A ABF Franchising Expo, feira de franquias organizada pela Associação Brasileira de Franchising (ABF), é palco de tendências para o mercado nacional. Em sua 27ª edição, que aconteceu de 27 a 30 de junho e São Paulo, o evento reafirmou tendências que devem continuar crescendo no país.

Reunindo mais de 400 marcas expositoras e milhares de visitantes e profissionais do franchising, a ABF Expo apresentou lançamentos de novas marcas e modelos de negócio, além de planos de expansão que reforçam a interiorização do mercado de franquias, a aposta em modelos de baixo investimento e o incentivo para o crescimento interno das marcas, aumentando o número de multifranqueados.

Microfranquias

Em boas notícias para empreendedores que sonham em abrir um negócio com pouco dinheiro, as microfranquias – modelos mais enxutos, com investimento de até 90 mil reais, segundo classificação da ABF – continuam em alta.

“Em termos de formato, o que tem crescido são as microfranquias. Várias marcas que não trabalhavam com microfranquia estão montando um modelo de serviço com microfranquia”, destaca Mércia Machado Vergili, consultora da GSPP.

De acordo com números comentados pelo presidente da ABF, Altino Cristofoletti Junior, na coletiva de abertura da feira, 32% das redes de franquias participantes desta edição do evento trouxeram modelos com investimento de até 90 mil reais.

Para contemplar esses formatos, a feira trouxe pela primeira vez o Boulevard das Microfranquias, espaço especialmente dedicado a modelos de franquias micro. Marcas como a Ylaii, Louyt, Guia-se, Limppo, The Kids Club, Inoivando, Zorzal e Help Home apresentaram seus negócios nessa área. A MTCred, rede especializada em crédito consignado, e a Trust, rede de franquias de intercâmbio e turismo, aproveitaram também para lançar novos formatos de franquias baratas no espaço, com investimentos de menos de 10 mil reais.

Expansão em cidades pequenas

Investidores de cidades pequenas e do interior também ganham cada vez mais oportunidades para entrar no mercado de franquias.

Mércia conta que, dos visitantes que atendeu durante o primeiro dia de evento no estande da GSPP, boa parte era de fora da capital paulista, muitos vindos de cidades do interior. “As pessoas estão tentando levar para suas cidades uma qualificação de marcas, coisas diferentes, que não encontravam”, pontua a consultora.

Visando atingir esse público e expandir sua presença no mercado, as marcas apresentam modelos especialmente desenvolvidos para instalação em cidades menores. Um exemplo é a Sóbrancelhas, rede de franquias de estética especializada em design de sobrancelhas e micropigmentação.

Trazendo o modelo de franquia Smart como uma novidade, a marca volta sua expansão para cidades de até 100 mil habitantes. Com investimento a partir de 70 mil reais, esse formato tem operação simplificada, e o franqueado também faz a operação da loja.

A Sigbol Fashion também aposta nas cidades pequenas para expandir a marca. Especialista em cursos de moda, corte e costura, a rede atua no mercado há mais de 40 anos.

“Com o crescimento da rede, a Sigbol começou a ter muita procura em municípios abaixo de 150 mil habitantes, que era a minha linha de corte”, conta Aluizio de Freitas, sócio-proprietário da rede. Segundo Aluizio, cerca de 80% da procura vinha de interessados em abrir uma unidade da marca em cidades com volume de habitantes menor do que o contemplado pelos modelos em expansão na época.

Assim, pensando em suprir essa demanda e atender a alunos em potencial em busca de cursos profissionalizantes nessas cidades, a Sigbol lançou o modelo de franquia Basic: um modelo de franquia mais compacto, que pode ser operado em home based. Visando franqueadas que operem como instrutoras dos cursos, Aluizio aponta que este formato consegue manter um bom nível de rentabilidade com cerca de 25 a 30 alunos matriculados.

O foco de expansão está inicialmente em São Paulo, em cidades a partir de 50 mil habitantes. A meta de Sigbol é crescer 50% ao ano.

Incentivo a candidatos

Além disso, algumas redes aproveitaram a feira para apresentar a potenciais candidatos propostas diferenciadas – especialmente em relação à tecnologia e suporte da rede na gestão do negócio, destacando o apoio de uma empresa com expertise para o sucesso do novo franqueado.

É o caso da Arranjos Express. No Brasil há quase seis anos, a rede especializada em serviços de costura surge com o projeto Risco Zero, que visa incentivar a entrada de novos investidores na rede.

“Temos 80 operações em funcionamento e 11 em fase de implantação e, do histórico que nós temos, a grande maioria das operações atingiram o break even até o sexto mês, no máximo. Diante desse cenário, nós quisemos vir para a feira com uma proposta mais agressiva, então viemos com o Risco Zero”, pontua Beatriz Couto, gerente comercial da Arranjos Express.

Beatriz explica: “acreditamos tanto que a nossa franquia é uma franquia de sucesso que fizemos um adendo de contrato e neste adendo colocamos que, se o franqueado não atingir o ponto de equilíbrio em até seis meses, nós completamos o break even dele”.

Seguindo a mesma linha, se o franqueado chegar ao 13º mês e a operação ainda assim não se pagar, a franqueadora recompra a operação, pagando todo o valor investido. Com investimento a partir de 123 mil reais, a franquia tem modelo loja, com espaço de 30 a 40 metros quadrados.

O foco de expansão da marca está nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste. A meta da empresa é fechar o ano com 130 unidades negociadas. Além do Brasil, a Arranjos Express também está em expansão no exterior, com unidades em funcionamento ou implantação em países da América Latina, Estados Unidos e Portugal.

Multifranqueados

O crescimento interno também é parte da estratégia das marcas para aumentar sua presença no mercado sem precisar investir na entrada de novos franqueados.

“A partir do momento que você chega em um certo número de franqueados, o aumento desse número acaba dificultando o relacionamento. Então, se você consegue crescer com o mesmo franqueado, o relacionamento continua o mesmo, o franqueado ganha mais, investe mais, se empenha mais – fica mais fácil conduzir essa expansão. É uma tendência do mercado, são redes mais fortes que têm conseguido fazer isso”, explica Mércia.

O número de franqueados com mais de uma unidade de franquias – os chamados franqueados multiunidades – tem crescido nos últimos anos. De acordo com estudo da ABF em parceria com o Grupo de Estudos de Franquias (FRANSTRAT) da USP – Ribeirão Preto, 84% das redes pesquisadas contam com franqueados multiunidades. Em 2016, esse número era de 68,5%.

Como exemplo deste movimento, a Fini e a Fábrica de Bolo Vó Alzira trouxeram para a ABF Expo modelos de negócio exclusivos para franqueados da rede. A Fini lançou o modelo de carrinho para atendimento em eventos, e a Fábrica de Bolo apostou no formato de bike food.

Clique aqui para conferir essas outras novidades de franquias de alimentação.

DEIXE UMA RESPOSTA