Consolidada no mercado, a franquia CVC tem a seu lado uma tendência de comportamento importante: os brasileiros estão viajando mais.

O último estudo Sondagem do Consumidor do Ministério do Turismo revela que 22,1% dos brasileiros têm intenção de viajar num horizonte de seis meses. Desse total, 70,7% pretendem visitar um destino nacional e 29,1% pretendem visitar destinos internacionais. Além disso, 52,1% declararam procurar hotéis e pousadas como meio de hospedagem e 64% farão a viagem de avião.

O Brasil segue uma tendência global de movimentação do setor: segundo a Organização Mundial do Turismo (OMT), o turismo mundial cresceu cerca de 4% em 2016, com 46 milhões de viajantes a mais de no ano anterior. O número de turistas internacionais é hoje de 1,2 bilhão. Para 2017, a expectativa da OMT é que o crescimento do setor se mantenha.

Aproveitando todo o potencial do público consumidor, as franquias de turismo estão vivendo um excelente momento.

O segmento de Hotelaria e Turismo foi o que apresentou maior crescimento no primeiro trimestre de 2017. Segundo a Associação Brasileira de Franchising (ABF), o setor teve um aumento de 2% no número de unidades. Já o faturamento cresceu 31%, passando de 1,977 bilhões de reais nos três primeiros meses de 2016 para 2,586 bilhões de reais no mesmo período deste ano.

Esses dados reforçam oportunidades de crescimento para agências de turismo como a CVC. Fundada em 1972, a empresa é especializada na comercialização de destinos nacionais e internacionais, com pacotes de passagens, hospedagens, intercâmbios, ingressos, passeios e outros serviços.

De acordo com dados da ABF, a CVC é uma das 50 maiores redes de franquias do Brasil. Entre as empresas que atuam no segmento de turismo, a marca é a primeira em número de unidades. Atualmente a CVC conta com mais de 1 mil lojas, espalhadas por mais de 430 municípios em todos os estados brasileiros.

Se você tem interesse em investir na rede para atuar no segmento de turismo, vai encontrar nesta matéria detalhes sobre como abrir e quanto custa uma franquia CVC (se quiser pegar um atalho, clique nos tópicos abaixo para ir direto ao assunto que te interessa).

Quanto custa uma franquia CVC

franquia CVC / Foto Roberto Tamer

Não é preciso ter um alto capital disponível para investir em uma franquia CVC. A rede não exige taxa de franquia, não cobra taxa de royalties e nem taxa de propaganda.

O maior investimento fica por conta da instalação do ponto comercial – uma exigência do modelo de negócio da franquia, que pode ser de loja de rua, shopping, hipermercado ou galeria.

Segundo Emerson Belan, diretor de vendas e expansão da CVC, o valor estimado para locação, reforma e ambientação de um ponto de venda de rua com cerca de 50 metros quadrados gira em torno de 100 mil reais.

“É desejável que o novo franqueado tenha disponibilidade de capital próprio para investir no negócio, sem a necessidade de empréstimos. Mas, a CVC tem parceria com instituições financeiras para financiamentos”, conta Emerson.

Já o capital de giro indicado é de 20 mil reais.

Qual o valor de uma franquia CVC?

As franquias CVC devem ser instaladas em pontos comerciais no modelo de loja. O total do investimento pode variar conforme a localidade do ponto e a área do imóvel. Os dados foram informados pela própria empresa.

Investimento total: R$ 160 mil
Taxa de franquia: não exige
Royalties: não cobra
Faturamento médio: R$ 430 mil
Prazo de retorno: 24 a 28 meses

Qual o faturamento de uma franquia CVC?

De acordo com informações da empresa, o faturamento mensal de uma unidade da franquia CVC fica em torno de 430 mil reais. O payback de uma nova loja varia, em geral, de 24 a 28 meses.

Qual o lucro de uma franquia CVC?

A lucratividade do negócio é medida em relação às vendas, considerando cada tipo de produto turístico. “Após descontadas as taxas de embarque, descontos e cortesias concedidas a clientes, cada intermediação de venda possui taxa padrão de remuneração que varia, em geral, de 5% a 12% do valor da venda realizada”, revela Emerson.

Compare os números de CVC com outras franquias de turismo

Confira dados de investimento de outras franquias de agências de turismo e compare com os números da CVC. Os valores são informados pela ABF ou pela própria empresa.

Encontre Sua Viagem

Investimento total: R$ 5 mil a R$ 40 mil
Taxa de franquia: R$ 3 mil a R$ 20 mil
Royalties: R$ 250 a R$ 350
Faturamento médio: R$ 70 mil a R$ 200 mil
Prazo de retorno: 3 a 24 meses


CI

Investimento total: R$ 3,3 mil a R$ 218 mil
Taxa de franquia: R$ 3 mil a R$ 28 mil
Royalties: não cobra
Faturamento médio: R$ 250 mil (loja)
Prazo de retorno: 1 a 36 meses

Clube Turismo

Investimento total: R$ 4,9 mil a R$ 70 mil
Taxa de franquia: R$ 3,9 mil a R$ 30 mil
Royalties: variável
Faturamento médio: R$ 100 mil a R$ 200 mil
Prazo de retorno: 4 a 24 meses

TZ Viagens

Investimento total: R$ 71,33 mil a R$ 124 mil
Taxa de franquia: R$ 29 mil
Royalties: 1% sobre faturamento bruto
Faturamento médio: R$ 300 mil
Prazo de retorno: 18 a 24 meses

FlyWorld

Investimento total: R$ 15,5 mil a R$ 25,5 mil
Taxa de franquia: R$ 15,5 mil a R$ 25,5 mil
Royalties: R$ 937 fixo
Faturamento médio: não informado
Prazo de retorno: 6 a 12 meses

Information Planet

Investimento total: R$ 3 mil a R$ 150 mil
Taxa de franquia: R$ 3 mil a R$ 40 mil
Royalties: variável
Faturamento médio: não informado
Prazo de retorno: 6 a 24 meses

Como abrir uma franquia CVC

franquia CVC / Foto Roberto Tamer

O processo de abertura de uma nova unidade da franquia CVC é bastante detalhado. Além de atividades mais simples, como o preenchimento do formulário de interesse no site, que dá início ao processo, o candidato também tem seu perfil analisado pela franqueado e deve ser contatado pelo master franqueado de sua região.

Durante o procedimento de abertura, o franqueado poderá ser solicitado para entrevistas presenciais com o master franqueado da região ou com os gestores da matriz da CVC. Mas, algumas etapas podem ser realizadas remotamente, via internet.

A aprovação do ponto comercial é uma fase importante do processo. Para a escolha, analisa-se a indicação feita pelo candidato no preenchimento do formulário através de um sistema que leva em conta desde as características demográficas da região até a opinião dos master franqueados da rede.

Conheça os modelos de franquias disponíveis

A CVC aposta em um único formato de negócio para suas franquias: a loja. A diferença fica por conta do local de instalação da unidade. Segundo informações da rede, é possível abrir uma unidade CVC em quatro modelos de ponto de venda: shopping center, loja de rua, loja em hipermercados e em malls ou galerias.

Conforme a escolha do ponto, o investimento varia – afinal, como já foi dito, os gastos com o imóvel somam o principal montante do investimento inicial.

A necessidade de contratação de funcionários também está diretamente relacionada ao tamanho de cada loja, como informa Emerson Belan.

“Geralmente, o número de funcionários depende do tamanho da loja, que pode variar bastante, sendo o mínimo três: gerente, supervisor e atendimento”, explica o responsável por expansão.

Segundo os dados do Guia Oficial de Franquias da ABF, a área mínima para uma loja CVC é de 30 metros quadrados.

Saiba se você tem o perfil ideal

De acordo com o divulgado pela empresa, para se tornar um franqueado CVC é necessário que o candidato tenha experiência comprovada no ramo de turismo.

Além disso, a rede pede exclusividade de dedicação por parte do empreendedor. A partir da assinatura do contrato com a CVC, o candidato não deve mais ter participação em nenhum outro negócio no segmento de turismo e deve ter disponibilidade para atuar unicamente junto à franquia.

A responsabilidade pela qualidade do atendimento ao cliente também é atribuída ao franqueado; portanto, habilidades como bom relacionamento interpessoal, capacidade de gestão de tempo e de pessoas e facilidade com vendas são fundamentais para quem tem interesse no negócio.

“É desejável ainda que o candidato tenha conhecimento do perfil do cliente da região em que a loja está localizada, tendo, preferencialmente, residência fixa no local”, acentua Emerson.

Como saber se sua região comporta uma unidade

Mesmo estando bastante difundida, com presença em mais de 430 cidades brasileiras, a CVC pretende expandir ainda mais.

Segundo o diretor de expansão da rede, o plano de expansão para o triênio 2016-2018 prevê a abertura de 100 agências por ano. Desse total, 60% das unidades devem ser instaladas em cidades com a partir de 50 mil habitantes.

“Até dois anos atrás a estratégia de expansão da operadora levava em consideração cidades a partir de 300 mil habitantes. A ampliação do foco foi planejada para acompanhar as tendências e projeções de demanda, que mostram maior fatia de crescimento do consumo em cidades fora das capitais e metrópoles”, pontua Emerson.

Para definir a região para instalação de uma nova franquia, a franqueadora avalia e leva em consideração dados demográficos e socioeconômicos, renda média da população local, densidade varejista, estimativa do potencial de vendas e análise financeira.

O input dos master franqueados e a opinião do comitê de expansão, composto pelos times de vendas e planejamento estratégico, também são pontos importantes dessa fase do processo.

Como é o processo de seleção

O primeiro passo para que o interessado entre no processo de seleção é preencher o formulário de franquia no site da CVC.

Esse formulário pede dados pessoais, como número de documentos, endereço e formas de contato. Além disso, é preciso informar detalhes da proposta de negócio: endereço do ponto comercial pretendido para a unidade, capital disponível para investimento e experiências profissionais anteriores no setor de turismo.

Após o envio do formulário, um master franqueado da região do candidato entrará em contato para que, em seguida, o perfil do empreendedor e o local proposto sejam avaliados pela franqueadora.

Com a aprovação da proposta, o franqueado faz a entrega dos documentos solicitados pela empresa, recebe a Circular de Oferta da Franquia (COF) e assina o contrato.

As instruções para instalação e montagem da nova unidade são transmitidas ao novo franqueado de forma online pela CVC. Com a instalação pronta, o franqueado pode realizar o treinamento de toda a sua equipe também digitalmente, através da Universidade CVC.

Encerrando o processo, a nova loja é inaugurada.

Franquia CVC: vale a pena?

franquia CVC / Foto Roberto Tamer

Com mais de 40 anos de tradição no segmento de turismo, a CVC atua como franquia desde 2012. Assim, a rede é capaz de oferecer experiência de mercado e know-how específico para diferentes regiões do país.

“A CVC é a maior operadora de turismo da América Latina e isso importa muito, pois em franquias tamanho é documento”, aponta Thaizi Morani, mentora de negócios especialista em franquias e gestão estratégica.

A marca é uma das mais lembradas pelo público na pesquisa Top of Mind do Datafolha em parceria com a Folha de São Paulo, na categoria de agências de viagens. Em 2015, o índice de lembrança da CVC foi de 19%.

Para o público consumidor, a rede oferece um portfólio de produtos turísticos diversificado, além de cobertura total nas viagens. Com foco no total conforto do cliente, a agência oferece serviços como seguro de viagem, opções de passeios, traslados e vale-viagem. A CVC oferece ainda assistência durante a viagem em mais de 300 destinos no mundo.

Mesmo com o apelo ao público e com o positivo posicionamento no mercado, o interessado deve avaliar com atenção suas possibilidades e expectativas antes de fechar o negócio.

As vantagens da franquia CVC

De acordo com o diretor de expansão da CVC, a escala e a credibilidade da marca são duas das principais vantagens em investir em uma franquia da rede.

Segundo dados divulgados no site da empresa, além do grande alcance territorial das lojas, a rede conta com 6,5 mil agentes independentes e recebe mais de 4 milhões de acessos por mês em seu site.

Em busca de manter uma posição de liderança no mercado, a CVC investe muito em campanhas de publicidade. O site da marca destaca que os anúncios da marca são veiculados tanto na televisão, em âmbito nacional, quanto no rádio e na mídia impressa, em âmbitos regionais, conforme suas localidades de atuação.

Além disso, Emerson lembra que a franqueadora não cobra taxa de royalties nem taxa de propaganda, o que diminui os custos operacionais do negócio. A CVC também não exige um investimento mínimo de estoque.

Como é o suporte da franqueadora

A franqueadora disponibiliza treinamento online completo para o franqueado e todos os funcionários da equipe de vendas, através da Universidade CVC.

Para auxiliar na gestão das vendas e atividades de rotina do negócio, a franqueadora tem um software próprio exclusivo para uso dos franqueados.

“A CVC fornece ao franqueado licença de uso do software da CVC, necessário para que ele possa intermediar as vendas em sua franquia de forma simples e eficaz. Este é um sistema único, desenvolvido especificamente para atender às necessidades da CVC”, destaca Emerson.

A empresa também oferece suporte na avaliação e no estudo da viabilidade do local para instalação da franquia, além de instruções completas para a implantação da nova unidade.

Os desafios de ser um franqueado CVC

Para Thaizi Morani, garantir uma boa equipe de atendimento e acessar todo o conhecimento da franqueadora através dos treinamentos é um dos principais desafios do franqueado de uma agência de turismo.

“Um ponto crítico deste tipo de negócio é a capacitação da mão de obra. É preciso ter argumentos afiados e bons conhecimentos sobre os roteiros para fazer o consumidor sonhar e comprar”, comenta a especialista.

Vale lembrar ainda que a CVC exige dedicação total e exclusiva do franqueado. Portanto, o interessado deve pensar em seus planos e investimentos no longo prazo para se certificar da decisão.

Quem deseja trabalhar em casa ou dedicar-se a outro negócio simultaneamente, encontrará opções mais alinhadas a seus objetivos em outras redes do ramo – especialmente naquelas que oferecem modelos de negócio que podem ser operados em home office.

O que os outros franqueados dizem

O trabalho junto aos master franqueados da marca, que apostam em diversas unidades da franquia, é uma forma de notar satisfação com a empresa.

Para Claudio Vila Nova, master franqueado CVC no Distrito Federal, o apoio da franqueadora e a isenção da taxa de royalties são alguns dos principais diferenciais da rede.

“Atuar com o modelo de franquia de varejo e serviço de viagens e, ainda, ter o respaldo de uma marca conhecida e respeitada pelo consumidor em todo o Brasil, já que inspira credibilidade e confiança, é fundamental. O apoio que a matriz nos dá em publicidade, expansão, tecnologia e vendas, com um modelo peculiar de franquia, que não cobra royalty, também faz a diferença”, conta o franqueado.

Hoje, Paulo comanda um grupo de 38 lojas, gerenciando uma equipe de 300 profissionais. O empreendedor também assume a missão de auxiliar na expansão e no desempenho de vendas em Brasília e região.

“Um empresário que se torna franqueado de uma rede está em busca de know-how e força de marca. E a CVC é forte nestes dois pilares”, opina Thaizi.

Na página da empresa no Reclame Aqui, é possível notar que a maior parte das reclamações é feita por consumidores insatisfeitos com o atendimento em unidades da rede. Isso reforça a necessidade de atenção no processo de treinamento e gestão de equipe pelos franqueados.

O que perguntar a outros franqueados da marca

A recomendação de Thaizi é que o candidato procure franqueados da rede e questione todos os aspectos do negócio – desde a captação de clientes até o suporte da franqueadora na prática.

Confira algumas perguntas sugeridas pela especialista para fazer aos franqueados CVC:

  • Se você tivesse a oportunidade de recomeçar hoje, você escolheria novamente o setor de turismo?
  • A expectativa de lucro e o prazo de retorno de investimento se concretizaram em sua franquia ?
  • Você compraria hoje novamente uma franquia CVC? Como a escolha da marca fez diferença pro seu resultado?
  • Como tem sido o suporte do franqueador para auxiliar a rede na criação de estratégias para o novo cenário econômico?
  • Qual habilidade você acha que não pode faltar a alguém que queira investir em uma franquia de turismo?
  • O que, com sua experiência atual, você teria feito diferente no início do seu negócio?

No site da CVC é possível encontrar informações de contato (telefone, endereço e e-mail) de todas as lojas da rede. A relação completa de franqueados também é repassada ao candidato durante o processo de seleção na COF.

DEIXE UMA RESPOSTA