A franqueada Karime Abbud é prova de que, no universo dos negócios, nunca é tarde para recomeçar.

Formada em administração de empresas, Karime atuou quase duas décadas no mercado financeiro. A rotina de trabalho era administrar um negócio próprio, já consolidado, mas que não proporcionava o retorno e reconhecimento no mercado que a empreendedora esperava.

➥ Busca franquias financeiras? Confira nosso guia de franquias de negócios e finanças

“Antes de me tornar franqueada, eu tinha uma empresa no mercado financeiro, oferecia crédito consignado. Antes disso, eu trabalhava na Santa Casa da minha cidade, também no setor financeiro”, conta Karime.

Mesmo com um modelo de negócio estruturado na cidade em que trabalhava, a empreendedora percebia um movimento peculiar, característico de cidades do interior, que atrapalhavam o desempenho da especializada em consignado: por ser uma cidade com 40 mil habitantes, Karime percebeu que muitos moradores tinham vergonha de entrar na empresa, por acreditar que vizinhos e outros conhecidos veriam que estavam entrando em uma empresa que oferecia empréstimo financeiro – a preocupação maior era de ficarem com a fama de que estavam “devendo na praça”. Uma situação corriqueira em cidades do interior do país que, de acordo com Karime, acabava atrapalhando o desempenho da empresa.

Além disso, mesmo se esforçando para atingir bons faturamentos, a empreendedora identificava uma lenta rentabilidade do modelo de negócio. “Eu tinha um negócio que oferecia apenas consignado e não tinha rentabilidade, ficava presa nisso. Sempre me perguntava se era possível encontrar mais clientes através de outros serviços ligados ao setor financeiro. Fora isso, eu sentia falta de uma orientação mais assertiva sobre os caminhos e decisões a serem tomados”, explica.

Assim, Karime começou a pesquisar por modalidades de investimento que poderiam potencializar o desempenho do empreendimento. Aos 43 anos, a empreendedora decidiu que era o momento certo para mudar a trajetória profissional. O principal diferencial que fez com que a empreendedora chegasse até o franchising foi a garantia de uma orientação sobre os caminhos a serem seguidos.

“Quando você tem seu negócio próprio, às vezes você fica perdido, sem saber qual escolha fazer ou qual decisão tomar. Quando existe um franchising por trás, a situação é inversa. Você tem um suporte, consegue informações fundamentais sobre os produtos, têm um auxílio de pessoas mais experientes para te ajudar sobre as tomadas de decisões, tantas outras que te ajudam com idéias inovadoras para o crescimento do seu negócio, entre outros. Eles estão ali do seu lado, caminhando com você. É um crescimento mútuo que vem agregar valor na vida da franquia e do franqueado”, comenta Karime.

O desejo de mudanças para o universo do franchising fez com que Karime pesquisasse entre as redes de franquias disponíveis no mercado, que também trabalhassem com finanças.

“Optei pela Banneg porque a franquia oferece um leque de serviços, o que vem a ocasionar em uma maior rentabilidade. Ao conhecer a marca, me identifiquei com a proposta e, como já tinha o valor de investimento, resolvi me tornar franqueada”, lembra a empresária.

Fundado em São José do Rio Preto, interior de São Paulo, o Banco de Negócios (Banneg) investe em expansão por franchising desde 2017. A rede atua no mercado financeiro, e oferece aos clientes amplos serviços deste universo: empréstimo consignado, crédito pessoal, capital de giro CGI, financiamentos, consórcios para imóveis, veículos e prestação de serviços, além de crédito rural, máquina de cartão, entre outros serviços.

A rede também aposta em diversidade de atendimento com as melhores condições de negociação, sendo destaque as taxas e a parceria firmada com mais de 20 instituições financeiras. Atualmente, a rede trabalha com modelo de franquia de loja standard, com valor de investimento que parte de 33,9 mil reais.

A transformação do negócio

Inserida no segmento de Serviços e outros negócios, o Banneg faz parte de um movimento em expansão no mercado, sendo o principal segmento com maior crescimento entre os meses de abril e junho de 2019. O setor registrou alta de 8,9%, de acordo com a Associação Brasileira de Franchising (ABF), que aponta que muito do avanço advém da demanda e do investimento em serviços e processos de automatização, e também de fornecedores de cadeia de meios de pagamento e crédito.

Como um todo, o franchising brasileiro vem registrando, ao longo de 2019, um bom desempenho. No segundo trimestre deste ano, o crescimento foi de 5,9% em relação ao mesmo período do ano passado. O faturamento saltou de 40,7 bilhões de reais para 43,1 bilhões de reais.

Karime aponta que a principal vantagem de mudança de investimento em um negócio próprio para um modelo de franquia, é o suporte e a segurança garantidos aos franqueados, além de “poder atuar com um nome já conceituado no mercado. Você abrir uma empresa já com um nome, já tem um peso muito maior do que abrir algo do zero. A credibilidade é bem maior e, as pessoas por já conhecerem, sentem confiança em buscar pelos serviços”.

A confiança no investimento ultrapassou os muros da unidade franqueada de Karime, sendo transmitida também à população da cidade, que ficava insegura de ser vista dentro de uma empresa especialista em empréstimos e consignados.

“Quando trouxe o Banneg pra cá, vi que houve uma mudança no comportamento do consumidor. O nome da marca, por si só, já cria credibilidade porque você não é apenas um iniciante, você representa uma empresa conhecida e de nome no mercado. Outro ponto é que a marca oferece vários serviços, as pessoas entram aqui tranquilas, porque muitos podem imaginar que elas querem investir em algo, comprar um carro, por exemplo. Pode parecer um detalhe, mas fez muita diferença aqui pra mim. Consigo atrair mais cliente, me posicionar melhor”, afirma a franqueada.

Assim, a rentabilidade, que antes era questão de preocupação para Karime, hoje é motivo de orgulho: a empreendedora fatura 20% a mais na franquia do que no negócio próprio. “Me dedico integralmente ao negócio e divido meu tempo entre os atendimentos na loja e nos trabalhos administrativos”, explica.

Karime pretende expandir, conquistar novas unidades e se tornar máster franqueada, sempre com o objetivo de oferecer serviços de qualidade e, por consequência, aumentar ainda mais os rendimentos.

“O Banneg está com produtos novos, como o financiamento para as placas fotovoltaicas, cujo procura no mercado é bem grande, é um ramo que tem tudo para crescer. Os novos produtos irão ajudar na prospecção e no crescimento da unidade, ainda neste ano. Já para os próximos anos, o meu objetivo é me tornar uma máster franqueada”, revela a empreendedora.

Como carro chefe da unidade, a franqueada trabalha com o crédito consignado para aposentados e pensionistas do INSS, além de outras oportunidades. A proposta é sempre encontrar o serviço ideal para os clientes que buscam atendimento. “Às vezes o cliente não quer consignado, e eu posso oferecer outro produto. Ele não sai daqui de ‘mãos vazias’. É corriqueiro oferecermos um refinanciamento de veículos, por exemplo. Nós temos a oportunidade de não perder cliente, e ele sai daqui com uma solução”, conta Karime, satisfeita.

Para quem deseja mudar os rumos da vida profissional, como fez Karine há um ano ou, ainda, quem decide apostar no segmento de negócios e ainda não possui experiência, a dica da empreendedora é pesquisar a avaliar todas as opções de franquias. Karime comenta que conversar com empreendedores e outros franqueados é uma das melhores estratégias para auxiliar na escolha de uma rede de franquias, independente do segmento que se deseja investir, para entender como é o suporte e o posicionamento da rede no mercado.

“Do jeito que há boas marcas como o Banneg, há muitas que são ruins. Reforço: investir em uma franquia vale muito a pena pelo suporte, pela segurança e pelo uso da marca, que auxilia bastante os franqueados. Por isso, é importante saber, de fato, se a marca escolhida oferece todo o respaldo”, finaliza.

A seguir você confere os dados de investimento da franquia Banneg.

Investimento total: R$ 33,97 mil
Taxa de franquia: R$ 21,9 mil
Royalties: R$ 600
Faturamento médio: R$ 100 mil
Prazo de retorno: de 6 a 12 meses

COMPARTILHE
Artigo anteriorCuidare inicia expansão internacional
Próximo artigoOven Pizza Bar projeta chegar a 50 lojas em 5 anos
Luísa Campos
Graduada em Jornalismo pela Universidade Federal de Ouro Preto. Escolheu essa profissão pela paixão por escrever. Descobriu que pode se reinventar e continuar contando histórias de sucesso em negócios, tecnologia e inovação.

DEIXE UMA RESPOSTA