Se você está pensando em entrar no mundo do franchising, antes de tudo precisa saber se tem o perfil para ser um franqueado. Isso porque para atuar neste mercado é preciso que você tenha algumas características básicas para esse tipo de atividade. Por exemplo, independente do segmento em que vai atuar, uma característica é sempre citada como requisito para o investidor: espírito empreendedor.

Entretanto, nem sempre ter espírito empreendedor significa ter um perfil adequado para o franchising. Isso porque, para uma pessoa que quer empreender e já tem uma ideia na cabeça, não é interessante comprar uma franquia, porque ela ficará frustrada, visto que terá de seguir um modelo de negócio já estabelecido.

Além dessas características, básicas para franquias de todos os setores, é possível que as redes façam exigências pontuais para seus franqueados. Formação em determinadas áreas, idade mínima, experiência anterior no ramo e habilidades de comunicação e gestão de pessoas, por exemplo, podem ser atributos essenciais para algumas marcas.

Isso varia de marca para marca. “Na Uni Açaí, por exemplo, consideramos quatro fatores para definir o perfil do empreendedor interessado em abrir uma unidade com nossa marca”, conta Wagner Lima, diretor da rede de franquias Uni Açaí. Dentre esses fatores estão as características pessoais do candidato, sua visão de negócio, a disponibilidade de tempo, assim como as possibilidades de investimento.

“É preciso carregar consigo o espírito natural de empreender, ou seja, ter o desejo de ser bem sucedido e ser proativo, ter iniciativa e força de vontade nas ações. Neste sentido, o foco em resultados, dentro de uma proposta sustentável, é importantíssimo, bem como uma inteligência emocional para lidar com dificuldades que possam surgir no caminho”, avalia o profissional.

É preciso entender, também, o espírito de equipe e o senso de liderança, duas habilidades importantes no trato com pessoas quando se fala em se tornar um franqueado. Por isso, é preciso ser uma pessoa aberta, receptiva a novas ideias e mudanças. Características como idoneidade e boa reputação pessoal e comercial também são elementos importantes e considerados pelos franqueadores.

Outro ponto importante é a visão de negócio, já que o empreendedor precisa conhecer o mercado em que pretende ingressar e gostar de atuar nele. É preciso conhecer os riscos e oportunidades, bem como entender a relação custo-benefício sem ser imediatista.

“No modelo de franchising, o que existe é uma relação de parceria, e isso precisa estar bem assimilado pelo interessado em ser um franqueado: é uma relação de respeito mútuo, em que há padrões e processos estabelecidos pela franqueadora. Vale destacar que a performance do negócio está diretamente atrelado ao conhecimento da região em aspectos culturais, sociais, econômicos, entre outros”, aponta Lima.

Pense, ainda, na disponibilidade que você tem no dia a dia. Lembre-se de que não há como fugir do comprometimento pessoal com a operação da unidade – e esse compromisso é diário, seja fim de semana ou feriado, caso necessário. Lima ressalta: “este envolvimento é fundamental para o planejamento, monitoramento das atividades e do crescimento da unidade”.

A postura também é muito importante: “O ideal é entender que é dono, pensar como o dono, mas atuar como funcionário. Saber que terá de se dedicar ao seu negócio, vestir a camisa e colocar a mão na massa é importante. Até chegar o momento em que o negócio será maior do que ele, não precisando que esteja presente na unidade para ela funcionar”, aponta Wilton Bezerra, diretor da rede de franquias Cheirin Bão.

Como saber se você tem perfil de franqueado

Para saber se um empreendedor tem ou não perfil para ser franqueado, deve-se na primeira etapa do processo de escolha conversar e entender os seus objetivos de empreendedor. Se são objetivos alcançáveis dentro da franquia, parta para a análise da sua personalidade, pois você precisará ser uma pessoa flexível, madura, criativa, proativa e que aceite seguir as regras propostas pela franqueadora.

“Mas, se você não conseguir se enxergar seguindo regras, não conseguirá fazer parte de nenhuma franquia, pois neste mercado é natural que haja padrões a serem cumpridos, dentro, é claro, de uma flexibilidade natural que envolve a cultura e os costumes do local em que pretende abrir uma unidade”, avalia Marcelo Cansini, presidente da franquia World Study.

Mais do que isso, além do processo seletivo, para identificar se você tem o perfil ideal é importante também entrar no site da franqueadora, fazer pesquisas sobre o mercado, entrar em contato com franqueados de forma aleatória, visitar as lojas, perguntar sobre a rotina e as exigências que existe no negócio. “Desta forma, você consegue, durante o processo de seleção, mostrar se tem aptidão ou não para ser um franqueado de sucesso na área escolhida”, sugere Carlos Gueges, diretor de expansão da MC Franqueadora.

Lembrando que o franqueado deve zelar pelo próprio negócio, fazer o negócio dar certo, e, principalmente, ter foco no fazer, o que é ainda mais importante. “O candidato tem que se compreender como parte importante do processo”, pondera Bezerra.

Diante disso, faça, ainda, algumas perguntas básicas a você mesmo para saber se está dentro do perfil de um franqueado.

  • Entendo o que é o sistema de franchising e como funciona?
  • Estou preparado para enfrentar situações de perdas e imprevistos no desenvolvimento do negócio?
  • Tenho o capital para investimento total no negócio franqueado sem prejudicar as finanças para o sustento de minha família durante o período de maturação e início do retorno do capital Investido?
  • Não sou imediatista?
  • Identifico-me com o modelo de negócio proposto?
  • O perfil do negócio vem de encontro com a franquia que busco para empreender?
  • Se for uma franquia no segmento de serviços, estou disposto a abdicar de sábados, domingos, feriados e datas especiais com minha família, para estar à frente de minha unidade franqueada?
  • Estou disposto, tenho maturidade e humildade profissional para seguir o direcionamento e orientações da franqueadora mesmo sendo dono da unidade franqueada?
  • Pretendo trabalhar muito em parceria e aplicando as orientações e direcionamentos da franqueadora para o sucesso do negócio?

Perfil de franqueado x empreendedores de outros segmentos

Para você se dar bem no mundo das franquias é preciso entender que um franqueado tem características diferentes de um empreendedor de outros segmentos. Isso porque o franqueado deve seguir o know how da franqueadora, que já tem um modelo de negócio definido.

É preciso entender que os dois são empreendedores, porém o franqueado nunca está sozinho, pois existe uma via de mão dupla. Ele conta com um negócio testado, aprovado pelo franqueador, que venceu todos os desafios e dificuldades para chegar até o sucesso e o momento em que decidiu compartilhar não somente seu negócio, mas também sua madura experiência dentro do mercado de franquias.

Além disso, o empreendedor franqueado tem uma estrutura com equipe na franqueadora para lhe dar total suporte e orientações. Ao colocá-las em prática, aumentam significativamente as chances de atingir as metas e os objetivos que o empreendedor tem para com o sucesso do negócio. “Assim, a diferença principal é que, com uma franquia, por haver o suporte da franqueadora, os riscos da falta de experiência e conhecimento do setor são reduzidos”, diz Bezerra.

Assim, há uma garantia do retorno, visto que o negócio já é conhecido, o que faz com que os esforços de alavancagem sejam minimizados. Existe o respaldo da franqueadora, uma equipe por trás dedicada a fazer o negócio dar certo.

Já o empreendedor de outros segmentos decide literalmente começar do zero e assumir todos os riscos. Ele tem que passar pelas dificuldades encontrando os caminhos e as saídas de situações que o mercado exige do seu negócio. E isso sem nenhum suporte ou orientações. “Infelizmente, em boa parte das vezes ele não consegue encontrar esse caminho e tem uma maior probabilidade de não prosperar”, comenta Lima.

No entanto, mesmo assim, de um modo geral as rotinas de um negócio são as mesmas, como aponta Tiago Stabile, fundador do Tico’s Burger: “oferecer um bom produto junto com um bom atendimento, além de estabelecer processos naturais da gestão de um negócio”. Para isso, o candidato deve sempre realizar treinamento e também preparar toda a sua equipe.

Cuidado para não ficar deslumbrado, pois é preciso trabalhar duro para se ter sucesso. “Infelizmente, a grande maioria das pessoas que busca empreender em uma franquia, imagina que comprou um bilhete premiado, seja pelo fato de a franquia ter um bom produto ou por a marca estar bem vista no mercado. Este é um grande engano e erro, pois independente do segmento do negócio franqueado, tem de haver dedicação total do franqueado à frente do negócio, atuar de corpo presente com sua equipe, frente a frente com seus cliente no ponto de venda, passando para a franqueadora o feedback dos acontecimentos, de suas dificuldades e necessidades”, diz Stabile.

Saiba que essa comunicação do franqueado com a franqueadora é importante para o acompanhamento e orientação, dando à unidade franqueada o devido suporte, pois todo o negócio exige muito trabalho, dedicação, foco e paciência por parte do franqueado.

Quer investir em franquia? Confira nossa galeria com opções de franquias baratas para abrir seu primeiro negócio.

COMPARTILHE
Artigo anteriorSorridents investe em marketing e projeta crescimento
Próximo artigoReiback tem franquia de seguros a partir de R$ 13 mil
Graduada em jornalismo pela Faculdade Cásper Líbero e pós-graduanda em Gestão de Marketing pela Escola Superior de Propaganda e Marketing, sua paixão é escrever e tem curiosidade sobre os mais diversos temas. Já trabalhou em editorias de entretenimento, esportes, saúde, bem-estar, PME e gestão de carreiras.

DEIXE UMA RESPOSTA