Ter uma franquia e não ter um fluxo de caixa seria a mesma coisa de ter um carro em que o painel não funciona. Mesmo que o carro tenha combustível e anda, a qualquer momento ele pode parar, pois, sem o painel, não há indicação alguma se o combustível está acabando ou se há algum problema com o veículo. Por isso, mesmo que uma franquia tenha dinheiro e esteja operando normalmente, ter esse painel indicador, chamado fluxo de caixa, é fundamental para que possa ter as indicações se as coisas realmente estão indo bem, considerando-se inclusive o futuro.

O fluxo de caixa pode ser definido como uma ferramenta que mostra o movimento de entradas e saídas de dinheiro da empresa. Essa ferramenta pode ser desde a mais básica, através de um caderninho, pode ser uma planilha, ou pode até ser um aplicativo ou software. Não existe uma forma melhor ou pior, o importante é que exista o hábito do registro das movimentações. Por isso, quem trabalha melhor com o caderninho, com certeza pode seguir por esse caminho. As ferramentas mais tecnológicas, para quem prefere, acabam tendo vantagens de automatização e análise.

É fundamental que todos os gastos e todas as receitas sejam lançados no fluxo de caixa, pois só assim os números representarão fielmente como está a saúde financeira da franquia. Muita gente deixa de lançar pequenos gastos, como tarifas bancárias ou reembolsos, que parecem pequenos quando considerados separadamente. Porém, quando todos os gastos referentes a estas categorias forem somados ao longo do tempo, pode-se notar que eles acabam não sendo tão pequenos quanto parecem.

O fluxo de caixa deve ser utilizado em função dos três períodos: passado, presente e futuro. Do passado, é a facilidade de resgatar históricos da empresa, para análises e novos planejamentos. Do presente, é o ato de marcar os itens que foram pagos e recebidos. Do futuro, é projetar lançamentos futuros para avaliar e analisar os próximos dias, meses e anos do negócio.

O fluxo de caixa é o indicador que mostrará se a empresa está caminhando para um cenário de receitas maiores que gastos ou o contrário, mostrando, portanto, o saldo do período. Para períodos em que se caminha cada vez mais para saldo negativo, é importante avaliar as formas de entrada de novo capital, seja por meio de capital próprio ou por meio de capital de terceiros, para que existam investimentos focados em aumentar as receitas. Já no cenário em que passam a ocorrer saldos positivos recorrentes, vale avaliar-se onde será investido o valor, seja em aplicações financeiras, seja em ativos para a empresa, é importante que o dinheiro não fique parado no caixa, pois, além de tudo, por conta da inflação, ele acaba perdendo seu poder de compra ao longo do tempo.

Portanto, o fluxo de caixa é uma das principais ferramentas para entender como a franquia se encontra, e, mais do que isso, auxiliar na tomada de decisões, focando, cada vez mais, tornar o negócio mais rentável para seus sócios.

DEIXE UMA RESPOSTA