O ano novo celebra a mudança de ares e energias para muita gente e, seguindo a mesma lógica, pode significar mudanças de hábitos e investimentos no seu negócio. Começar o ano fazendo um planejamento anual e colocando no papel todas as despesas previstas para o novo ano é o primeiro passo para não começar 2018 com dívidas, sem colocar o sucesso do seu empreendimento em risco.

Mesmo para quem não tem hábito de planejar os gastos nos mínimos detalhes, a virada de ano pode ser o momento que acontece uma mudança comportamental em muita gente. Mas, o doutor em educação financeira, Reinaldo Domingos, faz um alerta: o empreendedorismo é uma atividade de alto risco e, por isso, o investidor não pode pensar somente no ano seguinte, é necessário que pense, pelo menos, entre um e dez anos à frente.

“É preciso conhecer seu setor, seu segmento, e considerar como estará daqui há alguns anos. O empreendedor já pode tomar decisões muito interessantes, considerando o cenário previsto para 2018 e os próximos anos”, indica Reinaldo.

Além de colocar no papel todos os gastos previstos, traçar metas e estratégias de administração financeira, o empreendedor precisa ter visão para tomar decisões, sempre envolvendo sócios, colaboradores e parceiros do negócio.

“Sócios, parceiros e colaboradores poderão indicar caminhos interessantes, que o empreendedor, por si só, não imaginaria. Se o empreendedor trabalhar sozinho, pode envolver colegas do segmento, sejam parceiros ou até mesmo concorrentes”, afirma Reinaldo.

Consultar os concorrentes? O especialista completa que pode parecer estranho, mas muitas empresas concorrentes se falam, principalmente as que estão dominando o mercado, em qualquer segmento. A comunicação, em muitos casos, serve para as marcas se unirem, fecharem o mercado e não deixar um terceiro nome emergir.

A seguir, você confere algumas dicas para elaborar o planejamento anual da sua empresa, para começar 2018 com mais segurança no negócio.

Balanço do ano que passou

O primeiro passo para um planejamento anual eficaz é olhar para trás. Antes de começar a pensar em estratégias e objetivos para o novo ano, é fundamental avaliar como foi o ano que passou para sua empresa.

Analise quais foram as metas atingidas e quais metas não foram alcançadas, e vá além: avalie também quais foram as ações ou situações que contribuíram para o sucesso de cada objetivo, ou que empecilhos e desafios impediram que determinada meta fosse concluída.

Nesse momento, é crucial que o empreendedor seja capaz de enxergar quais foram seus erros e acertos durante o ano. Assim, é possível levar para o novo ano as boas estratégias e repensar tudo aquilo que não está funcionando bem para o seu negócio. Elenque os pontos que deixaram a desejar e pense em como otimizá-los – desde atividades de gestão e administração da empresa até o trabalho dos funcionários ou parcerias com fornecedores.

Trace metas objetivas

Balanço feito, é hora de traçar metas e objetivos para o seu negócio no ano que está começando. Ainda que seja natural que novos objetivos surjam com o passar dos meses, é importante que o empreendedor faça uma projeção de como gostaria de encerrar o seu ano para que use essas metas como uma bússola, apoiando as decisões de sua empresa ao longo do ano.

Além disso, procure traçar metas objetivas e que sejam possíveis de mensurar – algo fundamental para que os resultados sejam verdadeiramente medidos. Por exemplo, prefira metas como “aumentar em 40% o faturamento da empresa” do que simplesmente “aumentar o faturamento”.

Planejamento financeiro

O planejamento financeiro exige do empreendedor que desempenhe um diagnóstico da situação financeira atual, seja do próprio empreendimento ou do cenário econômico do país.

“Saber qual é a situação da sua empresa hoje, se está deficitária ou não, se possui capital de giro bacana, dinheiro para investir, são essenciais para qualquer planejamento”, afirma o especialista.

Para os investimentos financeiros em 2018 e para os próximos anos, Reinaldo comenta que o empreendedor precisa considerar de onde virá este capital, se será de empréstimo ou do próprio caixa. Toda estratégia financeira deve ser pensada e materializada por meio de um orçamento, que deve aliar setores administrativo, financeiro, de produção, comercial e marketing.

“O planejamento anual para 2018 deve considerar o lucro em primeiro lugar. É válido para o empreendedor estudar, ler, fazer cursos e mudar seu modelo mental para partir do lucro desejado para o período e então tomar ações para conquistar, alinhando custos e despesas. Com mais planejamento, o ano pode ser mais estruturado e melhor remunerado”, considera Reinaldo.

Desafios

A falta de informação ou até mesmo de formação são desafios a serem enfrentados pelos empreendedores brasileiros, comenta o especialista. Segundo Reinaldo, poucas pessoas buscam informações e embasamentos teóricos, até mesmo de academia, como cursos, faculdades, pós-graduações, entre outros.

“É preciso pensar mais na frente, encarar o seu negócio com a necessidade do lucro. Se não tiver esse posicionamento mental, de que o negócio só tem sentido se der lucro, talvez seja preciso repensar a existência do empreendimento”, pondera.

Mais importante que o planejamento, é o modelo mental do empreendedor. O especialista acrescenta que muitos passam anos em um negócio que só dá prejuízo, acreditando que logo a situação irá melhorar.

“É preciso considerar: o que eu quero para o meu negócio? Quanto eu quero crescer? Qual lucro eu almejo? Não adianta colocar a culpa no ano de 2018, na Copa do Mundo, no período de eleições… O desafio é enxergar o verdadeiro problema do negócio e buscar a solução”, aconselha Reinaldo

Planejamento anual: lista de desejos para o ano novo

Dados os conselhos do doutor em finanças, Reinaldo desenhou ainda uma lista de desejos para o ano novo – e próximos anos que virão -, que podem ajudar o empreendedor brasileiro a desenvolver a mentalidade para os negócios e mudar a percepção de mercado.

Coloque tudo na ponta do lápis

Coloque na ponta do lápis todos os compromissos dos próximos 12 meses, como datas comemorativas, pagamento de impostos, matrícula, material escolar, etc. Registre o valor previsto a ser gasto com cada uma dessas atividades. É óbvio, os números podem mudar no meio do caminho, mas é importante já ter uma ideia do montante necessário para se programar.

Saiba as parcelas

Caso tenha parcelas de compras feitas em 2017 que se estenderão por 2018, elas também devem estar registradas nesse planejamento, para fazer parte do orçamento financeiro dos meses seguintes.

Fale com a família

Sente e converse com todos os integrantes da família, inclusive as crianças, para falar sobre os sonhos individuais e coletivos. Esse é um passo muito importante para mudar a forma como a família lida com o dinheiro, passando a entender que ele é um meio para realizar sonhos. Viajar, trocar de carro, de casa ou sair das dívidas são objetivos a serem considerados.

Entenda os sonhos

Procure saber quanto custam seus desejos e faça cotações até achar a melhor possibilidade de preços para realizá-los. Assim, você estará tomando os primeiros passos para realizar sonhos, seus e de sua família. Isso é o planejamento, agir com antecedência.

Economize

Guarde dinheiro para cada sonho simultaneamente e escolha o melhor investimento de acordo com o prazo de realização de cada um. Para os de curto prazo (até um ano), coloquei na caderneta de poupança; para os de médio prazo (de um a dez anos), no CDB, Tesouro Direto, fundos de investimento; aos de longo prazo (acima de dez anos), Tesouro Direto, previdência privada e ações são boas opções.

Corte despesas desnecessárias

Façam um diagnóstico financeiro, ou seja, anotem tudo o que for gasto ao longo de um mês, separando as despesas por categorias (energia elétrica, água, alimentação, combustível, telefone, etc.), para saber onde exatamente se pode diminuir ou até mesmo cortar. Assim também saberá como está gastando cada centavo do dinheiro.

“Acreditem, todos nós temos, pelo menos, 20% de desperdício ou exagero nas contas”, destaca Reinaldo.

Mude o orçamento mensal

Mude a forma como elabora o orçamento financeiro mensal. A partir de agora, calcule da seguinte maneira: Ganho (-) Sonhos (-) Despesas, isto é, priorize os sonhos e não as despesas, e não mais Ganhos (-) Despesas = Lucro/Prejuízo. Depois que tirar o valor destinado aos sonhos, com o que sobrar, adeque ao seu padrão de vida.

Alerta: inadimplência

Caso esteja inadimplente, é necessário fazer uma verdadeira faxina financeira, buscando pela causa do problema. Não adianta procurar o credor para pagar sem saber das suas possibilidades, do quanto possui para quitar as parcelas, então pode acabar se enrolando ainda mais. Reeduque-se financeiramente para realmente iniciar um novo ano, com uma vida nova.

COMPARTILHE
Artigo anteriorCalçados Bibi inaugura centésima loja no país
Próximo artigo9 ideias de negócio para um jovem empreendedor
Luísa Campos
Graduanda em Jornalismo pela Universidade Federal de Ouro Preto. Escolheu essa profissão pela paixão por escrever. Agora, descobriu que pode se reinventar e continuar contando histórias de sucesso em negócios, tecnologia e inovação.

DEIXE UMA RESPOSTA