Típico da culinária de Minas Gerais, o pão de queijo ganhou o coração do Brasil e chega às cinco regiões do país também por meio de franchising. As franquias de pão de queijo apostam na popularidade do quitute para crescer.

Favorito para acompanhar o café e consumido quentinho, o pão de queijo tem origens antigas: mesmo sem uma data ou criador marcado na história, a existência da receita aponta para o século 18. Ainda que a receita de pão de queijo exista há muito tempo, o prato ganhou popularidade na década de 1960, quando a mineira Arthêmia Chaves Carneiro começou a vender seus pães de queijo para restaurantes.

➥ Busca franquias de comidas para investir? Confira nosso guia de franquias de alimentação (com valores de investimento)

O sucesso foi tanto que o negócio ganhou loja própria: em 1967, a primeira unidade da Casa do Pão de Queijo foi inaugurada em São Paulo, pelo filho de dona Arthêmia, que vendeu 2 mil pães de queijo apenas no primeiro dia. Hoje, a marca conta com uma rede extensa com centenas de lojas em todo o país – e não é a única franquia a apostar no prato.

Presente em cafeterias e lojas de salgados, o pão de queijo ganha variações em sua receita, tanto no modo de preparo quanto no modo de servir: é possível encontrar o quitute recheado, frito, comercializado individualmente ou em porções, em tamanho mini, em sanduíches. Independente do formato, o prato é queridinho no café da manhã e no lanche dos brasileiros, e é consumido em todas as épocas do ano.

“Investir em uma franquia com mix de produtos de consumo diário cria, mais facilmente, uma fidelização de clientes e fixação do modelo de negócio onde a unidade é instalada”, aponta Lucas Atanázio Vetorasso, CEO do Grupo ATNZO.

Além da popularidade do prato, as franquias de pão de queijo ainda têm outro fato a seu favor: o segmento de alimentação é o que mais fatura no franchising brasileiro. Em 2017, a franquias de alimentação cresceram 6% em faturamento, somando mais de 42,8 bilhões de reais. O número de unidades do setor também aumentou em 3,1%. Os dados são da Associação Brasileira de Franchising (ABF).

Outro ponto atrativo está no preço das franquias: é comum que as redes desse segmento disponibilizem modelos de franquias de quiosque, o que geralmente significa um investimento reduzido, uma vez que os gastos com instalação são mais baixos que os de uma loja, por exemplo.

Mas, quem pensa em apostar no pão de queijo não deve ficar com o cardápio restrito ao produto. Para assegurar um bom desempenho, as franquias do ramo devem diversificar o menu, tanto para atrair clientes em horários em que o pão de queijo não é tão consumido (como almoço, por exemplo) quanto para aumentar o tíquete médio das lojas.

“Os desafios são a análise correta de amplitude deste mix de produtos, já que o mesmo não deve ser limitante no crescimento da operação. Deve haver o core business (pão de queijo), mas deve haver também um mix complementar para que a operação venda durante todo o período em que estiver aberta”, afirma Lucas.

Assim, vale conferir se a rede tem boas opções de bebidas para acompanhar os pães de queijo, outras opções de salgados, lanches, sanduíches e sobremesas. Além dos pratos típicos de café da manhã e refeições rápidas, servir pratos para refeições mais completas também pode ser uma boa pedida.

Na hora de analisar as redes e escolher a ideal para investir, um dos pontos de atenção do candidato deve ser quanto aos fornecedores da franqueadora, que devem ser estratégicos e de qualidade. É possível encontrar redes que fornecem os produtos e insumos de fabricação própria aos franqueados, o que pode contribuir para condições de compras facilitadas.

Lucas alerta: “há franquias que não fabricam e, mesmo assim, centralizam todos os produtos, atuando como atravessadores, aumentando os preços de custo e, consequentemente, enforcando as margens do franqueado. Cuidado!”.

Vale atentar-se ainda aos preços praticados pela rede: por conta da concorrência e do hábito consumo diário, o preço do pão de queijo deve ser competitivo. Segundo dados do Instituto Foodservice Brasil (IFB), o tíquete médio gasto com alimentação fora do lar é de 13 reais, o que mostra a preferência por alternativas mais baratas.

Confira a seguir algumas opções de franquias de pão de queijo. Os dados de investimento são divulgados pela ABF ou pelas próprias empresas.

1Casa do Pão de Queijo

Pioneira na comercialização do pão de queijo, a Casa do Pão de Queijo ainda serve a tradicional receita do prato criada por Arthêmia Carneiro, que estampa a logo da marca. As lojas ainda servem o pão de queijo em versões diversificadas (mini, multigrãos, recheado em cinco opções de sabores) e outros pratos – sanduíches, paninis, folhados, pastéis de forno, além de bebidas quentes e geladas. Em expansão por franchising desde 1987, a rede conta com mais de 350 unidades em todo o Brasil e disponibiliza franquias nos modelos de loja e quiosque.

Investimento total: a partir de R$ 190 mil
Taxa de franquia: R$ 45 mil
Royalties: 3% do faturamento bruto
Faturamento médio: não informado
Prazo de retorno: 24 a 40 meses

2Cheirin Bão

A Cheirin Bão é um empório especializado em culinária mineira. A proposta da marca é levar o aspecto tradicional de Minas Gerais para seus quiosques, que contam com decoração inspirada na cultura fazendeira do estado. Além dos pães de queijo, as franquias vendem cafés especiais, broa de milho, empanadas, folhados, cachaças, pimentas, queijos e doces, entregando tanto alimentos para consumo no local quanto para compras.

Investimento total: a partir de R$ 79 mil
Taxa de franquia: incluso no valor de investimento
Royalties: R$ 1 mil
Faturamento médio: R$ 42,6 mil
Prazo de retorno: 3 a 11 meses

3Rei do Mate

Os pães de queijo são um dos destaques da Rei do Mate, rede de cafeterias com mais de 300 unidades ativas em todo o país. A rede comercializa o pão de queijo tradicional, servido individualmente; o “copão de pão de queijo”, com formato menor servido em porções; e o pão de queijo multigrãos. O cardápio inclui ainda outras opções de lanches e salgados (pães, empadas, croissants, coxinha, broa etc.), bebidas quentes e geladas (mates, cafés, chás, sucos etc.), açaí e sobremesas. A franqueadora oferece modelos de negócio de loja e quiosque.

Investimento total: R$ 250 mil a R$ 480 mil
Taxa de franquia: R$ 20 mil a R$ 29,5 mil
Royalties: 4% do faturamento bruto
Faturamento médio: não informado
Prazo de retorno: 30 a 48 meses

4Megamatte

Além do pão de queijo, a Megamatte também tem em seu cardápio opções de croissants, sanduíches, salgados, salada de frutas, cookies, açaí, cafés, sucos naturais e bebidas de mate. Fundada no Rio de Janeiro em 1994, a marca conta com 130 unidades em funcionamento no país. São três modelos de franquia: loja, quiosque e container.

Investimento total: R$ 197 mil a R$ 319 mil
Taxa de franquia: R$ 22,9 mil a R$ 35 mil
Royalties: 4% do faturamento
Faturamento médio: R$ 45 mil a R$ 75 mil
Prazo de retorno: 24 a 36 meses

5Mordidela

A Mordidela é uma rede de franquias de salgados que aposta em uma versão diferenciada do prato queridinho mineiro: o pão de queijo frito crocante, servido em porções com várias unidades em tamanho mini. O cardápio da marca inclui ainda opções de coxinha, bolinha de queijo, batata frita, quibes, sanduíches, churros, doces, açaí, cupuaçu, pitaya e sucos.

Investimento total: R$ 64,5 mil
Taxa de franquia: R$ 20 mil a R$ 30 mil
Royalties: 20% das compras
Faturamento médio: R$ 35 mil
Prazo de retorno: 12 meses

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA