Diante das tantas oportunidades de investimento dentro do franchising, saber como escolher uma franquia para investir requer estudo e um conhecimento um pouco aprofundado no mercado em que se deseja atuar, com quais serviços ou produtos e em qual modalidade de negócio.

O capital de investimento que o futuro franqueado dispõe também auxilia na tomada de decisão: existem franquias baratas, por menos de 5 mil reais, até as grandes franquias mundiais, em que o valor ultrapassa a casa dos milhões.

Mesmo diante de instabilidades econômicas e desafios políticos, o franchising brasileiro vem registrando bom desempenho, se mostrando como ambiente oportuno e alternativo para geração de renda. A Associação Brasileira de Franchising (ABF) demonstra que, em 2018, as franquias brasileiras registraram crescimento de 7,1%, em relação aos resultados de 2017.

O faturamento foi de 163,3 bilhões de reais para 174,8 bilhões de reais, indicando que as estratégias de atuação comercial, mesmo dentro da crise financeira, vêm dando resultados positivos.

No ano passado, o franchising brasileiro também registrou um aumento no número de unidades. Em 2018, houve a abertura de 7.570 novas unidades franqueadas, totalizando 153.704 unidades de franquias no Brasil. A ABF indica que a chegada de novos modelos de negócio no mercado, além dos tradicionais formatos de franquia de loja, por exemplo, junto de novos modelos estruturados de acordo com as tendências do mercado, são os principais pontos que auxiliam na abertura de franquias pelo país.

O franchising brasileiro também vem prestando atenção em localidades fora dos eixos das capitais, o que demonstra que as cidades de interior do país apresentam potencial interessante para investimento, alavancando a expansão do setor.

Todos os 11 segmentos registraram aumento na receita no ano passado, com destaque para o setor de Entretenimento e Lazer. As franquias que atuam neste segmento foram as que mais cresceram em 2018, com alta de 12,7%. A ABF aponta que as novidades do mercado tecnológico de jogos, por exemplo, e o aumento de serviços via delivery são algumas das possibilidades de atuação dentro do setor.

Em seguida, a ABF aponta que os segmentos de Hotelaria e Turismo (12,3%), Serviços e Outros Negócios (8,7%), Casa e Construção (8,6%), e Comunicação, Informática e Eletrônicos (7,5%) foram os segmentos que registraram maiores altas no ano passado.

Diante dos resultados que indicam expectativa positiva para as franquias nos próximos anos, a especialista em franchising Mércia Machado Vergili, consultora da GSPP, indica que, além dos segmentos que estão no topo da lista de melhores desempenhos da ABF, existem outros setores que, pelo histórico, sempre apresentam bons resultados.

Alimentação é um setor que sempre tem bom desempenho e grande variedade de negócios para se investir, é o setor com maior faturamento no franchising e oferece muitas variedades de modelos de negócios, com maior ou menor investimento. Outros setores que sempre apresentam bons resultados é o setor de serviços, a área de educação e comunicação e informática, sendo alternativas interessantes para atuação”, aconselha Vergili.

A advogada especialista em franquias e direito empresarial, Tatiana Pedote, afirma que, sem dúvidas, o investimento em franchising é uma excelente alternativa para quem deseja apostar no universo do empreendedorismo, principalmente para quem não tem experiência com gestão e administração, uma vez que existe um know-how por parte do franqueador que será compartilhado com os demais franqueados.

Entretanto, se preparar é essencial. “Por mais que a marca seja conhecida, respeitada, que haja suporte e estrutura por parte do franqueador que auxiliará e orientará o franqueado na gestão e administração do negócio franqueado, no dia a dia da operação da unidade franqueada, fato é que o negócio franqueado, como qualquer outro negócio, envolve risco”, comenta Pedote. Além do desafio comum a qualquer empresa, a atuação como franqueado exige dedicação e empenho.

Sidney Kalaes, presidente do Grupo Kalaes e especialista em franchising, aconselha quem sonha estar à frente de uma franquia de que é preciso atenção e preparo.

“Para quem vai empreender pela primeira vez, recomendamos que busquem negócios menos complexos de serem geridos, principalmente que tenham poucos colaboradores e não dependam de estoque. Sendo assim, a área de serviços oferece esses atributos, mas lembrem-se que antes o investidor deve entender qual o ramo que lhe atrai e isso é fundamental”, avalia o especialista.

Para 2020, Kalaes indica os setores que trabalham com beleza, saúde e bem estar, que apresentam tendência de crescimento nos próximos anos.

Como encontrar uma franquia

dicas abrir franquia

O universo do franchising é bastante amplo, com segmentos, valores de investimento, modelos de franquia e formas diferentes de atuação no mercado. Diante de diferentes possibilidades de trabalho, é preciso colocar no papel o que se espera do empreendimento e quanto de capital disponível para investimento.

“O interessado em ter uma franquia pode buscar franquias por valor de investimento e depois escolher aquela com a qual tem maior afinidade. É importante que o candidato tenha o capital de investimento totalmente disponível e busque por negócios dentro do valor que dispõe. Depois de escolher uma marca para conhecer melhor, deve entender qual o suporte que a franqueadora oferecerá e o grau de satisfação dos franqueados da rede”, explica Vergili.

Além dos desafios comuns em qualquer modalidade de investimento, Tatiana Pedote aponta que, após a inauguração da franquia, outros podem surgir. “Por exemplo, o franqueado pode surpreender-se com um franqueador que, infelizmente, não entrega o suporte que prometeu e que estava descrito na Circular de Oferta de Franquia; o novo franqueado, que não fez direito a sua lição de casa, após a inauguração, pode se dar conta que não possui identidade e sinergia com o negócio franqueado”, pontua.

A advogada complementa que existem uma gama de dificuldades que podem surgir, mas, muitos dos desafios podem ser administráveis se o franqueado por cauteloso na análise da Circular de Oferta de Franquia (COF): “no levantamento e esclarecimento de dúvidas sobre o negócio, na compreensão de suas obrigações, ou seja, na lição de casa que deve ser bem feita antes de contratar e ingressa na rede”, endossa.

Para encontrar ideias para o franchising e escolher o segmento ideal para investimento, a especialista Mércia Vergili comenta que o futuro franqueado deve se visualizar trabalhando em determinado tipo de negócio.

“É importante que o franqueado tenha disposição para trabalhar ativamente neste novo negócio. Como o franqueador será o responsável por todo o treinamento para o franqueado se capacitar a trabalhar na sua unidade, é possível escolher um negócio onde o franqueado não tenha nunca trabalhado ou não tenha maior conhecimento da área, pois isto será passado pelo franqueador. Algumas pessoas tem interesse em mudar de área de trabalho, isto é possível com a franquia”, afirma a consultora.

Assim, é importante que o franqueado procure conhecer os detalhes do negócio e a estrutura que a franqueadora oferece, antes de se decidir por uma rede. A pesquisa de marca, desempenhos anuais e perspectivas para o futuro são outros pontos que devem ser levados em consideração.

Formato de franquia

Em uma única franquia, podem existir modelos de loja tradicional, quiosque e food truck, por exemplo. E, dentro das tantas possibilidades, diferenças no cotidiano de operação e perfil exigido para os franqueados também são alguns pontos que devem ser estudados.

“Dentro de uma mesma rede podem existir diferentes modelos de negócios, com maior ou menor investimento. É bom que se tenha claro qual o melhor modelo para o ponto desejado e também que o valor de faturamento deverá ser diferente para os diversos modelos. A decisão por um modelo de maior ou menor investimento deve estar adequada ao capital disponível pelo franqueado e pela demanda do ponto, e que o franqueado tenha claro qual a performance das lojas nos diferentes modelos e qual a sua atuação nestes negócios”, comenta Vergili.

Para a especialista, a mudança do tamanho de loja, muitas vezes, implica em mudança de tipo e quantidade de produtos que serão oferecidos e, consequentemente, resulta em um maior ou menor faturamento e lucratividade. “Hoje existem muitos modelos de franquias, adequados a todos os valores de investimento que o franqueado tem disponível para investir, podem ser microfranquias que em alguns casos, não exigem abertura de loja nem de escritório, o franqueado poderá trabalhar em sua casa e no princípio sem funcionários”, complementa.

Documentações: COF e Contrato de Franquias

dicas abrir franquia

É interessante que o futuro franqueado analise os documentos da franquia junto a um advogado especialista em franquias. O auxílio de um profissional é fundamental para a compreensão dos direitos e obrigações que assumirá como franqueado e, principalmente, para saber se as informações que estão na COF estão de acordo com a legislação.

“Além disso, o candidato interessado em ingressar em um sistema de franquia, precisa conversar com os franqueados e ex-franqueados da rede e indagá-los sobre os pontos positivos e negativos da rede, confirmando, assim, inclusive, se as informações oferecidas na COF se concretizam na prática. Ou seja, se o franqueador efetivamente entrega para seus franqueados, o que afirma entregar no documento”, alerta Pedote.

A advogada esclarece que a COF e os contratos devem ser analisados em conjunto, com atenção especial a dois pontos:

  1. Analisar quem é a franqueadora, seus sócios e como estão protegidas as marcas que serão licenciadas;
  2. O investimento total estimado apresentado na COF, que precisa ser bastante completo e abranger desde o pagamento da taxa inicial de franquia, até a fase de reforma do imóvel, montagem da unidade e, no mínimo, capital para custear os seis primeiros meses de operação.

Por isso, é fundamental que o investidor conheça todo o modelo de negócio para que não seja surpreendido com falta de recursos ou endividamento.

“No que se refere ao contrato de franquia, além de tal instrumento ter que estar coerente e de acordo com a COF, o futuro franqueado precisa ler com atenção às cláusulas que dispõem sobre a área de atuação que lhe está sendo concedida, se está é exclusiva ou não; com o prazo de vigência do contrato; hipóteses de rescisão e obrigações pós rescisão, a exemplo da cláusula de sigilo e de não concorrência”, indica Pedote.

Conversão de bandeira

Pedote pondera que, atualmente, vivemos momentos de instabilidades econômicas e de ampla concorrência no mercado, indicando que a conversão de bandeira pode ser uma boa estratégia de atuação. Fazer parte de uma rede de franquias estruturada, com maturidade de mercado e, de quebra, contar com amplo suporte da franqueadora pode ser uma escolha vantajosa.

“Um dos pontos positivos de entrar em uma rede diz respeito ao poder de negociação e de compra que as redes obtém diretamente com as indústrias e fornecedores, com preços e condições de pagamento que não são praticados e alcançados por empresas que compram sozinhas, por exemplo”, comenta Pedote.

Assim, o empreendedor que optar por realizar a conversão de bandeira, deixando de ser um empresário independente para fazer parte de um grupo, encontra a possibilidade de atuar junto a uma marca com poder de compra, além de produtos e serviços com maior valor agregado.

“É importante pontuar as vantagens financeiras e, da mesma forma, as obrigações e limitações às quais ficará sujeito a partir do momento em que se tornar franqueado, pois esse empresário, agora franqueado, não poderá mais empreender da forma como fazia antes, terá limitações e regras a seguir, e que terá que respeitar”, ressalta a advogada.

Tatiana explica que o franqueado deve avaliar as mudanças que serão necessárias na nova forma de conduzir o negócio e se realmente está disposto a seguir regras determinadas pelo franqueador “e, principalmente, arcar com as consequências pelo não cumprimento das mesmas, sendo esse um dos riscos da conversão. A clareza quanto às obrigações e limitações como franqueado, se não forem bem compreendidas, poderão implicar descumprimento do contrato de franquia e aplicação de penalidades e multas. O franqueado que converteu a sua operação em franqueada precisa também compreender as regras para o caso de eventual saída da rede, em especial, se estará sujeito ou não à cláusula de não concorrência e, em caso positivo, em que condições”.

As dicas dadas por especialistas fazem parte dos primeiros passos a serem seguidos por quem deseja apostar no franchising brasileiro. Além de tomar nota dos conselhos, é importante colocar a mão na massa: participar de feiras e eventos relacionados ao universo das franquias, conversar com quem já está na ativa à frente de uma unidade, fazer pesquisas de mercado para saber qual o melhor segmento e modelo de negócio para investir. O Sebrae conta com diferentes cursos, presenciais e online, voltados para quem quer se tornar um empreendedor. Quando o assunto é abrir um negócio no franchisng, investir em preparação e buscar entender a melhor modalidade de negócio para o seu perfil são pontos essenciais para o sucesso de uma franquia.

DEIXE UMA RESPOSTA