Especialista no nicho de educação na área da beleza, o Instituto Embelleze ocupa hoje várias posições de prestígio: é considerada a principal rede de franquias da América Latina em sua área e está entre as maiores franquias do Brasil.

Em seus 21 anos de história, o Instituto Embelleze capacitou cerca de 2 milhões de alunos e tem mais de 350 franquias dentro e fora do Brasil.

Nesta edição do Franchise Insider, Eduardo Costa, gerente de marketing do Instituto Embelleze, revela os segredos por trás do sucesso da companhia e conta quais são os próximos passos da expansão da rede.

Os segredos do Instituto Embelleze

Eduardo acredita que o  sucesso e o prestígio do Instituto Embelleze estão ligados a três principais fatores: as boas condições oferecidas para os franqueados, a estrutura pedagógica e o propósito da rede.

“Oferecer um modelo de negócio lucrativo e um bom amparo para o franqueado é fundamental para o franchising. Quando você junta esses elementos à credibilidade que a marca conquistou, temos os subsídios necessários para o sucesso das franquias”, explica.

De fato, uma franquia do Instituto Embelleze pode ser bastante acessível e rentável para os investidores.

Quando comparada à outras marcas que também trabalham com educação profissional, o Instituto Embelleze oferece um dos menores custos de investimento inicial: a partir de R$ 90 mil já é possível abrir uma unidade.

O faturamento mensal da franquia também é maior do que algumas redes do segmento estimam. Enquanto o Instituto Embelleze promete uma média de faturamento de R$ 70 mil, outras companhias trabalham na faixa de R$ 50 mil. A lucratividade do franqueado fica entre 20% a 25%.

A estrutura pedagógica também tem um papel fundamental na solidez do Instituto Embelleze, segundo Eduardo.

De acordo com ele, os cursos são constantemente atualizados para garantir um processo de aprendizagem mais completa e garantir a entrada do aluno no mercado de trabalho ou no empreendedorismo.

Mas um dos pontos que Eduardo mais destaca é a responsabilidade social que o Instituto Embelleze tem com seus franqueados, clientes e alunos.

“Como trabalhamos com beleza, nosso trabalho é diretamente ligado ao resgate da autoestima. E nós estamos sempre desenvolvendo ações que ajudem a devolver a autoestima através da beleza”, conta.

Para exemplificar, o executivo fala sobre o IE Transforma. Trata-se de um projeto em que todas as franquias do Instituto Embelleze promovem serviços sociais para as comunidades em que estão inseridas, como doação de alimentos e roupas e execução de procedimentos gratuitos com foco em atender quem, normalmente, não poderia pagar por eles.

A iniciativa acontece sempre na semana de julho e tem como um dos objetivos incentivar alunos, professores e franqueados a impactar positivamente a sociedade.

O Instituto Embelleze também tem parcerias com ONGs e instituições que prestam serviços sociais, como creches, abrigos e lares de idosos, e está sempre desenvolvendo ações em conjunto com elas.

“Temos muitas escolas especializadas em beleza e muitos profissionais no mercado, mas ter essa preocupação com as pessoas e com a autoestima delas é algo que nos diferencia”, declara Eduardo.

Na IE Transforma deste ano, a unidade de Divinópolis, em Minas Gerais, foi reconhecida como a promotora da ação social de maior destaque. A franquia apoiou a ONG Coração Que Salva, que atende crianças com doenças raras. Além de doar mais de meia tonelada de alimentos, roupas e outros suplementos, a unidade ofereceu um dia de beleza para os familiares.
Ainda em 2019, o Instituto Embelleze implementou uma ação social digital: a companhia realizou um concurso nas redes sociais para premiar o participante mais engajado com um curso de capacitação. Para participar, os seguidores publicaram vídeos no Instagram com a hashtag #IETransforma e marcaram a unidade em que gostariam de estudar.
A campanha gerou bastante reconhecimento e colocou o serviço social em um ambiente digital, uma atitude inédita na rede.

“Não é só dinheiro. Temos um propósito de marca. Nós fazemos de tudo para ajudar o aluno e comunidade”

De acordo com o gerente de marketing, franqueados e alunos são sempre muito receptivos às ações sociais.

Ele conta que os franqueados se sentem muito satisfeitos em fazer parte de uma rede que busca constantemente agregar à comunidade em que está inserida e sentem que isso é realmente uma singularidade do Instituto Embelleze.

Muitos dos franqueados estão com a marca desde 2013, quando o Instituto Embelleze entrou para o franchising. Por isso, já estão acostumados com a proposta de impactar ativamente a vida das pessoas.

E os alunos também contribuem não só porque entendem o papel transformador da beleza, mas porque, muitas vezes, se identificam com a situação de quem está sendo atendido em uma ação social.

Eduardo explica: “Temos alunos que juntam dinheiro para pagar as primeiras mensalidades, mas não sabem como vão continuar arcando com os custos porque vivem em uma situação financeira complicada. Quando começam a evoluir no curso e ganhar dinheiro, eles têm o desejo de aplicar o conhecimento que receberam em quem mais precisa”.

“como profissional, sinto que Os problemas do dia a dia são minimizados quando estamos em uma empresa que tem propósito”

Instituto Embelleze e as tendências do franchising

Apesar de suas duas décadas de experiência tornarem o Instituto Embelleze uma rede bastante tradicional no mercado brasileiro, a marca também acompanha as principais tendências do mundo dos negócios.

E um dos movimentos que a companhia adotou foi a interiorização da expansão por franquias.

Hoje, o Instituto Embelleze está presente em mais de 90% das regiões do território nacional com seu modelo de franquia tradicional. Mas, este ano, começou a desenvolver um novo formato de negócio voltado para cidades de 30 mil a 100 mil habitantes.

“Percebemos que as microfranquias vêm se estabelecendo como uma tendência muito forte no franchising. Somando isso ao fato de já termos ocupado às grandes praças, surgiu a ideia de criar um modelo de franquia para cidades menores”, explica.

Para colocar a ideia em prática, o Instituto Embelleze fez um mapeamento e levantou mais de 300 cidades brasileiras que poderiam comportar uma franquia. A unidade piloto do novo formato está em construção em Salvador, na Bahia. Mas a franqueadora já vendeu algumas unidades para outras cidades e segue em expansão.

As microfranquias do Instituto Embelleze têm taxa inicial de R$ 20 mil e demandam um espaço mínimo de 180 m². Nelas, serão ministrados os cursos principais da rede: cabeleireiro, barbeiro, manicure, maquiagem e depilação.
A expectativa é abrir entre 30 e 50 unidades no novo formato até 2020.

“buscamos franqueados que não queiram só dinheiro, mas mudar a vida das pessoas”

A franqueadora também tem acompanhado tendências quando o assunto são as novidades no mercado de beleza.

A popularização de áreas como barbearia, design de cílios e de sobrancelha também impulsionou o Instituto Embelleze a desenvolver cursos para capacitar profissionais que desejam atuar nestes segmentos.

Mas a inovação não fica só por conta dos temas dos cursos.

A rede também está apostando no ensino híbrido, que mistura aulas online e presenciais, e também tem sido adotado por outras redes de franquias de educação.

“Há 2 anos estamos nos preparando para o ensino híbrido, uma vez que, além de ser uma tendência e um desejo dos alunos, ajuda o franqueado ter uma gestão operacional mais enxuta e um maior volume de alunos”, conta.

Desde 2016, o Instituto Embelleze já tem uma plataforma digital que permite que o aluno aprenda e teste seus conhecimentos através de recursos de gamificação e até que produza materiais gráficos de divulgação para usar em seu negócio.

Eduardo explica que a rede deve investir ainda mais nas plataformas digitais no próximo ano, mas sem deixar de lado a vivência prática necessária para se capacitar na área da beleza.

“O online é necessário e ajuda muito, mas nosso negócio é estar em contato com as pessoas.”

Trajetória e dicas do executivo

Graduado em marketing e odontologia, Eduardo passou pelas áreas de atendimento, merchandising e CRM de grandes companhias.

Depois de algum tempo, escolheu empreender e abriu uma franquia. “Eu sempre gostei muito da gestão de um negócio. Com essa franquia aprendi a entender o franchising e gostei muito da experiência”, relembra.

Ele passou algum tempo fora do país e quando retornou, em 2017, surgiu a oportunidade de atuar no Instituto Embelleze.

Seu dia a dia envolve aprovar de campanhas de marketing, coordenar os atendimentos, gerar suporte de marketing para os franqueados, curadoria de novos negócios junto a outros executivos.

Para os profissionais que pretendem ter uma carreira de sucesso também, Eduardo indica desenvolver uma característica: adaptabilidade.

Ele explica: “trabalhar com franquias significa seguir padrões, mas nem sempre algo que funciona com um franqueado no Nordeste vai funcionar com outro no Sudeste. É preciso entender quando ajustes são necessários e se adaptar para conseguir os melhores resultados em todas as unidades”.

DEIXE UMA RESPOSTA