Para quem sonha em abrir o próprio negócio, conhecer a história de empreendedores de sucesso pode ser o pontapé que faltava. Afinal, esse universo está cheio de casos inspiradores – e muitos deles fazem parte do franchising.

Segundo uma pesquisa do Instituto Data Popular, mais de 38 milhões de brasileiros sonham em abrir um negócio. O desejo de empreender é despertado logo cedo, como mostram dados da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan): dois em cada três jovens brasileiros querem empreender nos próximos anos.

Conquistar o sucesso com sua própria empresa, porém, não é fácil. De acordo com o IBGE, seis em cada dez empresas fecham as portas antes de completar cinco anos no mercado.

Em contrapartida, outros negócios dão tão certo que acabam se multiplicando e se espalhando por todo o país através de franquias, formando redes sólidas e reconhecidas.

Mas, como fazer para chegar lá e ser parte do time de empreendedores de sucesso? Apesar de existirem técnicas e metodologias que ajudam a estruturar um negócio bem sucedido, empreender não é uma ciência exata: é preciso lidar com incontáveis variáveis, decisões e particularidades em cada negócio e cada segmento.

Para quem está prestes a dar os primeiros passos para tirar suas ideias do papel, conhecer a experiência de outras pessoas pode ser algo decisivo ou o apoio necessário para enfrentar os desafios sem pensar em desistir.

Pensando nisso, o Guia Franquias de Sucesso compilou algumas histórias de empreendedores de sucesso que atuam no franchising.

Rogério Gabriel, CEO e fundador do Grupo MoveEdu

Empreendedores de sucesso: Rogério Gabriel - MoveEdu

É indiscutível que a história de empreendedores de sucesso é marcada por uma série de acertos e bons negócios. Mas, frequentemente, esse caminho também passa por alguns obstáculos. Assim foi a experiência de Rogério Gabriel, CEO e fundador do Grupo MoveEdu.

Rogério Gabriel começou a trilhar sua trajetória no mundo do empreendedorismo aos 25 anos, quando abriu sua primeira empresa: um varejo de tecnologia. O negócio cresceu e conquistou espaço no setor, chegando a figurar entre as 100 melhores empresas da área. Foi aí que veio o baque: segundo Rogério, o produto virou commodity, mudou de canal e, por falhas em regras de governança, o empresário acabou perdendo tudo. O prejuízo foi de 10 milhões de reais.

Se recuperar de uma experiência como essa não é fácil e, na construção da nova fase de sua carreira como empreendedor, Rogério resolveu mudar de ramo e investir em educação.

“No meu primeiro negócio, tínhamos uma área de educação com apoio do departamento comercial, onde fazíamos treinamentos aos clientes de forma diferente e individualizada. Notei que isso impactava muito a vida daquelas pessoas e que poderíamos escalar esse resultado utilizando tecnologia educacional, nascendo, assim, nossa primeira marca, a Prepara Cursos, rede de ensino profissionalizante”, conta Rogério.

Fundada em 2004, a Prepara Cursos se tornou uma das maiores redes de escolas profissionalizantes do país. Hoje, são mais de 460 unidades franqueadas.

De acordo com Rogério, trabalhar com redes sempre foi um elemento presente em sua carreira: já em seu primeiro negócio, o empresário trabalhava com um rede de lojas próprias. Quando começou a crescer no segmento de educação, a opção pela expansão por franquias surgiu como a escolha certa.

“O franchising possibilita unir a força do empreendedor local com uma grande marca nacional. Isso encaixava perfeitamente com o que eu imaginava para a MoveEdu e assim o fizemos”, pontua Rogério Gabriel.

Através dessa estratégia, da criação e da incorporação de novas marcas, o Grupo MoveEdu se tornou a maior rede de franquias de educação do Brasil. Além da Prepara, a MoveEdu engloba a Ensina Mais Turma da Mônica, a English Talk, a Pingu’s English, a Microlins, a SOS e a People.

Ao todo, são mais de 1,2 mil unidades espalhadas pelo país e mais de 400 mil alunos ativos. Além disso, depois de incorporar a Microlins, a SOS e a People, o faturamento do grupo chegou a atingir 600 milhões de reais.

“Agora, é hora de focar na expansão de nossas sete marcas para cidades onde ainda não estamos e melhorar nossos métodos de ensino e portfólio de cursos, a fim de atender cada vez melhor os alunos”, afirma Rogério.

Quanto ao sucesso do negócio, Rogério Gabriel afirma que disciplina, planejamento, transparência e uma governança sólida são elementos fundamentais e que estão sempre presentes. “Sempre acreditei na importância de criar uma cultura familiar dentro da empresa e esse também foi um alicerce fundamental no sucesso da MoveEdu. Assim, consegui criar uma equipe comprometida com o trabalho, incentivando a superação e a evolução do meu time”, completa o empresário.

Dono de uma história que serve de inspiração para muitos empreendedores, Rogério Gabriel conta detalhes da carreira no livro “Do chão ao topo”, escrito pelo jornalista Joaquim Castanheira.

Cleusa Maria da Silva, idealizadora da Sodiê Doces

Empreendedores de sucesso: Cleusa Maria - Sodiê Doces

Cleusa Maria da Silva trabalhou muito antes de abrir as portas da Sodiê Doces, que se tornaria uma franquia de bolos com mais de 290 lojas em todo o Brasil. Já tendo trabalhado como boia-fria e empregada doméstica, foi como funcionária da linha de produção de uma fábrica de alto-falantes que Cleusa teve a oportunidade de iniciar sua trajetória no segmento de bolos.

Na época, Cleusa começou a ajudar a esposa do dono da fábrica, a dona Rosa, na produção de bolos. Com o tempo, o que era uma segunda atividade tornou-se sua principal ocupação. “Eu trabalhava durante o dia na fábrica e passava as madrugadas fazendo bolos. Como estava cansada fisicamente, tive que escolher entre a fábrica ou fazer bolos, e escolhi os bolos”, lembra a empreendedora.

Em 1997, depois de ter passado um tempo entregando pessoalmente os bolos aos clientes, Cleusa aprimorou as receitas e abriu seu primeiro ponto de venda, uma loja de apenas 20 metros quadrados na cidade de Salto, interior de São Paulo.

Segundo Cleusa, o movimento veio aos poucos e a loja foi conquistando clientes por meio de produtos de qualidade e bom preço. Os primeiros passos para a ampliação do negócio vieram com a abertura de novos pontos de venda em outras cidades do interior paulista, quando o irmão de Cleusa e duas amigas resolveram montar lojas.

Com a clientela crescendo, a oportunidade de entrar no franchising surgiu da sugestão de um dos clientes de Cleusa.

“Tinha um cliente de São Paulo que sempre vinha comprar bolo comigo e me perguntou se eu não queria abrir uma franquia em São Paulo. Como não tinha ideia do que era uma franquia, fui para São Paulo na feira da ABF e voltei com muitos livros e materiais para entender melhor do assunto. A partir de então, falei para este meu cliente que ele seria o meu primeiro franqueado”, relata Cleusa Maria.

Assim foi feito: em 2007, a Sodiê Doces fez sua estreia no franchising, inaugurando uma loja na Vila Guilherme, em São Paulo. A primeira unidade franqueada foi aberta justamente pelo cliente que comentou sobre o sistema com Cleusa.

Hoje, a Sodiê Doces é uma das maiores franquias de bolos do Brasil, com quase 300 unidades em funcionamento. Presente em 13 estados brasileiros e no Distrito Federal, a rede pretende continuar expandindo e mira novos franqueados nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste do país, em cidades com acima de 85 mil habitantes.

Além de ter em seu portfólio mais de 90 variedades de sabores e tipos de bolos, Cleusa conta que não deixa de investir em produtos: “investimos muito na qualidade dos bolos, pois acreditamos que o sabor conquista nosso público”.

Em abril de 2017, a marca inaugurou sua fábrica de salgados, criada a partir de pedidos de clientes. Com a novidade, o mix ganhou opções de coxinhas, esfihas, kibes, quiches, empadas e pastéis assados com mais de 25 tipos de recheios.

“Não desisti na primeira dificuldade. Tive envolvimento com o negócio, coloquei a mão na massa, pesquisei o mercado e trabalhei muito”, afirma Cleusa Maria.

Deiverson Migliatti, fundador do Sterna Café

Empreendedores de sucesso: Deiverson Migliatti - Sterna Café

Quando Deiverson Migliatti foi demitido da empresa em que trabalhava, uma grande varejista, ele resolveu dar uma guinada em sua carreira e empreender. Sua estreia como empresário foi como franqueado: Deiverson já foi franqueado de lojas Subway, KFC, Morana e Sbarro Pizza.

Em setembro de 2015, após a experiência trabalhando com as outras marcas e o conhecimento de mercado acumulado em viagens por mais de 60 países, Deiverson formatou e abriu o sua própria marca, a Sterna Café.

Apostando em cafés especiais e blends exclusivos, a Sterna já conquistou seu lugar no mercado e, em apenas dois anos de existência, conta com 14 unidades em funcionamento e outras sete em fase de negociação com franqueados.

“O Brasil é o maior produtor mundial de café, e o segundo maior mercado consumidor, em média 3,5 xícaras por dia. Foi analisando esses dados, juntamente com a minha paixão pela bebida que resolvi abrir a Sterna Café”, conta Deiverson, que já tinha experiência no segmento de alimentação como franqueado de outras marcas.

Segundo o empresário, o sucesso das primeiras lojas foi espontâneo. Logo no primeiro ano de funcionamento, a Sterna contabilizou mais de 47 mil atendimentos e faturou 784 mil reais. No ano seguinte, o faturamento saltou para mais de 3 milhões de reais.

Para Deiverson, o sucesso da marca se deve ao fato de que a Sterna foge ao conceito padrão das cafeterias. “A proposta é a de oferecer uma experiência completa e agradável ao mundo dos cafés, isso inclui, além das bebidas, o design das lojas, inspirado na cultura do café. Outro diferencial é o fato das unidades estarem alocadas em lugares estratégicos como prédios comerciais e hospitais”, explica o empreendedor.

A decisão por franquear a marca veio naturalmente, com base em na vivência anterior do empresário como franqueado. A partir disso, o próprio Deiverson formatou o sistema de franchising da Sterna, recorrendo a especialistas apenas para suporte em partes mais técnicas como a elaboração da Circular de Oferta de Franquia, design e branding da rede.

Com a previsão de que a marca feche 2017 com 20 unidades ativas, a expansão segue a todo vapor. Para 2018, a meta da empresa é chegar a 40 unidades e levar a rede até shopping centers e novos estados do Brasil. Hoje, a Sterna já totalizou mais de 460 mil atendimentos, movimentando mais de 8 milhões de reais.

DEIXE UMA RESPOSTA