Engana-se quem pensa que montar um plano de negócios é algo ultrapassado e desnecessário. Essa é uma etapa essencial para aqueles que querem montar um negócio lucrativo e de sucesso, pois te dará a oportunidade de já começar a empresa de uma forma organizada e bem-feita, evitando surpresas desagradáveis.

Samuel Souza, consultor de marketing do SEBRAE-SP, explica que o plano de negócio é um documento que apontará os objetivos do futuro negócio, assim como os passos que precisam ser seguidos para que tais objetivos sejam realizados com sucesso.

Segundo Samuel, o plano de negócios “é um mapa, que deve mostrar ao empreendedor os melhores caminhos, como fazer com que a ‘viagem’ seja segura, diminuindo o risco de imprevistos, permitindo chegar a seu destino, ou seja, o sucesso do negócio”.

Construir um plano de negócios sozinho, sem suporte de profissional especializado, é possível. Porém, para conseguir criar um plano completo e efetivo, é necessário que você tenha conhecimento tanto sobre o mercado pretendido quanto fazer um bom estudo financeiro. Caso você prefira, é possível procurar por um consultor ou empresa especialista em planos de negócios, mas Samuel alerta: “o investimento financeiro poderá ser consideravelmente alto, pois este profissional é especialista, e é justo que cobre pelo seu conhecimento”.

Amadurecendo sua ideia de negócio

Antes de tudo, é necessário que você tenha uma ideia madura para o seu negócio. Samuel afirma que a forma mais efetiva de amadurecer sua ideia é ouvir o que o mercado tem a dizer.

Perceba que o cliente não compra apenas um serviço ou um produto. “Há quem compre preço, há quem compre condições de pagamento, há quem compre experiência, e o empreendedor precisa saber o que irá vender”, pontua Samuel.

Seu negócio precisa ter um DNA próprio, ou seja, ser construído de forma singular e adaptada para o que seu público procura. Para Samuel, o começo de um negócio bem-sucedido depende do que ele tem a entregar: “o negócio precisa ter DNA, valores, uma alma”.

Como fazer seu plano de negócios

Começar a escrever o plano de negócios é uma etapa complicada, por isso é importante que você faça pesquisas de planos e analise o que pode ser efetivo para o seu negócio. Procurar por modelos prontos e guias de como escrever o plano de negócios pode ser um bom começo para que você consiga analisar como tais processos são realizados por outras empresas.

Para começar a redação do plano, Samuel sugere que você faça uma análise de mercado e escreva as respostas para as seguintes perguntas:

  • Quem serão os seus clientes? Pesquise quais são os públicos que precisam ou se interessarão pelo seu produto ou serviço, assim como dados como faixa etária, poder de compra, hábitos e outras informações clássicas na hora de definir um público-alvo.
  • O que seus clientes em potencial buscam? Produtos e serviços são utilizados para conseguir benefícios e soluções para seus problemas, por isso essa pergunta exige bastante pesquisa.
  • Quem serão seus concorrentes? Nessa resposta, procure indicar não apenas concorrentes diretos, mas também aqueles que possam oferecer uma solução ou benefício para os mesmos problemas que seu produto ou serviço oferece. Por exemplo, os concorrentes de padarias não são apenas as outras padarias, mas também mercados, lojas de conveniência, marcenarias, entre outros.
  • Quais são os pontos fortes e fracos dos concorrentes? Essa pergunta serve para que você saiba definir o diferencial do seu negócio, ou seja, porque os clientes em potencial procurarão pela sua empresa e não pela concorrência. Essa resposta deve ser extensa e profunda, indo desde o básico, como preço e qualidade, até pontos mais subjetivos, como comodidade e identificação com a empresa.

Similarmente a essas perguntas, é possível também elaborar uma análise SWOT. Essa ferramenta de planejamento leva esse nome por ser uma sigla, derivada dos termos em inglês, do que precisa ser analisado no seu negócio: suas forças (Strenghts), fraquezas (Weakness), as oportunidades (Opportunities) e ameaças (Threats). Essa forma de análise é ótima para quem deseja um primeiro diagnóstico e prefere as análises de uma forma visual, pois pode ser feita facilmente à mão ou em softwares de slides, como o PowerPoint.

A partir dessas respostas e análises, começar a escrever seu plano de negócios será mais fácil e orgânico. Samuel indica que os próximos passos sejam de definição do negócio, os recursos humanos, físicos e financeiros necessários, os custos envolvidos, o investimento alocado, o período de retorno do investimento, a lucratividade e rentabilidade que o negócio pode gerar.

Uma boa análise de mercado consegue deixar claro se a empresa está indo na direção do que seus clientes em potencial desejam – ou podem vir a desejar. Caso queira uma análise de mercado mais detalhada e profissional, é possível contratar institutos e empresas especializadas nesse tipo de análise. Por tal serviço ter um custo pouco acessível para o aspirante a empresário, é possível procurar por ou empresas juniores em faculdades, que oferecerão um suporte de qualidade por um preço mais baixo.

É de suma importância, também, já traçar o processo operacional do seu produto ou serviço. Samuel Souza explica que o plano operacional “envolve os recursos físicos e humanos da empresa: qual o espaço físico que será utilizado, o layout do local, as pessoas e funções que serão executadas”. Ou seja, quem vai colocar a “mão na massa” e com o fará. Essa etapa exige um conhecimento mais específico e extenso, por isso é interessante consultar profissionais, possíveis sócios e outras fontes para que o plano operacional seja o mais exato possível.

A parte operacional do plano de negócios é fundamental para que o empreendedor tenha uma ideia clara da capacidade produtiva do seu empreendimento, contando com a quantidade de pessoal que deverá ser envolvido e analisando as possibilidades de sucesso da empreitada.

É ideal que o plano de marketing já seja traçado junto com o plano de negócios. Afinal, definido o negócio, o empreendedor precisa definir quais estratégias de comunicação e comercialização serão usadas. É nesse ponto que seu negócio começa a tomar uma forma mais real, pensando em objetivos reais e alcançáveis.

“Já sabendo para quem vai vender, com o que irá concorrer e tendo o mercado analisado, basta agora definir sua estratégia, ou como irá operar, e quais os objetivos e metas reais para sua empresa”, indica Samuel.

Ao começar a definir o plano de marketing, é necessário que você conheça as áreas básicas do marketing, conhecidas com os quatro pês: Produto, Pontos de Venda, Promoção e Preço. A partir das análises de mercado já feitas e com conhecimento sobre as necessidades do negócio, você terá o conhecimento necessário para definir tais pontos.

Pense nas formas que seus clientes em potencial se comunicam, onde vivem e quais são os serviços que mais usam. Com esses dados você deve interpretar em quais ferramentas de promoção serão mais importantes para atingi-los: seu público passa muito tempo na internet, ouve rádio, lê jornal, reage bem a carros de som, etc.? Essas são algumas possibilidades interessantes, porém não são efetivas para todos os casos, por isso a necessidade de conhecer bem seu público.

Elaborando o plano financeiro

O plano financeiro é um dos mais importantes dentro do plano de negócios, e também um dos mais desafiadores de serem elaborados com maestria. Por ser a última etapa a ser criada no plano de negócios, você já deverá ter definido o investimento inicial para o negócio, e quanto dele será feito por recursos próprios e quanto de recursos de terceiros, como empréstimos familiares ou bancários, sócios da empresa, financiamentos, etc.

Samuel recomenda o uso de planilhas, como o software Excel, e calculadoras para começar a fazer suas projeções. Existem ferramentas pagas e gratuitas que também podem ajudá-lo nessa parte tão vital do processo.

Por ser mais complexo e necessitar de vários dados, é recomendado que deixe para preparar o plano financeiro depois de todas as etapas, quando você terá noções melhores do que precisará investir e as possibilidades de faturamento.

Samuel explica que é necessário, nesse momento, projetar as despesas e receitas, como se fosse um fluxo de caixa em potencial, contando as entradas e saídas. O consultor também explana que é importante entender os indicadores de viabilidade:

  • Qual a lucratividade do negócio?
  • Qual a rentabilidade do negócio?
  • Em quanto tempo, em média, o investimento trará retornos?

Elaborando o sumário executivo

Com o plano praticamente finalizado, é hora de escrever o sumário executivo. Por mais que seja produzido apenas depois de todas as etapas, essa é normalmente a primeira parte encontrada em um plano finalizado. Isso porque o sumário executivo serve como um resumo do plano que será apresentado.

Assim, essa é uma etapa crucial para mostrar seu plano a outras pessoas e pode ajudar, por exemplo, na busca de apoiadores. O sumário executivo deve ser escrito de uma forma simples e acessível, para que pessoas de fora da empresa consigam ler e entender o que será coberto no plano e, também, a realidade de seu negócio.

Essa parte também é essencial para sensibilizar investidores e parceiros, explica Samuel. Devido a isso, o texto deve ser atraente o suficiente para gerar interesse. Por ser um documento extenso, o plano de negócios precisa dessa parte para introduzir a ideia e estimular a leitura e, assim, conhecer sua empresa. Procure fazer algo não muito longo, objetivo e atraente.

Ferramentas para seu plano de negócio

Samuel indica a leitura do e-book elaborado pelo SEBRAE, que faz uma análise profunda sobre a necessidade de planos de negócios. O material também traz diversos apontamentos que serão úteis na hora de elaborar o seu plano. O e-book faz mais sentido para pequenos negócios e pode ser acessado clicando aqui.

O SEBRAE também oferece o aplicativo Canvas SEBRAE, disponível para iOS. O aplicativo serve, principalmente, para o planejamento estratégico e ajuda quem gosta de ter uma referência visual. Você também pode acessar um plano de negócios pronto, fornecido pelo SEBRAE-PR depois de se cadastrar em seu sistema.

Por fim, não tenha pressa de terminar seu plano de negócios. Criar um plano bem feito e com altas chances de sucesso requer tempo, paciência e muita pesquisa. Crie o plano com carinho e foco, assim aumentando suas chances de ser um empreendedor bem-sucedido!

Quer saber como criar um plano de negócios para uma franquia? Clique aqui e saiba como!

DEIXE UMA RESPOSTA