O mercado de franquias brasileiro segue em crescimento constante. Segundo a Pesquisa Trimestral de Desempenho do Franchising, divulgada hoje (9) pela Associação Brasileira de Franchising (ABF), o setor cresceu 8,4% em faturamento no segundo trimestre de 2018, em comparação com o mesmo período do ano anterior. No total, as franquias movimentaram mais de 40,7 bilhões de reais no segundo trimestre.

Quando pegamos os números de todo o primeiro semestre, os resultados também são positivos. A pesquisa demonstra que, na primeira metade de 2018, o setor de franquias faturou 79,4 bilhões de reais – o que representa um crescimento de 6,8% em relação ao primeiro semestre de 2017.

De acordo com Vanessa Bretas, gerente de inteligência de mercado da ABF, os principais eventos do segundo trimestre impactaram de formas diferentes os segmentos do franchising. “O Dia dos Namorados e o Dia das Mães foram bons para as redes de franquias e nos dias de jogos da Copa do Mundo, ramos como os de padarias e bares tiveram um aumento de demanda, ao contrário de outros, como o de vestuário, que observaram queda, mas, no geral, o desempenho do setor foi positivo no trimestre pesquisado”, explica.

Outro saldo positivo foi o de unidades de franquias. O trimestre registrou 3,1% de lojas abertas, contra 1,3% de lojas que fecharam as portas, chegando a um saldo de 1,8% no crescimento do número de unidades.

O volume de empregos no franchising também cresceu nos primeiros seis meses do ano. Com aumento de 2%, o número chegou a mais de 1,2 milhões de empregos.

Diante desses resultados, as projeções da ABF para o franchising brasileiro em 2018 seguem sendo de um crescimento entre 7% e 8% no faturamento. Além disso, a Associação estima que o mercado feche o ano com 2.800 redes em operação, crescimento de 5% em número de unidades e de 4% em empregados no setor.

Desempenho por região

O segundo trimestre de 2018 reforça o movimento de interiorização do franchising, registrando o aumento da participação de regiões além do Sudeste.

No período, a participação da região Sudeste no faturamento total do setor diminuiu em relação ao ano passado, recuando de 58,9% para 56,8%. Já a participação das regiões Centro-Oeste e Norte cresceu, fechando em 8,4% e 5,3%, respectivamente.

No número de unidades, os resultados seguem a mesma linha. Enquanto a região Sudeste teve uma baixa na participação, chegando a 54,4% do número de unidades, a região Centro-Oeste cresceu, fechando com 8,3%, assim como o Norte, que tem 5,4% das unidades de franquias.

“Hoje vemos marcas conhecidas em pequenas cidades, distantes dos grandes centros urbanos. Essa capacidade do franchising chegar a todos os lugares deste imenso Brasil, levando marcas, produtos e serviços para todos os públicos revela a força do setor e a certeza de que as franquias continuarão expandindo em todo o território nacional”, afirma Altino Cristofoletti Junior, presidente da ABF, em comunicado à imprensa.

Desempenho por segmento

No segundo trimestre de 2018, todos os segmentos do franchising apresentaram um desempenho positivo. As franquias de entretenimento e lazer foram as que mais cresceram, chegando a uma alta de 16,1% no faturamento. Em seguida aparecem os segmentos de hotelaria e turismo (14,6%), casa e construção (11,3%) e comunicação, informática e eletrônicos (9,8%).

As franquias de alimentação apresentaram o quinto maior crescimento do trimestre, com 9,7%. O segmento continua sendo o que mais fatura no mercado de franquias do Brasil: o faturamento do período foi de 10,9 bilhões de reais.

COMPARTILHE
Artigo anteriorO que é essa tal de microfranquia?
Próximo artigoFranchising para a expansão de negócios
Graduada em Comunicação e Multimeios e pós-graduada em Produção e Gestão Editorial. Escreve sobre cultura, empreendedorismo, marketing digital e franquias.

DEIXE UMA RESPOSTA