Empreender é uma atividade desafiadora. Embora abrir um negócio seja o sonho de muitos, os riscos e preocupações com o sucesso da empreitada podem tirar o sono de qualquer potencial empreendedor. Com crescimento constante, o mercado de franquias no Brasil é uma alternativa que atrai cada vez mais investidores.

As franquias no Brasil são regulamentadas pela Lei nº 8955, de dezembro de 1994. Conforme a lei, caracteriza-se como franquia o sistema no qual o franqueador cede ao franqueado o direito de uso da marca, assim como o direito da distribuição de produtos ou serviços, mediante remuneração direta ou indireta, sem configurar vínculo empregatício entre as partes.

Desde a implementação da lei, diversas redes de franquias surgiram e começaram a ganhar espaço no país. Segundo a Associação Brasileira de Franchising (ABF), o Brasil tem hoje mais de 144 mil unidades de franquias e 2.979 marcas que atuam no franchising. Com isso, o mercado de franquias brasileiro se posiciona entre um dos dez maiores do mundo.

Essas quase 3 mil redes de franquias se dividem em diversos segmentos de atuação – alimentação, casa e construção, serviços, educação, turismo, comunicação e informática, beleza, moda, saúde, entretenimento, negócios. Além disso, há opções com diferentes modelos de negócio e valores de investimento, indo desde franquias home based com investimento de menos de 10 mil reais até grandes lojas que pedem capital acima de 500 mil reais.

Entre as marcas, é possível encontrar ainda tanto redes antigas e muito conhecidas (como o Kumon, rede fundada no Japão em 1958 e que já tem mais de 1 mil unidades no Brasil) quanto marcas que acabaram de estrear nesse setor e começam agora a construção de sua rede (como a Paper Pão, lançada em 2017).

Tudo isso torna possível que os mais variados tipos de investidores consigam encontrar o modelo ideal para investir em franquias no Brasil. Por conta do suporte e do treinamento disponibilizado pelo sistema de franchising, apostar nesse negócio é uma boa alternativa tanto para os empreendedores mais experientes quanto para quem está em busca de abrir o seu primeiro negócio.

O desempenho do setor é animador. De acordo com dados da ABF, o mercado de franquias nacional faturou mais de 151 bilhões de reais em 2016 – um crescimento de 8,3% em comparação com o ano interior. A expectativa da Associação é que o setor feche 2017 com crescimento de 8%.

Se você pensa em investir em franchising e está em busca de mais informações sobre o mercado de franquias no Brasil, esta matéria pode te ajudar e entender melhor esse universo, com informações sobre a localização das redes, as marcas nacionais que atuam no exterior e perspectivas para o futuro.

Onde estão as franquias no Brasil

O tempo em que as franquias ficavam concentradas apenas nas capitais e grandes cidades ficou para trás: hoje, as cidades pequenas também têm vez. De acordo com dados da ABF, o franchising já atinge 42% dos municípios brasileiros – mais de 2,3 mil cidades do país contam com unidades de franquias.

Atualmente, 20 das 30 cidades com maior número de unidades de franquias no Brasil são capitais, ainda segundo levantamento da ABF. Apesar disso, a interiorização do franchising é um movimento crescente e que deve ganhar ainda mais espaço nos próximos anos.

“Como todo investimento, uma pesquisa prévia é necessária, mas pode valer muito a pena investir no interior. Em São Paulo, por exemplo, temos muitas cidades com excelente IDH (Índice de Desenvolvimento Humano), e carentes por facilidades que permitam aos moradores resolverem suas vidas na própria cidade onde moram”, comenta Mércia Machado Vergili, consultora da GSPP.

De fato, a ABF apurou que Campinas é a cidade brasileira que não é capital que tem o maior número de unidades franqueadas, mais de 1,7 mil.

Além de Campinas, outras cidades paulistas se destacam no número de franquias: Guarulhos, Ribeirão Preto, São José dos Campos, São Bernardo do Campo, Santo André, São José do Rio Preto e Sorocaba também estão na lista das cidades com mais unidades. A lista é encabeçada pela capital paulista, com mais de 11 mil unidades de franquias, e seguida pelo Rio de Janeiro, com mais de 5 mil.

Com isso, o Sudeste é a região com maior participação do mercado de franchising nacional: quase 60% do faturamento total se concentra nessa região. Sul, Nordeste e Centro-Oeste são as próximas do ranking, que fecha com a região Norte.

Franquias brasileiras no exterior

Com o bom desempenho de franquias no Brasil, várias marcas nacionais cruzaram as fronteiras do país e começaram a expandir também em outros lugares do mundo.

De acordo com dados da ABF de 2016, 130 redes de franquias brasileiras têm operações no exterior. As marcas nacionais chegam a 80 países diferentes, dentre os quais os principais (com maior número de unidades de franquias brasileiras) são Estados Unidos, Paraguai, Portugal, Bolívia e Colômbia. A lista é seguida por outros países da América Latina e por Angola, no continente africano.

A maior parte dessas franquias internacionalizadas são do segmento de moda, com 27,5%. As franquias nacionais de alimentação, educação, saúde, beleza e bem estar também se destacam nesse movimento e conquistam espaço no exterior.

Para Mércia, independente do segmento de atuação da rede, é indispensável que a franqueadora e os franqueados de franquias brasileiras no exterior tenham conhecimento de todas as questões jurídicas, fiscais e de hábitos locais antes de implementar o negócio.

“A expansão para o exterior deve ser feita por lojas próprias primeiramente, para poder resolver todos os ajustes que serão necessários antes de abrir para franquias”, opina a consultora.

Franquias internacionais no Brasil

O bom desempenho do mercado brasileiro de franchising também faz com que muitas marcas internacionais também tenham interesse em expandir por aqui. De acordo com Mércia, o elevado volume habitacional e a ideia de que “tudo parece fácil de ser vendido aqui” são dois fatores que fazem com que o Brasil seja alvo de muitas franquias estrangeiras.

Em 2016, o montante de franquias estrangeiras atuando no Brasil chegou a 5,2% das redes, com um total de 161 redes de franquias originais de 20 países diferentes. Os dados também são da ABF.

Desse total, quase metade das redes (42,9%) é de origem estadunidense. A lista segue principalmente com países europeus: Portugal, Espanha, Reino Unido, França, Itália e Alemanha se destacam. Já os países da América Latina, que são destino certo na hora de levar as marcas brasileiras para o exterior, não são tão presentes atuando por aqui – o único país da lista é a Argentina, com 8,7% do total de redes estrangeiras no Brasil.

Quem pensa em apostar em uma dessas marcas para abrir uma franquia no Brasil deve ficar atento, especialmente ao observar redes que acabaram de começar a expansão no país. “Temos diferenças sociais, hábitos regionais e especificidades fiscais, entre outras características que podem fazer uma marca de sucesso de outros países não sobreviver aqui. Já vimos isto ocorrer diversas vezes”, alerta Mércia.

Outro ponto de atenção deve ser o segmento de atuação da rede, como aponta a consultora: “as redes que lidam com a variação e oscilação do dólar e lidam com importação de produtos sofrem mais do que as de alimentação, por exemplo”.

Sendo assim, não é surpresa conferir que a maior parte das redes internacionais que estão atuando no mercado brasileiro sejam do segmento de alimentação: 29%. Moda, educação e saúde, beleza e bem estar também são segmentos que se destacam nesse contexto.

O que esperar do franchising para o futuro

As perspectivas para o futuro do franchising brasileiro são positivas. Segundo a ABF, a projeção para 2018 é de que o setor cresça entre 8% e 10% em faturamento. O número de unidades deve crescer entre 5% e 6%, assim como o número de empregos gerados pelo setor.

Os números positivos são uma boa notícia não só para franqueadores ou para quem já atua nesse segmento. Quem pretende investir em franquia deve continuar contando com um cenário favorável no próximo ano.

Para Mércia, negócios que trazem inovação e transformação digital devem ser tendência no mercado de franquias. “Percebemos um crescimento, em 2017, nas áreas de entretenimento e lazer, assim como comunicação, informática e eletrônicos; estes setores devem continuar a crescer nos próximos anos”, complementa a especialista.

Além desses segmentos, especialistas indicam ainda que as franquias de serviços, de estética, de moda e de pet shops também podem ser boas apostas para o ano que vem.

As franquias de alimentação saudável, assim como redes que trabalhem com foco em produtos naturais, academias, suplementos e produtos fitness também são um grande destaque entre as tendências que devem fazer sucesso entre as franquias no Brasil.

Ficou interessado em abrir uma franquia? Confira aqui tudo que você precisa saber para tirar essa ideia do papel.

DEIXE UMA RESPOSTA