4 sinais de que uma franquia pode ser “roubada”

2
40
roubada
roubada

Você está decidido a abrir uma franquia, já fez as pesquisas de mercado necessárias, verificou se tem o perfil ideal para entrar nesse tipo de negócio e agora está procurando por opções para investir?

Pois bem. Pare, respire e avalie muito. Essa etapa é crucial para o sucesso de seu negócio. As opções no mercado são muitas, os segmentos diversos e as propostas estão cada vez mais atraentes. Tem redes facilitando o investimento inicial, isentando o franqueado de taxas e até adaptando os seus modelos de negócios para conquistar novos investidores.

Em um mar de opções, que incluem marcas picaretas, fica difícil escolher sem ter medo de errar. Para ajudá-lo nesse processo, consultamos especialistas do mercado que, abaixo, dão algumas dicas para você identificar um mau negócio e fugir dele! Confira:

1. Marcas novatas no franchising

O negócio que você pensa em investir pode até ser tentador, mas é preciso levar em conta a sua história. Empresas novas no mercado de franquias, lançadas sem muito planejamento, podem não ser uma boa escolha.

“Quando algo está sendo lançado como franquia e ainda não foi testado por um franqueador, há um risco em potencial. É preciso avaliar se esse risco é calculado ou não e se você tem condições de suprir as dificuldades se acontecer qualquer problema”, avalia Claudia Bittencourt, sócia da Bittencourt Consultoria.

2. Contratos com prazos insuficientes para obter retorno do investimento

Antes de assinar o contrato, você precisa analisar a lucratividade do negócio, que é o percentual de resultado sobre as vendas. Olhe os números prometidos e compare com quanto você espera ter de lucratividade e avalie quanto tempo você precisa para recuperar o valor investido. Aqui, é importante, também, ficar ligado no prazo desse contrato que está sendo estabelecido.

“Se a pessoa tem um capital de giro para cinco anos e o contrato da franquia é de cinco anos, não compensa investir porque, assim, ela não tem lucro nenhum”, alerta Marcio Iavelberg, fundador da Consultoria Blue Numbers.

Isso porque quando você for começar a pegar dinheiro para colocar no seu bolso, terá que renovar o contrato e vai ter que pagar mais taxas. Portanto, faça todas as contas antes de fechar o contrato.

3. Promessas de altos ganhos

Quanto mais fácil for entrar em uma franquia e maior for o lucro prometido, mais é preciso ficar de olhos abertos. “Quando as promessas de números forem acima da média de mercado, tome cuidado, pois deve ser mentira”, alerta Ana Vecchi, diretora da Vecchi Ancona Consultoria Empresarial.

Pagando aluguel, folha de pagamentos, impostos, encargos, taxa de franquia, royalties, propaganda, custos de operação, fundo de promoção, entre outras despesas, dificilmente a margem de lucro será alta. “Em franquias, não dá para ter mais de 30% de lucro”, pontua Ana Vecchi.

4. Franquias da moda

Bolos caseiros, paletas mexicanas, churros gourmet. Esses são alguns exemplos de negócios que tiveram um “boom” nos últimos tempos e, consequentemente, uma procura maior por empreendedores querendo entrar nesses mercados.

Mas, é preciso avaliar essa ideia com muita cautela.“Se você abrir uma franquia na crista da onda, provavelmente irá ganhar dinheiro durante um período, mas também corre um risco maior. É preciso avaliar a rede”, avalia Bianca Oglouyan, fundadora de Tear Estratégia em Franchising.

Um mix de produtos variado e estratégias de vendas para períodos sazonais já são bons caminhos para que essas marcas sobrevivam após a fase de euforia passar. Avalie esses pontos com o franqueador.

Esses cuidados não são garantia de um bom negócio, mas podem, com certeza, minimizar suas chances de falhar!

*Com apuração de Daniela Moreira, editora chefe do Guia Franquias de Sucesso.

2 COMENTÁRIOS

  1. Boa tarde Lygia Haydée. Preciso tirar umas dúvidas sobre COF, você pode me auxiliar ou indicar alguém para me ajudar?
    Fico no aguardo!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui