Muitos empreendedores preferem não começar um negócio do zero e aproveitar a estrutura de uma empresa que trabalhe com franqueados ou revendedores. Mas, afinal, qual a diferença entre eles?

As diferenças, basicamente, envolvem a autonomia do empreendedor para fazer mudanças, o tempo de contrato, as obrigações de cada lado e a transferência de know-how.

Confira, a seguir, as principais características de cada empreendedor:

Franqueado

O franqueado está amparado pela Lei 8.955, de 1994, também chamada de Lei de Franquias. Ela determina todas as obrigações e deveres das duas parte. Um exemplo é a Circular de Oferta de Franquias (COF), documento que a franqueadora é obrigada a entregar ao candidato antes da assinatura do contrato.

Ao investir em franquias, o empreendedor recebe um sistema completo de gestão: direito do uso da marca, sistemas, treinamentos específicos e suporte da operadora.

Por outro lado, a franquia costuma oferecer menos liberdade aos empreendedores. Isso significa que ele não pode, por exemplo, fazer alterações no ponto de venda, nem criar materiais publicitários que não estejam de acordo com as regras da franqueadora.

“A grande vantagem aqui é que o franqueado tem todo um suporte da franqueadora, o que faz com que o negócio tenha maior taxa de sucesso”, diz Guilherme Siriani, sócio-diretor da ba}STOCKLER.

Revendedor

O revendedor recebe o direito de usar a marca da empresa e comercializar produtos indicados no contrato de licenciamento. Ele tem autonomia para decidir como pretende trabalhar e até quanto vai gastar com publicidade em sua região.

Mas, todo o know-how da empresa sobre fabricação de produtos ou prestação de serviços não é transferido ao revendedor. Por isso, os licenciamentos, em geral, têm valores de investimento mais baratos do que as franquias.

Outra diferença entre os dois formatos é que as franquias costumam ter uma taxa inicial, chamada taxa de franquia. No caso dos revendedores, esse valor não costuma ser cobrado. Além disso, os contratos de franquias geralmente têm uma duração maior.

Avalie seu perfil

Segundo Siriani, as duas modalidades atraem perfis de empreendedores diferentes. “Um licenciado geralmente já tem um negócio ou já é empreendedor. Já os franqueados costumam ter menos experiência de mercado e procuram, na franquia, um investimento mais seguro, devido à assessoria que a franqueadora irá lhe dar”, explica o consultor.

Se você está avaliando as oportunidades para ter seu próprio negócio, seja como franqueado ou revendedor, precisa, antes, seguir alguns passos:

1. Pesquise muito sobre a empresa e busque conversar com pessoas que já trabalham com a marca.

2. Faça uma avaliação financeira da proposta: verifique se os valores são condizentes com o mercado e se o negócio é sustentável.

3. Por fim, certifique-se de que o contrato traz todas as variáveis que foram combinadas durante a negociação. Só assim, você se protege e previne problemas no futuro.

DEIXE UMA RESPOSTA