Ainda que em um ritmo lento, as mulheres têm ganhado cada vez mais destaque no mundo dos negócios. A Pesquisa Global Entrepreneurship Monitor (GEM) feita em parceria com o SEBRAE apurou que o volume de mulheres empreendedoras cresceu mais nos últimos anos do que o de homens empreendedores. Os números são 15,4% e 12,6%, respectivamente.

Além de criar uma marca própria, as empreendedoras também buscam no franchising uma oportunidade no mundo dos negócios. O Relatório Mulheres no Franchising, desenvolvido pelo Guia Franquias de Sucesso, levantou que 44% dos cadastros interessados em franquias são mulheres.

Dentro das empresas, porém, ainda há muito o que se fazer para garantir a igualdade no ambiente de trabalho.

De acordo com dados do IBGE, o número de mulheres entre 25 e 44 anos que concluiu o ensino superior é maior do que o de homens e elas trabalham, em média, 3 horas a mais do que eles. Mesmo assim, as brasileiras ainda ganham, aproximadamente, 76,5% do salário de um homem na mesma posição. O IBGE também aponta que apenas 39,1% dos cargos gerenciais eram ocupados por mulheres até 2016.

Apesar de a caminhada pela igualdade de gêneros no mundo dos negócios e do franchising ainda ser longa, é cada vez mais comum – e gratificante – ver mulheres ocupando posições de destaque em grandes corporações ou alcançando o sucesso como empresárias em suas próprias redes.

Para te inspirar nessa semana do Dia da Mulher, listamos as 27 mulheres do franchising que vem fazendo a diferença no setor. Confira!

cleusa maria sodie doces1. Cleusa Maria da Silva – fundadora da Sodiê Doces

A história de trabalho e superação de Cleusa Maria começa cedo. Ainda criança cortava cana para ajudar a mãe com o sustento da casa e dos oito irmãos. Trabalhou como empregada doméstica e em fábricas, mas foi quando se viu divorciada e com um filho pequeno que tudo mudou.

Cleusa Maria juntou as economias e abriu uma pequena loja de bolos em 1997. Dez anos depois, resolveu investir em franquias e hoje a Sodiê Doces tem 311 unidades e está entre as 50 maiores franquias do Brasil, segundo a Associação Brasileira de Franchising (ABF).

2. Bruna Saraiva – diretora do Habib’s

Bruna é a filha primogênita de Antônio Alberto Saraiva, fundador do Habib’s. A herdeira de uma das maiores cadeias de fast food do país se formou em administração e passou pelas áreas de RH, marketing e operações na companhia do pai.

Aos 29 anos, ocupa o cargo de diretora de assuntos estratégicos do Habib’s e tem grandes chances de se tornar a próxima presidente da rede.

3. Regina Jordão – fundadora da Pello Menos

Regina Jordão fundou a Pello Menos, rede de estética especializada em depilação, em 1996. A ideia surgiu do fato de Regina passar muitos dias viajando a trabalho e não ter tempo para se depilar. Ela idealizou, então, um local que fizesse depilações rápidas sem necessidade de hora marcada e por um preço justo.

No momento, a empresa tem unidades espalhadas em São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília e contabiliza mais de 26 milhões de depilações feitas em toda sua história.

4. Cristina Franco – diretora na Multi Holding

Cristina Franco é uma das mulheres do franchising mais conhecidas por quem já está no segmento há alguns anos. Em 2013 ela assumiu a presidência da ABF e continua a fazer parte do conselho de associados da instituição.

Cristina é graduada em assistência social e tem especializações nas áreas de recursos humanos, varejo, franchising e governança corporativa. Ela também faz parte da diretoria da Multi Holding (atualmente parte da Pearson).

5. Leiza Oliveira – fundadora da Minds English School

Leiza iniciou seu primeiro empreendimento aos 16 anos. De tanto ver sua mãe costurar, a adolescente resolveu usar os retalhos para fazer e comercializar lingeries.

Com 18 anos começou a trabalhar na área da educação, mas sempre nos departamentos financeiro e contábil. Se graduou como contadora, mas, em 2007, decidiu que era hora de voltar a empreender. No ano seguinte começou a franquear e hoje tem mais de 60 unidades.

danyelle van straten depyl action 16. Danyelle Van Straten – CEO da Depyl Action

Ainda criança, Danyelle acompanhou a empreitada de sua mãe, Glaci, em criar um fórmula que permitisse que a depilação fosse menos dolorosa. Aos 15 anos, ela começou a participar de feiras de beleza para divulgar a cera e a técnica de depilação de sua mãe. E foram nessas feiras que surgiram as primeiras franqueadas Depyl Action.

No momento, Danyelle preside a companhia que tem mais de 100 lojas no Brasil e na América Latina.

7. Luzia Helena Costa Silva – fundadora da Sóbrancelhas

Antes de liderar um grupo de franquias com mais de 200 unidades, a empresária Luzia Costa passou por maus bocados. Em outros empreendimentos, Luzia chegou a declarar falência e perdeu, inclusive, a sua casa.

Depois de tentar empreender em diversos nichos de alimentação, Luzia decidiu investir na estética. Ela se capacitou na área, passou a atuar em domicílio e pouco tempo depois abriu uma unidade física.

Hoje, a Sóbrancelhas trabalha especificamente com o embelezamento do olhar e cuidados com a pele.

8. Sandra Schuster – sócia-fundadora da DrogaVET

Em 2004 Sandra ajudou a fundar a DrogaVET, atualmente a líder em manipulação de medicamentos para animais de estimação.

Tudo começou quando Sandra, farmacêutica e dona de um cachorro bastante agitado, percebeu que o pet aceitava melhor os medicamentos quando ela os disfarçava na forma de biscoitos e outros petiscos. A partir dessa experiência, ela teve a ideia de criar uma drogaria que manipulasse medicamentos para os animais em formatos que eles pudessem ingerir mais facilmente.

Três anos depois da criação da DrogaVET, investiu no modelo de franquias e atualmente a rede tem mais de 30 unidades.

adriana auriemo nutty bavarian9. Adriana Auriemo Miglorancia – sócia-fundadora da Nutty Bavarian

Adriana cresceu em meio ao empreendedorismo. Ela abandonou um estágio no Delboni Auriemo, rede de laboratórios que teve seu pai como um de seus fundadores e decidiu empreender.

Em parceria com seu então namorado, Daniel Miglorancia, Adriana trouxe a marca americana Nutty Bavarian para o Brasil em 1996. Atualmente, a Nutty Bavarian tem mais de 135 quiosques em todo o país e faturou R$ 51 milhões em 2018.

10. Claudia Bittencourt – sócia-fundadora do Grupo Bittencourt

Sócia-fundadora de um dos mais importantes grupos de consultoria e negócios do franchising brasileiro, Claudia Bittencourt é administradora especializada em marketing e estratégias de negócios.

A Bittencourt Consultoria foi fundada em 1985 e inicialmente tinha foco na gestão de processos e negócios. 14 anos depois, Claudia reposicionou a marca como uma consultoria especializada em franquias e redes.

11. Lucy Onodera – diretora da Onodera

Desde criança, Lucy Onodera via sua mãe empreender. Inspirada pela nova Dancin’ Days, Edna Onodera passou a oferecer serviços de estética que fizessem as mulheres se sentirem mais bonitas.

Em 2000, Lucy se colocou a frente da expansão da marca e foi responsável pelo processo de franchising e profissionalização da Onodera. Hoje a rede de estética conta com cerca de 50 franquias e encerrou 2018 com um crescimento de 15% em sua lucratividade.

12. Andrea Mendonça – sócia-diretora de negócios da Tostex

Criado por duas mulheres, Paola Vigorito e Anna Paula Provedel, em 2000, o Tostex é uma rede especializada em sanduíches tostados.

Graduada em administração hoteleira e com mais de 16 anos de experiência e marketing, Andrea conhecia as fundadoras e foi responsável por ajudar a marca a se associar à rede Giraffas e dar início a sua expansão por franquias.

13. Cleuza de Freitas – fundadora da Vovó Kel

Cleuza de Freitas sempre foi uma cozinheira de mão cheia e vendia seus quitutes sob encomenda desde os 20 anos. Mas foi só depois dos 60 anos que ela formalizou o negócio.

Em 2014, ela abriu duas lojas de doces e salgados com a ajuda de seu neto, Diego Melo, que atualmente é CEO da rede. Um ano depois, abriu a primeira loja franqueada e a meta é chegar à 100 unidades até o fim de 2019.

sarah lazarreti alergoshop14. Sarah Lazaretti – sócia-fundadora Alergoshop

Foi no início dos anos 90 que Sarah percebeu que havia espaço para investimentos em serviços para pessoas com alergias. Sua filha, Marina, tinha asma e dermatite atópica e Sarah notou que ainda não existiam empresas que realmente entendessem as condições de quem vivia com alergias.

Junto com a irmã, Julinha Lazaretti, criou a Alergoshop, uma rede que busca suprir as necessidades das pessoas alérgicas no que diz respeito à cosméticos, limpeza e higiene.

15. Rita de Cássia Poli – diretora do Big X Picanha

Em 2000, o Big X Picanha surgiu como uma marca de lanches cuja principal matéria prima era a picanha filetada.

Rita iniciou o sistema de franchising da marca em 2011 e no primeiro ano já tinha 10 lojas franqueadas. Atualmente ela gerencia também outras duas companhias: a Consulado da Bahia e o Baiano de Dois.

16. Camila Miglhorini – CEO do Mr. Fit

Camila atuava como consultora de franquias e foi em uma de suas consultorias que ela percebeu que havia espaço para novas marcas no mercado de alimentação saudável. De acordo com ela, esse segmento ainda era muito sofisticado e as refeições tinham um preço elevado quando comparadas com opções menos saudáveis.

Em 2014, o mesmo ano em que lançou a Mr. Fit, Camila decidiu investir em franquias e hoje tem mais de 120 unidades em 17 estados brasileiros.

17. Filomena Garcia – sócia-conselheira da Cherto 

Filomena é sócia de uma das consultorias mais tradicionais no franchising e membro do conselho de ética da ABF. Formada em publicidade e especialista em varejo, a atuação da executiva está focada na Franschise Store, uma das empresas no Grupo Cherto.

Na companhia, Filomena apoia a comercialização de mais de 150 marcas de franquias, auxilia a gestão e expansão das redes filiadas à Franchise Store e presta assessoria para investidores.

18. Cecília Victório – sócia-fundadora da Bolos da Cecília

Durante um intercâmbio nos Estados Unidos, Cecilia foi recolhendo receitas tradicionais da cultura norte-americana. De volta ao Brasil, cursou letras e atuou em multinacionais, mas continuava mantendo a culinária como hobby. Depois de seu primeiro filho, Cecília passou a repensar sua carreira e viu na gastronomia uma oportunidade de empreender e passar mais tempo com a família.

Buscou uma rede de bolos caseiros para investir, mas, não tendo encontrado nenhuma marca que estivesse totalmente alinhada com seus princípios, resolveu abrir sua própria franquia.

andrea kohlrausch bibi calçados19. Andrea Kohlrausch – diretora da Calçados Bibi

André trabalha há mais de 20 anos na Calçados Bibi e é filha do atual presidente da rede, Marlin Kohlrausch. Por enquanto, a executiva administra as áreas de varejo e franquias nacionais e internacionais, mas em abril deste ano vai assumir a presidência da marca.

O processo de sucessão levou quase 7 anos e submeteu Andrea e os outros candidatos à uma série de treinamentos e mentorias. Nesse período, a executiva trabalhou, principalmente, sua capacidade de liderança.

Andrea assume a presidência da empresa familiar que está há quase 70 anos no mercado, tem mais de 110 unidades e exporta para 70 nações.

20. Sylvia Barros – presidente da The Kids Club

A metodologia da The Kids Club tem como base um projeto da pedagoga inglesa Linda Ellis, que decidiu ensinar uma segunda língua para sua filha de uma forma mais simples e divertida.

Em 1994, Sylvia conheceu o método e o trouxe para o Brasil. Depois de testar e aprovar o negócio, a empresária implementou a expansão de franquias, permitindo que a rede ultrapassasse a marca de 80 unidades em todo o país.

21. Claudia Del Valle – sócia-fundadora da Ahoba Viagens

Claudia Del Valle iniciou na área de turismo em 1985 ajudando viajantes a criarem roteiros na Viajes Meliá. Em 2014, depois de uma longa estrada atuando em grandes empresas do turismo brasileiro e mundial, ela foi convidada para participar da formatação da Ahoba Viagens e se tornou sócia da empresa.

22. Carla Sarni – fundadora Sorridents

Assim que se formou em odontologia, Carla Sarni se mudou do interior de Minas Gerais para São Paulo. Ela alugou um espaço em cima de uma padaria e abriu seu primeiro consultório.

Em pouco tempo, Carla conquistou uma clientela fiel e o empreendimento foi crescendo. A dentista trouxe colegas para trabalhar com ela e eles logo se interessaram em abrir outras unidades do consultório de Carla. Em 2005, a Sorridentes já tinha 23 unidades próprias e a expansão por franquias permitiu que a rede superasse a marca de 240 unidades.

Recentemente o case de Carla chamou a atenção da Universidade de Harvard e foi convidada para palestrar na instituição.

23. Marina Fontoura – CEO Cultura Inglesa

Economista com especialização em negócios na Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, Marina Fontoura é CEO da Spot Educação, que detém as redes como a Cultura Inglesa, Edify e CodeBuddy.

Em sua carreira, a executiva passou pela diretoria de grandes consultorias, companhias especialistas em varejo e logística.

valeria verdi - torteria haguanaboka24. Valéria Verdi – fundadora da Torteria Haguanaboka

Aos 22 anos Valéria Verdi decidiu abandonar o emprego como professora e se dedica à culinária. Para se destacar da concorrência, ela optou por fazer apenas em tortas doces e salgadas com um toque caseiro.

Em 2015, a marca decidiu investir no franchising, mas decidiu desacelerar a expansão por conta da crise econômica severa que o país vivia. Em 2019 a Torteria Haguanaboka retoma seu plano de crescimento por franquias.

Valéria não desanimou e conta que esse período foi fundamental para ajustar as estratégias e fazer novos investimentos que devem impulsionar a expansão neste ano.

25. Roberta Damasceno – Gerente de Operações do Subway

Gerenciar as operações da 5ª maior rede de franquias do país pode não ser fácil, mas Roberta Damasceno tem bastante experiência com essa tarefa. A administradora ingressou na franquia de fast food em 2009 como auditora e logo no ano seguinte já foi promovida como gerente de projetos.

Nos 8 anos em que ocupou o cargo, Roberta participou ativamente do processo de expansão agressiva que o Subway implementou no país. Desde novembro de 2018 ela é responsável pelo gerenciamento das operações do Subway no Brasil.

26. Lilian Kataguri – coordenadora da Rizzo Franchise

Especialista em franchising com mais de 10 anos de experiência, Lilian é coordenadora da consultoria Rizzo Franchise. Seu foco como profissional é nas relação entre franqueadoras e franqueados e na consultoria para o desenvolvimento de novos negócios.

Lilian também é gestora da BoxFranquias, um canal de conteúdo sobre o franchising brasileiro.

carol martinelli - carol coxinhas27. Carol Martineli – fundadora da Carol Coxinhas

Carol Martineli decidiu empreender no setor de alimentação há 8 anos, quando ela e o marido fizeram um empréstimo de R$ 30 mil para comprar uma lanchonete que estava falindo. Em uma ano, a lanchonete se transformou em uma hamburgueria famosa no bairro e Carol teve a ideia de abrir um novo negócio, dessa vez especializado me coxinhas.

Hoje a empresária fatura mais de R$ 16 milhões por ano com sua rede e está em plena expansão.

DEIXE UMA RESPOSTA