O que 2021 reserva para o franchising brasileiro

0
1655
franchising 2021
franchising 2021

Até 2019, as redes estavam focadas mais nas experiências de vendas presenciais, nas lojas físicas. O on-line era um canal em estudo, em desenvolvimento, em teste, para ganhar corpo num futuro de 5 a 10 anos. O percentual do faturamento que vinha do on-line era bem singelo na maioria das redes.

Com a necessidade de isolamento social que a pandemia do COVID 19 trouxe de forma abrupta, vários projetos de experiência de venda on-line tiveram que sair da gaveta e ser impulsionado de forma super veloz. O que estava previsto para 5 anos teve que ser feito em meses, para que a rede continuasse operando e sobrevivesse a essa crise instaurada.

Acredito que essa foi uma grande oportunidade para promover mudanças que permanecerão mesmo depois que pandemia passar.

Vários empresários e executivos tiveram que buscar aquela coragem de promover grandes mudanças que estava contida porque o “time estava ganhando” e era bom não mexer.

Todos sabíamos que o futuro estava mais no digital, no on-line, mas sempre deixávamos isso para 2025, 2030. A pandemia trouxe esse futuro para o presente. Está sendo dolorido, mas certamente será um grande marco para essa nova década que está iniciando em 2021.

Case: como o Kumon reagiu à pandemia

Quanto à rede Kumon, o atendimento aos alunos sempre foi 100% presencial. Em março, quando os decretos estaduais e municipais colocaram a necessidade do fechamento das unidades para atendimento presencial aos alunos, nossos franqueados rapidamente migraram para o on-line, utilizando as ferramentas que tinham disponível no momento.

Foi muita correria dentro das franquias e do franqueador. Uma corrida contra o tempo e no rumo do desconhecido, pois ninguém sabia por quanto tempo as unidades ficariam impossibilitadas de atender presencialmente os alunos.

Foi um grande desafio para todos, mas esse desafio foi rapidamente superado pela força que os franqueados Kumon possuem. Essa força é originada no grande sentimento de fazer o melhor para os alunos, de buscar o que for possível para que os estudantes não interrompam seus estudos pelo Método Kumon e com isso continuem no mesmo ritmo de desenvolvimento de suas habilidades acadêmicas e do autodidatismo.

Essa determinação dos franqueados Kumon foi fundamental para que pudessem superar todas as grandes barreiras que surgiram repentinamente.

O número de alunos no Brasil caiu cerca de 20% em relação ao ano anterior nos meses de abril até agosto, pois alguns alunos tiveram que interromper a continuidade dos estudos devido a situações econômicas e/ou pessoais, e o número de matrículas caiu drasticamente em relação ao ano anterior. No Kumon as matrículas acontecem todos os meses do ano, pois o trabalho é individualizado para cada aluno e o início se dá a qualquer momento.

No mês de junho as matrículas começaram a crescer e esse crescimento se manteve até o final de ano, chegando a ser superior ao ano anterior no último trimestre. Com isso muitas franquias recuperaram o número de alunos e várias cresceram em relação à 2019.

No total, fechamos o ano com cerca de 90% do número de alunos de 2019 e estimamos que em 2021 ultrapassaremos o número que tínhamos em 2019, na grande maioria das franquias do Brasil.

Tendências para o franchising em 2021

A necessidade de isolamento social, evitando aglomerações, cuidados com higiene para evitar contaminação, estarão presentes em boa parte do ano de 2021. Mas a sociedade já aprendeu a viver dessa forma, direcionou seus hábitos de consumo para essa realidade e a vida terá que continuar.

Novos negócios surgiram, novas experiências de compra e venda foram implementadas, o que fez com que alguns setores tivessem um grande aumento de faturamento e outros uma queda brusca e a necessidade de uma reinvenção para continuar operando.

O ano de 2021 será o ano em que o mercado estará se ajustando à realidade da nova década que está entrando.

O franchising é um meio de distribuir produtos e serviços e com isso seguirá as novas tendências do mercado.

Oportunidades para novos empreendedores

Com as taxas de juro baixas, com um grupo de pessoas que perderam seus empregos e estão buscando formas de trabalho que lhes tragam renda para viver, o franchising proporcionará grandes oportunidades.

Investir na abertura de uma ou mais franquias será uma forma de melhor retorno para o capital do que o mercado financeiro poderá fornecer. Abrir uma franquia será a forma de trabalhar e ter uma remuneração, utilizando o valor recebido na indenização pelo término do contrato de trabalho.

Ou seja, o franchising será uma grande oportunidade para satisfação pessoal, profissional e financeira para as pessoas nessa retomada da atividade econômica do Brasil, dentro da nova realidade de consumo e de forma de viver.

Dentro do franchising há a categoria das microfranquias, que seguem as mesmas regras e leis das franquias, mas o investimento inicial está abaixo de R$ 90mil. Com isso há boas oportunidades para todos os “bolsos”.

Foco em vendas e experiências digitais

Certamente haverá uma tendência maior para as vendas on-line, sempre que for possível, predominando o “e-commerce”, e o relacionamento direto com o cliente através de meios de comunicação eletrônica como a ferramenta “WhatsApp” será muito importante nessa nova realidade.

As pessoas perceberam o conforto de receber os produtos em casa, sem precisar se deslocar para comprar. Mas desejarão ter uma experiência de compra parecida com a que tinham indo até a loja, sem ir de fato fisicamente, mas através de chat, vídeo, foto. Isso exigirá muito mais da equipe de vendas.

No caso das franquias em educação provavelmente um sistema híbrido, onde misturará aulas on-line com aulas presenciais, será bem frequente daqui para frente, mesmo que termine a necessidade de isolamento das pessoas.

Despender tempo de deslocamento para realizar as atividades, sejam laborais ou de compras, será muito avaliado daqui em diante.

Preparação para o ano que se inicia: 2021 é digital

Até antes da pandemia, na maioria das redes de franquia a maior fatia do faturamento estava nas atividades presenciais. O faturamento das transações on-line era insignificante ou bem menor. Mas com a pandemia a participação do on-line no faturamento cresceu muito, esse tipo de relacionamento com o cliente permanecerá e essa participação será mais significativa.

Todas as redes precisam se preparar para aprimorar suas vendas/entregas através do mundo virtual, que é mais “frenético” que o mundo real e exige conhecimentos que ainda são pouco difundidos.

Os franqueados precisam organizar melhor o modelo negócio considerando essa participação maior do on-line como canal de venda/entrega, fazendo as adaptações jurídicas necessárias, revendo o potencial de mercado e criar meios de capacitar seus franqueados e equipes.

No Kumon estamos revisando todos os processos e meios de desenvolver nossos alunos utilizando um sistema híbrido de atendimento.

Não é uma tarefa simples, muito menos fácil, mas esse é um caminho sem volta. O digital veio para ficar.

Este artigo foi enviado por Julio Segala, Diretor de Marketing e Operações no Kumon Brasil, para uso exclusivo do Guia Franquias de Sucesso.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui