Os aplicativos conquistam a cena tecnológica não só quando o assunto é entretenimento mas, principalmente, quando é sobre negócios. O mercado de franquias no país vive um momento interessante com o apoio da força da internet: as franquias de aplicativos estão chegando ao segmento com atuação exclusiva por meio de celulares, seja para desenvolvimento destes programas ou atuando unicamente pelos apps.

Para o consultor de franquias Lucas Vetorasso, do grupo ATNZO, o cenário de franchising brasileiro vive uma onda de tecnologia com foco em facilidades para os consumidores brasileiros. “Aplicativos delivery, de busca e de concentração de serviços, são alguns exemplos. Os hábitos de consumo têm mudado a passos largos e, para se adaptar, o mercado tem absorvido, mesmo de forma sutil, os novos formatos de negócios”, explica Vetorasso.

➥ Busca franquias de aplicativos? Confira nosso guia de franquias de virtuais (com valores de investimento)

Estudos da GSMA Intelligence estimam que, atualmente, o número de celulares e smartphones existentes no mundo ultrapassaram a quantidade de seres humanos: são mais de 7,19 bilhões de aparelhos celulares em todo o globo.

A realização e o recebimento de chamadas como principais funções dos celulares ficou no passado. Hoje, há um grande número de aplicativos que integram o cotidiano no para suprir lazer, convívio social, trabalho, estudos, finanças, entretenimento, alimentação, entre outros serviços. Uma pesquisa de 2015 realizada pelo portal Statisca, registrou que haviam disponíveis na Apple Store para mais 1,5 milhão de apps para download gratuito e compra.

O mercado de desenvolvimento de aplicativos no país é recente e, mundialmente, a produtora de apps mais antiga no mundo tem pouco mais de 12 anos. Isso transforma o mercado de aplicativos em um campo com alta potencialidade para investimento e espaço para os concorrentes.

Por dentro das franquias de aplicativos

Para Lucas Vetorasso, a maioria dos modelos de franquias de aplicativos tendem a ser enxutos e, por este motivo, os valores de investimento são baixos, transformando este modelo de negócio em uma modalidade muito atrativa para quem busca opções de franquias baratas.

Ao mesmo tempo, a maioria destes negócios possibilitam que o franqueado atue em modelo home based, o que flexibiliza os horários de trabalho e requer pouco investimento em estrutura – a maioria das franquias home based exige do franqueado computador com acesso à internet, além de alguns objetos de trabalho, como impressora.

Quanto aos desafios, o consultor da ATNZO explica que é importante que o futuro franqueado se atente à saturação do mercado. Apesar de ter muito potencial para crescimento, o segmento pode ficar saturado a depender da área e do modelo que o empreendedor está buscando.

“Em contrapartida à saturação, é extremamente necessário compreender as mudanças de hábitos de consumo. Por exemplo, ideias muito inovadoras levam tempo para maturar e os consumidores entenderem o produto. São dois lados opostos, porém ambos podem levar o franqueado a enfrentar problemas futuros”, explica Vetorasso.

Por isso, o especialista recomenda que o empreendedor desenvolva estudos de mercado e, de preferência, em campo, para entrar em contato com o cotidiano do negócio e saber, minimamente, os pontos positivos e desafios que serão enfrentados.

Mas, se o caso for o empreendedor já estiver decidido a investir em franquias de aplicativos, o Vetorasso lista algumas dicas para preparação. Primeiro de tudo, é importante compreender a operação de forma micro. “Normalmente, são poucos os que se aprofundam e entendem os modelos de negócio antes de começarem a atuar em uma franquia”, explica.

Um dos erros dos franqueados é esperar pelo treinamento oferecido pela franqueadora para estudar o modelo de negócio em que será investido. Lucas aconselha estudar e buscar o máximo de informações possíveis: “há muitos modelos nos quais o franqueado é a frente comercial do negócio, gatilho expansor do mesmo, correto? Ou seja, se você não gosta muito de lidar com clientes e não possui uma boa comunicação, não invista em um negócio em que você dependerá de visitas, apresentações e fechamentos”. O negócio macro, para o especialista, pode até ser tecnologia, mas é fundamental entender como funciona.

A seguir, listamos algumas opções de franquias de aplicativos. As informações sobre as empresas são divulgadas pelas próprias marcas ou pela Associação Brasileira de Franchising (ABF).

1Zupy!

A Zupy é uma franquia de aplicativos especializada em cartão fidelidade virtual, com toda a gestão feita por meio de um app (tanto para os comerciantes participantes quanto para os consumidores usuários). O franqueado atua com exclusividade na região em que a unidade foi instalada, e fica responsável por atualizar a base de estabelecimentos, com foco em pequenos e médios negócios. O empreendedor pode atuar em modelo home based.

Investimento: R$ 4.997
Taxa de franquia: R$ 4.997
Royalties: R$ 350
Faturamento médio: R$ 6 mil a R$ 12 mil
Prazo de retorno: 3 meses

2Ceofood

A Ceofood é uma rede de franquias de aplicativo delivery que tem foco específico em cidades pequenas e regiões periféricas. Os franqueados trabalham com a prospecção de restaurantes para aderirem ao app e podem operar em sistema home based.

Investimento total: a partir de R$ 4,99 mil
Taxa de franquia: R$ 4,99 mil
Royalties: R$ 300 ou 15% sobre faturamento
Faturamento médio: R$ 4,5 mil
Prazo de retorno: 6 a 10 meses

3Valor Web

Atuando como rede de franquias de marketing digital, a Valor Web inaugura em 2019 a comercialização de um novo serviço: desenvolvimento de aplicativos mobile. A nova forma de posicionamento no mercado entra no portfólio de serviços em conjunto com o desenvolvimento de sites, assessoria em redes sociais e links patrocinados. As franquias são home office.

Investimento total: a partir de R$ 10 mil
Taxa de franquia: a partir de R$ 10 mil
Royalties: variável
Faturamento médio: R$ 15 mil a R$ 45 mil
Prazo de retorno: 12 a 18 meses

4Delivery Much

A Delivery Much é uma franquia de aplicativo que agrega restaurantes, possibilitando que o usuário peça comida em vários locais diferentes em uma única plataforma. A operação é home based e a unidade pode ser instalada em cidades de diferentes portes, incluindo municípios com menos de 70 mil habitantes.

Investimento total: R$ 15 mil a R$ 150 mil
Taxa de franquia: não informado
Royalties: 3% sobre faturamento bruto
Faturamento médio: não informado
Prazo de retorno: 6 a 18 meses

5Avec

Atuando no segmento de beleza e bem-estar há cinco anos, a Avec investe em um mix de soluções integradas. A marca atua por meio de sistemas de gestão para estabelecimentos que trabalham com produtos e serviços de beleza e bem-estar. A Avec também desenvolve aplicativos, soluções para pagamentos online e marketplace de produtos.

Investimento: R$ 26 mil
Taxa de franquia: R$ 25 mil
Royalties: R$ 300
Faturamento médio: R$ 15 mil
Prazo de retorno: 3 meses

DEIXE UMA RESPOSTA