Uma boa ideia, vontade de empreender e investimento em preparação: essa é receita ideal para quem sonha adentrar o mundo dos negócios. Se você é uma dessas pessoas, vai encontrar nesta matéria ideias para abrir um negócio próprio – seja por meio de um empreendimento independente ou por meio de franquias.

O franchising brasileiro fornece uma gama de possibilidades de atuação, com garantia de suporte e a necessidade de seguir algumas regras determinadas pela franqueadora. Mas há quem não queira trabalhar junto a uma rede franqueada e, sim, estruturar um negócio próprio a partir de uma ideia inovadora.

Antes mesmo de tirar as ideias para abrir um negócio próprio do papel e colocá-las em prática, a preparação do futuro empreendedor deve ser o foco principal.

É preciso entender mais sobre o mercado, números da economia, quais documentações e outras burocracias são exigidas para abertura de um empreendimento, concorrência, qual o público, quais produtos e/ou serviços serão oferecidas pela nova empresa. Ao abrir as portas do negócio, ainda é importante que o empreendedor tenha uma bagagem de estudos e preparação para o novo trabalho.

Empreendedorismo no Brasil

Os números do empreendedorismo no Brasil apontam um caminho otimista.

O especialista em negócios e franquias da AGR Consultores, Roberto Vautier, comenta que este setor está em ritmo de crescimento e, diferente do que presenciamos nos anos de forte crise econômica, “temos observado mais negócios crescendo por oportunidade, do que por necessidade. Uma pesquisa do Global Entrepreneurship Monitor (GEM) aponta que existem mais de 50 milhões de brasileiros empreendendo no país. A faixa etária entre 25 e 34 anos é a que mais está empreendendo e, pelo menos, 1 a cada 3 brasileiros nessa faixa etária possui um negócio próprio ativo”, explica.

A pesquisa, realizada pela GEM, foi realizada em 49 países e, dentro do BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), o Brasil é o que apresenta a maior taxa de empreendimento: 52 milhões de brasileiros estão empreendendo. A China está na segunda posição do ranking. A pesquisa foi realizada com o apoio do Sebrae e da Universidade Federal do Paraná, dentro de uma amostragem de brasileiros entre 18 e 64 anos.

Para a GEM, é entendido como empreendedores as pessoas que criam e lideram um empreendimento estruturado, aqueles que estão à frente de um negócio de sucesso e inovador e, também, brasileiros que criaram ou estão criando qualquer tipo de empreendimento “mesmo aqueles mais simples, gerados pela necessidade de subsistência”.

A pesquisa identificou um aspecto fundamental para a compreensão do empreendedorismo no país, cada vez mais crescente. O relatório aponta que os empreendedores brasileiros estão inseridos em dois aspectos motivacionais: os empreendedores por oportunidade, que iniciam um negócio pelo fato de terem identificado uma boa oportunidade; e os empreendedores por necessidade, que criaram um modelo de negócio pela falta de oportunidades de geração de renda e ocupação.

No ano de 2018, a GEM identificou um aumento na relação entre empreendedores por oportunidade e por necessidade, se comparado ao ano anterior. Em 2017, o relatório aponta que, para cada empreendedor por necessidade, havia 1,5 empreendedores por oportunidade. A estimativa é que existem 15.107 milhões de empreendedores por oportunidade e 9.176 milhões de empreendedores por necessidade.

As taxas específicas da pesquisa representam indicadores das variações do empreendedorismo no país, dentre algumas particularidades, como gênero, faixa etária, escolaridade e renda familiar. Com relação ao gênero, o relatório da GEM aponta que, no ano de 2018, os homens se mostram mais presentes no envolvimento com o empreendedorismo, dividido entre empreendedorismo inicial e empreendedorismo estabelecido.

No Brasil, existem 23,8 milhões de mulheres inseridas no ramo empreendedor; e 41,8 homens atuantes no empreendedorismo. A diferença entre a participação dos gêneros no universo dos negócios é presente no histórico do país, entretanto, o relatório destaca que os números de empreendedoras segue expressivo e crescente ao longo dos anos.

Ideias para abrir um negócio próprio

Diante dos números do empreendedorismo brasileiro, estruturamos 10 ideias para abrir um negócio próprio. A lista foi criada com o auxílio de pesquisas do Sebrae que, dentre 450 sugestões, aponta tais ideias como as mais populares no país.

1Abrir uma loja virtual

Uma das ideias para abrir um negócio próprio mais práticas, em termos de estrutura, é investir em uma loja virtual.

Com a presença cada vez mais forte da internet e das facilidades do online no cotidiano dos negócios, montar uma loja virtual pode ser boa uma estratégia para divulgação de produtos, serviços ou, principalmente, para a venda de produtos.

O Sebrae aponta que a criação de uma loja virtual faz parte de um processo que pode ser feito pelo próprio empreendedor; entretanto, aconselha que é importante cautela e um mínimo conhecimento em informática, hospedagem e configuração de sites. Assim, é importante que a loja virtual tenha disponibilidade e segurança, que seja estável para realização de compras e conte com ferramentas de segurança para impossibilitar fraudes e erros durante as compras dos clientes.

Roberto Vautier explica que este é um nicho bastante amplo, em que é possível atuar de distintas maneiras ao vender um produto: “pode-se optar por abrir uma loja virtual ou partir para um marketplace, sendo que cada uma das opções possui características e demandam grau e esforços distintos”.

Com foco na opção de loja virtual, o especialista aponta alguns cuidados que devem ser tomados para o sucesso do negócio:

  • Buscar uma plataforma de vendas que atenda aos anseios de crescimento do negócio;
  • Definir um público alvo;
  • Definir os parâmetros de estocagem de produto para que não haja perdas nem falta de estoque;
  • Definir canais de atendimento;
  • Pensar nas estratégias de divulgação;
  • Contrato com fornecedores;
  • Formas de pagamento.

Com relação aos meios de pagamento, o Sebrae aconselha os futuros empreendedores a investirem em segurança e ferramentas tecnológicas cada vez mais práticas. Dentro de uma loja virtual, é possível realizar pagamentos com cartão de crédito, débito online, boletos, transferência eletrônica, intermediadores de pagamento (Paypal, Mercado Pago, Moip, PagSeguro), entre outros.

É importante que a etapa de pagamento seja rápida, sem incluir muitos passos ou abas, e que forneça ao cliente todas as informações necessárias: custo de frete, prazo de entrega, confirmação de pagamento e contato caso haja alguma dúvida ou problema.

Vautier acrescenta que as opções de loja virtual ou marketplace podem coexistir, uma vez que muitos varejistas possuem a loja virtual e estão escolhendo incluir os produtos nos marketplaces, sem que isso gere conflito entre os canais.

2Abrir uma agência de viagens

Investir em uma agência de viagens também pode ser uma boa ideia para abrir um negócio próprio, mas é importante entender as novidades e tendências do mercado de turismo.

Há, por exemplo, um crescimento de empresas que oferecem facilidades em hospedagem, a um preço mais baixo do que o de hotéis convencionais. “O airbnb, por exemplo, trouxe um novo cenário no qual temos mais pessoas viajando a lazer, porém muitas delas fazem suas compras sem qualquer intermediário, gerando um grande desafio para as agências”, explica Vautier.

O especialista comenta que é importante deixar claro que hobby e empreendedorismo são coisas muito diferentes e não podem ser confundidas: por mais que se goste de viajar, o futuro empreendedor deve avaliar se, realmente, abrir uma agência de viagens é a melhor estratégia para o seu perfil.

“É claro que uma das premissas para se abrir um negócio é ter um mínimo de afinidade com o segmento e com os produtos ou serviços que serão ofertados. Um hobby pode se tornar uma atividade comercial? Sim, mas quando uma nasce, a outra deixa de existir.”

Em pesquisa realizada pelo Ministério do Turismo em 2016, o turismo no Brasil é dividido de acordo com as motivações dos brasileiros: 56,8% viajam com foco em lazer; 21,1% para visitar amigos e parentes; e 18,7% em viagens a trabalho, para eventos ou convenções. Destinos do litoral do país estão no topo buscas (68,8%), seguido por ecoturismo e destinos com aventura (16,6%).

O Sebrae aponta que pesquisas de mercado devem ser realizadas, como para a abertura de qualquer modalidade de empreendimento. Entretanto, quando o assunto são as agências de viagens, o futuro empreendedor deve ficar de olho nas mudanças no consumo dos brasileiros. Como Vautier explicou, há um aumento nos serviços oferecidos pela internet, com reservas automáticas de hotéis, companhias aéreas e outros serviços.

Entretanto, o Sebrae demonstra que este ainda é um mercado promissor, tendo em vista a melhoria do padrão de vida dos brasileiros nos últimos dez anos, o aumento na captação de eventos de negócios pelo Brasil e campanhas realizadas pelo Ministério do Turismo com o objetivo de estimular as viagens dentro do território nacional.

Vautier acrescenta: “antes de mais nada é necessário, assim como em qualquer outro negócio, montar um plano de negócios no qual será definido: qual o público alvo, quais os produtos e serviços que serão ofertados, quais os canais de venda e de contato com o cliente.”

3Abrir um restaurante ou lanchonete

Por ser um segmento de forte apelo popular, com diferentes formatos para atuação e amplos produtos que podem ser servidos aos consumidores, o setor de alimentação é um dos setores mais tradicionais do mercado e chama a atenção de quem pensa em ideias para abrir um negócio próprio.

Roberto Vautier explica que, para quem sonha em abrir um restaurante ou uma lanchonete, por exemplo, é importante cumprir um cronograma de atividades e decisões que devem ser tomadas para estruturação do plano de negócios:

  • Estudo de mercado para entender o perfil do público e a região em que o negócio será estruturado;
  • Formato: ponto fixo, container, food truck, delivery ou modelo híbrido;
  • Quais os diferenciais a serem explorados;
  • Principais concorrentes;
  • Fornecedores;
  • Equipe de funcionários necessária;
  • Custos fixos e variáveis estimados.

Para conferir mais detalhes sobre essa ideia para abrir um negócio, veja aqui como abrir um restaurante ou como montar uma lanchonete – com dicas detalhadas e opções de modelos para investir.

4Abrir um escritório de consultoria

Para quem já tem experiência no mundo do empreendedorismo e quer transformar a carreira, abrir uma consultoria pode ser uma ótima ideia para abrir um negócio próprio.

Os escritórios de consultoria se posicionam no mercado como especialistas em oferecer auxílio em análise e soluções de problemas e desafios para empresas que atuam em diferentes mercados. O Instituto Brasileiro de Consultores de Organização (IBCO) define este tipo de serviço como a voltada para identificação, estudo e desenvolvimento de soluções para problemas referentes à estrutura, administração, funcionamento de empresas.

O Sebrae aconselha aos empreendedores que decidirem apostar em um escritório de consultoria que o modelo de negócio deve ser instalado em uma boa localização. Os clientes irão buscar o escritório para realização de reuniões e, por isso, o local deve ser próximo a centros financeiros, comerciais ou estar próximo aos principais clientes. O Sebrae também aponta que é possível a utilização de estruturas coworking, que oferecem estrutura física completa de escritório para realização de reuniões.

O número de funcionários vai variar com o porte do escritório de consultoria, propostas de atuação no mercado e número de clientes atendidos. O Sebrae indica que é importante que todos os funcionário tenham conhecimento nas áreas de atuação das empresas, habilidades de análise, negociação e identificação de necessidades e problemas das empresas.

5Abrir um negócio de transporte de encomendas

Com o avanço do e-commerce, o mercado de frete e transporte de encomendas e pequenas cargas está inserido em um cenário de crescimento de demandas. A oferta de serviços diferenciados e a entrada de micro e pequenas empresas também são outros pontos que impulsionam a necessidade de empresas especializadas em entrega de produtos. Assim, abrir uma transportadora é uma boa ideia para abrir um negócio próprio.

A estrutura sugerida pelo Sebrae é, inicialmente, contar com um ambiente com escritório para administração do negócio e garagem. Um serviço de frete de pequenas encomendas requer uma equipe de funcionários, divididos entre gerente, carregadores e motorista.

A localização da empresa deve ser um ponto a ser estudado. O escritório deve ser instalado próximo aos pontos de maior procura e, caso não seja possível, o negócio deve estar presente em pontos estratégicos no qual a empresa possa ser encontrada de forma fácil por quem irá contratar os serviços.

O Sebrae alerta que cada município brasileiro possui legislação específica para uso e ocupação do solo. Por isso, é importante analisar se a instalação de uma empresa de transporte de encomendas é permitida na cidade escolhida.

6Abrir um pet shop

Busca ideias para abrir um negócio em um setor com força de mercado? Abrir um pet shop pode ser a resposta: o Brasil tem, atualmente, o segundo maior mercado pet do mundo.

De acordo com pesquisas da Euromonitor, em 2018 o mercado voltado para animais de estimação faturou mais de 20 bilhões de reais – um resultado 9,8% maior do que o registrado em 2017.

O Brasil está posicionado no segundo lugar do ranking mundial, atrás dos Estados Unidos, com 6,4% de participação no mercado global de produtos para pet. Para os próximos anos a perspectiva é otimista: o faturamento em 2020 deve ultrapassar a casa dos 30 bilhões de reais.

A Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet) aponta que a maior parte dos gastos de brasileiros que têm pets ainda é com a alimentação. Entretanto, a Abinpet espera um crescimento no consumo de nichos preocupados com o bem estar e a qualidade de vida dos bichinhos, como insumos farmacêuticos, vacinas, acessórios e outros produtos.

7Abrir uma loja de cosméticos

Mesmo em meio a desafios econômicos, a indústria brasileira de beleza vem registrando excelentes resultados, com faturamento de mais de 10 bilhões de dólares por ano. Isso faz com que empreendimentos na área de beleza e estética sejam ótimas ideias para abrir um negócio próprio.

No Brasil, existem cerca de 7,4 mil lojas especializadas em cosméticos, perfumes e produtos de higiene pessoal, demonstrando a força deste mercado. Em 2018, o setor realizou mais de 900 milhões de vendas, faturando 47,17 bilhões de reais. O Brasil é considerado, atualmente, um dos maiores consumidores de cosméticos do mundo, ocupando a terceira posição no mercado mundial.

O Sebrae ressalta que o consumo de cosméticos e produtos para a higiene pessoal está presente em todas as classes sociais, o que demonstra o grande poder de penetração no mercado brasileiro. Entretanto, é importante que o empreendedor busque uma localização estratégica para a loja de cosméticos: deve haver identificação com o território e o endereço, dois pontos que devem condizer com os produtos vendidos pelo negócio.

O público feminino é, ainda, o principal responsável pelo consumo de cosméticos: cerca de 70% de tudo que é vendido, é voltado para as mulheres.

Ainda assim, o público masculino tem modificado hábitos e vem escolhendo investir em produtos de beleza, entendendo que o cuidado com o corpo e o bem estar não deve ser exclusividade das mulheres. Linhas de cremes e loções, produtos para barba, perfumes, desodorantes e outros produtos vêm sendo lançados no mercado, demonstrando que o nicho apresenta grande potencial para ser explorado.

8Abrir um bar

Que o brasileiro gosta de uma cervejinha, todo mundo sabe. Agora, os números de crescimento do setor demonstram que investir em um bar pode ser uma boa ideia para abrir um negócio próprio.

A Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) divulgou uma pesquisa da Cielo, que demonstra que o varejo brasileiro, antes estagnado em 2014, começou a demonstrar aceleração em 2018. Nos primeiros três meses de 2019, o setor de serviços registrou crescimento de 4,4%. Os bares e restaurantes cresceram 3,2%, sendo apontado como um dos elementos fundamentais para a evolução da economia do país.

Para além dos tradicionais bares, o mercado vem percebendo um aumento de ambientes tematizados, com cardápios diferenciados: além da aposta na qualidade das bebidas, os bares também apresentam aos clientes diferentes petiscos, além de programações musicais.

O Sebrae aponta os bares como elementos importantes para a atração de turistas, sendo que nos grandes centros urbanos, estes locais são as principais opções de lazer dos brasileiros. A junção de vida noturna e gastronomia é a receita de sucesso para uma boa ideia de negócio.

No Brasil, de acordo com a Abrasel, existem mais de 350 mil bares, que movimentam mais de 4 bilhões de reais ao ano. Com isso, é um modelo de negócio inserido em um mercado de ampla concorrência.

Para o Sebrae, é importante que o empreendedor seja criativo, no momento de estruturar esse modelo de negócio. É também essencial estudar o mercado local e identificar os clientes em potencial.

9Abrir uma distribuidora de bebidas

Se abrir um bar é uma boa pedida, apostar em uma distribuidora de bebidas também pode ser uma boa ideia para abrir um negócio próprio.

O Sindicato Nacional da Indústria da Cerveja (Sindicerv) aponta que o Brasil é o quarto maior país no ranking mundial de produção de cerveja. O aumento do consumo da bebida propicia a entrada de novas marcas de cerveja, demonstrando que o mercado tem interessante potencial para investimento. Ainda de acordo com o Sindicerv, no Brasil existem 42 grandes fábricas de cerveja, junto do investimento em expansão e modernização do parque industrial do país.

Roberto Vautier explica que, além dos dados de produção de bebidas do país, aspectos do formato do negócio de distribuição de bebidas devem ser estudados. Este é um mercado desafiador, com alguns índices de roubos de cargas.

“É importante contratar mão de obra qualificada para a posição de motorista transportador, além de arcar com um custo extra para compensar a falta de segurança no transporte”, alerta o especialista. Outro fator identificado pelo especialista são as cargas tributárias, quando há venda de produtos para outros estados.

Para operação do negócio, o Sebrae aconselha o empreendedor a contar com uma equipe de funcionários para as atividades de gerência geral, gestão comercial e equipe de vendas. É essencial realizar estudos sobre o estoque do negócio, no qual deve ser considerado o equilíbrio entre a oferta e a demanda de produtos.

10Abrir uma franquia

Além de estar de olhos nas tendências de mercado e apostar em criatividade para abrir de um negócio próprio, abrir uma franquia pode ser uma boa alternativa para quem quer estar à frente de um empreendimento.

Roberto Vautier explica que, assim como qualquer modalidade de negócio, uma franquia apresenta vantagens e desvantagens.

“A empresa franqueadora possui uma vantagem competitiva em detrimento dos negócios independentes que é sua força de marca. Esse aspecto favorece na hora de conquistar novos clientes. Ter um produto consolidado, que já passou por sua fase de maturação é outro ponto favorável para quem quer investir em franquias. Se por um lado têm os royalties e demais repasses que devem ser pagos mensalmente para a matriz, por outro lado a contrapartida do suporte oferecido faz toda a diferença para o franqueado, principalmente para aqueles de primeira viagem”, pondera Vautier.

O especialista alerta que muitos negócios podem fracassar no início das operações e, por isso, é imprescindível contar com um planejamento estruturado da rede. O planejamento indica valores para capital de giro, investimento em manutenção, custos fixos e gestão de mão de obra, informações decisivas para alcançar o sucesso da unidade.

No franchising brasileiro, os empreendedores encontram 11 opções de segmentos para investir e, dentro dos setores, existem diferentes modalidades de negócio: tradicional, quiosque, food truck, franquia virtual, microfranquia home based.

Os valores necessários para investimento também são variáveis, demonstrando que existem modelos de franquia para todos os tamanhos de bolso. Como a Lei de Franquias determina, os franqueados encontram treinamento e suporte completos para operação das unidades.

Quer conferir opções de franquias para investir? Confira oportunidades em diferentes segmentos:

DEIXE UMA RESPOSTA