Quem quer investir em franquia se depara logo de início com uma questão pontual: é melhor investir em uma franquia de loja ou quiosque? A decisão nem sempre é tão simples quanto pode parecer.

Segundo dados da Associação Brasileira de Franchising, as lojas são a modalidade mais popular entre as franquias no país: 89,6% das unidades de franquias ativas são lojas. Os quiosques aparecem logo em seguida, como a segunda modalidade mais popular, representando 6,7% das unidades de franquias. Os dados são referentes ao primeiro trimestre de 2017.

Os dados mostram que, apesar das lojas ainda serem maioria no mercado, os quiosques estão crescendo e ainda têm potencial para ganhar mais espaço no franchising.

O primeiro passo para decidir entre franquia de loja ou quiosque deve ser analisar os pontos fortes e fracos de cada um dos modelos, comparando cada conclusão com suas próprias expectativas em relação ao negócio.

“Entendo que a escolha de um modelo de negócio está relacionado à expectativa de retorno que o empreendedor deseja, ou seja, o que essa operação vai deixar como lucro líquido ao franqueado”, aponta Miguel Antonio Novakowske Barbosa, diretor e consultor da Massa Crítica Franchising & Negócios.

Para o especialista, antes de decidir-se entre loja ou quiosque, o investidor deve avaliar com atenção dados como o investimento inicial exigido, faturamento médio e prazo de retorno de investimento estimado pela franqueadora para cada modelo.

Assim, ainda que as franquias de quiosque contem com custos de investimento menores, é fundamental avaliar se o retorno está dentro do esperado pelo empreendedor. “Também é importante que o empreendedor tenha consciência sobre sua capacidade de investimento, considerando o capital de giro necessário para a maturação do negócio”, complementa Barbosa.

No momento da pesquisa, procurar franqueados da marca que atuam em modelos diferentes também faz toda a diferença. Tire suas dúvidas e converse com franqueados tanto de lojas quanto de quiosques para avaliar a satisfação e desempenho do negócio em cada um.

“Converse com outros franqueados e saiba as oportunidades do local onde vai alugar o ponto de venda (ações do shopping, verbas de marketing, ações locais). Converse com as pessoas que tiveram resultados negativos – estudar casos de fracasso também ajuda bastante”, aconselha Gustavo Malavota, presidente do Instituto Vendas.

Barbosa ressalta ainda a importância da afinidade com o modelo para o sucesso do negócio. Portanto, avalie seu perfil com atenção para tomar a decisão mais acertada para você.

Franquia de loja

O formato de loja é o mais tradicional do franchising. O modelo pode ser aplicado a qualquer segmento do mercado, tanto para franquias que atuam no varejo quanto para franquias de serviço.

Com layouts e modelos diferenciados, as lojas podem se adequar a locais diferentes, sendo instaladas em pontos comerciais de rua, shopping centers, galerias e terminais de transporte.

Ainda que os modelos possam variar de tamanho para se encaixar em diferentes contextos, as franquias de loja costumam exigir uma área maior que uma franquia de quiosque para a montagem. Com isso, o franqueado consegue ter mais espaço para o estoque, oferecendo um mix de produtos mais variado.

O estoque diversificado não é o único atrativo a mais para os consumidores. As lojas também oferecem mais conforto na hora da compra, com um espaço que permite um atendimento mais personalizado e ações diferenciadas de venda.

“A loja proporciona uma experiência de compra. O empreendedor pode lançar ações que cativem o cliente: experimentação, atendimento diferenciado, ações sensoriais, merchandising e mais locais para exposição”, exemplifica Gustavo Malavota.

Além de ser um espaço convidativo para o cliente, as lojas também apresentam mais segurança, segundo Malavota. Enquanto os quiosques têm alta exposição, as lojas conseguem garantir maior privacidade e proteção.

Nas franquias, o projeto arquitetônico e de decoração das lojas deve seguir os padrões fornecidos pela franqueadora. Isso faz com que o franqueado tenha um layout pronto para implementar, o que pode significar um investimento elevado com instalação, reformas do ponto comercial e mobiliário.

Além dos custos iniciais de investimento, é preciso ter em mente que as lojas geralmente têm um custo operacional maior. Aluguel, manutenção e número de funcionários podem representar um gasto contínuo mais alto neste modelo.

Outro ponto a ser observado está relacionado aos contratos dos pontos comerciais. Segundo Malavota, contratos muito longos com shopping centers ou proprietários de imóveis podem ser uma desvantagem para o franqueado.

Por outro lado, em razão do conforto e da possibilidade de oferecer um mix de produtos variado, as franquias de loja também costumam trazer um faturamento mais alto para o investidor.

Franquia de quiosque

Com custo de investimento mais baixo, as franquias de quiosque chamam a atenção de quem quer investir em um negócio. O formato, popular principalmente entre as rede de alimentação, beleza e acessórios, já é uma opção em franquias de diversos segmentos. Em muitas marcas, este modelo é o carro chefe da franquia.

Uma das grandes vantagens do modelo de quiosque é a flexibilidade do formato. Exigindo um espaço reduzido para instalação, o quiosque pode ser instalado em shopping centers, galerias comerciais, supermercados e terminais de transporte.

“Dependendo do shopping, o quiosque pode se posicionar em um ponto de maior fluxo, mesmo que já tenham lojas ocupadas. Além disso, eles estão posicionados no local de maior circulação: o corredor”, destaca Malavota.

Com isso, os quiosques ganham alta visibilidade e têm grande potencial na atração de clientes. A vitrine de 360 graus também facilita a exposição de produtos e os consumidores conseguem ter uma visão geral dos itens sem precisar entrar em uma loja.

Outro ponto positivo para os investidores é o baixo custo de instalação e manutenção do ponto comercial. Neste modelo, os gastos com obras, mobiliário e aluguel são reduzidos. A equipe de funcionários também pode ser menor, o que simplifica ainda mais a operação.

Por outro lado, os quiosques limitam o mix de produtos e não dispõe de espaço para grandes estoques. O espaço para a exposição de produtos também é limitado. Além disso, por conta da operação reduzida, os quiosques faturam, no geral, menos que as lojas tradicionais.

Levando em conta tudo isso, o empreendedor precisa ainda encontrar bons pontos comerciais em sua região. Assim, antes de tomar a decisão oficial, faça uma pesquisa de localização de pontos comerciais para compreender se a região pretendida pode absorver o formato desejado.

DEIXE UMA RESPOSTA