Conforme já trouxe em outro artigo, a economia do Brasil está muito abaixo de um cenário ideal. Passamos recentemente por uma forte recessão, ainda temos uma realidade com muita gente desempregada e o ritmo de crescimento é lento. Reformas como a da previdência, a trabalhista e a fiscal estão sendo feitas, mas há ainda muito trabalho a ser feito. E, do ponto de vista do investidor, com a taxa Selic em seu menor patamar da história, as aplicações mais conservadoras estão pagando cada vez menos.

Neste cenário, onde muita gente está em busca de novas oportunidades, as franquias surgem como uma possibilidade de investimento em busca de um retorno maior.

De acordo com o balanço feito pela Associação Brasileira de Franchising, a ABF, o segmento de franquias teve um faturamento de 174,843 bilhões de reais em 2018, um aumento de 7,1% em relação ao ano anterior. É interessante ver que, mesmo num período de crise, o faturamento das franquias só vem aumentando:

desempenho do franchising
Fonte: ABF

Por segmentos, a notícia é boa para todos! Todos os segmentos apresentaram aumento nas receitas de 2017 para 2018. O segmento que mais cresceu foi o de Entretenimento e Lazer (12,7%), seguido por Hotelaria e Turismo (12,3%), Serviços (8,7%), Casa e Construção (8,6%), Comunicação, Informática e Eletrônicos (7,5%), Alimentação (7%), Saúde, Beleza e Bem Estar (6,3%), Serviços Educacionais (5,2%), Moda (4,9%), Serviços Automotivos (2,4%) e Limpeza e Conservação (2,4%).

E não é só no faturamento que as franquias crescem. No número de empregos, o levantamento de 2018 trouxe 1.299.145 empregos de franquias, um aumento de 8,8% em relação ao ano de 2017.

A pesquisa da ABF também mostra que o número total de unidades também cresceu em 2018. Foram registradas 153.704 unidades, um aumento de 5,2%. E o número médio de unidades por rede também aumentou, neste caso, 3,9% em relação ao ano anterior, chegando a uma média de 53,4 unidades por marca. Em relação ao número de redes, este aumento de 2.845 para 2.877.

E os bons números não param por aí. Frente a todo esse crescimento, um dos números diminuiu, e, neste caso isso é muito bom. Estou falando da taxa de mortalidade. Enquanto que em 2017 o número medido foi de 5%, em 2018 o número baixou para 3,9%.

Ou seja, o franchising possui um papel muito importante na economia brasileira. Ainda segundo os dados da ABF, o franchising brasileiro responde por 2,4% do Produto Interno Bruto, o PIB, gera muitos empregos e movimenta a economia.

DEIXE UMA RESPOSTA