Ao que tudo indica, 2018 deve ser um bom ano para quem atua no mercado de franquias. Segundo dados da Associação Brasileira de Franchising (ABF), o setor deve aumentar em até 10% seu faturamento neste ano, seguindo o padrão de crescimento registrado pelo franchising nos últimos anos.

Em coletiva de imprensa realizada na quinta-feira (11), a ABF apresentou um balanço sobre as 50 maiores franquias do Brasil, a prévia parcial do desempenho do franchising brasileiro em 2017, e um estudo inédito sobre o progresso de inovação no país.

O faturamento do setor em 2017 registrou um crescimento de 8%, atingindo 163 bilhões de reais, resultado positivo se levado em consideração os números da economia: PIB registrado em 1% e IPCA de 2,95%.

O presidente da ABF, Altino Cristofoletti, comentou que grande parte do bom desempenho do setor no ano passado, se deve ao trabalho interno realizado pelas redes, que não pararam de investir em geração de emprego, expansão das unidades e conhecimentos em tecnologia e inovação. Mais de um 1,2 milhão de pessoas foram empregadas no franchising brasileiro em 2017.

Se comparado a 2016, o número das unidades franqueadas também registrou aumento, chegando a 145 mil de unidades espalhadas por todo o país. A ABF informou que o país passa por um momento interessante, em que a média de unidades franqueadas por marca é de 50, um resultado expressivo e que demonstra amadurecimento do setor.

“Comparado à média de unidades dos Estados Unidos e ao Japão, o franchising brasileiro está caminhando para atingir tal nível de crescimento e maturidade”, comenta o presidente. Nos Estados Unidos e no Japão, a média é de 200 unidades por marca.

Altino ressalta que um novo movimento, que se tornará tendência no franchising do país, é o investimento em multifranqueados. “Começam a se estruturar dentro das marcas a presença dos multifranqueados. Queremos investir neste tipo de empreendedor para que sejam expert em gestão das redes brasileiras”, complementa.

Para 2018, a ABF projeta que a economia continuará se estruturando e o faturamento cresça em torno de 9% a 10%. O número de unidades franqueadas deve crescer em 3%, as redes do país permaneçam estáveis e a geração de empregos atinja a meta de 3% durante todo o ano.

Interiorização

O movimento de interiorização, registrado também em 2016, continuou presente em todo o ano de 2017. Diversas marcas impulsionam investimento para as cidades do interior do país, o que permite que o segmento atinja mais de 600 arranjos locais econômicos.

A forte presença de marcas fora das capitais, permite que as empresas visualizem pólos importantes em outras cidades que têm boa estrutura para receber unidades franqueadas diversas.

50 maiores franquias

O estudo sobre as 50 maiores franquias do país é realizado pelo segundo ano consecutivo e tem como objetivo entender quais são as marcas presentes no ranking e seus respectivos perfis – segmento de atuação, em quais regiões se concentram, perfil dos executivos. A ABF informa que a divulgação do estudo pretende servir de referência e inspiração para os empreendedores do país.

O segmento de Beleza, Saúde e Bem Estar aumentou a participação no franchising, reagindo muito bem nos últimos dois anos. O Boticário se posiciona como a primeira empresa no ranking das 50 maiores redes do país, com 3.762 unidades espalhadas pelo Brasil.

Franquias do segmento de Alimentação, o setor mais tradicional e expressivo do país, continuaram com bom posicionamento no estudo das 50 maiores marcas, ocupando segundo, terceiro e quarto lugar no ranking.

Redes que atuam em postos de gasolinas e de serviços automotivos, como a Jet Oil e a Lubrax, demonstraram desempenho positivo durante o ano, concentrando 1.735 e 1.617 unidades, respectivamente.

Uma característica observada pelo estudo foi o aumento da penetração das marcas em outras regiões e em cidades que não são capitais, e a aposta em formatos diversos, como quiosque, home based, loja virtual, entre outros. Essas medidas contribuem para um bom faturamento e uma expansão recorrente do franchising do país.

Inovação

No estudo sobre o progresso de inovação no Brasil, foram avaliadas as condições para ocorrência de inovação nas franquias, o esforço desempenhado pelas marcas entre os anos de 2014 e 2016 e os resultados obtidos a partir da inovação.

Ficou registrado que a maioria das redes de franquia introduziu estratégias de inovação significativas, entre 2014 e 2016. Das 198 empresas que participaram do estudo, apenas 8,2% não introduziram produto ou serviço novo durante estes dois anos. A adaptação de produtos e serviços também foi uma estratégia dominante, em 45% das empresas adotaram.

O marketing, a estética e o desenho dos produtos e serviços foram outras questões que receberam impulsionamento durante o período de análise.

COMPARTILHE
Artigo anterior9 franquias de cachorro quente para conferir
Próximo artigoLeve Pizza otimiza suporte ao franqueado
Luísa Campos
Graduanda em Jornalismo pela Universidade Federal de Ouro Preto. Escolheu essa profissão pela paixão por escrever. Agora, descobriu que pode se reinventar e continuar contando histórias de sucesso em negócios, tecnologia e inovação.

DEIXE UMA RESPOSTA