Uma das etapas mais trabalhosas na hora de abrir uma franquia, salvos os casos de franquias home based, é a escolha do ponto onde a loja ou quiosque vai operar. Embora a tarefa não seja fácil, ela é uma das mais estratégicas para o sucesso do seu negócio.

“Acertar na escolha do ponto representa 70% do sucesso do negócio. Os outros 30% vêm do atendimento”, diz Elaine Damásio, consultora de expansão da Acerte Franchising.

Por isso, na hora de fazer a seleção do ponto de venda, é importante avaliar diversos aspectos, como visibilidade, acessibilidade, obstáculos que impedem o melhor fluxo de pessoas, perfil do bairro e hábitos locais.

Para que esse processo seja simplificado e acertado, confira, abaixo, os passos elaborados por especialistas do mercado:

1. Conheça os futuros vizinhos

Quando se vai alugar uma casa para morar, muitas pessoas têm a curiosidade de conhecer o vizinho antes de fechar o negócio, certo? Pois assim também deve ser feito na hora de escolher um ponto para o negócio.

“O ideal é que o interessado vá ao local e conheça as pessoas que o circundam. Elas podem ser muito úteis para dar feedback sobre a região, como fluxo de pessoas, ramos de atividade, além de dar detalhes sobre a segurança do local e até curiosidades importantes do bairro”, comenta Guilherme Siriani, sócio-diretor da ba}EXPANSÃO, consultoria especializada em gestão de redes, varejo e franquias.

“Verifique, também, se o local tem facilidade de estacionamento, saiba o histórico do antigo inquilino e avalie se é viável montar mais um comércio no local”, aconselha Elaine.

2. Pergunte-se: minha franquia pode estar nessa região?

O franqueado preciso saber, também, se a região pretendida comporta outras unidades. Essa informação, geralmente, já é dada de antemão pela franqueadora.

“O ideal é que a empresa tenha um software de geomarketing que permite obter alguns indicadores como índice de verticalização, renda média, polos geradores, potencial de consumo, mapeamento da concorrência e as oportunidades de expansão da rede dentro do território pretendido”, aponta Siriani.

3. Prepare-se para negociar

Informação é poder. Após selecionar um ponto, você deve partir para a negociação e é nesse momento que as informações, como o preço do metro quadrado da região e o valor dos aluguéis de espaços concorrentes podem se transformar em importantes argumentos para persuadir o proprietário do imóvel pretendido.

“Também é importante ter certa frieza, sabendo a hora certa de ceder, mas sem perder o foco no budget pré-definido no planejamento”, afirma o consultor.

4. Fique de olho na concorrência

Saber quais negócios já funcionam na região é fundamental antes de escolher o imóvel. Ao realizar a análise de disponibilidade de ponto é preciso olhar os polos de atratividade e concorrência da região.

Segundo Siriani, quanto mais lojas estiverem funcionando por perto, mais o ponto de venda se torna atraente.

“Você deve observar se as operações que estão ali têm vida sadia, por exemplo, se as lojas possuem fachadas bonitas e se são de segmentos que complementam o negócio que você pretende abrir”, conta o consultor.

5. Avalie a estrutura física do seu negócio

Meu negócio cabe aqui? Essa é uma pergunta simples, mas que, muitas vezes, é ignorada pelos empreendedores. Isso pode trazer dores de cabeça futuras.

“É preciso saber se o ponto pode sofrer adaptações e o quanto isso vai impactar no orçamento do empreendedor. Este, aliás, pode ser um bom argumento para pedir desconto antes de fechar o negócio”, diz o especialista.

6. Verifique o acesso à região

Esta é outra questão importante. O franqueado deve relacionar o produto ou serviço que vai oferecer com o movimento da região e como as pessoas que, geralmente, passam por ali.

“Lojas de artigos para a casa, por exemplo, devem estar no caminho de volta e não de ida do cliente. Já os locais de alimentação têm que estar em pontos onde o fluxo de pessoas no horário de pico seja favorável para o consumo dos produtos”, exemplifica o consultor.

7. Pondere as opções de aluguel e compra

Aqui, vale avaliar as duas opções e optar por aquela que melhor cabe no seu bolso e planos, no momento. Embora a opção mais indicada para os novatos no franchsing seja a locação.

A compra do imóvel pode ser considerada para uma segunda franquia, quando já se tem mais conhecimento das particularidades do negócio e mais experiência adquirida.

“Alugar é mais aconselhável, porque desta forma o empreendedor não está comprometendo o capital em um imóvel, ainda mais no início, em que o investimento com a operação, fluxo de caixa e estoque são maiores”, afirma o consultor.

8. Não deixe restar dúvidas e dedique tempo a essa etapa

E se você encontrar dois ótimos pontos para abrir o seu negócio e não conseguir se decidir sobre qual é a melhor opção? Para que os empreendedores não se precipitem e acabem escolhendo errado, Siriani dá a dica: “Perca tempo e use a matemática”.

Aqui, vale contar quantas pessoas passam em cada um dos locais por dia e, também, aos finais de semana. Além disso, algumas perguntas-chaves podem servir para desempatar: o local é acessível? Os pedestres podem chegar facilmente?

O segredo para uma decisão acertada e não ter pressa, analisar bem as propostas e não ter medo de negociar!

COMPARTILHE
Artigo anteriorSnack Churros programa abrir duas lojas por mês em 2017
Próximo artigoConfira 11 franquias automotivas
Graduada em jornalismo pela Faculdade Cásper Líbero e pós-graduanda em Gestão de Marketing pela Escola Superior de Propaganda e Marketing, sua paixão é escrever e tem curiosidade sobre os mais diversos temas. Já trabalhou em editorias de entretenimento, esportes, saúde, bem-estar, PME e gestão de carreiras.

4 COMENTÁRIOS

  1. Magníficas as dicas que foram colocadas , gostaria que mais como estas fossem enviadas .
    Parabéns ,
    Muito obrigado.

DEIXE UMA RESPOSTA