Quando falamos de frango frito, uma marca surge rapidamente na cabeça de milhões de pessoas ao redor do mundo: a KFC.

Com sua primeira loja aberta em 1952, em um restaurante de estrada nos Estados Unidos, a KFC é hoje uma marca com presença internacional. Criada pelo norte-americano Coronel Harland Sanders, a KFC (sigla para Kentucky Fried Chicken) conta com a receita de frango frito desenvolvida pelo seu fundador e teve um início difícil, cheio de negativas, mas que mudou de quadro sem demora: depois da abertura da primeira loja, o negócio decolou e 600 restaurantes foram abertos em apenas dez anos. Hoje, são mais de 5 mil lojas distribuídas por 120 países, atendendo cerca de 14 milhões de clientes diariamente.

➥ Busca franquias de comidas para investir? Confira nosso guia de franquias de alimentação (com valores de investimento)

No Brasil, a rede está em busca de novos territórios. De olho nas capitais, a KFC já tem unidades em operação em sete estados brasileiros – Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Bahia, Espírito Santo, Ceará e Pernambuco.

Parte da holding Multi QSR, que também é responsável pela expansão das marcas Pizza Hut e Taco Bell no Brasil, a KFC tem um plano de crescimento bem estruturado no país e deve fechar 2018 com 25 novas unidades.

O cenário é positivo para os planos da empresa. Segundo dados da Associação Brasileira de Franchising (ABF), o segmento de alimentação segue sendo o que mais fatura no mercado de franquias nacional. Só no primeiro semestre de 2018, as redes do setor faturaram 21,5 bilhões de reais, o que representa um crescimento de 8,1% em relação aos primeiros seis meses de 2017.

O mercado de fast food também tem grande potencial no país. A pesquisa FoodTrendsBrasil 2020 aponta que 19% dos brasileiros tem as lanchonetes e restaurantes de fast food como principal escolha na hora de comer fora de casa.

É nesse nicho de alimentação rápido que a KFC se posiciona. Tendo carro chefe em seu cardápio o balde de frango frito, as unidades oferecem ainda opções de sanduíches, acompanhamentos, molhos, sobremesas, bebidas e boxes.

Se você pensa em abrir uma franquia KFC, vai encontrar nessa matéria informações sobre como se tornar franqueado da marca e quanto custa uma unidade, além de entender como avaliar se esse é o negócio certo para você. Confira (se quiser pegar um atalho, use os links do menu a seguir):

Quanto custa uma franquia KFC

franquia KFC

Para abrir uma unidade KFC o investimento é alto, girando em torno de 1,4 milhão de reais. Esse valor leva em conta o capital necessário para instalação da loja, que é de aproximadamente 1,3 milhão de reais, e o valor indicado para capital de giro, que é de 100 mil reais. A essa soma é preciso adicionar ainda a taxa de franquia da marca, que fica em 51,2 mil dólares.

Para quem busca alternativas para viabilizar o investimento, é possível contar com opções. “A Multi QSR não parcela ou financia o início da operação. Mas, trabalhamos com instituições parceiras que podem viabilizar o financiamento”, conta Ildefonso Castro, gerente geral da KFC no Brasil.

As taxas periódicas da franquia são calculadas com base no faturamento bruto mensal da unidade. O valor dos royalties é de 6% do faturamento bruto; já o fundo de propaganda é de 5% do faturamento bruto.

Qual o valor de uma franquia KFC?

O valor de uma franquia KFC parte de 1,4 milhão de reais, sendo que a maior parte do capital é destinado à instalação da loja. Vale atentar-se ainda ao fato da taxa de franquia ser cobrada em dólares, portanto, é importante conferir a cotação atual da moeda.

Os dados a seguir foram informados pela empresa por meio de sua assessoria de imprensa.

Investimento total: a partir de R$ 1,4 milhão
Taxa de franquia: US$ 51,2 mil
Royalties: 6% do faturamento bruto
Faturamento médio: R$ 350 mil
Prazo de retorno: 36 meses

Qual o faturamento de uma franquia KFC?

O faturamento médio mensal de uma unidade KFC é de 350 mil reais, conforme informado pela marca.

Qual o lucro de uma franquia KFC?

De acordo com informações da empresa, a lucratividade média mensal de uma franquia KFC fica entre 15% e 18%. O prazo de retorno do capital investido é de 36 meses.

Compare os números de KFC com outras franquias de frango frito

Confira os dados de investimento de outras franquias de frango frito e compare com os números de KFC. As informações são divulgadas pela ABF ou pelas empresas.

N1 Chicken

Investimento total: R$ 60 mil a R$ 75 mil
Taxa de franquia: a partir de R$ 25 mil
Royalties: R$ 1,1 mil
Faturamento médio: R$ 60 mil
Prazo de retorno: 9 a 16 meses

Frango Americano

Investimento total: R$ 100 mil a R$ 235 mil
Taxa de franquia: R$ 30 mil a R$ 60 mil
Royalties: 5% sobre faturamento bruto
Faturamento médio: R$ 80 mil
Prazo de retorno: 14 a 36 meses

Chicken in House

Investimento total: R$ 165 mil a R$ 325 mil
Taxa de franquia: não informado
Royalties: 6% do faturamento bruto
Faturamento médio: R$ 90 mil
Prazo de retorno: 14 a 20 meses

Frango no Pote

Investimento total: R$ 260 mil a R$ 480 mil
Taxa de franquia: não informado
Royalties: 5% do faturamento bruto
Faturamento médio: R$ 150 mil
Prazo de retorno: 24 a 36 meses

Como abrir uma franquia KFC

franquia KFC

Por conta do alto investimento, para abrir uma franquia KFC é fundamental estar bem preparado financeiramente, contando não só com o necessário para a franquia, mas também com uma reserva para custos nos primeiros anos do negócio.

A seleção de novos franqueados da marca passa por processos para conhecer melhor o candidato, passando por fases distintas de avaliação. O contrato de franquia tem período inicial de dez anos, contados a partir da data de abertura da loja.

A KFC espera fechar o ano de 2018 com 25 unidades da marca no Brasil.

Conheça os modelos de franquias disponíveis

Atualmente, a KFC trabalha com franquias no modelo de loja, com foco na instalação em praças de alimentação de shopping centers. A unidade pede espaço de, aproximadamente, 80 metros quadrados e deve contar com 24 colaboradores na equipe para operação.

Saiba se você tem o perfil ideal

“Buscamos por grupos e pessoas que tenham interesse e disponibilidade para operar o negócio, estando presentes no dia a dia da loja”, aponta Ildefonso.

Além disso, a franqueadora prima por candidatos com habilidades administrativas e gerenciais e noções financeiras. Experiência anterior em gerenciamento e administração de negócios de varejo também podem ser características exigidas pela empresa na avaliação do perfil do candidato.

Como saber se sua região comporta uma unidade

Hoje, o plano de expansão da KFC está voltado para as capitais brasileiras, com oportunidades para todos os estados do país. O foco está principalmente em regiões com mais de 500 mil habitantes.

De olho em shopping centers para a instalação das unidades da marca, a franqueadora faz uma busca cuidadosa pelo ponto ideal para a franquia. “Temos equipe com experiência em grandes redes de alimentação e varejo, e ferramentas (digitais, online e de inteligência) altamente especializadas para busca, seleção e negociação de contratos de ponto comercial”, afirma Ildefonso.

Como é o processo de seleção

Para iniciar o processo de seleção e se tornar um franqueado KFC, o candidato deve preencher o formulário de interesse disponível no site oficial da marca no Brasil. O questionário pede informações como os dados pessoais do candidato (nome, documentos, cidade), e-mail, telefone, ocupação atual, local em que pretende abrir a franquia e dados financeiros.

Após o envio do formulário, a equipe de expansão da franquia entra em contato com o candidato e solicita a preparação de uma apresentação em PowerPoint com um plano de negócios. A franqueadora faz a avaliação desta apresentação, do perfil e do histórico do candidato, passando para a aprovação dos diretores da marca e do comitê internacional da KFC.

Uma vez aprovado, o candidato recebe a Circular de Oferta de Franquia (COF) que deve ser analisada em um período de dez dias. Depois, seguem os passos finais para a formalização da franquia, com a assinatura do contrato e pagamento da taxa de franquia.

Franquia KFC: vale a pena?

franquia KFC

Com investimento alto, que supera a casa de 1 milhão de reais, a franquia KFC exige uma boa avaliação dos potenciais investidores. Quem pensa em apostar no negócio deve colocar no papel todos os números da franquia e fazer um balanço de expectativas, conferindo se o retorno e a previsão de rentabilidade da loja estão de acordo com o esperado.

O segmento de alimentação traz diversas opções de franquias, contando com grandes marcas já consolidadas no mercado mundial, como o McDonald’s, Subway e Pizza Hut, por exemplo. Se o objetivo é escolher uma dessas grandes marcas, a KFC pode ser uma opção atrativa.

Em expansão no Brasil, a KFC já tem presença forte em outros países, posicionando-se como uma das principais referências no nicho de restaurantes de frango frito. São mais de 60 anos de tradição no mercado e milhares de lojas distribuídas por mais de 100 países.

As vantagens da franquia KFC

De acordo com Ildefonso Castro, o suporte prestado pela franqueadora é uma das vantagens da franquia KFC. Com apoio desde a seleção do ponto comercial até disponibilidade para esclarecimento de dúvidas no dia a dia do negócio, a rede presta um amplo suporte aos franqueados.

Além disso, o site da marca reforça a relevância da empresa no mercado global como um atrativo. De acordo com informações divulgadas pela empresa, a KFC está avaliada em 5,994 bilhões de dólares, posicionando-se em 64º lugar como uma das marcas mais valiosas do mundo.

A receita do frango frito, desenvolvida pelo criador da marca, também é um dos trunfos da empresa.

Como é o suporte da franqueadora

A KFC oferece suporte em todas as fases da franquia. A franqueadora presta suporte e acompanhamento na seleção do ponto comercial, nas negociações do contrato de locação e no projeto arquitetônico e executivo da unidade. Na instalação, a rede acompanha todo o desenvolvimento da nova loja, incluindo orientação quanto à compra de equipamentos, insumos e ingredientes.

Além disso, a franqueadora orienta do franqueado na contratação da equipe de funcionários da loja e oferece treinamento completo para o operador e o responsável pela liderança do restaurante.

Como apoio contínuo, a franqueadora disponibiliza uma equipe para atendimento, esclarecimento de dúvidas e auxílio ao franqueado.

Os desafios de ser um franqueado KFC

Manter a qualidade e o padrão de uma marca mundialmente reconhecida são os principais desafios de um franqueado KFC, segundo o gerente geral da marca no Brasil.

Também é necessário que o franqueado acompanhe os indicadores do negócio e a rotina diária de operação da loja. No segmento de alimentação, essa participação cotidiana na operação requer um trabalho intenso: a unidade funciona além do tradicional horário comercial, abrindo em finais de semana, feriados e período noturno, conforme o horário de funcionamento do shopping em que a loja for instalada.

O que os outros franqueados dizem

Na página da KFC no Reclame Aqui nota-se que a maior parte das reclamações publicadas por consumidores estão relacionadas à insatisfação quanto ao atendimento e produto. Portanto, é importante reforçar a necessidade de acompanhar a rotina da operação de perto, garantir um bom treinamento à equipe de funcionários e manter-se fiel aos padrões da rede.

No momento, a KFC não disponibiliza depoimentos de seus franqueados.

O que perguntar a outros franqueados da marca

Conversar com outros franqueados da marca é uma boa prática para tomar uma decisão com mais segurança. Aqui, Ildefonso indica que o candidato faça as seguintes perguntas:

  • Vale a pena abrir uma loja KFC?
  • Você abriria mais uma loja?

Também vale questionar sobre o suporte prestado pela franqueadora, rentabilidade do negócio e fluxo de venda das unidades. Aproveite para esclarecer informações e checar dados fornecidos pela empresa ou coletados em outras pesquisas.

No site da KFC é possível encontrar o endereço das lojas da marca no Brasil. A listagem completa dos franqueados deve estar contida na COF.

DEIXE UMA RESPOSTA