Quando se fala em franquias de educação, a franquia Kumon é uma das primeiras a vir à cabeça. Com quase seis décadas de história, a rede é consolidada tanto no universo do franchising quanto no mercado educacional.

Fundado em 1958 no Japão, o Kumon chegou ao Brasil com sua primeira unidade inaugurada em 1977. Três anos depois, a rede instalou-se na América do Sul com uma matriz regional na cidade de São Paulo. Hoje, a marca soma 20 escritórios regionais no continente, abrangendo, além do Brasil, Argentina, Chile, Colômbia, Bolívia e Peru. Fora a América do Sul, a empresa também está presente em diversos países da Europa, Ásia, África, Oceania e América do Norte.

➥ Busca franquias na área educacional? Confira nosso guia de franquias de educação (com valores de investimento)

O Kumon está entre as dez maiores franquias brasileiras em número de unidades, segundo ranking da Associação Brasileira de Franchising. No segmento de educação, a franquia ocupa o primeiro lugar da lista. São mais de 1.300 unidades em operação, espalhadas por mais de 500 cidades em todos os estados do Brasil.

Com cursos livres de matemática, português, inglês e japonês para alunos a partir da pré-escola, o Kumon conquistou seu espaço em um setor que, embora ainda seja desafiador, está em crescimento.

De acordo com o Censo Escolar 2016, apurado pelo Inep em parceria com o Ministério da Educação, o Brasil tem 48,8 milhões de matrículas em escolas de educação básica (ensino fundamental e ensino médio). Deste total, 80,8% das matrículas são de escolas públicas e 18,4% estão no ensino privado. Já na pré-escola, o número de matrículas é de 5 milhões.

A população em fase escolar demonstra um forte potencial de mercado para as redes de franquia, que trabalham principalmente com ensino técnico, ensino de línguas e reforço escolar.

No mercado de franchising, o setor é forte. Segundo dados da ABF, o segmento de Serviços Educacionais cresceu 5% em faturamento no primeiro trimestre de 2017, em comparação com o ano anterior. Com isso, as franquias de educação chegaram aos 2,619 bilhões de reais em faturamento no período.

Quem tem interesse em investir em um negócio no setor de educação através de uma franquia Kumon, vai encontrar aqui detalhes sobre a rede. Neste conteúdo, você descobre como abrir e quanto custa uma franquia Kumon (se quiser pegar um atalho, clique nos tópicos abaixo para ir direto ao assunto que te interessa). Confira:

Quanto custa uma franquia Kumon

franquia Kumon

Segundo informações da rede, o Kumon trabalha com um único modelo de franquia. Porém, há variações no investimento inicial conforme os cursos que serão oferecidos na unidade.

Enquanto o ensino de português e matemática é básico para todas as unidades, o franqueado pode optar por ofertar ou não os cursos de inglês e japonês. O que varia nesse caso é o valor da taxa de franquia.

Para as unidades sem curso de línguas a taxa fica entre 2,36 mil reais e 3,78 mil reais, conforme a região de abertura. Já para as unidades com ensino de línguas o valor é de 3,54 mil reais a 5,67 mil reais.

O capital de giro deve ser de 5 mil reais a 13 mil reais e não há cobrança de taxa de propaganda, nem de material didático. “O fornecimento do material didático, as consultorias e os treinamentos estão incluídos nos royalties pagos”, informa Camila Vargas Arquioli, gerente do Departamento de Expansão do Kumon.

Qual o valor de uma franquia Kumon?

As franquias Kumon podem ser unidades de rua, shopping ou store in store. O capital de investimento inicial varia conforme a região em que a unidade será instalada e os cursos oferecidos. Os dados foram fornecidos pela própria empresa:

Investimento total: R$ 35 mil a R$ 50 mil
Taxa de franquia: R$ 2,36 mil a R$ 5,67 mil
Royalties: 40% a 45% sobre o preço sugerido de mensalidade
Faturamento médio: R$ 24 mil (com 120 alunos matriculados)
Prazo de retorno: 18 a 24 meses

Qual o faturamento de uma franquia Kumon?

O faturamento mensal de uma unidade da rede é de 24 mil reais, taxa média para uma franquia com 120 alunos matriculados. A franqueadora aponta que este valor pode variar conforme a localidade e os gastos operacionais de cada unidade.

Qual o lucro de uma franquia Kumon?

A lucratividade média sobre faturamento da franquia fica entre 20% e 25%, segundo os dados informados pela empresa. O prazo de retorno de investimento inicial varia de 18 a 24 meses.

Compare os números de Kumon com outras franquias de educação

Confira a seguir dados de investimentos de outras franquias no segmento de educação e compare com os números do Kumon. Os dados são da ABF e foram coletados em 22/05/2017.

Tutores

Investimento total: R$ 20 mil a R$ 47 mil
Taxa de franquia: R$ 15 mil a R$ 30 mil
Royalties: R$ 375,19 (fixo)
Faturamento médio: não informado
Prazo de retorno: 6 a 12 meses

Ensina Mais

Investimento total: R$ 20 mil a R$ 100 mil
Taxa de franquia: R$ 10 mil a R$ 30 mil
Royalties: R$ 219,35 por computador habilitado
Faturamento médio: R$ 13 mil
Prazo de retorno: 12 a 24 meses

CCAA

Investimento total: R$ 217 mil a R$ 384,5 mil
Taxa de franquia: não exige
Royalties: não cobra
Faturamento médio: R$ 78 mil
Prazo de retorno: 24 a 36 meses

InFlux

Investimento total: R$ 184,27 mil a R$ 329,72 mil
Taxa de franquia: R$ 20 mil a R$ 35 mil
Royalties: não cobra
Faturamento médio: R$ 90 mil
Prazo de retorno: 18 a 24 meses

The Kids Club

Investimento total: R$ 30 mil a R$ 40 mil
Taxa de franquia: R$ 25 mil
Royalties: 12,5% sobre a mensalidade (por aluno)
Faturamento médio: R$ 17 mil a R$ 25 mil
Prazo de retorno: 12 a 24 meses

Como abrir uma franquia Kumon

franquia Kumon

O interessado em se tornar um franqueado Kumon passa por um processo detalhado. “Para abrir uma franquia no Brasil, o interessado participa de uma reunião de apresentação e de um processo seletivo, que envolve testes e entrevistas em uma das 15 filiais”, conta Camila.

O candidato receberá treinamentos na parte pedagógica, administrativa, de marketing e outros assuntos que vão prepará-lo para a abertura da franquia.

No desenvolvimento do processo de abertura, o empreendedor também passa pela fase de escolha e aprovação do local, assinatura do contrato e montagem da unidade.

Para dar início ao processo, é preciso entrar em contato com a rede para o agendamento de uma reunião de apresentação. O candidato pode fazer isso através do site da franquia, preenchendo um formulário que pede alguns dados pessoais, informações de contato e localidade pretendida para abertura da unidade.

A partir disso, a rede contata o interessado para indicar os próximos passos.

Conheça os modelos de franquias disponíveis

O Kumon trabalha com um único modelo de franquia, que oferta cursos livres de português e matemática, com a opção de incluir também cursos de inglês e japonês. O investimento inicial varia conforme os cursos ofertados e a região de instalação, ficando entre 35 mil reais e 50 mil reais.

Segundo dados da marca, as unidades podem ser instaladas na modalidade rua, shopping ou store in store, em espaços com área a partir de 40 metros quadrados. A franqueadora indica a contratação de um funcionário para cada 40 alunos, aproximadamente.

O prazo de contrato de franquia é de dois anos, com renovação automática.

Saiba se você tem o perfil ideal

Para se adequar ao perfil da rede, não basta apenas ter espírito empreendedor e interesse no mundo do franchising: a identificação com o segmento de educação é imprescindível.

“O interessado em se tornar um franqueado do Kumon deve ter formação superior, não necessariamente da área de educação. Também deve ter interesse em trabalhar com crianças e disponibilidade em horário integral”, acrescenta a gerente de expansão.

Além disso, é pré-requisito que o candidato tenha conhecimento básico em português e matemática. Também é desejável conhecimento básico em inglês. Isso porque o franqueado Kumon é um tutor da rede, responsável pelo desenvolvimento dos alunos.

Segundo o site da franquia, as características comuns aos franqueados mais recentes revela um perfil de mulheres de 25 a 45 anos com facilidade em lidar com públicos diversos – do infantil ao adulto.

Como saber se sua região comporta uma unidade

A definição e avaliação da região pretendida são feitas com base em ferramentas de geomarketing e com a análise de uma equipe de campo. Tudo isso para verificar a viabilidade do negócio e a concentração de público-alvo na região.

“Antes da abertura, o Kumon, junto com o novo franqueado, avalia o estudo da área de interesse para ver qual é o melhor ponto para a abertura. O ideal é que a unidade esteja localizada em um lugar de fácil acesso e visibilidade do público”, assinala Camila.

Com mais de 1.300 unidades que abrangem todos os estados brasileiros, a rede está bastante difundida. Ainda assim, a gerente de expansão da franquia garante que há oportunidades para novas unidades em todas as regiões do país. “O Kumon não tem nenhuma região que esteja impossibilitada de receber uma unidade, inclusive, todas as regiões são importantes para a rede”, pontua.

Atualmente, a franquia trabalha com seis praças principais: São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Salvador, Belo Horizonte e Campinas e região.

Como é o processo de seleção

Segundo informações divulgadas pela marca, são sete etapas principais no processo de abertura de uma franquia. A primeira delas é a apresentação, que tem como objetivo apresentar ao potencial investidor o método Kumon, o papel do franqueado e os detalhes do processo de instalação, além de ser uma oportunidade para que o empreendedor tire suas dúvidas diretamente com a equipe de expansão da rede.

A segunda etapa é o processo seletivo, no qual o candidato passa por testes de conhecimento básico em português e matemática, entrevistas, treinamentos e um estudo do material didático da rede. Em seguida, a região para a instalação da unidade é definida em um sistema que envolve franqueadora e candidato.

Após a aprovação da localidade, o candidato passa por uma série de treinamentos e capacitações individuais e em grupos relativos ao ensino, à instalação e à gestão da unidade. Essa etapa é realizada junto ao coordenador regional em uma das filiais, localizadas nas seguintes cidades: Belém, Belo Horizonte, Brasília, Porto Alegre, Presidente Prudente, Ribeirão Preto, Rio de Janeiro, Salvador, São Paulo, Campinas, Campo Grande, Curitiba, Fortaleza e Londrina.

Só depois da conclusão desses treinamentos é que se iniciam as etapas finais do processo de abertura: assinatura do contrato de franquia, montagem e divulgação da unidade e, por fim, a inauguração.

Franquia Kumon: vale a pena?

franquia Kumon

O Kumon tem know-how acumulado ao longo de décadas de experiência no mercado e presença em diversos países do mundo. Além disso, a rede já tem ampla cobertura do mercado brasileiro, com unidades em mais de 500 cidades.

Como o franqueado tem sua atuação diretamente ligada ao atendimento dos alunos, ter afinidade com o setor de educação e facilidade no relacionamento com crianças e adolescentes é de grande importância para o sucesso do negócio.

“A principal atividade da rotina do franqueado está ligada à orientação e desenvolvimento dos alunos. Mas, os orientadores também são responsáveis pelas partes administrativa e de marketing das suas próprias unidades”, pontua Camila.

Ter clareza das atividades esperadas do franqueado é fundamental para que o candidato possa avaliar se a realidade corresponde às expectativas.

Além disso, apesar do investimento inicial não ser elevado, é preciso analisar o potencial de captação de alunos na região com cuidado – afinal, isso vai fazer toda a diferença no faturamento da unidade.

As vantagens da franquia Kumon

Não é novidade que o modelo de negócio estruturado e o suporte de uma rede consolidada são vantagens de investir em franchising. Mas, para Camila, fazer parte da marca não traz apenas os benefícios típicos desse universo.

“Ser Kumon é se sentir realizado ao fazer parte do desenvolvimento do Brasil, oferecendo um método exclusivo, auto-instrutivo e individualizado, que está há mais de 40 anos no país”, opina a gerente de expansão da franquia.

A realização do empreendedor e a oportunidade de contribuir para a melhora da formação educacional de crianças e jovens são as principais vantagens destacadas pela empresa.

“Temos publicações mensais para orientadores, pais e alunos, com o objetivo de compartilhar casos de sucesso de franqueados e também de pais e alunos do Kumon”, acrescenta Camila.

Segundo informações da marca, a rede também promove reuniões e eventos constantes em cada região para que os franqueados possam se atualizar e aperfeiçoar suas técnicas. Além disso, há um congresso anual que reúne todos os franqueados de diferentes países da América do Sul para a troca de experiências e informações.

Como é o suporte da franqueadora

A franquia Kumon oferece suporte completo ao franqueado, com ações que envolvem desde a definição da localidade para a instalação da unidade até reuniões de reciclagem.

De acordo com informações fornecidas pela empresa, estão inclusos no suporte da franqueadora:

  • Treinamento de 40 horas antes da abertura da franquia;
  • Estágios práticos em unidades já existentes no período de treinamento;
  • Acompanhamento dos coordenadores de expansão nos 24 primeiros meses de operação;
  • Reuniões pedagógicas durante os 12 primeiros meses de operação;
  • Fornecimento de material didático;
  • Reuniões mensais de reciclagem, aperfeiçoamento e conferências regionais e nacionais;
  • Material publicitário para divulgação do método Kumon;
  • Materiais de orientação e assessoria constante da equipe de coordenadores de franquia.

Os treinamentos oferecidos pela franqueadora abrangem estudo do método e do material didático da marca, treinamentos pedagógicos, de marketing e administrativos.

Os desafios de ser um franqueado Kumon

Mesmo com todo o suporte de uma rede consolidada é preciso atentar-se a alguns pontos que podem fazer a diferença para o bom desenvolvimento do negócio.

Segundo Camila, um dos grandes desafios do franqueado Kumon é manter-se atualizado, buscar conhecimentos novos e aprimoramento constantes. “Manter o foco na qualidade de aplicação do método, ou seja, na busca constante pelo desenvolvimento máximo dos alunos, e manter boa gestão da unidade são fatores muito importantes”, avalia.

A gerente de expansão da franquia lembra ainda da necessidade de seguir as orientações da rede e estar sempre em alinhamento com a franqueadora.

Além disso, é preciso levar em conta que esse é um tipo de negócio em que é fundamental ter um bom relacionamento com dois tipos de públicos: o de crianças e jovens, que são os alunos da rede; e o de adultos, os pais e responsáveis pela matrícula.

O que os outros franqueados dizem

Segundo informações da rede, os franqueados Kumon têm um bom índice de satisfação com o negócio. Atualmente a marca conta com franqueados com mais de 20 anos de operação, o que reforça esse índice.

A boa experiência com a marca é pontuada por casos como o de Sofia Fortkamp Dambrós, que resolveu se tornar franqueada depois de trabalhar como funcionária da rede. Hoje, Sofia tem sua própria unidade em Itajaí, Santa Catarina.

“Depois de passar por um processo seletivo de 8 meses, muito treinamento e me valendo de minha experiência como funcionária, decidi abrir minha própria unidade. Meu desejo é ajudar alunos para que desenvolvam seu máximo potencial e ajudar os pais e professores na formação das nossas crianças”, conta.

Para Diani Pereira, franqueada de Jacarezinho, no Paraná, os treinamentos foram essenciais: “o projeto, que há tempos vinha adiando, saiu do papel e está sendo uma experiência incrível. Toda a estrutura de treinamentos e preparo para a abertura e orientação dos alunos nos dá tranquilidade para desenvolver um trabalho consolidado e de sucesso”.

Já Jussara Lührs, franqueada da cidade de Caçador, Santa Catarina, acredita que o método pedagógico do Kumon é um dos pontos fortes da franquia.

“O aluno se envolve com o material e com as aulas. O método realmente faz diferença nos estudos das crianças. Além disso, me trouxe uma realização pessoal muito grande lidar com os pequenos”, relata.

Na página do Kumon no site Reclame Aqui é possível encontrar reclamações feitas especialmente por alunos e pais de alunos, relacionadas ao atendimento dos orientadores nas unidades.

É possível encontrar também uma reclamação relacionada ao interesse em franquia. Interessada em se tornar franqueada, a usuária do site relata que ficou sem retorno após a apresentação da franquia e os testes iniciais de conhecimento básico.

“Fui convidada a ir até São Paulo onde me seria apresentado o modelo de negócio. Por problemas de agenda comprometida, não pude aceitar convites em datas por eles propostas e, ao sugerir uma data, não mais obtive retorno seja por telefone ou via e-mail”, escreve na reclamação.

Segundo resposta da empresa no site, a situação foi resolvida através do contato com a usuária.

O que perguntar a outros franqueados da marca

Conversar com outros franqueados da rede é uma ação imprescindível para conhecer a realidade do negócio, entender como é a rotina, tirar dúvidas sobre o processo de abertura e entender se a franqueadora realmente está cumprindo o que promete.

“Um dos principais objetivos das pessoas interessadas em abrir uma unidade do Kumon é fazer bem à sociedade e realização profissional. Pensando nisso, as perguntas podem ser: Você é feliz? Está realizado? O que te motivou a ser um franqueado Kumon?”, sugere Camila.

Na Circular de Oferta da Franquia (COF), é possível encontrar contatos de franqueados da rede para essa conversa inicial. O site institucional do Kumon também traz uma página de busca de unidades na qual é possível localizar escolas próximas, com endereço e telefone de contato.

DEIXE UMA RESPOSTA