informações, assim como a usam para contratar produtos e serviços, esse é um mercado muito volátil, e que por isso exige muita agilidade e dinamismo na sua utilização”, pondera Marina.

Assim, em razão de o negócio ser dinâmico, o empreendedor deve fazer alguns testes. Mas quando o resultado esperado não é atingido, ele é o principal responsável pelos pontos negativos. Além disso, por haver um baixo investimento, o retorno pode ser um pouco mais demorado.

Com isso em mente, o Guia Franquias de Sucesso elencou sete ideias de negócio para você ganhar dinheiro na internet. Confira!

1. Marketing Digital

Com a explosão das redes sociais como Twitter, Facebook e Instagram, o marketing digital se mostrou como um novo campo de ação para o empreendedor. De acordo com o Interactive Advertising Bureau, o investimento em publicidade digital em 2016 foi de 11,8 bilhões de reais no Brasil. Neste ano, segundo previsão da eMarketer, esse mercado deve movimentar 14,89 bilhões de reais.

Além de as grandes empresas quererem saber o que é falado a seu respeito nas comunidades, essa também é uma forma de ter um canal direto com os clientes, o que também incrementa as vendas. Além disso, quem faz um bom trabalho de monitoramento tem tudo para crescer.

Não termina por aí. Os anúncios em redes sociais também são uma boa pedida para falar direto com o consumidor, assim com o uso de canais como os influenciadores digitais.

2. Educação a distância

Este é um mercado que está crescendo cada vez mais. Segundo dados do Ministério da Educação (MEC), essa é a modalidade de ensino que mais cresce no Brasil. Um estudo da Sagah projeta ainda que, em 2023, 51% do mercado de ensino superior será preenchido por cursos a distância.

O ensino a distância funciona da seguinte forma: professores e escolas de ensino vendem diretamente seus cursos na internet. Os alunos escolhem com quem vão estudar e dão notas às aulas.

Esse foi um dos primeiros setores a realmente vingar na rede. A web torna o aprendizado mais interessante, já que o estudante ganhou mais autonomia para decidir como e quando quer estudar.

3. Turismo

O mercado virtual de turismo também não para de crescer, especialmente no que se refere à compra de passagens aéreas.

E o que falar do número de sites dedicados à comparação de preços e trocas de informações? Segundo o instituto de pesquisa E-bit, 62% dos brasileiros costumam pesquisar na internet detalhes de destinos de viagem e preços de passagens e hotéis, fazendo com que esse ramo seja atrativo para quem quer investir em um negócio.

4. Compras coletivas

Sites segmentados, em setores como gastronomia e beleza, agregadores de endereços de compras coletivas, descontos individuais e por grupos: esses são alguns dos negócios na internet que mais crescem nos últimos tempos, principalmente por trazerem, além de um serviço, um benéfico para o usuário.

Inclusive, qualquer negócio de comércio eletrônico poderá oferecer esse modelo ao consumidor. Aliás, alguns especialistas ainda afirmam que em breve todas as compras serão em grupo.

5. Suporte para comércio eletrônico

O setor de e-commerce tem muita força no Brasil. Segundo o relatório Webshoppers, da E-bit, só no primeiro semestre de 2017 o comércio eletrônico brasileiro faturou 21 bilhões de reais. A expectativa da instituição é que o faturamento anual feche em 48,8 bilhões de reais, um crescimento de 10% em relação a 2016. Ainda segundo o relatório, 25,5 milhões de brasileiros compram pela internet.

Mas, atuar nessa área não significa necessariamente abrir uma loja virtual: é possível atuar também prestando serviços para quem já tem um e-commerce.

Quem abre um estabelecimento na web precisa de uma série de serviços como logística, pagamentos, marketing, design, finanças etc. Com isso em mente, nada melhor que investir em negócios que oferecem esse tipo de retaguarda. Há, inclusive, os sites em que qualquer pessoa monta sua loja, escolhendo os produtos que você deseja vender.

6. Canais de vídeo

A nova atividade de milhares de pessoas é fazer vídeos na internet: o YouTube já conta com mais de 1 bilhão de usuários, de acordo com dados da própria empresa.

Hoje, tem até escola para ensinar a criar e editar vídeos, e este mercado está cada vez mais forte com a explosão dos youtubers. Ainda de acordo com o YouTube, o número de canais que recebem um retorno financeiro de seis dígitos por ano está crescendo 50% ao ano.

Entretanto, para quem pensa em ganhar dinheiro na internet com um canal de vídeos, é preciso aprender a monetizar o canal. Para isso, é importante ter um canal com um público segmentado e saber qual o público que se quer atingir, focar em um determinado tema e conteúdo, e saber receber críticas, respondendo as mensagens e mantendo os vídeos atualizados.

7. Franquias

Com crescimento constante, o setor de franchising atrai cada vez mais investidores. De acordo com a Associação Brasileira de Franchising (ABF), o mercado de franquias nacional faturou mais de 151 bilhões de reais em 2016. Para 2017, a expectativa é que o setor encerre o ano com um crescimento de 8%.

Assim, apostar em franquias virtuais também é uma ótima pedida para ganhar dinheiro na internet. Há desde franquias de marketing digital a franquias de serviços oferecidos online, incluindo agenciamento de pessoas e franquias de loja virtual, com vendas de produtos online.

No entanto, uma marca de franquia na internet, não necessariamente significa que o serviço precisa estar ligado ao computador. A internet pode ser apenas o meio para a divulgação dos serviços e produtos.

Inclusive, dentre as facilidades das empresas franqueadas que atuam na internet estão o fato de que, apesar de terem que seguir as regras e diretrizes definidas pela franqueadora para a rede, o franqueado passa a ser o seu próprio patrão, além do baixo investimento para a implantação do negócio. Aliás, as microfranquias em modelo home office são as mais comuns, o que diminui os custos operacionais e evita horas no deslocamento até o local de trabalho.

Não sabe se aposta em franquia ou negócio próprio para ganhar dinheiro na internet? Veja como escolher o melhor modelo para você!

DEIXE UMA RESPOSTA