O mercado de franquias é vasto e bastante diversificado, apresentando opções diferentes para as mais diversas necessidades e realidades. Porém, mesmo assim, existe a ideia errônea de que só vale a pena investir nesse modelo de negócios em cidades grandes, como capitais e metrópoles – franquias em cidades pequenas também podem ser um bom negócio.

A Associação Brasileira de Franchising (ABF) afirma que o movimento de interiorização, ou seja, o aumento de investimento em cidades do interior do Brasil, é uma tendência que continua forte. Segundo a Associação, o crescimento de franquias em cidades pequenas e médias, até 500 mil habitantes, vem crescendo e hoje configura quase 50% de todo o negócio de franquias.

No Brasil, a maioria esmagadora de cidades possuem uma pequena população. Segundo o IBGE, as cidades com menos de 150 mil habitantes somam mais de 95% dos municípios brasileiros, ou seja, não é possível ignorar todo esse mercado disponível.

Alexandre Guerra, vice-presidente da ABF, afirma que o franchising alcançou 42%, ou seja 2.321 dos 5.570 municípios brasileiros em 2016, sendo que em 2015 atingia 40%. Segundo Alexandre, o movimento de interiorização se deve ao fato de que capitais já possuem uma presença forte de franquias, então, nada mais natural que o movimento se direcionar para o interior.

Por que apostar no interior e em cidades pequenas? 

Segundo Mércia Machado Vergili, consultora do Grupo Soares Pereira & Papera, uma das grandes vantagens em investir em cidades pequenas é a falta de muitas marcas conhecidas nesses locais. Esse fato pode ser convertido em uma oportunidade para quem busca expandir rapidamente a operação, usando a fama já existente da marca e atraindo uma clientela que, antes, precisava se deslocar para cidades próximas para adquirir produtos de certas marcas.

Mas, também é necessário fazer uma análise profunda para verificar a viabilidade do projeto.  “É preciso analisar se o movimento gerado pela cidade será capaz de viabilizar a permanência desta marca na cidade, isto é, gerar rentabilidade para o franqueado”, explica Mércia.

O vice-presidente da ABF explica que o movimento de interiorização acontece devido a três principais fatores: primeiramente, à necessidade de alcançar novos públicos e novas regiões geográficas. Em segundo, à busca por melhores condições mercadológicas, incluindo menor custo de aluguel, de mão de obra e menor concorrência. O terceiro fator é ligado ao desenvolvimento do país.

“Na última década, várias cidades do interior se desenvolveram muito e até mudaram seus hábitos, ficando mais próximas das metrópoles, formando um novo mercado potencial”, afirma Alexandre.

Com isso, o setor de franquias aumenta sua presença em todo o Brasil, o que gera cada vez mais empregos, reconhecimento e relevância econômica, além de gerar novas oportunidades para quem deseja empreender no país.

Além disso, por oferecerem serviços e produtos que não são encontrados normalmente em serviços independentes, as franquias presentes em cidades pequenas também podem gerar uma fidelidade da clientela mais fácil do que em cidades maiores.

O movimento de interiorização já acontece, segundo Alexandre, há pelo menos cinco anos. Desde então, essa tendência continua crescendo, o que deixa margem para expectativas positivas para o futuro: tal movimento não se trata de uma onda passageira, e sim uma tendência que veio para ficar.

Como escolher em que franquia investir em uma cidade pequena?

Por mais que as cidades pequenas, do interior dos estados, sejam consideradas um terreno fértil para quem deseja empreender em franquias, é necessário analisar quais são as necessidades e demandas demonstradas pela localidade. Mércia explica que é interessante apostar em produtos ou serviços que são procurados por pessoas da cidade, porém, devido a falta dessa oferta no próprio município, costumam se deslocar até outra cidade para comprá-lo.

Mércia indica que há a possibilidade de tornar aquela pequena cidade uma espécie de distribuidora para outras cidades pequenas em volta. Isso acontece porque, da mesma forma que pessoas da cidade a receber a franquia antes se deslocavam para outras cidades, habitantes de outros municípios farão o mesmo movimento para aquele local.

Outro fator importante na hora de escolher a marca é o plano de expansão da empresa. Existem muitas franquias que possuem restrições para cidades pequenas. Algumas só permitem a abertura de uma loja em cidades com uma população acima de um número determinado, por exemplo; pois, em suas análises, municípios menores não seriam viáveis nem para os franqueados e nem para o franqueador. Além desse tipo de restrição, é necessário também verificar se não existe algum tipo de impedimento na logística, o que poderia afetar – e muito – o negócio.

Mércia aconselha que o empreendedor invista na sua própria cidade, pois assim conhecerá melhor os hábitos e necessidades do morador do local. Por se tratar de redes que oferecem alguns serviços e produtos menos conhecidos em cidades pequenas, é preciso alterar certos pontos, como por exemplo a propaganda e talvez até a forma de apresentação do negócio para a população. Tomar essas precauções pode ajudar a melhorar a aceitação da franquia na cidade, garantindo maior longevidade para o seu negócio.

Além de conhecimento prévio, é interessante realizar análises como grupos focais e pesquisa, para entender de forma mais profunda a necessidade daqueles habitantes e consumidores em potencial.

Franquias ideais para cidades pequenas

É importante também notar que os hábitos de consumo variam bastante conforme o tamanho de um município. Por exemplo, franquias de fast-food, em cidades grandes, costumam ter como característica a rapidez e a permanência por pouco tempo dos clientes no local. Já em cidades menores, tais lojas de fast-food contam com o potencial de se tornarem pontos de encontro e, com isso, o movimento noturno tem chance de ser mais forte do que o movimento durante o dia.

Uma boa dica é procurar por exclusividade, ou seja, investir em serviços ou produtos que ainda não estão presentes na cidade. É importante também procurar definir bem o seu público-alvo, para saber qual parcela da população tem o potencial necessário para tornar-se seu cliente.

É por isso que se torna necessário verificar a demanda do local. Cada setor pode oferecer algo diferente para sua cidade. Confira alguns exemplos:

As franquias de alimentação acabam chamando a atenção por trazerem locais com horário de funcionamento diferentes e poderem se tornar locais de encontro, sendo atraentes principalmente para jovens e adolescentes. Cidades menores também carecem de opção de estabelecimentos que oferecem delivery. Essa é uma área que pode valer a pena investir, desde que haja tal demanda.

As franquias no ramo de educação e idiomas trazem uma oportunidade de ensino que normalmente está reservada apenas para cidades maiores. Quando se tratam de nomes grandes, como escolas de idiomas conhecidas nacionalmente, essas franquias já passam confiança para a população.

Negócios na área de cosméticos atraem por trazer produtos já conhecidos, porém ainda não presentes na cidade ou presentes apenas dentro de lojas multimarcas ou através de revendedores. Ainda na área de beleza, as franquias de estética também podem ser boas apostas.

Pode ser interessante, também, procurar por franquias que lidam diretamente com o entretenimento. Por exemplo, existem franquias de bares e bebidas, que podem trazer uma nova opção de encontro para os moradores. Dependendo da faixa etária média da cidade, pode também valer a pena investir naqueles negócios que oferecem opção de entretenimento para crianças.

Outra opção possível é, também, apostar nas microfranquias. Como nome deixa claro, as microfranquias são aquelas que exigem um investimento bastante abaixo da média, com serviços que podem ser desenvolvidos individualmente ou com uma equipe pequena.
Muitas delas trabalham com o sistema home based, ou seja, você trabalha diretamente na sua casa. Nesse caso, é possível escolher tanto uma franquia que atenda online, que buscam clientes nas mais diversas regiões do Brasil, quanto aquelas cujo foco seja na cidade do franqueado. Nessa segunda alternativa, existem negócios nas mais diversas áreas, como turismo, seguros e os mais diversos seguros.

Esses são apenas alguns exemplos dentro de diversos que exploram o nicho de cidades pequenas, o que importa nessa hora é verificar o que a cidade precisa. Independentemente do setor que você se interessa, existem diversas franquias que estão em busca de novos franqueados em cidades pequenas.

Vale a pena procurar por aquelas que estão investindo especificamene na expansão  para essas cidades, pois poderão oferecer um suporte adicional para você e seu negócio.

Quanto custa abrir uma franquia em cidade pequena?

Por mais que a cidade seja consideravelmente menor do que uma grande metrópole, Mércia explica que o investimento não costuma variar drasticamente. Isso se deve ao fato de que o projeto e os fornecedores permanecerão os mesmos em qualquer lugar, mantendo o valor do investimento estável.

O que pode variar, principalmente, é o valor de aluguel e de ponto da franquia. Em cidades menores, esses valores costumam ser significantemente mais baixos do que em metrópoles, o que deixa tanto o custo inicial quanto os gastos mensais menores.

Há ainda redes que oferecem modelos de franquias especialmente desenhados para cidades pequenas e de interior, trabalhando com taxas de franquia mais baixas para impulsionar a expansão nessas regiões.

O retorno prometido pela franqueadora deve ser analisado com atenção pelo investidor. Mesmo que algumas lojas não tenham um faturamento tão alto, o lucro que pode ser gerado poderá ser o suficiente para aquele franqueado – o fundamental é conferir se as expectativas podem ser atendidas pelo negócio.

Vale lembrar que os valores de faturamento, prazo de retorno do investimento e lucro geralmente são estimados pela franqueadora com base em projeções ou em uma unidade modelo. Portanto, é preciso levar em conta que essa pode não ser a realidade de uma cidade pequena.

Assim, plano de negócio deve ser elaborado junto com o franqueador, pois será necessário prever um faturamento menor, além de, possivelmente, um prazo maior de retorno de investimento.

Com esses pontos estando entendidos e aceitos por ambas as partes, pode ser uma oportunidade de trabalhar próximo de casa e atender sua cidade. Então, que tal deixar sua cidade mais moderna e a vida dos habitantes mais confortável? Comece sua pesquisa hoje mesmo e garanta um futuro com muitas opções para a seu município!

DEIXE UMA RESPOSTA