Como abrir um bar: dicas e 7 opções para investir

0
3973
como abrir um bar
como abrir um bar

Cerveja gelada. Porções e petiscos. Música ao vivo. Quem não gosta de encontrar os amigos em um barzinho para jogar conversa fora depois de uma semana “daquelas” de trabalho? E se você puder trabalhar em um ambiente descontraído desse?

O empreendedor que decide abrir um bar certamente entra em um mercado muito rentável e concorrido. De acordo com a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (ABRASEL), existem mais de 350 mil barzinhos no país. Esses estabelecimentos movimentam cerca de 4 bilhões de reais por ano.

➥ Busca franquias de comidas para investir? Confira nosso guia de franquias de alimentação (com valores de investimento)

Esses números não chegam a estranhar. Segundo dados da Euromonitor, o consumo per capita de cerveja no Brasil é 60,7 litros por ano. Além disso, os bares costumam ser o ponto de encontro para o tradicional happy hour das empresas.

Mas, não é só a bebida alcóolica que costuma levar os clientes aos barzinhos. Pesquisa do Ibope em parceria com a Fiesp afirma que 11% dos brasileiros que comem fora de casa costumam fazer suas refeições em bares.

Se você ficou interessado nesse mercado e pretende abrir um bar, vale a pena conferir as dicas deste texto até o final!

Como abrir um bar

Ter dinheiro e muita vontade de trabalhar não são garantias de sucesso de nenhuma empresa. O mesmo vale quando falamos em abrir um bar. Para se ter ideia, a ABRASEL afirma que 85% dos bares fecham as portas após dois anos da abertura.

Para não fazer parte dessa estatística, é melhor seguir as dicas abaixo. Vamos lá.

Perfil de quem pretende abrir um bar

Gostar da noite. Esse é o primeiro requisito que alguém que pretende abrir um bar deve ter. Afinal de contas, é na noite que acontece o maior fluxo de pessoas. E, para ter sucesso, é muito importante que o empreendedor coloque a “barriga no balcão” e acompanhe tudo de perto.

Mas, é claro que gostar da noite não é o suficiente para ter sucesso com um bar. O ideal é que o dono de um bar tenha ótima capacidade de negociação para conseguir os melhores preços com seus fornecedores. Ter um boa noção de finanças também se faz essencial para a condução de qualquer negócio, e a história não seria diferente com um bar.

Por fim, é interessante ter um ótimo relacionamento interpessoal. Os funcionários precisam enxergar no dono do bar um líder que merece ser seguido e respeitado. Essa qualidade também pode ser decisiva para transformar os consumidores ocasionais em clientes.

Plano de negócios

Tem o perfil empreendedor para montar um bar? Então, o primeiro passo está em fazer o plano de negócios. Nele, você deve listar seus objetivos, perfil do público-alvo, forças e fraquezas de seus concorrentes e os diferenciais da sua empresa.

Ao colocar tudo no papel, você consegue se organizar melhor e definir quais são os próximos passos que você deve dar para alcançar cada objetivo. Essa é a melhor maneira para começar o seu negócio com mais segurança.

Escolha do ponto comercial

A escolha do ponto comercial pode ser decisiva para o sucesso (ou fracasso) do seu negócio. Quando falamos de um bar, é importante que ele esteja localizado no caminho que o seu público-alvo costuma fazer no dia a dia.

Por exemplo, se o seu público-alvo for jovens estudantes, vale a pena abrir um bar próximo de cursinhos e universidades. É interessante, também, que o estabelecimento esteja em uma região de fácil acesso aos clientes, com estacionamento para veículos e serviço de valet.

Para proporcionar uma boa experiência aos clientes, o espaço deve ser organizado e limpo. Pense em um layout que chame a atenção do seu público-alvo. Vale a pena destacar as marcas de cerveja que você trabalha, por exemplo.

Cardápio variado

Dentro desse mercado, os consumidores estão ficando mais exigentes. Clientes de bares querem mais variedade de opções, principalmente de cervejas. Nos últimos anos, o crescimento do consumo de cervejas premium foi expressivo no Brasil.

Segundo levantamento da Euromonitor, para cada litro de vinho consumido em 2016 no país, quatro litros de cerveja premium foram consumidos. Em 2011, a proporção era de um litro de vinho para 2,7 litros de cerveja, um avanço de 49% em cinco anos. Diante desse cenário, vale a pena ter, em seu cardápio, uma grande variedade de rótulos de cerveja.

Mas, vamos combinar: a maioria das pessoas não vai ao bar apenas para beber. Para acompanhar a cerveja gelada, são servidos petiscos e porções. Os mais tradicionais de bares são queijos e frios, carnes variadas, bolinhos e pastéis diversos, batatas fritas e por aí vai.

Como falamos acima, muitas pessoas optam por bares quando decidem comer fora de casa. Nesse sentido, é interessante ter pratos quentes e lanches rápidos. Quando for montar seu cardápio, não se esqueça de incluir opções vegetarianas, que estão em alta no país – de acordo com o Ibope, cerca de 10% da população é vegetariana.

Ao oferecer uma boa variedade de opções, você consegue atrair mais pessoas para dentro do seu bar e, inclusive, aumentar o seu tíquete médio.

Atenção à legislação

Ao mesmo tempo que oferecer uma variedade grande de comida pode atrair e fidelizar mais seus clientes, essa estratégia exige muitos cuidados. Em especial com a questão a higiene da cozinha e qualidade dos produtos.

Por isso, o dono de um bar precisa estar sempre por perto para evitar qualquer tipo de transtorno. É fundamental que ele cobre de seus colaboradores organização para manter a cozinha sempre limpa e em ordem. Dessa forma, estará cumprindo as exigências sanitárias.

Quanto à qualidade dos produtos, exige-se uma atenção redobrada. Isso porque os ingredientes costumam ter prazo curto de validade. Você já sabe: servir comida vencida implica multa pesada ao estabelecimento.

Portanto, esteja sempre em dia com a legislação local. Isso inclui ter os seguintes documentos: Alvará Sanitário, Autovistoria de Corpo de Bombeiros, Limpeza de Caixa D’água, Laudo de Potabilidade da Água, entre outros.

A questão do barulho também deve ser avaliada pelos empreendedores deste segmento, especialmente tendo em vista bairros residenciais e a legislação do município. Em algumas cidades, como São Paulo, existe a famosa Lei do Psiu (Programa de Silêncio Urbano). Essa lei proíbe que estabelecimentos façam sons acima de 45 decibéis a partir de um determinado horário. Na primeira notificação, um bar que emitir ruídos acima do permitido deve pagar uma multa de 10 mil reais. Esse valor sobe para 20 mil reais na segunda notificação. A terceira e última advertência implica multa de 30 mil reais e fechamento do estabelecimento.

Eventos promocionais

Quando abrir um bar, tenha em mente que você deve fazer diversos tipos de eventos promocionais para impulsionar as vendas. Como os barzinhos costumam ficar mais movimentados aos finais de semana, você pode escolher um dia da semana para fazer o dia do samba, por exemplo. Com música ao vivo, você consegue atrair um público que gosta do bom e velho samba e encher a casa em um dia que poderia ser morto.

Além de buscar empresas parceiras e estar atento às datas especiais, é preciso entender o público que frequenta os bares. Há aqueles que gostam de fazer o happy hour depois do expediente em um barzinho próximo ao trabalho. Nesse caso, é interessante conceder descontos promocionais em um dia útil à noite para atrair esse público. Muitos bares escolhem um dia da semana para oferecer double chopp: na compra de um, você ganha dois chopes.

Reunir os amigos para assistir a jogos de futebol em bares também é uma tradição no Brasil. Afinal de contas, esse programa une duas das maiores paixões nacionais: cerveja e futebol. Por isso, procure anunciar nas suas redes sociais e em outros canais que as pessoas podem acompanhar ao jogo em seu bar.

Com a Copa do Mundo à vista, vale a pena fazer eventos promocionais em dias de jogos, principalmente quando o Brasil entrar em campo. De acordo com a Abrasel, o movimento nos bares cresceu em média 70% durante as partidas da seleção na última Copa do Mundo, em 2014.

Aliás, por que não fazer um bom investimento em um telão? Assim, você permite que todos os seus clientes possam assistir aos jogos.

Como abrir um bar investindo em franquias

Abrir um bar não é nada simples, exigindo do empreendedor muitas habilidades em diversas áreas. Mas, todo esse processo pode ser simplificado se você optar por investir em uma franquia.

De modo geral, as redes oferecem ao franqueado todo o suporte necessário antes e depois da inauguração da unidade. Lembre-se que a marca também deseja o sucesso do franqueado. Afinal de contas, é o nome da marca que está sujeito a críticas do mercado.

Não é por acaso, portanto, que apenas 5% das unidades franqueadas fecham as portas depois dos cinco primeiros anos de atividade contra 60% das empresas no mesmo período. Enfim, abrir um bar investindo em franquias é uma alternativa muito mais segura para o empreendedor.

Além de investir em uma marca já consolidada no mercado, o franqueado recebe apoio da marca logo na escolha do ponto comercial da franquia. Juntos, eles avaliam a viabilidade do negócio em determinada região, levando em conta o fluxo de pessoas, a legislação local, a estrutura do imóvel e a concorrência.

Ao mesmo tempo, o franqueado recebe todo o know how da marca por meio do treinamento de franquia. Visando um atendimento padronizado em todas as unidades, as marcas estendem os treinamentos aos funcionários.

Como você trabalha em rede, todos os custos do dia a dia ficam reduzidos. Aqui, estamos falando do investimento em capacitação profissional e campanhas de marketing.

Por fim, quando decide abrir um bar investindo em franquias, você está entrando em um mercado muito rentável. De acordo com dados da Associação Brasileira de Franchising (ABF), as franquias de alimentação são as que mais faturam. Em 2017, foram movimentados 42,816 bilhões de reais nesse segmento, um avanço de 6% em relação ao ano anterior.

Vale lembrar que existem muitos picaretas no mercado, que prometem uma coisa e entregam outra. Para não correr esse risco, recomenda-se conversar com pelo menos dois franqueados da marca em que você pretende investir. Eles podem te dar uma resposta objetiva de como o modelo de negócio funciona na prática. Assim, você toma uma decisão muito mais consciente.

Não se esqueça de contar com a ajuda de um profissional competente na hora de assinar o contrato de franquia. Um advogado especializado pode apontar pegadinhas escondidas em um contrato, por exemplo. Por isso, sempre é bom ter alguém confiável por perto.

Ficou interessado? Então, confira as opções de franquias de bares que selecionamos para você conhecer. Os dados de investimento são informados pelas próprias empresas ou divulgados pela ABF.

1

Chopp Time

Chopp Time

Fundada em 1999, a Chopp Time é uma choperia que oferece franquias no formato quiosque, loja de shopping e loja de rua. O prazo para a montagem e instalação do ponto comercial é de 90 dias. Para se tornar um franqueado, a rede exige afinidade com o tema e experiência mínima de três anos em atividade comercial, preferencialmente como proprietário.

Investimento: R$ 200.000 até R$ 820.000
Faturamento: R$ 90.000 a R$ 220.000
Prazo de Retorno: 12 até 36 meses
2

Nosso Bar

Nosso Bar

A Nosso Bar é uma rede de franquias de bares da Ambev, que trabalha com a possibilidade dos franqueados personalizarem o nome do bar. As unidades trabalham com a venda das bebidas da Ambev e contam com cardápio de alimentos que varia conforme a região.

Investimento: R$ 38.000 até R$ 83.000
Faturamento: Não informado
Prazo de Retorno: 24 até 36 meses
3

Chopp Brahma Express

Chopp Brahma Express

A franquia Chopp Brahma é um negócio atrativo para quem quer entrar no ramo de bares e cervejas. Parte da rede de franquias Ambev, a rede tem três modelos de negócios: ilha (o mais compacto da marca), indoor ou street. A lucratividade média é de 12% a 15% mensais e não é necessário ter experiência anterior no mercado de alimentação ou de bebidas.

Investimento: R$ 510.000 até R$ 740.000
Faturamento: R$ 150.000
Prazo de Retorno: 36 até 48 meses
4

Seu Boteco

Seu Boteco

As unidades Seu Boteco oferecem serviço personalizado de bar, com opções de cervejas, petiscos e outros clássicos dos bares brasileiros. As unidades franqueadas são estruturadas em formato de bar tradicional, com a proposta de ser um local intimista e aconchegante para encontrar os amigos e reunir a família.

Investimento: R$ 800.000
Faturamento: R$ 190.000
Prazo de Retorno: 24 até 36 meses
5

Alles Blau

Alles Blau

A Alles Blau é uma cervejaria de Santa Catarina que lançou recentemente modelos de franquias de cerveja artesanal, trabalhando com cervejas de diversos tipos de fabricação própria. Os dados a seguir são referentes ao modelo bike beer, que permite que o franqueado venda a bebida em locais públicos.

Investimento: R$ 25.000
Faturamento: R$ 20.000
Prazo de Retorno: 20 meses
6

Chope do Mestre

Chope do Mestre

A Chope do Mestre traz a proposta de revolucionar o mercado de consumo de cervejas especiais. A marca oferece aos clientes cervejas artesanais, vendidas a preços acessíveis, acompanhadas de petiscos de qualidade. O modelo de negócio é em formato quiosque, de fácil operação e gerenciamento.

Investimento: R$ 170.000
Faturamento: R$ 40.000 a R$ 70.000
Prazo de Retorno: 24 até 36 meses
7

Confraria Paulistânia

Confraria Paulistânia

A Confraria Paulistânia é uma rede de franquias de cervejas especiais, com uma seleção de cervejas importadas de diversos estilos e origens. Além disso, as unidades também contam com cervejas da marca própria da rede, a Paulistânia. As franquias são de distribuidoras e podem atender comércios varejistas.

Investimento: R$ 170.000 até R$ 350.000
Faturamento: Não informado
Prazo de Retorno: 20 até 36 meses

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui