Voltadas para franqueados, franqueadores e também para quem está interessado em se tornar um franqueado, as feiras de franquias movimentam o setor, projetando os cenários e as potencialidades para investimento no mercado.

Investir em franquias, mesmo em um cenário de desafios econômicos e políticos, segue sendo uma boa estratégia de atuação para quem sonha mudar de ramo e estar à frente do próprio empreendimento.

De acordo com a Associação Brasileira de Franhchising (ABF), o desempenho do setor no primeiro trimestre de 2019 apresentou crescimento superior ao varejo. Nos primeiros três meses de 2018, o faturamento registrado foi de 38,7 bilhões de reais. Já no primeiro trimestre deste ano, o crescimento no faturamento foi de 7%, alcançando 41,4 bilhões de reais.

O segmentos de Casa e Construção e Comunicação, Informática e Eletrônicos se destacam ocupando segundo e terceiro lugares no ranking de desempenho, com faturamento registrado no primeiro trimestre deste ano de 2,2 bilhões de reais e 1,3 bilhões de reais, respectivamente. Alimentação segue no topo, como o segmento mais tradicional e com bom desempenho, com faturamento de 10,8 bilhões de reais nos três primeiros meses do ano.

O resultados das análises de desempenho do franchising brasileiro demonstram que este é um mercado com grande potencial de atuação e crescimento no país. As feiras e eventos de franchising se destacam no cenário ao apresentarem diferentes oportunidades de investimento para quem deseja apostar em uma rede franqueadora e ainda não sabe por onde começar, além de serem ambientes voltados para reconhecimentos de marcas, premiações, debates e trocas de know how entre franqueados e franqueadores.

Feiras e eventos de franquias

A própria ABF é responsável pela organização da maior feira de franquias do Brasil: a ABF Franchising Expo, que chega à 28ª edição neste ano. No evento, que será realizado de 26 a 29 de junho em São Paulo, serão reunidas mais de 400 marcas dos 11 segmentos do franchising brasileiro.

A ABF Expo oferecerá aos visitantes mais de 90 horas de palestras gratuitas, voltadas para informações sobre investimento em franquias, formas de atuação no mercado nacional e internacional, modelos de negócio, como montar uma franquia, além da potencialidade de networking entre visitantes, franqueados e franqueadores. Como destaque do evento, a ABF aposta, neste ano, no Boulevard de Microfranquias, estande com mais de 40 redes que apresentam valor de investimento máximo de 90 mil reais.

abf expo 2018
Foto: Studio F – ABF FRANCHISING 2018

Outro evento interessante é o Franchise 4U, evento itinerante de franquias no modelo low cost. Em 2019, o evento vai passar por 17 cidades do país, apresentando marcas que se destacam nos diversos segmentos. O destaque do evento é a possibilidade dos investidores marcarem reuniões com as marcas em que se tem interesse em investir. Os encontros duram cerca de 30 minutos e são realizados em um único dia.

O Franchise 4U 2019 começou no mês de fevereiro em São Paulo e já passou pelas cidades de Fortaleza, Goiânia, Campinas, Curitiba, Salvador e Belo Horizonte. As próximas paradas são em Ribeirão Preto, em 18 de julho; Vitória, em 8 de agosto; Rio de Janeiro, no dia 29 de agosto; Recife, em 19 de setembro; Manaus dias 10 de outubro; Brasília em 24 de outubro; Florianópolis dia 7 de novembro; Porto Alegre, dia 21 de novembro; e Natal, dia 5 de dezembro.

Já a Franchising Fair acontece em três regiões brasileiras neste ano: no Sul, aconteceu entre os dias 17 a 19 de maio; no Nordeste, será realizado nos dias 16 a 18 de agosto; e no Sudeste, nos dias 8 a 10 de novembro. O evento reúne franquias de diferentes portes e valores de investimento, sendo uma das feiras mais completas do país, voltada para diferentes perfis de investidores. Além dos stands das franquias, a Franchising Fair também organiza palestras com consultores e especialistas em franchising.

Para quem está buscando uma rede para investir, participar de feiras é um diferencial para ajudar na tomada de decisão, além de ser essencial para se inteirar sobre o universo do franchising, como explica a especialista em franchising e consultora da GSPP Mércia Machado Vergili:

“O evento terá muitas opções de modelos e tipos de franquias para serem estudadas pelos interessados em investir no setor. Na feira deve-se observar a forma de apresentação da franquia, as praças disponíveis e o quanto aquela marca foi atrativa para o candidato a franqueado. Desta forma, também é possível entender melhor em relação ao valor de investimento para tornar-se franqueado e escolher opções que estão com valor dentro do previsto, dando continuidade no estudo da marca.”

Como aproveitar melhor as feiras de franquias

Em feiras de franquias, é importante se organizar para visitar os estantes de marcas que possam ser do interesse, além de reservar um tempinho para assistir as palestras com franqueadores e consultores de franchising.

Para Mércia, é importante fazer uma lista das franquias em que o empreendedor tem interesse em investir, mediante pesquisa prévia na lista de expositores nos sites dos eventos. “A ABF Expo Franchising, por exemplo, é uma feira muito grande. Assim, para melhor resultado, é interessante selecionar algumas franquias que deseja conhecer e deixar anotado os endereços, para não correr o risco de não passar nestes stands. Tenha em mente o valor que dispõe para investimento, para não perder tempo com marcas com investimento muito acima do seu orçamento”, sugere a consultora.

Além disso, a especialista aconselha os futuros franqueados a estarem abertos para conhecer novas marcas que estejam dentro do orçamento de investimento e que o empreendedor simpatize com os produtos e serviços oferecidos, além dos formatos de franquia, por exemplo.

Para o master franqueado da Little Kickers, Everson Pergher, é interessante que os visitantes selecionem todos os segmentos em que se tem interesse em atuar, de acordo com as próprias afinidades e perfil pessoal, além da previsão de capital para investimento.

“O potencial franqueado tem que pesquisar bastante sobre as marcas, qual o tempo de know how, se a franqueadora ainda opera uma unidade, qual o suporte oferecido, quais os diferenciais da marca. E, principalmente, ver se tem sinergia com a franquia, pois é uma relação de longo prazo. Visitar as marcas em que se tem mais afinidade, além de fazer uma pesquisa prévia para ter mais contatos produtivos é bem interessante. Como nem todos podem visitar a feira todos os dias, é recomendado otimizar ao máximo a visita, chegando cedo e visitando primeiro os stands em que se tem mais interesse em investir”, complementa Everson.

Com vasta opções de estantes para visitação, as feiras de franquias oferecem completa variedade para pesquisa de acordo com segmento, valores de investimento e modelos de franquia.

Mércia aponta: ” inclusive, é bastante comum alguns visitantes irem com algumas opções de redes que haviam estudado e acabarem mostrando interesse em franquias totalmente diferentes. Outra coisa que vale destacar é que existe a oportunidade de conversar com o franqueador ou equipe da franqueadora para ter informações mais completas naquele momento”.

franchise4u
Franchise4U

O que perguntar aos franqueadores em feiras

Para aproveitar melhor os eventos e feiras de franquias, o interessado em investir deve chegar bem preparado e pronto para esclarecer suas principais dúvidas, conhecendo mais a fundo a rede em que pensa em investir.

Como se tratam de eventos bastante completos e, geralmente, com alguns dias de duração, Mércia complementa que a participação nas atrações das feiras de franchising fornece bagagem para entendimento completo do universo das franquias, podendo esclarecer dúvidas com franqueadores e empreendedores que já atuam como franqueados.

“O candidato vai entender a estrutura que a franqueadora oferece, número de lojas, tipo de serviço que será prestado na unidade, praças abertas para novas franquias, valor de investimento, tempo de retorno, média de faturamento”, explica a consultora da GSPP.

A seguir, selecionamos três das principais questões que o interessado em investir deve fazer ao franqueador em um evento de franchising.

1. Como é o suporte prestado ao franqueado?

Perguntar sobre o suporte que a rede presta a seus franqueados é fundamental. Afinal, esse apoio faz toda a diferença no desempenho do negócio e pode ser decisivo para a escolha de uma franquia.

“O suporte da franqueadora será em auxiliar o franqueado a conhecer o negócio, a implantar a loja e no treinamento para operação de loja. Algumas franqueadoras também fornecem os produtos. Tudo isto deve ser entendido para poder avaliar qual será o trabalho do franqueado no ponto de venda”, esclarece Mércia.

Um dos diferenciais de se investir em uma rede de franquias, ao invés de apostar em um empreendimento convencional, é atuar em conjunto com uma marca já testada, com maturidade no mercado, além da segurança do suporte direcionado aos franqueados.

A partir de sua vivência como master franqueado na Little Kickers, Everson explica que a rede realiza reuniões semanais com os franqueados, em busca de garantir suporte completo, além de um sistema intranet para suporte remoto. “Também vale destacar o Conselho de Franqueados, o Peer Support (reunião trimestral com os franqueados em troca de informações, interações e ajuda mútua), além da convenção aberta para todos os franqueados e o fórum online global”, exemplifica.

Nas feiras, é possível que os interessados em investir em franquias perguntem sobre os tipos de suporte oferecidos pelas marcas, se há consultoria presencial, apoio aos finais de semana e feriados, por exemplo, além da possibilidade de acesso a softwares de gestão e canais para esclarecimento de dúvidas e trocas de conhecimentos entre franqueados.

2. Como os treinamentos são realizados?

Outra pergunta clássica e muito importante é sobre treinamento e capacitação dos franqueados. A transferência de know how é um grande atrativo das franquias, e o candidato deve esclarecer como se dará esse processo, o que ele vai aprender com a rede e o que deve buscar por conta própria.

Mércia explica que, o ideal, é que as franquias ofereçam treinamentos, sejam teóricos ou práticos, podendo ser oferecidos de forma presencial ou remotamente, a critério das franqueadoras. “Os treinamentos são realizados pelo franqueador, para capacitação inicial do franqueado e equipe e posteriormente para reciclagem. Os treinamentos podem ser mais curtos ou mais longos dependendo da complexidade do negócio”, esclarece a especialista.

É importante que os investidores saibam que a Lei de Franquias não obriga que as redes franqueadoras ofereçam treinamento e suporte aos franqueados. Entretanto, segundo a Lei, as condições de que suporte e treinamento são ou não são oferecidos aos franqueados devem estar presentes na Circular de Oferta de Franquia (COF), de forma bastante clara.

Este tipo de informação também ajuda os franqueados a decidirem por uma franquia: se uma marca garante supervisão de rede, serviços de orientação, treinamento presencial ou a distância, tudo deve ser pesado na balança para que as decisões de investir, ou não, sejam tomadas.

3. Como é a rotina de operação de uma franquia?

Dentre as principais dúvidas dos futuros franqueados, buscar informações sobre como acontece a operação e o gerenciamento de franquias é bastante comum.

Vergili explica que, assim como todo empreendimento, seja tradicional ou por meio de franchising, é importante que os investidores tenham consciência de que irão trabalhar ativamente. “Apesar de ter todos os processos ajustados, a franquia precisa da gestão do franqueado no dia a dia, para ter um melhor resultado. Engana-se quem espera ter uma franquia de uma marca forte para ter só funcionários trabalhando, isto não dá certo”, afirma a consultora.

Mércia informa que, independente do formato da operação ou segmento escolhido, a função esperada de todo franqueado é estar à frente da gestão da loja, conhecer todos os processos da unidade, gerenciar funcionários, além de participar de resolução de dúvidas e do crescimento ativo da franquia.

Atuando junto à Little Kickers, Everson exemplifica a partir de sua vivência que o franqueado pode esperar bastante trabalho. “Afinal, o sucesso do negócio depende exclusivamente do seu esforço. Mas, [o investidor] também terá como alicerce a satisfação pessoal e profissional ao optar por um segmento em que se tem maior afinidade”, complementa.

Devo fechar negócio na feira?

Com tantas opções e atrativos, as feiras de franquias podem fazer a cabeça de muitos visitantes. Mas, é preciso ser muito cauteloso para não tomar decisões precipitadas, movidas pela emoção do momento.

Mércia Machado Vergili aconselha que a participação em feiras e eventos de franquias não são os melhores lugares para que um negócio seja fechado. Estes ambientes são importantes para auxiliar no entendimento de como o franchising funciona e para que os futuros franqueados entrem em contato direto com as marcas previamente selecionadas, de acordo com perfil, objetivos profissionais, capital disponível, entre outras questões.

“As feiras são para buscar opções de negócios. Após o evento é a hora da evolução das tratativas com uma marca, onde o candidato deve procurar franqueados da rede para comprovar que o que o franqueador disse realmente é cumprido e caso seja uma franquia nova, com poucos franqueados, deve-se estreitar o relacionamento com o franqueador antes de assinar o contrato”, finaliza Mércia.

DEIXE UMA RESPOSTA