Sonha em abrir uma franquia? As opções são muitas: o franchising brasileiro apresenta 11 possibilidades de segmento para investimento, que vão desde o mais tradicional, como o de franquias de alimentação, até os mercados mais atuais, que surgem com o avanço da internet e das tantas possibilidades de atuação no meio online.

O investimento em franquias garante ao empreendedor a tranquilidade de atuar junto a uma marca com maturidade de mercado, com produtos e serviços já testados. Por meio da Lei de Franquias, legislação que visa regulamentar a prática, os franqueados encontram a garantia de receber treinamento antes da inauguração das unidades, além de suporte completo no dia a dia de operação das franquias.

De acordo com a Associação Brasileira de Franchising (ABF), o setor mantém crescimento expressivo, registrado ao longo dos anos. O faturamento registrado em 2018 foi 7,1% superior ao identificado no ano anterior: em 2017, as redes faturaram 163,31 bilhões de reais e, no ano seguinte, o faturamento saltou para 174,84 bilhões de reais. A Associação acredita que o desempenho positivo é fruto da melhora nos índices de confiança no país, pela retomada da expansão das redes e pelo constante investimento em inovação, capaz de alavancar o faturamento do setor.

O Estudo de Desempenho do Setor, desenvolvido pela ABF, também identificou a retomada do número de redes de franquia, que voltou a crescer após queda registrada em 2016. Em 2017 existiam 2.845 redes de franquias operando no Brasil e, no ano passado, o total registrado foi de 2.877 franquias em todo o território nacional.

Ao  mesmo tempo, a ABF aponta que o ritmo de expansão das redes vem sendo potencializado pelo desenvolvimento de novos formatos e modelos de negócios, capazes de atrair diferentes perfis de investidores e ofertar modelos de negócio com maior diversidade de capital necessário para abrir uma franquia.

O franchising brasileiro tem também grande participação na geração de empregos no país, principalmente em épocas de instabilidades econômicas e políticas. Em 2017, o número de vagas de empregos dentro do franchising era de 1,19 milhão e, no ano seguinte, o aumento foi de 8,8%, chegando a mais de 1,29 milhão de vagas. A ABF conclui que o aumento do número de empregos diretos tem relação com a retomada da expansão do setor, junto ao aumento de novos contratos intermitentes e temporários.

Se você quer investir no franchising, vai encontrar nesta matéria algumas ideias para abrir uma franquia, em diferentes segmentos. Para conferir opções de marcas em cada setor, navegue pelos links indicados e visite as galerias. Boa leitura!

1Abrir uma franquia de alimentação

Segmento mais tradicional do franchising brasileiro, as franquias de alimentação estão inseridas em um mercado que, ao longo dos anos, vem registrando desempenho positivo quando o assunto é faturamento e crescimento do número de unidades pelo país.

O Seminário Setorial de Food Service, desenvolvido pela Associação Brasileira de Franchising (ABF), demonstrou aos investidores os números do setor, com boas perspectivas para o futuro. Atualmente, o franchising brasileiro conta com 762 redes que atuam com alimentação, sendo um total de 33.895 mil unidades em todo o país. O faturamento do segmento em 2018 foi de 45,82 bilhões de reais.

No terceiro trimestre deste ano, o faturamento das redes que atuam com alimentação foi 5,3% maior do que o mesmo período em 2019: um aumento de 11,61 milhões para 12,23 milhões de reais. O número de unidades também registrou aumento, de 6,7% em comparação entre o terceiro trimestre de 2018 e o mesmo período deste ano.

Para Jefferson Ramirez, consultor de franchising, investir em um negócio no segmento de alimentação significa atuar junto do mercado que mais fatura no país.

“Por ser o segmento mais conhecido do franchising, com grande marcas e operações famosas, inclusive internacionalmente, é o mercado que mais atrai candidatos que podem optar por investimento mais altos, em restaurantes e grandes redes de fast food, ou em operações mais enxutas”, explica Ramirez.

O especialista comenta que o setor de alimentação se adapta muito bem às variações econômicas e oscilações do mercado “porque existem franqueadoras consolidadas e muito bem organizadas, presentes em locais estratégicos”. Assim, as redes constroem estratégias para superar desafios econômicos e outros fatores que podem incidir no desempenho das unidades, além de atuarem junto às mudanças de consumo dos brasileiros, que vêm buscando formas de se alimentar fora de casa em meio a correria do dia a dia.

Ramirez completa que, além de ser o segmento mais tradicional e que sempre demonstrou bons resultados, outro ponto positivo das redes de alimentação é a possibilidade de atuar em um segmento de baixa complexidade, sob o respaldo de treinamentos oferecidos pelas franqueadoras. Os franqueados ficam por dentro de todos os processos da unidade, o que colabora para o bom desempenho da rede.

Mas, ao mesmo tempo em que o investidor se sente seguro ao adquirir uma franquia de alimentação, também pode encontrar alguns desafios no dia a dia de operação.

“Em primeiro lugar, este é um modelo de negócio que exige extrema dedicação, incluindo dias de trabalho em finais de semana e feriados. A operação deve seguir as regras da franqueadora, já que há impacto na saúde dos consumidores, como exigências da vigilância sanitária, limpeza, conservação, manuseio e cuidados para evitar contaminações”, avalia Ramirez.

Assim, o atendimento nas unidades devem ser de excelência e, principalmente, o empreendedor deve investir na qualidade dos produtos.

“A logística é um outro fator a ser considerado, já que existe possibilidades de atuar com diversos canais, desde que com boa política comercial para evitar conflitos. O controle do estoque deve ser rigoroso e pode acontecer variações no faturamento de acordo com a sazonalidade”, explica Ramirez.

Sidney Kalaes, especialista em franchising e presidente do Grupo Kalaes, alerta que, apesar dos bons números do segmento de alimentação e dos variados modelos de negócio para atuação, é importante atenção e muito preparo. “Este é um dos ramos mais procurados pelos investidores. É um mercado, além de extremamente concorrido, muito técnico e que requer experiência por parte dos empreendedores”, afirma o profissional.

Para Kalaes, além de ser um mercado complexo, a atuação como franqueado exige certos diferenciais, como investir junto a uma marca que ofereça aos consumidores produtos inéditos, inovadores e que estejam em compasso com as tendências do mercado. “Outras dificuldades estão na mão de obra específica e controle de estoques, cuidando do custo da produção. Um menor erro na panificação, por exemplo, representa muito prejuízo”, aconselha.

Internacionalização

As franquias de alimentação também fazem parte de um movimento crescente no Brasil: a internacionalização. Em estudo desenvolvido em 2018 pela ABF, foi levantado que existem 145 redes nacionais operando em 114 países. No ano anterior, o total era de 142 redes presentes em 100 países.

O principal destino para as marcas brasileiras é o Estados Unidos, com 59 redes do Brasil; seguido por Portugal (34) e Paraguai (32).

O segmento de Alimentação é o terceiro mais representativo na internacionalização contando, atualmente, com 22 redes operando no exterior.

Opções de franquias de alimentação para investir

2Abrir uma franquia home based

A modalidade de microfranquia, trabalhada por diferentes segmentos do franchising, oferece aos franqueados a possibilidade de operar uma franquia de dentro da própria casa. Com modelos que exigem menor valor de investimento, operações mais enxutas, sem necessidade de ponto comercial ou contratação de funcionários, as franquias home based apresentam aos empreendedores uma nova forma de ser dono do próprio negócio, com o suporte e treinamento de uma rede com maturidade de mercado.

De acordo com a ABF, 557 redes trabalham com modelos de franquias de baixo custo no qual, dentre elas, os empreendedores encontram a possibilidade de investimento em franquia home based.

A projeção da Associação é que, nos próximos anos, o número de franquias de diferentes segmentos que começarão a apostar em modalidades de negócio home office irá aumentar. Cerca de 36% das marcas que ainda não trabalham com um modelo de microfranquia afirmam ter interesse em apostar em oportunidade de negócio no formato.

“É importante esclarecer que diferentemente do sistema home office, utilizado por empresas para otimizar espaços, o sistema home based das franquias foi criado para quem está disposto a trabalhar exclusivamente de dentro da própria casa. Muitas franquias passaram a oferecer essa opção para reduzir custos de montagem de uma unidade, permitindo que o franqueado trabalhe com processos estruturados, de dentro da própria casa”, explica Jefferson Ramirez.

O especialista aconselha os futuros franqueados que desejam atuar em formato home based que é essencial não misturar as atividades domésticas com as profissionais. O primeiro passo é buscar uma rede que ofereça uma proposta interessante para o perfil do empreendedor, que sejam feitas análises dos serviços e produtos oferecidos pela rede, se é um modelo já testado no mercado, com boa lucratividade e que ofereça acompanhamento e suporte completo.

“O grande desafio de trabalhar em casa é manter o comprometimento. Encontrar o equilíbrio para manter o foco, as rotinas e a disciplina, sem criar estresse, é possível quando há vontade de prosperar. Uma das maiores barreiras para um bom desempenho no home based é a procrastinação, adiando ou delongando ações”, explica o especialista. Para isso, Ramirez aconselha que os empreendedores estruturem um ambiente de trabalho dentro de casa, com condições necessárias para cumprimento das tarefas.

Opções de franquias home based para investir

3Abrir uma franquia online

Dentro da possibilidade de investimento em franquias home based, muitas das marcas possibilitam que os franqueados atuem em formato de franquia online. Nestes casos, os empreendedores podem administrar marcas que trabalham, por exemplo, com serviços de comunicação como, por exemplo, agências de publicidade em sacos de pão, agências de marketing ou de publicidade, lojas virtuais que trabalham com diferentes produtos.

Jefferson Ramirez explica que estruturar um negócio online é sinônimo de se tornar um empreendedor digital: o conceito é o mesmo que abrir um negócio físico, entretanto, todas as atividades de gerenciamento e operação são realizadas via internet. Os custos desta modalidade de negócio são inferiores, se comparado com as franquias tradicionais, estruturadas em pontos comerciais ou quiosques, por exemplo. Ainda assim, as necessidades de investimento, preparação, inovação e comprometimento são as mesmas exigidas por qualquer modelo de negócio.

“São vários os tipos de negócios digitais, como o e-commerce, produtos digitais, anúncios via blogueiros e youtubers, programas de afiliados, produtores digitais, plataformas onlines e dropshipping. É possível se concentrar na venda de produtos dispostos em uma loja virtual, por exemplo, sendo o estoque e logística responsabilidade de uma empresa”, exemplifica o especialista.

Atuar junto a uma rede de franquias, com maturidade de mercado, auxilia nas tarefas fundamentais de um negócio digital “principalmente na transferência de know-how, que vai ter um impacto muito grande no planejamento, organização e controle da unidade. O Brasil é um dos países com maior número de usuários da internet, gerando grandes oportunidades e atraindo muitas franqueadoras preparadas para operar com excelência, oferecendo boas oportunidades para quem deseja ter o seu próprio negócio, com investimento baixo, por não necessitar de ponto comercial fixo, estoques e colaboradores, diminuindo os custos operacionais”, afirma.

Ramirez explica que o processo de seleção de um franqueador online segue o mesmo padrão de uma marca convencional: análise do perfil pessoal e empreendedor do futuro franqueado, entrega da Circular de Oferta de Franquia, pesquisa com outros franqueados e análises de mercado.

A rentabilidade de uma franquia online é um dos destaques do modelo de investimento, uma vez que ao realizar compras onlines, os consumidores aproveitam preços mais atrativos do que nas lojas físicas e encontram maior disponibilidade de produtos, com facilidade de entrega, pesquisas comparativas e formas flexíveis de pagamento.

Um desafio que pode ser enfrentado pelo franqueado é a falta de interação do vendedor com os consumidores, não existindo um profissional para realizar atendimento humanizado e mediações no processo de compra “até porque, ainda há um pouco de desconfiança de alguns brasileiros ao comprar pela internet. Para minimizar essa situação, as franqueadoras estão investindo em meios de pagamento e canais de atendimento mais eficientes”, segundo Ramirez.

A aposta na experiência do cliente, em todos os passos de busca pelo produto e realização da compra, é um valor fundamental para o sucesso de uma marca. É importante que seja criada uma memória positiva da marca, sendo a integração entre físico e virtual uma possibilidade para renovar experiências e destacar um negócio no mercado.

Opções de franquias online para investir

4Abrir uma franquia de roupa

Inseridas no segmento de Moda, as franquias de roupas fazem parte do movimento contínuo de internacionalização de franquias brasileiras. De acordo com a ABF, o segmento de Moda é o mais representativo do movimento e conta, atualmente, com 35 marcas em atuação no exterior.

O desempenho do setor ao longo dos anos é outro motivo para destaque. Entre os anos de 2017 e 2018, a variação de faturamento do segmento foi de 4,9%, com registro de 21,8 bilhões de reais em 2017 e 22,93 bilhões de reais no ano passado. O número de unidades também aumentou de um ano para outro, com variação de 7,6%.

Os resultados deste ano seguem as projeções positivas, como explica Ramirez: “quanto ao faturamento, o segmento de Moda apresentou variação de 8,6% no comparativo entre o terceiro trimestre de 2018 e o terceiro trimestre deste ano”.

Quando um investidor escolhe apostar em uma franquia de roupas, segundo o especialista, encontra benefícios na administração da franquia, como transferência completa de know-how, política de preços, uso de marca e investimento em tendências do mercado da moda.

Mas, Ramirez faz um alerta: “é importante ter identificação com esse tipo de negócio e também estudar o suporte oferecido. Para obter bons resultados, é importante uma boa administração, com atenção especial para estoque, controle financeiro, saber gerir a equipe de funcionários e não economizar no marketing”.

Outro ponto essencial para o sucesso de uma franquia de roupa é saber escolher o ponto comercial. “Não pode haver erro nessa escolas. Algumas franqueadoras acompanham no processo de escolha do ponto, auxiliando os franqueados na localização adequada, o que proporciona mais segurança à unidade”, pontua Ramirez.

Os desafios que podem ser enfrentados por um franqueado de moda são os custos para montagem da loja, que podem ser altos: aquisição do ponto comercial, decoração, adequação do layout, estoque inicial, além do valor do capital de giro. “Os custos com publicidade também são altos, mas há a possibilidade de usar os benefícios da franqueadora, com propaganda cooperada e com ações do fundo de propaganda e publicidade”, explica o especialista.

O interessante das lojas de roupa é que, com o avanço da internet, dos apps de venda e das possibilidades de estruturar um negócio online, o e-commerce se posiciona como uma estratégia para aumentar os ganhos da unidade ou, simplesmente, concentrar os esforços de atuação exclusivamente online.

Ramirez complementa: “é possível optar por modelos híbridos com ponto físico, complementando o negócio no ambiente virtual. Neste caso, o ambiente físico se espelha na proposta online, e isso é fruto da mudança no design das lojas”.

Opções de franquias de roupas para investir

5Abrir uma franquia de educação

Dentro do segmento de franquias de educação, os franqueados encontram oportunidades diferentes para atuar tanto em modalidades de franquia física ou de home based, com possibilidade de atendimento nas casas dos alunos, em escolas já estruturadas, centros de ensino, entre outros ambientes. É um mercado com grande potencial para crescimento, com movimentação de mais de 134 bilhões de reais todos os anos, analisando os dados dos setores público e privado.

O desempenho registrado vem sendo positivo, com resultados dentro das perspectivas de crescimento. De acordo com a ABF, entre o primeiro e quarto trimestre de 2017, o faturamento das redes que se dedicam aos serviços educacionais foi de 10,83 bilhões de reais. No ano seguinte, em 2018, o faturamento anual foi de 11,40 bilhões de reais, com crescimento de 5,2% em comparação com o ano anterior.

A ABF também registrou crescimento na variação de unidades entre os períodos, com crescimento de 6,5% de um ano ao outro.

Um dado que é destaque para o segmento é o aumento de unidades de microfranquias dentro do ramo de serviços educacionais. O segmento foi o terceiro com maior número de microfranquias, com 83 unidades identificadas em 2018. Resultado que indica a possibilidade de atuação em formatos de negócio mais enxutos, de fácil gestão e operação no dia a dia. As microfranquias permitem valores de investimento mais baixos que as franquias convencionais, sendo muitas podendo ser operadas em sistema home based.

Os resultados sobre o mercado de idiomas no Brasil indica um cenário com grande urgência para estruturação de novos negócios que atendam uma demanda importante. De acordo com uma pesquisa da Catho, somente 5% dos brasileiros falam uma segunda língua e, quando pensamos em fluência de um outro idioma, o resultado é ainda menor, somente 3% da população brasileira. Os números demonstram que há uma grande necessidade de diversificação de modelos de serviços educacionais no país, em prol da democratização do acesso ao ensino de idiomas.

Jefferson acrescenta que o setor mais conhecido dentro do segmento de serviços educacionais é, de fato, o de escolas de idiomas “Isso ocorre porque a educação regular no Brasil não atende satisfatoriamente as necessidades reais do ensino, quando se trata de línguas estrangeiras. As próprias instituições de ensino são parceiras em potencial, atraindo investidores com o objetivo de oferecer mais qualidade e abrangência”, exemplifica.

Muitas redes de ensino de idiomas também oferecem possibilidade de investimento em modelos híbridos, que unem aulas presenciais com ensino à distância. O especialista aconselha os interessados em apostar neste nicho, que se trata de um mercado concorrido, apesar das diversas possibilidades de atuação. Portanto, é importante analisar a Circular de Oferta de Franquias, além de conversar com outros franqueados para avaliar a reputação e desempenho da marca.

O segmento de serviços educacionais não se resume às redes de idiomas. Os empreendedores encontram opções de investimento em cursos preparatórios e profissionalizantes, livres, escolas de música, artes e treinamentos, culinária, de robótica, tecnologia, entre outras. “As franquias de educação estão investindo no desenvolvimento de novas tecnologias para destaque no mercado. As redes que se destacam também são aquelas que investem em diferenciais na metodologia de ensino, capaz de desenvolver múltiplas inteligências, com foco em habilidades cognitivas, criatividade e estratégia”, complementa.

O investimento no setor permite que os franqueados atendam públicos distintos, seja da classe A ou da classe D. O especialista afirma que os modelos de negócio apresentam lucratividade interessante mas, geralmente, o prazo de retorno de investimento é de médio a alto. “O momento para as franquias de educação é propício sobretudo para aquelas que possam oferecer soluções criativas e inovadoras e que tenham como premissa básica disponibilizar aos parceiros e clientes oportunidades para desenvolver diferenciais competitivos”, afirma.

Opções de franquias de educação para investir

6Abrir uma franquia de serviços

As franquias de serviços possibilitam que os franqueados encontrem diferentes nichos para atuação, com a proposta de oferecer soluções para o cotidiano das pessoas.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informa que o setor é caracterizado por atividades bastante distintas e oferecidas por empresas de diferentes portes. Para o IBGE, nas últimas décadas, o desempenho das empresas que atuam neste mercado vem conquistando destaque por meio de investimento em tecnologias que visam o dinamismo e pela crescente participação na produção econômica do país.

Ao passo que o segmento apresenta múltiplas possibilidades de atuação como franqueado, o setor vem registrando desempenho positivo ao longo dos anos. O faturamento registrado em 2018 foi 8,7% maior do que em 2017: de 22,92 bilhões de reais para 24,92 bilhões de reais. A variação do número de unidades também foi positiva, de 2,7% entre os dois anos.

O segmento também registrou aumento no número de microfranquias, indicando que há espaço para modelos de franquias baratas, com negócios mais enxutos e de fácil operação. Em 2017, existiam 67 unidades no formato microfranquia e, em 2018, o total saltou para 80 unidades.

A variedade de nichos para atuação dentro do segmento de serviços é um dos pontos positivos de investimento no setor. Ao mesmo tempo, os candidatos a franqueados também encontram modalidades distintas para atuação, seja em modelo de franquia tradicional, como de franquia de loja ou escritório, seja em formato home based ou de franquia virtual. Com um leque grande de oportunidades, o processo de busca pela franquia ideal é facilitado, sendo contemplados diferentes perfis de empreendedores a partir dos diferentes serviços oferecidos à sociedade.

É o segmento mais diversificado do franchising, com possibilidades de atuação em empresas de seguros, telefonia, segurança, consultoria, assessoria, logística, financeiros, contabilidade, rastreamento, armazenamento, medições, coworking, vistorias, recursos humanos, serviços para pets, entre outros.

Jefferson comenta que, um ponto positivo de apostar em uma franquia de serviços é o valor de investimento, que costuma ser mais baixo do que de outros segmentos “principalmente por não haver estoque e aquisição de máquinas e equipamentos de alto custo. Essas franquias são adequadas para quem está entrando no mercado pela primeira vez, com muita vontade de progredir rapidamente”. O consultor explica que as franquias de serviços, em sua maioria, dão mais liberdade ao franqueado, que pode conquistar maiores ganhos de acordo com o empenho e dedicação na unidade.

Além da economia nos valores de investimento, Jefferson comenta que as redes que atuam neste segmento não costumam ser diretamente afetadas por desafios econômicos ou com as sazonalidades, proporcionando aos franqueados um equilíbrio durante todo o ano. O especialista aponta as tendências para o segmento de serviços, enxergando nas modalidades home based e nas operações de shopping boas oportunidades para atuação nos próximos anos.

“Com despesas e investimento menores que outros segmentos no franchising, o setor tende a crescer inclusive com mais operações na modalidade home based. Os shopping centers precisam dessas operações para atração de público e disponibilizam áreas de serviços exclusivas para instalação de lojas com valores inferiores”, afirma.

Algumas redes que trabalham com serviços oferecem aos franqueados modelos híbridos para investimento, com lojas físicas e virtuais, a partir da possibilidade de conectar as plataformas com outros ecossistemas do mercado.

Jefferson aconselha os interessados em investir em uma franquia de serviços a necessidade de adotar abordagens diferentes “além da escolha do perfil adequado para atuar como franqueado nesse tipo de operação, sendo um dos fatores mais importantes para o crescimento sustentável da unidade”.

Opções de franquias de serviços para investir

7Abrir uma franquia de saúde

As franquias de saúde estão inseridas em um cenário de crescimento contínuo, com tendência de desempenho positivo para os próximos anos.

Inseridas no segmento de Saúde, Beleza e Bem Estar, em 2017 o setor registrou gaturamento de 30 bilhões de reais, de acordo com a ABF. No ano seguinte, o aumento foi de 6,3%, com faturamento registrado em 31,90 bilhões de reais. O setor também identificou um aumento na variação de número de unidades, com crescimento de 5,4% de um ano ao outro.

Jefferson identifica que diante das mudanças na estrutura privada de atendimentos de saúde e de algumas carências do setor público, as franquias se tornam uma alternativa, tanto para investidores quanto para pacientes.

“A estrutura privada, por meio de convênios e planos de saúde, vem passando por mudanças, com redução de profissionais e de estabelecimentos credenciados. Os pacientes, por sua vez, nem sempre podem manter planos e convênios médicos, recorrendo às franquias como opção viável para acesso a serviços médicos e odontológicos, com mais qualidade e maior disponibilidade”, explica.

Assim, aos interessados em apostar em uma franquia de saúde, há mais segurança ao atuar junto a uma rede, além de maior confiabilidade e menores custos de operação.

A inovação tecnológica é um outro ponto de destaque que atrai os investidores, uma vez que as franqueadoras desenvolvem sistemas e estratégias para otimizar o desempenho dos franqueados.

Além das possibilidades de atuação no setor de consultas e exames médicos, por exemplo, os franqueados também podem apostar em serviços voltados para tratamentos estéticos, odontologia, fisioterapia e no ramo farmacêutico.

“As franquias de farmácia têm um conceito ampliado nos seus pontos de venda, com oferta de produtos de beleza e cosméticos e aumentando a oferta de medicamentos genéricos e suplementos vitamínicos. As farmácias de manipulação também têm participação no franchising, com parcerias e campanhas com médicos, dentistas e instituições e têm obtido bons resultados, se apresentando como uma alternativa interessante”, comenta Jefferson.

É importante que os empreendedores prestem atenção à obrigatoriedade de representantes técnicos para funcionamento das unidades, além dos cuidados necessários para licenciamento sanitário e dos órgãos de vigilância para que as unidades tenham condições especiais na operação.

Os estoques também merecem atenção especial e, comumente, as franquias deste ramo apresentam valores de investimento relativamente altos.

Jefferson ressalta: “esse é um segmento de certa forma restritivo e muitas vezes com a necessidade do registro nos respectivos conselhos profissionais, inviabilizando a entrada de investidores sem a devida formação e qualificação”.

Opções de franquias de saúde para investir

8Abrir uma franquia de beleza

As franquias que atuam com foco em serviços e produtos de beleza fazem parte de um segmento em alta no franchising brasileiro. O público alvo das redes é amplo e variado, com atendimentos voltados para diferentes faixas etárias e gêneros, com estimativas favoráveis de crescimento contínuo.

Justamente por ser um segmento com amplas opções de atendimento aos consumidores, Jefferson afirma que o mercado de beleza apresenta boas opções de retorno e investimento para operações.

É possível atuar com maquiagem, esmaltes, cabelo, sobrancelhas, depilação, barbearia, cuidados para o corpo como ginástica e musculação, emagrecimento e até procedimentos específico, como aplicações de botox e ácido hialurônico. Produtos como cosméticos e perfumes também complementam as opções dos empreendedores interessados.

“O operador desse tipo de franquias precisa de muita energia, com uma boa dose de liderança e resiliência, além de identificação com esse mercado. Por isso, as franqueadoras prósperas nesse segmento devem oferecer aos franqueados treinamentos detalhados quanto à operação, com orientações sobre as metodologias, técnicas e aquisição de equipamentos e utensílios para a operação”, explica Jefferson.

Para prosperidade das unidades, as franqueadoras devem garantir aos franqueados treinamentos detalhados quanto à operação, com orientações sobre metodologias, técnicas e aquisição de equipamentos e utensílios para operação.

O especialista comenta que, em comparação com as operações de saúde, as franquias que trabalham com estética ganham espaço quando os operadores são eficientes e, mesmo não atuando na resolução de questões técnicas como os profissionais de saúde, encontram destaque quando o assunto é administração e operações comerciais.

“As vendas cruzadas são comuns nesse segmento e uma esmalteria, por exemplo, além de prestar serviços pode vender esmaltes para pequenos retoques em casa, ou acessórios para unhas. Ou os salões de beleza podem, além de oferecer serviços de cabeleireiro, vender shampoos, condicionadores, cremes, pomadas e outros produtos afins aos seus clientes”, sugere Jefferson.

Como principal desafio, Jefferson identifica o mercado competitivo e, por isso, as franquias devem estar preparadas para oferecer diferenciais. As redes devem atuar com foco na fidelização de clientes, oferecendo a possibilidade de pacotes de serviços.

“É também importante citar a obrigatoriedade da obtenção de licenças e autorizações operacionais e sanitárias, com especial cuidado para não ter problemas com a vigilância sanitária. As franquias de beleza não podem descuidar da atualização constante e investimentos na inovação, introduzindo novos produtos e serviços”, alerta.

Opções de franquias de beleza para investir

Quer conhecer mais ideias para abrir uma franquia e escolher a rede ideal para você? Confira nosso curso e saiba como!

DEIXE UMA RESPOSTA