Quando falamos de investimento, um dos primeiros pontos a se levar em conta por quem planeja se tornar um franqueado é a taxa de franquia. Ainda que seja comum na maior parte das redes, é possível encontrar marcas que não cobram taxa de franquia.

Paga no momento da assinatura do contrato de franquia, a taxa de franquia é a remuneração dos serviços iniciais prestados pelo franqueador ao franqueado, envolvendo todo o processo de implantação do negócio e primeiros momentos da operação – fases em que o franqueado geralmente precisa de mais atenção e suporte.

Já o valor da taxa de franquia pode variar bastante conforme a rede, como explica Luisa Henrique Stockler, sócio-presidente da ba}STOCKLER.

“Cada franqueador pode precificar esse investimento inicial de acordo com a notoriedade de sua marca (aspecto intangível do valor) e com a quantidade e profundidade do suporte inicial prestado (aspecto tangível do valor)”, esclarece o especialista.

Assim, o franqueado pode conferir os aspectos tangíveis de forma mais prática, avaliando tudo o que é oferecido no suporte inicial da franquia, os treinamentos, viagens e visitas à sede da franqueadora ou a unidades piloto, entre outros. Já os aspectos intangíveis são mais abstratos, visto que se baseiam no valor da marca. “Quanto maior for a marca na região, maior pode ser o seu valor de mercado. Caso a franquia seja forte em uma praça, já na outra nem tanto, o valor pode ser bem menor”, avalia Stockler.

Mas, se a taxa tem essa função de remunerar a marca e o suporte prestado pela franqueadora, por que algumas redes não cobram a taxa de franquia? Para Stockler, a isenção dessa taxa é uma estratégia de expansão.

“Pode ser puramente por estratégia comercial, para acelerar o crescimento em determinado local; ou tributária, embutir o valor no produto que será vendido ao franqueado. É possível que um franqueador realize uma espécie de promoção ou incentivo em determinada praça, deixando de cobrar a taxa”, comenta o consultor.

De fato, não cobrar a taxa de franquia pode ser uma boa maneira de impulsionar a expansão da rede, uma vez que, com a isenção, o valor do investimento tende a ser mais baixo – nesse caso, no geral, o franqueado deve arcar apenas com a instalação da unidade e levantar o capital de giro necessário. Já a isenção da taxa como estratégia tributária é especialmente comum em redes que trabalham com a venda de produtos fornecidos pela franqueadora pela própria marca. A rede pode ainda disponibilizar a taxa zero como uma promoção pontual em datas pré-determinadas ou para regiões específicas, e não como característica permanente do negócio.

Apesar do atrativo do investimento reduzido, quem pensa em investir em uma rede que não cobra taxa de franquia deve enxergar além e analisar todos os detalhes do negócio com cuidado.

“O fato da franqueadora não cobrar a taxa de franquia não deve ser desculpa para relaxar nos serviços iniciais prestados ou fazê-los de forma mais simples do que era para ser. Independente do valor cobrado ser alto, baixo, ou não ser cobrado, o franqueado deve ficar em cima e atestar que o serviço será bem feito para ter sucesso nos negócios”, alerta Stockler.

Para se certificar de que tudo vai sair como o planejado, Stockler aconselha que os candidatos procurem outros franqueados da rede para averiguar se o suporte que eles receberam atendeu às expectativas.

“É importante ligar para franqueados de outras unidades, ou mesmo ex-franqueados, e verificar como foi o suporte inicial. Procure saber se o suporte foi o melhor possível, se teve isenção ou não da taxa de franquia, e se o serviço prestado valeu a pena pelo investimento”, destaca o especialista.

Além disso, é fundamental que o interessado na franquia analise ainda as outras taxas cobradas pela franqueadora, como a taxa de royalties e o fundo de propaganda. Outro ponto que merece atenção são os treinamentos, que podem ser cobrados à parte em algumas empresas. Portanto, fazer um estudo cuidadoso da Circular de Oferta de Franquia (COF), documento que deve reunir todas as informações detalhadas sobre o modelo de negócio, e o contrato de franquia é indispensável para investir com segurança.

Vale pontuar que, além da estratégia de isenção, há outras formas de flexibilizar a taxa de franquia. O valor pode ser parcelado pela franqueadora ou financiado, por exemplo, o que também pode ajudar a aliviar o investimento inicial. Nesse caso, o ideal é que o interessado consulte a franqueadora quanto às possibilidades durante as primeiras conversas.

A seguir, você confere algumas redes de diversos segmentos que não cobram taxa de franquia – são redes de segmentos variados, que atuam tanto com a venda de produtos quanto com a oferta de serviços. Os dados de investimento são divulgados pela Associação Brasileira de Franchising (ABF) ou foram informados pelas próprias empresas.

1BuilderAll

A BuilderAll é uma plataforma única e completa com múltiplas funcionalidades para presença digital e marketing. Desde a criação e hospedagem de sites até funis de venda e e-mail marketing – tudo pode ser feito dentro da plataforma. Com um sistema de ganho recorrente, a franquia tem modelo home based e o franqueado trabalha vendendo a plataforma e a microfranquia.

Investimento total: R$ 397
Taxa de franquia: não cobra
Royalties: não cobra
Faturamento médio: R$ 4 mil a R$ 20 mil
Prazo de retorno: imediato

2Fábrica di Chocolate

A Fábrica di Chocolate é uma rede que disponibiliza franquias no formato quiosque, trabalhando com chocolates e sobremesas, focando em alimentação saudável – o chocolate da marca é livre de glúten e gorduras. O mix de produtos conta com saladas de frutas, fondue de chocolate, espetos de frutas com chocolate, bebidas quentes e bombons.

Investimento total: R$ 71,9 mil a R$ 114,4 mil
Taxa de franquia: não cobra
Royalties: variável
Faturamento médio: R$ 30 mil
Prazo de retorno: 12 a 24 meses

3Fisk

A Fisk é uma rede de escolas de idiomas que oferece cursos de inglês, espanhol, português e informática. São três modelos de franquias, que variam conforme o porte da cidade a receber a nova unidade. Há oportunidades para franqueados em cidades a partir de 10 mil habitantes.

Investimento total: R$ 73,5 mil a R$ 494 mil
Taxa de franquia: não cobra
Royalties: não cobra
Faturamento médio: R$ 35 mil
Prazo de retorno: 12 a 24 meses

4CCAA

O CCAA é especializado na oferta de cursos de inglês e espanhol, além de oferecer cursos no exterior através da bandeira CCLS. As franquias contam com suporte pedagógico, metodologia de ensino exclusiva e material didático da própria marca.

Investimento total: R$ 217 mil a R$ 384,5 mil
Taxa de franquia: não cobra
Royalties: não cobra
Faturamento médio: R$ 78 mil
Prazo de retorno: 24 a 36 meses

5O Boticário

Com mais de 3 mil unidades em todo o Brasil, O Boticário é a maior rede de franquias do país. A rede é especializada na venda de maquiagem, perfumes e outros cosméticos de marca própria. Aos investidores, a franqueadora disponibiliza franquias nos formatos de loja e de quiosque.

Investimento total: R$ 85 mil a R$ 1,35 milhão
Taxa de franquia: não exige
Royalties: não cobra
Faturamento médio: R$ 125 mil (loja)
Prazo de retorno: 18 a 36 meses

6Emagrecentro

Com foco em emagrecimento rápido e saudável, a Emagrecentro é uma rede de clínicas de estética. As franquias oferecem tratamentos para emagrecimento, gordura localizada, celulite e flacidez. O investimento na montagem da unidade pode ser dividido em até 12 vezes.

Investimento inicial: R$ 59,5 mil
Taxa de franquia: não cobra
Royalties: 11% do faturamento bruto
Faturamento médio: R$ 30 mil
Prazo de retorno: 6 a 12 meses

7PBF

A PBF é uma franquia de escolas de idiomas que oferece cursos de inglês e espanhol para crianças, jovens e adultos. As escolas devem ter estrutura a partir de 150 metros quadrados, com, pelo menos, três salas de aula, uma secretaria, uma sala de professores e dois banheiros.

Investimento total: R$ 35 mil a R$ 175 mil
Taxa de franquia: não cobra
Royalties: não cobra
Faturamento médio: R$ 28,2 mil
Prazo de retorno: 12 a 24 meses

8Único Asfaltos

A Único Asfaltos trabalha com o objetivo de popularizar o uso do asfalto no Brasil, tendo desenvolvido um produto de fácil manuseio e que pode ser aplicado em qualquer condição climática. Atuando no mercado de franquias desde 2014, a Único tem como meta atingir 1,2 mil unidades franqueadas em cinco anos.

Investimento total: R$ 470 mil
Taxa de franquia: não cobra
Royalties: não cobra
Faturamento médio: não informado
Prazo de retorno: 11 a 12 meses

9JadLog

Atuando no segmento de logística, a JadLog é uma franquia de transportadora. São dois modelos de franquias disponíveis: loja própria e centro de operações. Em ambos, os franqueados trabalham com atividades como coleta domiciliar de encomendas, venda de embalagens, triagem e expedição de pacotes e transporte das encomendas.

Investimento inicial: R$ 128 mil a R$ 205 mil
Taxa de franquia: não cobra
Royalties: não cobra
Faturamento médio: R$ 10 mil a R$ 90 mil
Prazo de retorno: 6 a 12 meses

10Light Depil

A Light Depil é uma rede de franquias especializada em estética, com foco em serviços de depilação à luz pulsada. A rede disponibiliza a possibilidade do franqueado trabalhar no sistema home based, fazendo o atendimento a clientes no formato de delivery.

Investimento total: R$ 14,9 mil a R$ 55,8 mil
Taxa de franquia: não cobra
Royalties: R$ 998 (fixo)
Faturamento médio: não informado
Prazo de retorno: 12 a 18 meses

11Finger

A Finger é uma rede de franquias especializada em móveis planejados. A marca trabalha com produtos e projetos inspirados no design alemão e atende as necessidades de ambientes diversos – sala, cozinha, banheiro, quarto e lavanderia.

Investimento total: R$ 100 mil a R$ 600 mil
Taxa de franquia: não cobra
Royalties: 20% sobre as compras
Faturamento médio: R$ 200 mil
Prazo de retorno: 18 a 36 meses

DEIXE UMA RESPOSTA