Mesmo em meio à crise, as franquias continuam sendo uma alternativa atrativa para o empreendedor que quer investir em um novo negócio.

O mercado de franchising brasileiro fechou 2015 com um crescimento de 8,3% em relação ao ano anterior. O faturamento ultrapassou a marca de R$ 139 bilhões e o setor criou mais de 90 mil postos de trabalho, segundo dados da Associação Brasileira de Franchising (ABF).

Mas, apesar dos bons números, investir em franquia não significa trabalhar menos. A franquia não pode ser vista apenas como uma forma rápida de ganhar dinheiro; é preciso muita dedicação para conquistar o sucesso do negócio.

“Franquia não pode entrar na vida de uma pessoa como solução de problemas pessoais”, acentua Ana Vecchi, sócia-diretora da Vecchi Ancona – Inteligência Estratégica.

Quem está disposto a assumir esse desafio, vai encontrar muitas opções de segmentos, marcas e produtos. O processo para tornar-se franqueado exige atenção aos detalhes para que tudo saia como esperado.

A seguir, especialistas em franchising ensinam o passo a passo para abrir uma franquia. Confira:

  1. Pesquise o mercado de franquias

Entrar no universo do franchising tem suas particularidades. Mesmo quem já tem experiência com negócios próprios precisa pesquisar e compreender o mercado.

Por isso, antes de qualquer coisa, busque todo tipo de informação sobre o mercado de franquias. Para Shana Wajntraub, diretora executiva da Eleve Consulting, a ABF é uma fonte de conhecimento que não deve ser ignorada.

“Além de prestar apoio e informações sobre o sistema, a ABF oferece um amplo calendário de cursos e eventos destinados, principalmente, às pessoas que desejam ingressar no Sistema de Franchising como franqueados, franqueadores ou prestadores de serviços”, indica a consultora.

  1. Analise se seu perfil é compatível

Pesquisa feita, é hora de fazer uma auto avaliação para entender se o seu perfil e seus objetivos são adequados ao mercado de franquias.

“O perfil deve ser de comprometimento com o que vai desenvolver, liderança, motivação e bom gerenciamento. É preciso também dedicação ao que vai aprender atrelada à disciplina de incorporar os procedimentos padronizados pela franqueadora”, aponta Ana Vecchi.

Caso você não esteja certo de que tem perfil compatível, a dica de Shana é bastante prática: “aconselho buscar ajuda de um especialista em carreiras ou um coach”.

  1. Escolha qual setor é o melhor para você

O leque de opções de setores para atuar em franquias é diverso; a listagem feita pela ABF inclui 20 segmentos. Antes de começar a pensar na escolha da rede, é importante definir em qual setor você quer investir.

Para não errar na escolha, Ana indica avaliar que tipo de negócio você se identifica como empresário e não apenas como consumidor. É fundamental levar em conta o modelo de negócio, sua experiência, o público-alvo e a situação do setor na sua região.

  1. Compare diferentes opções de franqueadoras

Decidido o segmento, é hora de seguir para a seleção de redes. Mesmo que você já tenha afinado bem com qual tipo de produto ou serviço gostaria de trabalhar, é possível que as opções de franqueadoras disponíveis sejam abundantes.

Por isso, Ana ressalta a importância de selecionar as marcas com as quais você mais se identifica e fazer comparações detalhadas – indo muito além da conferência da taxa de franquia.

Compare estruturas, marketing, treinamentos, posicionamento das marcas para os consumidores, grau de satisfação dos franqueados, taxas (de franquia, royalties, propaganda), suporte, histórico de expansão e projeção de crescimento.

  1. Procure conhecer como é a operação do negócio

Com foco em uma ou duas franqueadoras que você julgou mais promissoras na comparação inicial, procure conhecer como será a operação e o cotidiano do negócio.

“Tipos de fornecedores, formas de compras e abastecimento, gestão de estoque, questões de sazonalidade, tudo precisa ser avaliado – o que se vê como consumidor, o que não se vê e o que nem se imagina que o negócio requeira”, destaca Ana.

Além de questionar a própria franqueadora, você pode encontrar uma valiosa fonte de conhecimentos práticos nos outros franqueados da marca e até mesmo fora da rede. “Busque por cursos e orientações de profissionais no segmento e outros que possam contribuir para a sua formação”, indica Shana.

  1. Faça um planejamento financeiro cuidadoso

Investimento é uma das partes principais do processo de franqueado. Aqui, você precisa conhecer todos os custos do negócio e taxas cobradas pela franqueadora: taxa de franquia, royalties, fundo de propaganda, manutenção, ponto comercial, reformas, equipamentos, estoque.

Para não ter nenhum problema com investimento, Shana recomenda que você saiba de antemão o valor exato que dispõe para investir e que se programe para que, nos seis primeiros meses de negócio, tenha uma reserva financeira para cobrir todas as despesas sem contar com os lucros.

  1. Preencha o cadastro de interesse

 Preparado para o negócio, você pode partir para a prática com segurança. O próximo passo é preencher o cadastro de interesse no site da marca escolhida ou em feiras de franquias.

Com esse cadastro em mãos, a franqueadora vai entrar em contato com você – tanto para saber mais da sua disponibilidade de investimento quanto para passar informações mais detalhadas sobre o negócio.

Se você chegou aqui interessado em mais de uma marca, vale se cadastrar em todas para fazer análises mais apuradas e tomar a decisão final. “Cerque-se de especialistas neutros para estudar as planilhas financeiras e os aspectos jurídicos, antes de assinar qualquer compromisso e pagar algum valor”, indica Ana.

  1. Participe do processo seletivo da franqueadora

Depois de preencher o cadastro de interesse e ter contato com a franqueadora, vai começar o processo seletivo para que você se torne um franqueado da rede. Cada marca tem um sistema, que vai se desenvolvendo por contatos à distância e pessoalmente.

“As reuniões individuais vão acontecendo à medida que a franqueadora e o candidato vão estreitando relacionamento em função de interesses comuns”, conta Ana.

Segundo a consultora, é comum que as franqueadoras façam apresentação da franquia, entrevista individual e análise de perfil. Testes nos quais o potencial franqueado conhece de perto a operação do negócio, também podem fazer parte do processo seletivo.

Os principais pontos de interesse da franqueadora durante as entrevistas pessoais serão no sentido de detectar se você está apto para gerir a franquia, se o perfil é adequado ao negócio, se a localidade e o investimento são compatíveis. Portanto, se você passar por todas as etapas, estará preparado para seguir na próxima etapa.

  1. Atente-se a todos os detalhes da COF

A COF – Circular de Oferta da Franquia – é importantíssima no processo de compra de franquia. Esse documento vai conter todas as informações comerciais, jurídicas e financeiras do negócio de forma detalhada, como previsto por lei (Lei de Franchising 8.955/94).

O empreendedor interessado recebe o documento antes da assinatura do contrato e deve avaliar todos os detalhes antes de tomar a decisão final.

“É através da COF que o franqueado conhece seus deveres; mas, é também ali que ele sabe o que vai ter do franqueado, com relação à supervisão de rede, orientação, treinamento, manuais de franquia, auxílio em geomarketing e padrões arquitetônicos das lojas. É válido ressaltar que nenhum valor deve ser pago ao franqueador antes do recebimento da COF”, pontua Ana.

10. Assine o contrato e parta para a prática

Com a conclusão do processo seletivo e análise da COF, você já pode assinar o contrato e finalizar a compra da franquia. Vale reforçar que o contrato só deve ser assinado quando você estiver certo da sua decisão e sem nenhuma dúvida com relação ao negócio.

Segundo Ana, conversar com consultores e advogados especialistas, que sejam neutros na decisão do investimento, é uma ótima forma de esclarecer qualquer dúvida que tenha ficado. “Bons canais de pesquisa são as consultorias especializadas na área, porém nunca aquela que mantém uma relação com a franquia. O ideal é procurar alguém imparcial”, aconselha.

Tudo certo? Então, bom trabalho!

3 COMENTÁRIOS

  1. As pessoas sabem que as chances de fracassar ao entra nesse mercado é muito pequena,por isso muitas procuram essas franquias.

    Quem aqui não quer abrir um negócio com mais segurança ? hahaha

  2. O Nosso Bar é uma rede de franquias de bares da Ambev. Segundo a empresa, é a microfranquia que mais cresce no país, com mais de 800 unidades no país. O modelo usado nesta franquia é o de bares populares, com mesas de madeira e bebidas de garrafa.

    Investimento total: a partir de R$ 38 mil
    Taxa de franquia: R$ 18 mil
    Royalties: de R$ 250,00 a R$ 500,00 por mês
    Faturamento médio mensal: R$ 30 mil
    Isso me chamou atenção.
    Adamantina/SP..cidade de quase 50 mil habitantes, cidade universitária, população jovens e os adultos e terceira idade, adoram curtir um bar..que tenha muitas geladas e quitutes simples, chamaria de caipira.
    A região adora moda de viola e moda sertaneja.
    Eu posso transformar a um Boteco Caipira, da decoração..aos trajes de garçons, garçonetes.
    Uma gastronomia simples, só quitutes cervejas das melhores e geladíssimas.
    Atrações: Moda de viola, violeiros e eventualmente um dos bons..como Leonardo e Eduardo costa..e por aí vai.
    Danças: Catira.
    Interação total a nossa Cultura Caipira.
    O preço está excelente.

DEIXE UMA RESPOSTA