Apesar de ser nova entre as franquias, os números da Duckbill Cookies & Coffee impressionam até mesmo quem já está há muito tempo no mercado de franchising: em apenas 1 ano 100 unidades foram comercializadas.

Com o crescimento rápido, faturamento expressivo e uma porção de interessados em abrir uma franquia, a rede especializada em cookies pode ser uma fonte de inspiração até para as marcas que já têm uma longa estrada no segmento.

Por isso, nesta edição do Franchise Insider, Rafael Naves, fundador da Duckbill, comenta as estratégias para chegar tão rapidamente à marca de 100 franquias e revela os planos da rede para os próximos anos.

A receita do sucesso no franchising

A história da Duckbill começou com um desafio: Rafael queria encontrar um diferencial para sua nova cafeteria. Ele precisava desenvolver o cookie perfeito, e, para isso, testou mais de 40 receitas até chegar na combinação ideal.

Depois de formular sua receita e testá-la com amigos e familiares, Rafael lançou sua cafeteria e, logo nos primeiros meses de operação, percebeu que tinha um negócio milionário nas mãos.

Os sabores diferenciados dos cookies e o café desenvolvido especialmente para a marca, somados com o ambiente acolhedor e descolado da Duckbill fizeram com que Rafael começasse a receber propostas para abrir outras unidades.

“A maior propaganda foi o sabor e a satisfação dos nossos clientes. O ‘boca a boca’ foi nossa principal forma de marketing naquela época”, relembra o fundador.

Considerando que as franquias poderiam ser realmente uma forma interessante de expandir o seu negócio, Rafael foi em busca do conhecimento necessário para franquear.

Ele fez um curso do Grupo 10X, que ensina os alunos a franquear e expandir suas redes. Mas o que o empresário não esperava é que, além de encontrar ótimos professores, iria encontrar um sócio para a Duckbill.

O fundador e presidente da holding, David Pinto, viu o potencial da cafeteria de Rafael e fez uma proposta de sociedade. Foi assim que, em 2018, a Duckbill passou a fazer parte do Grupo 10X.

“Buscar conhecimento e parcerias estratégicas foi fundamental para o nosso negócio e acredito que é importante para qualquer empresa”

A experiência da holding serviu para acelerar a formatação da franquia e deixou Rafael ainda mais seguro de que compartilhar sua marca com novos investidores era a melhor forma de crescer.

E ele estava certo. Com aproximadamente 1 ano e meio de estrada no franchising, a Duckbill vendeu mais de 100 unidades e deve finalizar 2019 com 150 franquias.

Modelos de negócio para todos os perfis
Um dos “ingredientes” do sucesso das franquias Duckbill parece ser a diversidade de modelos de negócio.
Atualmente, a cafeteria especializada em cookies artesanais possui quatro modelos de negócios: loja de rua, loja de shopping, quiosque de shopping e contêiner. Os valores de investimento variam de R$ 160 mil até R$ 300 mil e os pontos devem ter, pelo menos, 30m².

Captação de franqueados

Com números tão impressionantes, os concorrentes podem imaginar que a Duckbill tem estratégias secretas e inimagináveis para encontrar candidatos à franqueados. Mas Rafael afirma que não.

Na verdade, segundo ele, o grande segredo da captação é usar ferramentas digitais bem comuns, como as redes sociais.

Os anúncios no Facebook, Instagram e outras mídias levam os interessados a preencher um cadastro. Os 4 executivos de expansão da Duckbill analisam os formulários e avaliam quais estão dentro do perfil ideal.

Se a negociação correr bem e o candidato fechar negócio, a equipe de implantação auxilia o novo franqueado na escolha do ponto comercial, monta o projeto arquitetônico e começa a trabalhar para a abertura da nova unidade.

Atualmente a Duckbill Cookies & Coffee busca dois tipos de franqueados: os que tenham perfil investidor, ou seja, não estarão necessariamente envolvidos na rotina diária do negócio, e os que tenham dedicação exclusiva à cafeteria.
Mas, apesar disso, Rafael conta que costuma dar preferência ao segundo tipo de candidato, que é mais participativo.
“Eu estou sempre na nossa primeira loja, em Franca. Por isso, sei que é importante que quem está à frente do negócio faça parte do dia a dia para conhece-lo muito bem. Isso também influencia no sucesso”, comenta.

Além dos produtos e dos modelos atrativos, Rafael também acredita que a rede vem aproveitando uma fase bastante positiva no empreendedorismo brasileiro, principalmente no que diz respeito às franquias de alimentação.

“Acredito que, principalmente neste ano, o brasileiro está otimista com o futuro e mais consciente de que seu sonho de empreender é totalmente possível”, diz. “Quando juntamos essa vontade de ter o próprio negócio com a oportunidade de abrir uma franquia com valor acessível, alta lucratividade e com uma marca diferente, conseguimos bons resultados”, finaliza o empresário.

“O brasileiro já nasce empreendedor. E as franquias vão totalmente ao encontro desse perfil”

Outro ponto que ajudou a atrair novos interessados e abrir franquias da Duckbill foi a chegada Márcio Garcia.
Como Garcia é sócio e garoto propaganda da holding, a Duckbill também pôde contar com a credibilidade e reconhecimento do ator e apresentador no seu processo de crescimento da rede.

Investimentos e próximos passos

Uma vez que a franquia é aberta, ela passa a receber os produtos diretamente da fábrica da Duckbill, em Franca.

O espaço industrial de 1000 m² demandou um investimento de cerca de R$ 1 milhão  e produz aproximadamente 44 mil cookies por mês. Mas, para Rafael, isso ainda não é o suficiente.

Paralelo a expansão das unidades, o empresário também pretende aumentar o poder de produção de sua fábrica. “Continuaremos investindo em nosso carro chefe, a ideia é que, até o final de 2019, a fábrica esteja produzindo 120.000 cookies por mês.”

Para isso, a Duckbill está se preparando para contratar novos funcionários para a operação da fábrica e não descarta a possibilidade de abrir um novo polo de produção em outro estado no futuro para melhorar sua logística.

O sucesso no Brasil também levou Rafael e o Grupo 10X a fazer  planos para uma expansão internacional. “Temos a meta de inaugurar 500 unidades em 5 anos. Além das regiões brasileiras, acredito que há muito espaço no mercado internacional”, revela.

A rede deve começar a expansão internacional nos próximos anos pelos países do Mercosul.

Trajetória do executivo

Apaixonado por basquete desde a infância, Rafael sonhava em ser um jogador profissional e se formou em educação física em Franca, sua cidade natal.

Mas a paixão pelo esporte dividia espaço com o interesse pelo setor de alimentação. Ainda na faculdade ele abriu uma pequena lanchonete e teve sua primeira experiência no mercado.

Apesar disso, no último ano de graduação tudo mudou. Depois de receber a notícia que seria pai, Rafael se casou e decidiu apostar em um dos segmentos mais importantes e seguros em Franca: o setor calçadista.

Depois de 12 anos atuando com a venda de calçados, escolheu retornar para o mercado de alimentação. Ele se organizou para abrir uma cafeteria e começou a busca pela receita de cookies que faria a Duckbill Cookies & Coffee decolar.

Atualmente, Rafael divide seu tempo entre atuar na loja piloto e administrar a fábrica. Ele supervisiona boa parte das operações, incluindo as estratégias de captação, a expansão por franquias e o desenvolvimento de novos sabores e produtos para sua franquia.

Até o final do ano, a Duckbill deve ter 150 franquias comercializadas e projeta um faturamento anual de R$ 10 milhões.

DEIXE UMA RESPOSTA