Empreender utilizando um modelo de negócio já testado e aprovado, contar com suporte, treinamento e know-how de quem já está no mercado há alguns anos. Nada mal, não é mesmo? Por isso que, mesmo no cenário econômico atual, o franchising continua em franca expansão.

Para que se tenha ideia, os dados mais recentes da ABF – Associação Brasileira de Franchising mostram que, no segundo trimestre de 2016, o setor de franquias registrou crescimento de 8,1%, comparado ao mesmo período do ano anterior. Em 2015, o setor faturou 139,593 bilhões de reais.

Mas, antes de pensar em abrir uma franquia, é preciso que você avalie cuidadosamente se realmente tem o perfil para ser um franqueado, evitando cair numa possível cilada por conta dos fatores atrativos. Abaixo, com ajuda de especialistas do mercado, listamos cinco características que é preciso ter para se tornar um franqueado, seja de qual marca for. Confira:

Não pensar somente no lucro

Para entender este meio é preciso, antes de tudo, ter sensibilidade com relação a riscos. Se você precisa muito daquele dinheiro caindo todo mês, certinho, todo bonitinho, na conta, é melhor repensar a estratégia.

“O franqueado precisa saber que em um mês ele pode faturar horrores e ter um lucro excepcional, já no mês seguinte, as coisas podem não ser bem desse jeito. Não é só questão de gestão financeira, mas é preciso pensar na expectativa pessoal também”, alerta Bianca Oglouyan, fundadora de Tear Estratégia em Franchising.

Ter identificação com a área

Isso pode parecer óbvio, mas nem todos os que querem abrir uma franquia pensam que precisam ter identificação com o ramo em que irão atuar.

“É importante escolher uma rede que ofereça um produto ou serviço no qual o proprietário se identifique e sinta prazer em atuar”, avalia Alexandre Fico, coordenador de Marketing da rede de franquias Risotto Mix.

Ser um empresário

É comum que os investidores não se vejam como empresários, o que é um erro. Um franqueado é, antes de tudo, um empresário, pois vai comandar um negócio.

“Um franqueado é responsável pelo recrutamento e seleção, por habilitar a equipe, por liderar, motivar, ou seja, ele tem que ter características de um empresário”, afirma Ana Vecchi, diretora da Vecchi Ancona Consultoria Empresarial.

Saber seguir regras

Se por um lado, o franqueado está no comando de uma empresa, por outro, é preciso ter consciência de que ele não tem autonomia total sobre a mesma.

“É preciso ter perfil para seguir regras, porque o franqueado é um empreendedor com limitações, já que precisa seguir padrões e ter disciplina”, lembra Bianca.

“O franqueado precisa acordar todo dia e ir para a sua loja, ficar lá, abrir e fechar negócios, pelo menos durante um período mínimo”, diz, ainda, Bianca.

Ser cauteloso

As franquias têm adotado ações para atrair o franqueado, como descontos nos royalties, flexibilidade no investimento inicial, campanhas de incentivo, renegociação com fornecedores e até adaptações no modelo de negócios, fazendo com que seja mais fácil para quem quer investir no momento de crise. Mas, fique esperto, pois nem sempre esse tipo de oferta é bom para você.

“As pessoas que têm medo, que são cautelosas, são as que têm o melhor perfil. O fato de terem receio de fazer um investimento errado faz com que elas pensem mais no que vão investir e quais as expectativas que elas têm de retorno”, finaliza Ana.

*Com apuração de Daniela Moreira, editora chefe do Guia Franquias de Sucesso.

COMPARTILHE
Artigo anteriorSaída do Ovomaltine pode afetar os franqueados do Bob’s
Próximo artigo5 franquias de comida congelada
Avatar
Graduada em jornalismo pela Faculdade Cásper Líbero e pós-graduanda em Gestão de Marketing pela Escola Superior de Propaganda e Marketing, sua paixão é escrever e tem curiosidade sobre os mais diversos temas. Já trabalhou em editorias de entretenimento, esportes, saúde, bem-estar, PME e gestão de carreiras.

DEIXE UMA RESPOSTA