Você está pensando em montar uma empresa, mas uma porção de dúvidas passa por sua cabeça, por não saber ao certo o que é preciso avaliar na hora de empreender e como abrir um negócio? Calma, isso é natural!

Muitas pessoas realmente ficam com o pé atrás antes de investir, ainda mais quando se deparam com a estatística de que apenas pouco mais de 60% das pequenas empresas conseguem sobreviver aos primeiros cinco anos de existência, segundo dados do IBGE.

Por isso, com a ajuda de Ana Vecchi, sócia-diretora da Vecchi Ancona – Inteligência Estratégica, consultoria com mais de 20 anos de atividades na criação e gestão de empresas, reunimos os onze pontos principais aos quais você deve estar atento neste importante momento de sua vida profissional.

1. Avalie os riscos

Antes de tudo, é importante ter em mente quais são os riscos de deixar a segurança de um emprego, dos benefícios, da estabilidade, de horários conhecidos de trabalho (mesmo com inúmeras horas extras) e ter os pés no chão quanto à realidade de empreender.

“Agora você vai se tornar o responsável pela folha de pagamento e não mais apenas vai ver o salário cair na conta na data certa”, pondera Ana.

Lembre-se que antes de investir capital para abrir uma empresa, é recomendável que o empreendedor reflita sobre suas habilidades e perfil comportamental, pois empreender não é para qualquer um.

Faça os seguintes questionamentos a você mesmo:

  • Eu realmente identifiquei uma real oportunidade de negócio?
  • Qual é a minha tolerância ao risco?
  • Sou bom em tomar decisões?

Essas são algumas perguntas essenciais que qualquer pessoa deve fazer antes de empreender.

Além disso, é importante ter domínio do tipo de negócio que irá abrir para não ter surpresas inesperadas. Saiba que escolher um setor para abrir uma empresa é um dos primeiros passos para quem deseja empreender. Tomar cuidado com barreiras regulatórias, assim como saber se o seu perfil combina com o tipo de mercado, são algumas questões que devem ser consideradas.

Avaliar o capital necessário para se tornar um empreendedor e avaliar se você tem o perfil empresarial necessário para ter sucesso no mundo dos negócios estando do outro lado da conta – como empregador e não empregado – também é muito importante.

2. Avalie o mercado e sua estrutura

Saiba que é importante ter um mínimo de conhecimento sobre o mercado em que o negócio vai ser aberto. Por isso, procurar estudos e pesquisas para ter como base nesta fase de estruturação da empresa é fundamental.

“Também é aconselhável desenvolver fornecedores, pensar em matéria-prima, em advogados, consultores, arquitetos, no sistema de informática, na agência de publicidade para criação de marca e comunicação, na produção ou compra de equipamentos, entre outros itens específicos ao setor do negócio”, avalia Ana.

3. Bole um plano de negócio

É imprescindível, para qualquer empresa, desenhar um plano de negócio. Nele você deve fazer um planejamento estratégico contemplando as pesquisas realizadas, os investimentos, o público-alvo, a localização, o mix de produtos e serviços, a concorrência, criando estratégias compatíveis ao negócio e com o perfil de clientes, o que posiciona a marca e o negócio de forma adequada, coerente com o que se pretende atingir.

Sendo mais claro, isso serve para transformar objetivos em realidade. Por isso que é tão importante o empreendedor ter um planejamento e definir as metas da empresa. A definição de objetivos ajudará o futuro empresário a refletir e a identificar os recursos, o tempo e o dinheiro que serão necessários para ter sucesso.

4. Identifique pontos de destaque do seu negócio

Logo que você decide montar um negócio, é importante saber como você posso se diferenciar dos demais. Não vale a pena fazer mais um negócio igual ao que já existe. Se ele tiver um diferencial, algum requisito que o evidencie das demais empresas, com certeza conseguirá ser um ponto de destaque e ganhará uma fatia a mais do mercado escolhido.

Por isso, é importante trabalhar o detalhe do detalhe nesse começo (sem perder esse foco no futuro), pois assim o sucesso terá maiores garantias. Para isso, quanto mais informações sobre o seu ramo de atuação, melhor, pois você conseguirá oferecer algumas opções extras a eles.

5. Saiba o capital necessário

Para saber se o capital que tem em mãos é suficiente para a empreitada, é fundamental analisar quanto é preciso para montar o negócio, além do capital de giro, da verba para marketing e de seis meses sem retirada de pró-labore, com as margens de riscos com imprevistos, obra e condições do imóvel que vai locar.

“Tudo isso ainda deve ser calculado levando em conta aspectos de sazonalidade versus o tipo de produto que vai comercializar ou produzir, o que inclui características regionais, perfil de público e aceitação do produto ou serviço oferecido. Considere nesta avaliação se o que você vai oferecer é uma novidade, tendência, produto consolidado ou saturado. Tudo isso vai influenciar muito no valor de investimento versus o retorno esperado”, explica a especialista da Vecchi Ancona.

6. Será preciso sociedade?

Ter um sócio é válido caso precise de capital ou complementar o conhecimento técnico ou operacional do negócio. “Isso é importante, também, caso você não se sinta seguro para assumir o risco de um negócio sozinho, por exemplo”, explica Ana.

É comum, no entanto, que empreendedores recorram a amigos e familiares para fazer a sociedade. Saiba que as consequências dessa decisão dependem do sócio que você escolher. Qual será o papel de cada um na sociedade? Como dividir a participação na empresa? O escolhido tem um perfil que complementa o seu? Esses são alguns questionamentos que devem nortear a escolha de um sócio.

7. Ponto comercial mais bem indicado

Faça um bom estudo de mercado, e também financeiro, para avaliar a viabilidade do ponto de venda no local, o perfil de público passante, o movimento, os horários de funcionamento adequados ao negócio, verificando a visibilidade do ponto de venda e quanto terá que investir em comunicação para atrair clientes.

“Além disso, é preciso projetar o retorno do investimento, as condições do contrato de locação para assegurar que dê tempo de retornar o investimento e ainda ter tempo para ganhar dinheiro. Não há mágica”, ressalta Ana.

Isso é importante porque, dependendo do tipo de empresa, o ponto comercial é indispensável para montar a loja.

Muitos empreendedores cometem o erro de escolher o local do empreendimento usando apenas a intuição, não caia nessa! A escolha correta de pontos comerciais, tanto para lojas de rua quanto para shoppings, pode fazer com que as chances de sucesso aumentem ainda mais.

8. Outros investimentos necessários

Coloque na ponta do lápis, também, os outros pontos necessários para o sucesso de seu negócio que vão exigir investimentos além dos básicos para iniciar a operação da empresa.

“É preciso pensar em pessoas, na comunicação e no marketing, nas promoções, nos uniformes e nas atualizações constantes”, lembra Ana Vecchi.

9. Não tenha medo de pedir ajuda

Fazer tudo sozinho é uma das principais características de pequenos empresários e daqueles que estão começando a empreender agora. Mas, não tome esse rumo.

Abrir um negócio também demanda que o responsável aprenda a delegar e a confiar na equipe. Caso contrário, o empreendedor nunca conseguirá deixar de fazer tarefas operacionais. Por isso, tenha sempre em mente que pedir ajuda e passar as tarefas para as outras pessoas de sua equipe é muito importante.

Não fique com receio de não parecer um bom dono e chefe. Pelo contrário, esse tipo de atitude só faz com que você tenha ainda mais credibilidade com os funcionários. Lembre-se que influenciar pessoas, tomar decisões, ter empatia, dominar bem as emoções e ter visão estratégica são algumas competências necessárias para quem desejar ser dono do próprio negócio e ainda um bom chefe.

Aliás, não ache que você deve pedir ajuda apenas para a sua equipe – quando um empreendedor se vê a frente de uma grande ideia, é bacana buscar aconselhamento. Os grandes empreendedores da história empresarial brasileira tiveram alguém que eles consideraram um verdadeiro guru. Isso porque ter alguém que seja um modelo de aprendizagem, alguém com quem o empreendedor possa se aconselhar, que seja uma rica fonte de informações, graças ao seu exemplo em relação às suas posturas e atitudes, é muito enriquecedor nesse processo de abertura de empresa.

Por isso, quando ficar em dúvida, buscar aconselhamento com alguém de peso, de renome e em quem você confia, pode ajudar a fazer com que você perca o medo de empreender.

10. Preocupe-se com o cliente

Para que você tenha sucesso como empreendedor, é preciso descobrir quem é o seu cliente. Mais que isso, você precisa entender do que ele gosta, como pensa e se recomendaria seu negócio para outras pessoas, questões-chave no mundo dos negócios e que o empresário precisa descobrir.

Tenha sempre em mente que conhecer bem quem consome o seu produto ou serviço é uma maneira de estimular o crescimento da empresa.

11. Invista em você

É importante, também, que você se prepare para abrir um negócio. Ter conhecimento sobre o que vai fazer é condição fundamental para garantir a abertura de uma empresa de sucesso. Para isso, busque leituras – livros, sites, estudos, publicações –, faça cursos sobre empreendedorismo e gestão.

Essa busca por conhecimento não é exclusividade dos marinheiros de primeira viagem. O conhecimento e atualização constante sobre o negócio é fundamental para o empreendedor. É importante estar preparado para a realidade do que é abrir um negócio e as informações ajudam a perder o medo do incerto.

Com isso, você consegue trabalhar de forma mais acertiva, identificando quais são as áreas que não domina. Por exemplo, se não sabe o que é fluxo de caixa, corra atrás de um curso a respeito do tema. Identifique as áreas que você desconhece e se capacite nelas.

Além disso, o conhecimento ajuda você a minimizar os riscos de seu plano de negócio, preparando uma base sólida para o futuro.

Pensa em abrir um negócio investindo em franquia? Confira aqui mais de 100 opções de franquias baratas para entrar no mercado com baixo investimento.

COMPARTILHE
Artigo anteriorComo ganhar dinheiro em casa: dicas para trabalhar home office
Próximo artigoÓtris inaugura primeira unidade franqueada
Avatar
Graduada em jornalismo pela Faculdade Cásper Líbero e pós-graduanda em Gestão de Marketing pela Escola Superior de Propaganda e Marketing, sua paixão é escrever e tem curiosidade sobre os mais diversos temas. Já trabalhou em editorias de entretenimento, esportes, saúde, bem-estar, PME e gestão de carreiras.

DEIXE UMA RESPOSTA