Abrir uma franquia nos Estados Unidos pode atender dois desejos de muitos brasileiros: empreender e migrar para um outro país.

O “American Dream” ainda continua muito presente para muitos investidores e a possibilidade de liderar um negócio em uma das maiores economias do mundo pode ser, de fato, uma oportunidade e tanto. Para quem sonha em se tornar um empresário nos EUA, as franquias podem ser a melhor opção.

“Muitas pessoas buscam as franquias pela facilidade de ter um negócio com um manual de como agir, se comportar e gerenciar o dia a dia da empresa nos Estados Unidos”, explica Daniel Toledo, advogado da Toledo e Advogados Associados, especializado em direito internacional, consultor de negócios e sócio fundador da Loyalty Miami.

Neste material, você vai entender as principais particularidades das operações norte-americanas e descobrir o essencial para abrir uma franquia nos EUA.

Franquias nos EUA x Franquias no Brasil

O franchising é um excelente negócio tanto nos EUA quanto no Brasil.

De acordo com o Statista, a estimativa é que as franquias baseadas em solo norte-americano movimentaram mais de 750 bilhões de dólares em 2018 e empregaram mais de 8 milhões de pessoas.

Por aqui, a Associação Brasileira de Franchising (ABF) apurou que as franquias faturaram 174 bilhões de reais e geraram mais de 1 milhão de novos empregos durante o mesmo período.

Mas não é apenas isso que um candidato a franqueado deve levar em consideração. Existem questões legais, financeiras e até culturais que devem ser estudadas antes de decidir abrir uma franquia nos EUA.

“As franquias nos Estados Unidos e no Brasil seguem mais ou menos a mesma metodologia. Porém, a legislação, a cultura e até as dinâmicas de compra são muito diferentes. Vender para um brasileiro e para um norte-americano não é a mesma coisa”, explica o advogado.

Nesse sentido, mesmo quem deseja abrir uma unidade de uma marca brasileira nos Estados Unidos, ainda estará sujeito à legislação do estado escolhido, às particularidades comerciais e às tendências de consumo do público norte-americano.

Fazer um profundo estudo sobre esses aspectos comerciais e culturais dos Estados Unidos ajuda a evitar um erro que Toledo considera gravíssimo e que pode resultar em um enorme prejuízo: assumir que os norte-americanos têm gostos iguais aos dos brasileiros.

“Muita gente pensa que os norte-americanos gostam de comida brasileira, que é algo diferente e vai fazer sucesso. Mas a verdade é que eles podem até comer de vez em quando, mas, provavelmente, não será um tipo de negócio que vai manter uma renda saudável o ano inteiro”, diz.

Outros segmentos, como franquias de roupas, acessórios e decoração, por exemplo, costumam ser melhor recebidos por quem nasceu e viveu durante a vida toda nos Estados Unidos.

Existem ainda algumas redes de franquias que baseiam a sua internacionalização, principalmente, no atendimento aos brasileiros.

Essas redes até podem atender o público nativo, mas têm foco nos brasileiros que estão viajando e reconhecerão as marcas que estão acostumados a consumir por aqui.

Essa estratégia pode ser interessante, principalmente quando as unidades são instaladas em locais que recebem muitos visitantes brasileiros, como é o caso da Flórida, por exemplo.

Porém, mesmo nesses casos, é importante lembrar que, embora a rede e o público sejam do Brasil, a legislação será a dos Estados Unidos. Além disso, excluir totalmente os clientes norte-americanos das estratégias de negócios também pode ser um “tiro no pé” se os consumidores brasileiros não forem suficientes para manter o negócio financeiramente saudável.

Como abrir uma franquia nos Estados Unidos

como abrir uma franquia nos eua

Obtenha informações

Você pode conhecer melhor o mercado de franquias norte-americano através de órgãos que acompanham e regulam o setor, como a International Franchise Association (IFA).

Mas Daniel Toledo indica que, antes de escolher uma rede para investir, o candidato também converse com um profissional que não esteja ligado à nenhuma marca.

Um consultor especializado em negócios e franquias internacionais deve ajudá-lo a entender mais sobre o mercado, suas implicações legais e até mesmo orientá-lo sobre possíveis marcas e segmentos que melhor se encaixam no seu perfil.

Escolha o tipo de visto ideal

Depois de pesquisar bastante sobre as marcas e detalhes da operação local, você pode começar a providenciar a documentação necessária para o seu visto.

Toledo explica que o ideal é que o interessado em abrir uma franquia nos EUA procure um profissional para analisar qual o melhor visto para sua condição: “existem diversos tipos de visto que autorizam o trabalho nos Estados Unidos e a escolha correta é fundamental para garantir que o franqueado vai poder exercer seu trabalho legalmente”.

Confirme o investimento necessário

Quando o pedido de visto de trabalho é atrelado à uma franquia, também é necessário comprovar um valor de aporte, que pode partir de 150 mil dólares, dependendo das características do investidor.

Também pode ser necessário arcar com uma série de custos extras, como licença do corpo de bombeiros para operar em um determinado lugar e autorização da segurança sanitária local.

“Cada tipo de cidade, localidade e atividade tem licenças específicas que precisam ser conquistadas para que o negócio opera em conformidade com a legislação local”, reforça o advogado.

Visite e estude a região (pessoalmente)

Falando especialmente na localização da unidade, também é fundamental que o futuro franqueado viaje até o lugar onde pretende abrir sua franquia e conheça a vizinhança dos pontos comerciais que mais o interessam.

Toleto confirma: “quem mora em São Paulo, por exemplo, sabe mais ou menos como é o perfil dos principais bairros da capital. Mas quem mora no Brasil e vai investir em outro país pode ficar um pouco perdido quanto a isso”.

Nesse sentido, analisar o fluxo de pessoas que passam pela região onde você está estudando abrir a franquia, estudar a concorrência e os outros comércios que estão no entorno também é importante.

Sonde as marcas desejadas

Uma vez que já saiba quais setores e marcas mais o atraem, também cabem algumas dicas que são inerentes a um investimento em franquias, seja no Brasil ou em qualquer lugar do mundo. Algumas delas são: consultar a reputação da franquia; conversar com atuais e ex-franqueados e visitar unidades se colocando na posição de consumidor.

Dessa forma, você garante não só a abertura da sua franquia nos Estados Unidos, mais aumenta as chances de o negócio realmente ser bem-sucedido.

DEIXE UMA RESPOSTA