Morar fora do Brasil é o sonho de muitos brasileiros e, para aqueles que pensam em empreender no exterior, a ideia de investir em franquias em Portugal pode ser bastante atrativa.

Assim como outros países europeus, Portugal oferece paisagens históricas e atrativos culturais, mas sai na frente com um chamariz a mais para os brasileiros: o idioma. Sem barreiras linguísticas, a ideia de abrir um negócio fora do país se torna ainda mais atraente.

De olho no bom momento para a junção de viver no exterior e investimento em franquias em Portugal, a Associação Portuguesa de Franchising (APF) esteve presente na ABF Franchising Expo 2019, um dos maiores eventos com foco em franchising do país. Realizado em São Paulo, o evento contou com a participação de 400 redes franqueadoras, brasileiras e estrangeiras, que expuseram propostas de investimento para um público de mais de 60 mil visitantes.

Na feira, estiveram presentes seis redes franqueadoras portuguesas: Acountia Business, Cavalheiro Machado e Associados, Loja do Condomínio, Pizzarias Luzzo, Universal Franchising e NBB.

Essa não foi a primeira participação da instituição portuguesa em eventos brasileiros. Em 2018, a APF esteve presente na ABF Franchising Rio, e apresentou aos visitantes diferentes opções de franquias portuguesas para os brasileiros interessados não somente em apostar no franchising, mas também em se mudar para Portugal.

O investimento em franchising é uma das formas mais seguras para se começar um negócio, principalmente para quem deseja apostar em um negócio em solo internacional. A especialista em franchising Mércia Machado Vergili, consultora da GSPP, explica que essa é a lógica da maioria dos brasileiros que pensam em morar fora do país e, ao mesmo tempo, abrir uma franquia.

“É aconselhável escolher uma marca que já seja reconhecida naquele local e tenha sucesso com os franqueados do local. Neste caso, os processos já estarão todos adaptados às leis e costumes da região, o que é um ponto bastante vantajoso”, pondera a consultora.

Apostar no franchising é o ponta pé inicial para que muitos brasileiros interessados em administrar um negócio próprio encontrem seu espaço. Quando um estrangeiro empreende e trabalha em um novo país, encontra treinamento completo e suporte necessários para o sucesso do negócio.

Dentre os desafios, o principal é o empreendedor se adaptar a um novo país, com linguagem distinta, nova cultura, diferente organização política, social e econômica. Para Mércia, “empreender em um novo país é mais desafiador ainda, já que existem costumes e regras que se diferem muito de um país para outro”.

A especialista explica que, caso a ideia seja levar um modelo de franquia do Brasil para Portugal, por exemplo, o franqueado terá o desafio de adaptar a marca ao novo mercado, testando e entendendo a dinâmica de operação junto a aceitação do público local.

“Ainda por cima é um estrangeiro que vai estar à frente do negócio. São muitas variáveis que devem ser levadas em consideração neste caso, o risco se torna muito alto. O melhor, portanto, é decidir por investir em uma marca franqueadora que já apresenta boa performance e maturidade de mercado no país onde se pretende morar, seja ela brasileira ou não”, alerta Mércia.

Vergili explica ainda que a estreia em mercado internacional é repleta de vantagens e desafios, o que requer estudo e planejamento de mercado. “É importante, principalmente, entender os costumes locais”, afirma.

Para quem deseja apostar em franquias em Portugal ou em outro país, contar com o suporte e os treinamentos oferecidos pela franqueadora é essencial para compreensão da realidade do mercado internacional, entender o dia a dia de operação do negócio e a dinâmica de estar à frente de uma marca em país diferente.

“Se a marca já estiver estabelecida na região, ou se for uma marca local pode ser um ponto facilitador, mas mesmo assim é necessário receber um treinamento muito completo de como atuar naquele mercado, desde a forma de contratação e treinamento de funcionários, até a forma de atendimento ao cliente e gestão financeira da loja”, finaliza Mércia.

Documentação necessária

O documento mais importante para investir em franquias em Portugal é o visto D2, voltado para imigrantes empreendedores. Este visto é específico para quem vai administrar um empreendimento em Portugal, principalmente pequenas e médias empresas, permitindo ao titular e agregado familiar a entrar no país.

A decisão do tipo de negócio a ser investido cabe somente ao empreendedor, podendo ser negócio próprio ou investimento em franchising em uma marca portuguesa, por exemplo. Um ponto positivo para a autorização do visto é apostar em um negócio bem estruturado e credível, com impacto positivo e maior relevância para a sociedade portuguesa. Também é importante que o empreendedor demonstre a seriedade do investimento, as prospecções para o futuro.

Não há capital social mínimo para investimento ou que esteja condicionado à concessão do visto D2. Entretanto, as empresas que apresentarem capital condizente com as atividades são bem observadas na análise do pedido de visto.

O primeiro passo é dar entrada ao pedido de visto no Consulado ou embaixada de Portugal no Brasil, e outra entrada no Serviços de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), em Portugal. É necessário apresentar toda a documentação solicitada pelos órgãos, além de entrega de formulários, declarações e autorizações junto ao requerimento no Consulado de Portugal. Após análises dos documentos, o empreendedor é convidado para uma entrevista e, no caso de deferido, o visto é concedido ao brasileiro.

Além do visto D2, o empreendedor deve possuir:

  • Número de Identificação Fiscal (NIF) – similar ao CPF, o NIF é um número de identificação para declarações de imposto de renda, transações financeiras e demais impostos;
  • Documento de identificação válido no território português: cartão cidadão, passaporte ou autorização de residência;
  • Documentação que comprove abertura de conta em banco;
  • Número de Identificação da Segurança Social.

Franquias em Portugal: redes que atuam no país

A seguir você confere algumas opções de redes que operam no mercado português ou estão de olho na expansão para o país.

Os dados de investimento são referentes aos valores da franquia no Brasil e são divulgados pelas empresas ou pela ABF. Para saber mais sobre investimento em expansão internacional, contate a franquia.

1FRVendas

A FRVendas é uma rede especializada em consultoria e treinamento de vendas para empresas, com uma metodologia própria baseada no tripé: metas individuais, contínuas melhorias e rotina diária de vendas. O modelo de negócio é de nano franquia home based, com valor de investimento que varia conforme o porte da cidade. Para abrir uma franquia em Portugal, o investimento parte de 5 mil reais.

Investimento inicial: R$ 14,4 mil a R$ 19,9 mil
Taxa de franquia: R$ 11,9 mil a R$ 14,9 mil
Royalties: R$ 1,28 mil
Faturamento médio: não informado
Prazo de retorno: 3 a 10 meses

2SuperGeeks

A SuperGeeks é uma rede de franquias de educação que oferece cursos de programação e robótica para crianças de adolescentes, com idades entre cinco e 17 anos. Em processo de internacionalização, a rede busca abrir franquias em Portugal, país em que já conta com uma unidade em operação. Para abrir uma franquia no exterior o investimento inicial é de 55 mil euros.

Investimento inicial: R$ 22 mil a R$ 170 mil
Taxa de franquia: R$ 5 mil a R$ 30 mil
Royalties: 5% a 10%
Faturamento médio: R$ 40 mil a R$ 70 mil
Prazo de retorno: 8 a 24 meses

3Meu Açaí Express

A Meu Açaí Express adota um conceito de alimentação saudável, apostando em um açaí premium, 100% natural e livre de conservantes, além de outros alimentos saudáveis. A marca trabalha com modelos de negócio de licenciamento e franquias, e iniciou a operação em Portugal neste ano, com a instalação de sua primeira unidade no país europeu.

Investimento inicial: R$ 29 mil a R$ 145 mil
Taxa de franquia: R$ 9 mil a R$ 37 mil
Royalties: variável
Faturamento médio: R$ 6 mil a R$ 65 mil
Prazo de retorno: 8 a 18 meses

4Loja do Condomínio

Fundada em 2002, a Loja do Condomínio aposta em expansão por franchising desde 2007. As unidades franqueadas atuam com foco em prestação de serviços auxiliares ao síndico de condomínios residenciais. Em Portugal, a rede é considerada a maior marca de administração de condomínios do país.

Investimento inicial: a partir de R$ 70 mil
Taxa de franquia: R$ 35 mil
Royalties: não informado
Faturamento médio: não informado
Prazo de retorno: de 18 a 36 meses

5Esmalteria da Sol

A Esmalteria da Sol iniciou seu projeto de expansão internacional por Portugal, com a cidade de Lisboa como seu primeiro destino no exterior. A rede de franquias de estética oferece atendimento express, prestando serviços para unhas, cabelos, sobrancelhas e depilação.

Investimento inicial: R$ 90 mil
Taxa de franquia: R$ 15 mil
Royalties: R$ 1,5 mil
Faturamento médio: R$ 60 mil
Prazo de retorno: de 12 a 16 meses

6Happy Code

A Happy Code, rede de escolas especializadas em aulas de programação para crianças, já conta com 15 franquias em Portugal. A marca vive um forte projeto de expansão internacional, contando também com uma unidade em Angola e tem planos de chegar ao México, China, França, Espanha e Estados Unidos nos próximos anos.

Investimento inicial: a partir de R$ 135 mil
Taxa de franquia: não informado
Royalties: 10% sobre faturamento bruto
Faturamento médio: não informado
Prazo de retorno: 21 a 24 meses

7Acountia Business

Fundada em 1999, a Acountia faz parte do grupo português Onebiz e da Conceito, empresa especializada em serviços de contabilidade. A rede oferece serviços voltados para contabilidade e presta apoio à gestão de pequenas e médias empresas. Atualmente, a Acountia conta com 40 escritórios em Portugal, 200 profissionais e mais de 3 mil clientes atendidos.

Investimento inicial: R$ 150 mil
Taxa de franquia: R$ 150 mil
Royalties: R$ 1,5 mil
Faturamento médio: não informado
Prazo de retorno: 24 meses

8Wiñk

A Wiñk é uma marca portuguesa que chegou ao Brasil em 2015. A rede é especialista em serviços de estética do olhar: o threading, técnica para remoção de pelos da sobrancelha, é seu carro chefe. Além disso, as unidades oferecem serviços de coloração e desondulação de sobrancelhas, henna, microblading, dermopigmentação, extensão de cílios fio a fio, permanente e coloração para os cílios.

Investimento inicial: R$ 155 mil a R$ 310 mil
Taxa de franquia: R$ 50 mil a R$ 70 mil
Royalties: R$ 1,5 mil ou 5% do faturamento
Faturamento médio: R$ 60 mil a R$ 100 mil
Prazo de retorno: 18 a 36 meses

9Bodyconcept

A Bodyconcept é uma rede de franquias de clínicas de estética que oferece aos clientes tratamentos de beleza para o corpo e para o rosto. Fundada em Portugal, a marca também conta com operações na Polônia e em Cabo Verde, além do Brasil.

Investimento inicial: R$ 198 mil a R$ 320 mil
Taxa de franquia: R$ 70 mil
Royalties: R$ 1,5 mil
Faturamento médio: R$ 100 mil
Prazo de retorno: 7 a 18 meses

10iGUi

A iGUi é uma marca especialista em produção e venda de piscinas, posicionando-se como a maior fabricante de piscinas em poliéster reforçado com fibra de vidro (PRFV) do mundo. A marca conta com franquias e indústrias em mais de 40 países, inclusive em Portugal, onde conta com uma fábrica.

Investimento inicial: a partir de R$ 250 mil
Taxa de franquia: incluso no investimento inicial
Royalties: 5% sobre compras
Faturamento médio: R$ 100 mil
Prazo de retorno: até 24 meses

DEIXE UMA RESPOSTA