Na hora de escolher uma franquia, existem diversos aspectos que o empreendedor deve considerar para garantir que está fazendo a escolha certa e quem tem boas chances de alcançar o sucesso.

Além de avaliar o suporte dado pela rede, as condições para se tornar um franqueado e, claro, o investimento para adquirir a unidade, é necessário que o interessado tenha uma ideia também se a franquia será lucrativa. Mas como ter certeza disso?

O que é uma franquia lucrativa?

Antes de qualquer coisa, precisamos nos lembrar do conceito de lucratividade. O lucro é o valor que sobra para o empreendedor depois que ele subtrai todos os custos da receita.

Isso significa que é preciso conhecer muito bem o seu negócio para identificar e calcular corretamente todas as despesas diretas e indiretas que a franquia é capaz de gerar.

Muitos franqueados erram logo nesse primeiro passo e é preciso que você tenha muita atenção e um conhecimento profundo da operação para não se esquecer de valores como impostos, taxas de cartão de crédito e emissão de boletos, marketing, aluguel e transporte.

Quando identifica os custos e calcula o lucro que teve dentro de um período, o franqueado ainda precisa fazer uma outra conta para descobrir a lucratividade do negócio.

A lucratividade de uma empresa é calculada dividindo o lucro líquido (resultado da dedução de todas as despesas) pela receita total de vendas. O valor, então é multiplicado por 100.

Assim, uma franquia que tem um lucro líquido de 85 mil reais e um faturamento total de 219 mil reais tem uma lucratividade de aproximadamente 39%, o que é um bom índice.

Lucratividade e o prazo de retorno

No franchising, as franquias normalmente levam algum tempo para faturar o suficiente para cobrir o investimento que foi feito inicialmente e começar a dar frutos reais para o investidor, e é isso que chamamos de prazo de retorno.

Quando o prazo médio de retorno é curto, o que acontece geralmente quando o investimento é menor, as chances de o empreendedor recuperar o seu dinheiro rápido e começar a lucrar são altas, enquanto em prazos mais longos, é necessário que o fraqueado esteja mais preparado financeiramente para ficar um bom tempo sem lucro.

Assim, se o prazo médio para retorno de uma franquia é de seis meses, é bem provável que a maioria dos franqueados conseguiu faturar o valor que investiram, mais ou menos, nesse período. É só depois de “se pagar” que a franquia pode começar a dar lucro.

É claro que o prazo médio não é uma regra e pode ser que o empreendedor consiga reaver o valor aplicado em mais ou menos tempo, mas ele serve como um guia para o franqueado possa se preparar.

Isso porque, nesse meio tempo, a franquia pode acabar faturando o suficiente apenas para pagar custos operacionais, como aluguel, salário dos colaboradores e insumos, não gerando nenhum lucro para franqueado. É por isso que é imprescindível estar preparado para ficar algum tempo sem depender dos frutos da franquia.

Mas, ter um prazo curto ou longo de retorno não quer dizer, necessariamente que a franquia é ou não lucrativa. Existem outros fatores que o candidato a franqueado precisa avaliar e é importante dizer que dificilmente será possível encontrar um negócio com uma lucratividade 100% garantida.

O que o interessado deve fazer é estudar alguns fatores, criar estratégias e tirar suas próprias conclusões. Vejamos a seguir, quais são os pontos para avaliar a lucratividade de uma franquia.

Analise os números

Para começar, o ideal é que o franqueado tenha uma boa visão dos números da rede que está analisando.

Normalmente as propostas das franquias contém alguns dados importantes, como faturamento médio, taxa de franquia, royalties e taxa de publicidade, e esses valores já podem te ajudar a ter uma ideia dos custos e da receita que sua franquia pode gerar. Mas o franqueado não deve parar por aí.

O ideal é destrinchar a operação da franquia e buscar outros números que te ajudem a formar o custo total e ter uma ideia melhor da lucratividade do negócio. Entender qual o custo de implantação da estrutura da franquia é essencial nesse momento de análise.

“Para análise de uma franquia, deve-se estudar muito bem o Plano de Negócios e adaptar os números do plano à realidade de seu negócio”, indica Mércia Machado Vergili, consultora da GSPP.

Ela explica ainda que valores como aluguel, IPTU, custos de mão de obra e outras despesas podem variar dependendo da localização da franquia, e o franqueado precisa confirmar se as projeções da franqueadora estão de acordo com a região onde ele pretende abrir o negócio.

Antes de assinar o contrato e se tornar um franqueado, é imprescindível que você tenha uma boa ideia de todo dinheiro que vai gastar e que a rede tenha um plano para te dar suporte na tarefa de recuperar esse dinheiro.

Não hesite em perguntar e pesquisar e tire todas as suas dúvidas antes de abrir sua franquia.

Escute outros franqueados

Depois de colher todas as informações com a rede é hora de descobrir se os números são realmente verdadeiros no dia a dia do negócio. Para isso, nada melhor do que visitar outros franqueados.

Não é raro que interessados em adquirir uma franquia procurem outros franqueados para entender se as promessas feitas pela franqueadora, de fato, se cumprem, e essa é uma ótima estratégia.

“Entrar em três ou quatro unidades da franquia, se passando por cliente, é uma excelente forma de avaliar o serviço e a qualidade dos produtos”, sugere Roberto Vautier, especialista em varejo da AGR.

Mas, Roberto também indica que o interessado na franquia se apresente e converse com o franqueado. “Isso também é fundamental para entender a dinâmica do trabalho dele, ouvir suas impressões a respeito do apoio prestado pela rede e conhecer um pouco mais do perfil deste profissional, afim de descobrir se você se identifica de alguma forma”, diz o especialista.

Esse é o momento ideal para tirar dúvidas e falar sobre vários aspectos, como o suporte oferecido pela marca, o apoio no treinamento dos funcionários, auxílio na compra de materiais e, também, sobre os aspectos relacionados à lucratividade.

Tente ter uma conversa franca sobre os custos e o retorno do investimento e perceba como o franqueado percebe a questão da lucratividade no negócio.

Lembre-se apenas que o melhor é conversar com franqueados que tenham unidades em locais semelhantes ao que você deseja inaugurar a franquia.

Afinal, usar os parâmetros de uma franquia de uma grande cidade como comparativo para uma unidade que será alocada em um pequeno município do interior pode fazer você criar uma expectativa irreal sobre o futuro do negócio.

Acompanhe o mercado

Um negócio pode ser lucrativo hoje e começar a dar prejuízo daqui há alguns meses por vários fatores, seja por causa de uma má administração, mudança de processos ou simplesmente porque o mercado deixou de favorecer o negócio.

Isso acontece, principalmente, com franquias que comercializam produtos ou serviços que são novidade no mercado e caem nas graças do público muito rapidamente.

Não são raros os casos de franquias que apostaram em produtos “da moda” e, da mesma forma que tiveram um crescimento astronômico nos primeiros meses de operação, foram totalmente esquecidas pelo público e acabaram fechando as portas.

O ideal para evitar essa situação é passar algum tempo estudando o segmento no qual você pretende entrar e entender as variações e tendências que estão relacionadas a ele.

Roberto reforça como é importante que a aquisição da franquia não seja feita por impulso e baseada em informações do mercado: “analisar, comparar e até consultar especialistas do setor pode ser um grande diferencial na hora de tomar uma decisão para se investir em uma nova franquia”, afirma.

Os segmentos de moda e alimentação, por exemplo, sempre têm novidades, mas é preciso garantir que, caso aquela tendência passe depois de um tempo, a sua franquia ainda terá itens para oferecer.

Um caso já clássico no mundo do franchising é o das paletas mexicanas, que se tornaram um sucesso há alguns anos e rapidamente atraíram investidores, empreendedores e franqueados.

Porém, poucos meses depois da moda dessas franquias, o picolé recheado foi perdendo a sua popularidade com o público e saiu de moda, sendo que hoje pouco se fala das paletas mexicanas.

Muitas das empresas que não conseguiram se reinventar e agregaram outros itens no seu portfólio de produtos, como outros tipos de sorvetes, drinks e doces, acabaram encerrando as atividades prematuramente.

Para fugir de situações como essa, garanta que a franquia que você está analisando tenha opções para gerenciar crises e garantir a lucratividade mesmo se houverem flutuações de mercado.

Crie suas próprias estratégias

Por mais que uma franquia tenha tido resultados positivos, é impossível garantir que todos os franqueados terão resultados iguais. Ao adquirir uma franquia, você não pode esquecer que, apesar do respaldo e suporte da marca, o negócio está nas suas mãos.

A dedicação, trabalho e modo de gestão do novo franqueado serão fundamentais para o sucesso da unidade, e podem influenciar diretamente nos resultados obtidos, inclusive na lucratividade.

A escolha do ponto comercial, a contratação dos funcionários e a forma como faz gestão do dia a dia da empresa são fatores que, normalmente, dão ao franqueado um grande poder de decisão sobre o negócio.

Não instruir adequadamente a equipe e deixar de acompanhar o seu desempenho pode resultar em um atendimento ruim, o que afasta novos consumidores, diminui as vendas e, consequentemente, reduz a sua lucratividade.

Por isso, é importante que o franqueado saiba que uma franquia lucrativa não depende apenas das condições e suporte oferecidos pela rede, mas também do seu próprio trabalho e dedicação ao negócio.

DEIXE UMA RESPOSTA