É preciso tomar alguns cuidados antes de fechar um contrato de franquia. A afirmação pode parecer óbvia mas, nem sempre é.

As franquias são negócios comumente já testados e com modelos bem instalados e consolidados – o que pode fazer com que os potenciais franqueados não se preocupem tanto assim em analisar os pormenores antes de investir. Porém, sem tomar as devidas precauções e fazer uma avaliação detalhada de todos os âmbitos do processo, os riscos de não ficar satisfeito com o negócio são muito mais altos.

>> Leia também: 12 dúvidas comuns que quem investe em franquias (respondidas!)

Com cuidados a serem pensados em cada fase da negociação, o empreendedor deve extrapolar a preocupação com o valor exigido para o investimento ou a fama da rede pretendida.

“Obviamente que o negócio deve ser um bom negócio, com possibilidade de lucro e com produtos e serviços de boa perspectiva de crescimento, mas não é só isso”, pontua Melitha Novoa Prado, advogada especializada em redes de franquia e varejo.

Confira, a seguir, dicas de especialistas no assunto sobre cuidados que devem ser tomados antes de fechar o contrato de uma franquia.

  1. Reflita se você tem o perfil adequado

Ser franqueado não é para todo mundo. Por isso, antes de mais nada, é necessário avaliar se o perfil esperado pelo franchising de modo geral é compatível com o seu.

“Hoje o investidor mais comum que temos no mercado é aquele que busca mudança de vida. Pessoas que trabalharam 20 ou 30 anos como empregados tomando a decisão de montar uma franquia”, comenta Lucas Atanázio Vetorasso, consultor da Teaser Franchising.

O franqueado deve ser alguém capaz de seguir as regras da empresa, mas também precisa de perseverança, espírito de gestão e liderança: “entender o sistema de franchising é tão importante quanto todo o resto. Deve-se saber que franqueado tem que ter mentalidade de proprietário de negócio com todos os ônus e bônus, e trabalhar muito para alcançar o sucesso desejado”, assinala Prado.

  1. Busque um segmento com o qual se identifica

Segundo Prado, encontrar o segmento com o qual o empreendedor mais se identifica operacionalmente é fundamental para começar o processo de seleção de marcas. Portanto, leve o segmento em conta antes de resolver fechar contrato com uma rede que tenha um investimento atrativo ou que seja a tendência do momento no mercado.

De nada adianta, por exemplo, investir em uma bem sucedida rede de alimentação se esse ramo não tem nada a ver com você. É preciso lembrar que o sucesso da sua unidade vai ser pautado, em grande medida, no seu trabalho e é muito mais fácil encontrar motivação quando há identificação com o negócio.

  1. Converse com outros franqueados da rede

Com a rede pré-selecionada, é preciso angariar mais conhecimento sobre ela. A Circular de Oferta (COF), o site da rede e as informações oficiais da franqueadora não devem ser as únicas fontes.

Os especialistas recomendam a conversa com outros franqueados da rede para esclarecer dúvidas, conhecer o negócio na prática e conferir se as promessas de fato são cumpridas.

“É importante que o empreendedor visite o maior número possível de empresas do ramo na localidade onde pretende instalar sua franquia, converse com os proprietários e empregados, troque ideias, confira as diferentes percepções sobre o mercado, fatores positivos e, também, sobre as possíveis dificuldades encontradas em sua região”, sugere Vetorasso.

  1. Avalie o relacionamento da marca com os franqueados

Um dos principais pontos a serem analisados tanto junto à franqueadora quanto nas conversas com outros franqueados é a qualidade do relacionamento mantido entre ambas as partes.

Não deixe de avaliar e perguntar sobre suporte na instalação e no cotidiano do trabalho, sobre como é a comunicação com a rede e o atendimento após a instalação da unidade. “Se existe um ambiente saudável e colaborativo na rede, aquela marca tende a realizar um trabalho bastante eficiente”, opina Prado.

  1. Observe no contrato quais serão suas obrigações como franqueado

Franquias têm regras e os contratos devem estabelecer quais serão todas as suas obrigações. Jamais assine o contrato sem verificar cada item cuidadosamente e estar ciente de tudo o que é definido.

Para Batista Gigliotti, presidente da Fran Systems Consultoria, os principais pontos que demandam atenção no contrato de franquia são:

  • Prazo do contrato de franquia;
  • Exclusividade territorial;
  • Obrigatoriedade de estoque mínimo;
  • Garantias;
  • Regras no caso de rescisão contratual;
  • Regras de aprovação do ponto comercial;
  • Fornecedores que serão obrigatórios.

Se surgirem dúvidas, não hesite em fazer perguntas e só feche negócio quando estiver 100% certo de que entende e concorda com as obrigações, para evitar futuras dores de cabeça.

  1. Certifique-se de quais são as taxas necessárias

O valor total de investimento necessário é sempre um ponto que gera preocupação. Para não cometer qualquer engano, é fundamental ficar de olho em todas as taxas que constam no contrato, e não apenas no valor da taxa de franquia.

Gigliotti alerta para os seguintes custos: investimento em capital de giro, taxas de manutenção, seguros obrigatórios, fundo de marketing e treinamento.

  1. Adeque o plano de negócios à sua realidade

O plano de negócios fornecido pela franqueadora pode não ser o mais adequado para a realidade da sua região ou para suas condições de trabalho. Por isso, um cuidado interessante é buscar adaptações e melhorias possíveis, contando sempre com o apoio e parceria da franqueadora.

“É muito importante que se faça uma adaptação à sua realidade, podendo, talvez, atuar de forma mais compacta, desde que eficiente. Um plano de negócios pode ser entendido como um conjunto de respostas que define os produtos que serão oferecidos x modelo de operação x custo operacional x despesas x custos x markup. Faça três cenários: pessimista, conservador e otimista”, explica Vetorasso.

  1. Atente-se às questões que podem interferir no futuro

E se alguma coisa der errado? E se você não quiser ou não puder mais trabalhar na franquia? Situações assim são possíveis e, para evitar maiores problemas, é preciso considerar essa possibilidade antes de assinar o contrato – que é, geralmente, de cerca de cinco anos.

“Previsões muito importantes como regras de sucessão e transferência de franquia, bem como motivos de rescisão e penalidades devem ser minuciosamente analisadas”, alerta Prado.

  1. Converse com um advogado

Para compreender todos os pontos do contrato na sua totalidade e não deixar para trás nenhuma dúvida, conversar com um advogado pode ser a melhor opção.

“Contratos de franquia tendem a ser um tanto quanto leoninos. É importante que o empreendedor preste atenção em cada detalhe e, de preferência, o entregue para análise de um advogado de sua confiança”, aconselha Vetorasso.

Vale lembrar que inseguranças no início de um novo empreendimento são comuns, mas isso não significa desconhecer o que você está fazendo! Tenha certeza do que diz o contrato e de como você se sente em relação ao negócio – esses são os passos básicos para o bom futuro de uma franquia.

2 COMENTÁRIOS

  1. Parabéns pela publicação, bastante esclarecedora, ajudando muito aqueles que ainda tem dúvida sobre qual melhor noot comprar. ops… estou esperando o meu chegar, tomara que não demore.

DEIXE UMA RESPOSTA